Últimos itens adicionados do Acervo: Universidade Federal de Pernambuco

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) é uma instituição de ensino superior pública federal brasileira, mantida pelo Governo Federal do Brasil. Está sediada na cidade do Recife, no estado de Pernambuco, Brasil.

Página 10 dos resultados de 13792 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

‣ Nas Solidões Vastas e Assustadoras'- Os pobres do açúcar e a conquista do sertão de Pernambuco nos séculos XVII e XVIII

Vanderlei Paiva da Silva, Kalina; Joaquim Maciel de Carvalho, Marcus (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
Esta pesquisa investiga os pobres livres das vilas açucareiras de Pernambuco em seu processo de interação com os conflitos da chamada guerra dos bárbaros e o momento de formação da sociedade sertaneja colonial. Partimos, dessa forma, de uma abordagem sócio-cultural para observar as condições de existência desses personagens tanto nas cidades açucareiras dos séculos XVII e XVIII, quanto no sertão durante seu processo de conquista, privilegiando a participação dos pobres produtivos e vadios, influenciados pelo imaginário dominante nas vilas do açúcar, na expansão colonizadora para o interior das capitanias do norte. Nessa perspectiva, trabalhamos com o cenário urbano da zona canavieira de Pernambuco e sua expansão que culmina nos conflitos contra os povos do semi-árido e na constituição de uma nova sociedade colonial no sertão, considerando, ao longo do percurso, a atuação dos pobres livres urbanos desse cenário na construção de um conjunto de imagens e representações do sertão enquanto território significado como espaço oposto ao litoral civilizado

‣ Cartografias das Artes Plásticas no Recife dos anos 1980: Deslocamentos Poéticos Entre as Tradições e o Novo

D' arc de Sousa Lima, Joana; Paulo de Morais Rezende, Antonio (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
No inicio dos anos 1980, especificamente na configuração das artes plásticas, uma narrativa crítica entre outras que marcaram o importante debate sobre a arte contemporânea e seus circuitos de atuação nacional , alimentou e foi alimentada pelos modos de fazer de jovens artistas, e produziu alguns enunciados sobre as maneiras e os modos de se fazer arte naqueles anos. O retorno ao fazer da pintura é anunciado em oposição a uma arte conceitual vista como fria, hermética e cerebral , marcadamente localizada nos anos 1970. Grosso modo, o discurso da crítica criara um rótulo para sintetizar a novidade: Geração 80 , pretendendo traduzir as performances de jovens artistas, em sua maioria pintores, oriundos de formação das escolas de arte localizadas no eixo Rio de Janeiro e São Paulo. Não obstante, tal generalização, como qualquer outra, não deu conta de dizer de toda uma produção artística que se espraiava em diversas poéticas e práticas, seja nessas duas metrópoles, e muito menos ao considerar as artes realizadas em outras geografias e lugares do Brasil. Nesse sentido, fez-se imperativo desnaturalizar o rótulo Geração 80 e a chamada Nova Pintura feita pelos jovens artistas, que não foi adequadamente problematizada pela crítica brasileira...

‣ Dor-amor : leitura e escritura dos contos de fadas

D'arc de Mendonça Cavalcanti, Joana; Joachim, Sébastien (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
Dor-amor : leitura e escritura dos Contos de Fadas propõe um trabalho de hermenêutica baseado na análise psíco-crítica, assumindo como referência os pressupostos teóricos dos especialistas Jean Bellemin-Nöel e Juan-David Nasio, nos quais fundamentamos nossas hipóteses e interpretações para dizer que tais narrativas nos desafiam na base dos nossos desejos mais profundos, portanto lugar de busca onde o leitor vivencia sua subjetividade de forma mais plena possível. Por meio da análise crítica das narrativas Vasalisa: a sábia, O Pequeno Polegar, O Junípero e A Bela e a Fera apontamos para o fato de que os contos de fadas constituem-se num território de transubjetividade, fonte inesgotável da experiência simbólica e do encontro entre o eu e o outro que se podem ver no mais-além que caracteriza a dimensão da ficção e da obra de arte. Por meio desses contos e dos autores que nos apoiam na aliança entre literatura e psicanálise, além dos já citados, visitamos Bruno Bettelheim, Sheldon Cashdan, Melanie Klein, Maud Mannoni, Alfredo Garcia-Roza, entre outros para dizer que os contos encantam porque nos ensinam que a vida é busca, desafio e captura de um sentido sem o qual não conseguimos uma resolução satisfatória para nossos dramas e conflitos. Enfim...

‣ A Sharia'ah al islamia : Contextualização histórica,politica e atualidade

El Sawi, Maria Izabel Sales de França
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Nossa primeira questão a ser levantada nesta tese é com a História do Direito islâmico, na qual foram examinados preceitos do Al Qu ran, da Sunna e do Al Ijma a. Por certo nosso objetivo maior é mostrar a importância da inseparabilidade entre Direito e Religião na Shari ah Al Islamia, cujos caracteres da sua lei distanciam-se das codificações ocidentais, bem como, a luta dos muçulmanos pelo retorno à Lei Divina. Para tanto, fizemos uma retrospectiva histórica, política e filosófica dos povos árabes. Inicialmente, com a introdução do Direito que surgiu com a revelação alcorânica, impondo o aparecimento do Estado Islâmico, em Medina, na Arábia Saudita. Posteriormente, a conscientização jurídica, através das normas do Al Qu ran, da Sunna e do Al Ijma a, nascendo a Ciência Jurídica Islâmica. A atmosfera de respeito no meio da população, através das diretrizes de conduta e jurisprudências das Escolas de Direito Islâmico, proporcionam condições para as resistências populares contra os governos que se afastaram da Lei Islâmica. As revoltas são de concepções sociais e jurídicas, com maior ênfase nos países que tiveram suas terras divididas ou devastadas pelas guerras explorativas. As massas muçulmanas pedem a volta da Lei Divina para que possam aplicar o Estado de Direito

‣ A Influência do método de escolha do parâmetro “C” na determinação de equações de chuvas intensas

Souza, Júlio Cezar Batista de; Azevedo, José Roberto Gonçalves de (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
Português
Em projetos de obras hidráulicas, tais como vertedores de barragem, redes de drenagem urbana, dimensionamento de canais, bueiros rodoviários e pontes, é de fundamental importância a determinação das equações de chuvas intensas para a definição da chuva de projeto. Nesta pesquisa, verificou-se o comportamento do parâmetro “c” da equação geral de Chow (1964), conforme o maior coeficiente de determinação R², diante do dimensionamento de dois sistemas de drenagem urbana, além de fazer uma análise econômico-financeira dos dois sistemas. Para a determinação da equação de chuvas intensas, foi realizada uma análise estatística dos dados pluviográficos pelo Método de Gumbel e o teste de aderência escolhido foi o de Kolmogov-Smirnov, com fito de avaliação da consistência dos dados. Para comparação dos valores calculados pela distribuição de Gumbel e os calculados pela nova equação de chuvas, foram utilizados a razão de desvios – RD, o coeficiente de massa residual – CMR e o próprio coeficiente de determinação R². Foi feita uma simulação em dois sistemas de drenagem urbana em um bairro fictício, no sentido de avaliar o comportamento da nova família de equações de chuvas. Como resultado...

‣ Desvelando o lugar da educação especial nas matrizes curriculares dos cursos de Pedagogia e do Curso Normal Superior à luz da Teoria da Inclusão

Maria Araujo Sant'ana, Fernanda; José de Lima, Francisco (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
O presente trabalho de pesquisa, intitulado DESVELANDO O LUGAR DA EDUCAÇÃO ESPECIAL NAS MATRIZES CURRICULARES DOS CURSOS DE PEDAGOGIA E DO CURSO NORMAL SUPERIOR À LUZ DA TEORIA DA INCLUSÃO , investiga as matrizes curriculares dos cursos de Pedagogia e do curso Normal Superior das Instituições de Ensino Superior da cidade de Recife- PE, identificando a existência de conteúdos nas disciplinas de Educação Especial ou afins, que contribuam para a formação do professor para a Educação Inclusiva. Os resultados da pesquisa revelaram que a existência de conteúdos nessas disciplinas sobre Educação Especial/Educação Inclusiva atende ao conceito de professor capacitado, presente na Resolução CNE/CEB2/11/09/2001 do MEC, pois, através do currículo prescrito, o professor pode comprovar que esses conteúdos estão inclusos na sua formação. Porém, apenas a existência deles (dos conteúdos) não é suficiente para o professor ser considerado capacitado para atuar em classes comuns com alunos que apresentam Necessidades Educacionais Especiais, visto que é necessário, também, que as proposições sobre currículo, avaliação do processo de ensino-aprendizagem e formação de professores apresentem perspectivas inclusivas...

‣ Carta enviada por Antônio Corrêa para o conselheiro João Alfredo Correia de Oliveira

Corrêa, Antônio
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Correspondencia Formato: 4 p.
Português
Pergunta pela saúde do Conselheiro e diz que vai seguir para Sergipe "a fim de tomar posse da prehenda" que este lhe arranjara. Observa que só aceitará aquela presidência por recear uma má interpretação por parte do Governo e dos amigos. Tece comentários sobre a política local, dizendo que Pernambuco estava precisando mais do que nunca da presença do Conselheiro. Faz referência ao nome de Oliveira Maciel.

‣ Carta enviada por Lobo Moreira para o conselheiro João Alfredo Correia de Oliveira

Moreira, Lobo
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Correspondencia Formato: 2 p.
Português
Pede notícias da saúde do Conselheiro e comenta: "estamos em pasmaceira de seca para muitos e cheia para poucos".

‣ Carta enviada por Aquino Fonseca para o conselheiro João Alfredo Correia de Oliveira

Fonseca, Aquino
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Correspondencia Formato: 2 p.
Português
Pede um emprego vitalício.

‣ Carta enviada por Adolfo Lamenha Lins para o conselheiro João Alfredo Correia de Oliveira

Lins, Adolfo Lamenha
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Correspondencia Formato: 5 p.
Português
Extensa carta tratando de problemas políticos que procuram envolver o seu nome, ocasião em que se declara disposto a pedir demissão das funções que exerce, ao invés de "cometer uma indignidade".

‣ Carta enviada por Thomaz de Moraes Rego para o conselheiro João Alfredo Correia de Oliveira

Rego, Thomaz de Moraes
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Correspondencia Formato: 3 p.
Português
Solicita o lugar de juiz da capital, para o dr. Hilário d´Aguiar.

‣ Carta enviada por Manoel Martins de Miranda para o conselheiro João Alfredo Correia de Oliveira

Miranda, Manoel Martins de
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Correspondencia Formato: 4 p.
Português
A Câmara Municipal de Maceió, em extenso memorial, se congratula com João Alfredo pela sua nomeação para Senador do Império, como representante da Província de Pernambuco.

‣ Carta enviada por G. L. S. Muritiba para o conselheiro João Alfredo Correia de Oliveira

Muritiba, G. L. S.
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Correspondencia Formato: 3 p.
Português
Solicita ser reconduzido nas funções em que se encontra, uma vez que vai terminar o seu quatriênio. Explica as razões do seu procedimento. Fala de problemas políticos, e diz que os "negócios da província não vão mal". A eleição está marcada para fins de janeiro, e o senador Jacinto não quer aparecer.

‣ Carta enviada por João Batista Soledade para o conselheiro João Alfredo Correia de Oliveira

Soledade, João Batista
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Correspondencia Formato: 5 p.
Português
Todos os documentos referentes ao seu pleito para ser nomeado praticante na Tesouraria Geral ou Alfândega da Bahia, conforme pedido, já foram encaminhados por intermédio do Cons. Balduino Coelho.

‣ Carta enviada por Inocêncio Marques de Araujo Gois para o conselheiro João Alfredo Correia de Oliveira

Gois, Inocêncio Marques de Araújo
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Correspondencia Formato: 4 p.
Português
Espera que tenham chegado perfeitas as quartinhas e os "mais objetos" remetidos. A eleição senatorial tem lhe ocupado "todos os instantes". Diz que sofreu a "mais crua e desbragada guerra" de seus colegas de deputação. Comenta que isso aconteceu por ordem de Cotegipe que exigiu a sua "execução", e declara que, se fosse banqueiro e emprestasse dinheiro ao dito Cotegipe, não teria sido excluído da chapa. Estende-se em considerações correlatas, e conclui lamentando a morte de Eufrásio, "que tão vigorosamente estava administrando a província".

‣ Carta enviada por Agostinho Hermes da Silva Braga para o conselheiro João Alfredo Correia de Oliveira

Braga, Agostinho Hermes da Silva
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Correspondencia Formato: 5 p.
Português
Prestou exames três vezes para Praticante de Repartições da Fazenda, na Província da Bahia, e, embora aprovado, não foi nomeado. Pede providências.

‣ Carta enviada por Alfredo Veríssimo Netto para o conselheiro João Alfredo Correia de Oliveira

Veríssimo Netto, Alfredo
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Correspondencia Formato: 2 p.
Português
Pede para ser nomeado à Despachante Geral da Alfândega.

‣ Carta enviada pelo Conde de Nioac para o conselheiro João Alfredo Correia de Oliveira

Nioac, Conde de
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Correspondencia Formato: 4 p.
Português
Anexo: Cópia. "Picot"¹: Jornalista francês; Sente ver o Conselheiro "incomodado", e aconselha enfaticamente: "Levante-se pelo amor de Deus e deixe de lado os peçonhentos e os pérfidos traidores". Acha que João Alfredo continua merecendo a confiança do Imperador e escreve longamente tratando do assunto. Manifestou a "Picot"¹ que não havia gostado da crítica do mesmo à Fala do Trono.

‣ Carta enviada pelo Conde de Nioac para o conselheiro João Alfredo Correia de Oliveira

Nioac, Conde de
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Correspondencia Formato: 3 p.
Português
Anexo: Cópia datilografada do original.; Fala da nomeação do seu irmão, Mons. Peixoto, para bispo do Rio Grande do Sul, havendo Sua Majestade não concordado, por ser o mesmo seu confessor. Lembra estar vaga a diocese do Rio de Janeiro, e que nesse caso o Monsenhor poderia ser indicado bispo, continuando junto do Imperador.

‣ Carta enviada pelo Conde de Nioac para o conselheiro João Alfredo Correia de Oliveira

Nioac, Conde de
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Correspondencia Formato: 6 p.
Português
Inclui o Anexo de Cópia datilografada do original.; Agradece o título dado "ao Tesoureiro do Tesouro". Recomenda ao Conselheiro estar bem forte para fazer frente à oposição do Parlamento, "distinguindo os ambiciosos do Senado". Chama os Carapebus de "ambiciosos" e "cheios de inveja". Adverte João Alfredo quanto ao V. de Figueiredo. Trata demoradamente dos negócios públicos e políticos no Brasil. Anexo: Cópia datilografada do original.