Página 4 dos resultados de 47045 itens digitais encontrados em 0.032 segundos

‣ Catástrofes naturais em saúde pública : impactos e planos de emergência : caso de estudo : São Miguel-Açores

Silva, Ana Sofia de Jesus
Fonte: Universidade Nova de Lisboa. Escola Nacional de Saúde Pública Publicador: Universidade Nova de Lisboa. Escola Nacional de Saúde Pública
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
87.14806%
RESUMO - Nos últimos anos, as catástrofes naturais têm sido a causa frequente de problemas de Saúde Pública; além disso representam um sério obstáculo ao desenvolvimento das comunidades atingidas, na medida em que consomem ponderáveis recursos para a mitigação dos danos sofridos. Pode-se dizer que não existe nenhum país que não esteja exposto ao risco de catástrofes naturais, tais como Sismos, Tsunamis, Erupções Vulcânicas, Movimentos de Vertentes, Ciclones Tropicais, Ondas de Frio e de Calor, Secas e Inundações, e como tal, este é um problema global emergente. Como, actualmente, é impossível prever e controlar a ocorrência destes fenómenos, as acções humanas têm de ser direccionadas para a implementação de soluções que possam mitigar e/ou prevenir o seu impacto na sociedade. A integração do lugar, do espaço e do tempo na Saúde Pública, como componentes de investigação relativas aos problemas da população, são uma ferramenta metodológica importante no auxílio do planeamento, monitorização e avaliação das acções em saúde. O que está em causa neste estudo é o pensar, o preparar e o adaptar os nossos territórios e populações a cenários de crise que podem aparecer sem aviso prévio. Este trabalho é...

‣ História da saúde pública no Estado de São Paulo

Mascarenhas,Rodolfo dos Santos
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1973 Português
Relevância na Pesquisa
87.173545%
Estuda-se a história, através da evolução dos serviços estaduais de saúde pública em São Paulo, desde 1891 até o presente. Dois vultos se destacam: Emílio Ribas e Geraldo de Paula Souza. Emílio Ribas conseguiu debelar no fim do século passado surtos epidêmicos de febre amarela, febre tifóide, varíola e cólera e, na Capital, malária. Prova, em um grupo de voluntários, no qual foi o primeiro, a transmissão, por vector, de febre amarela, repetindo, um ano depois, a experiência norte-americana em Cuba. Funda o Instituto Butantã, entregando-o a outro cientista, Vital Brasil. Paula Souza reorganiza, em 1925, o Serviço Sanitário do Estado, introduzindo o centro de saúde, a educação sanitária, a visitação domiciliaria. Lidera, posteriormente, no SESI, a assistência médica, odontológica, alimentar e social do operário. Em junho de 1947 foi criada a Secretaria da Saúde Pública e da Assistência Social cujo primeiro titular foi o Dr. José Q. Guimarães. Deu-se ênfase à implantação de campanhas de erradicação ou controle de doenças transmissíveis (malária, chagas, poliomielite, variola, etc.) e à reforma total da Secretaria da Saúde iniciada em 1970.

‣ História da saúde pública no Estado de São Paulo

Mascarenhas,Rodolfo dos Santos
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2006 Português
Relevância na Pesquisa
87.173545%
Estuda-se a história, através da evolução dos serviços estaduais de saúde pública em São Paulo, desde 1891 até o presente. Dois vultos se destacam: Emílio Ribas e Geraldo de Paula Souza. Emílio Ribas conseguiu debelar no fim do século passado surtos epidêmicos de febre amarela, febre tifóide, varíola e cólera e, na Capital, malária. Prova, em um grupo de voluntários, no qual foi o primeiro, a transmissão, por vector, de febre amarela, repetindo, um ano depois, a experiência norte-americana em Cuba. Funda o Instituto Butantã, entregando-o a outro cientista, Vital Brasil. Paula Souza reorganiza, em 1925, o Serviço Sanitário do Estado, introduzindo o centro de saúde, a educação sanitária, a visitação domiciliaria. Lidera, posteriormente, no SESI, a assistência médica, odontológica, alimentar e social do operário. Em junho de 1947 foi criada a Secretaria da Saúde Pública e da Assistência Social cujo primeiro titular foi o Dr. José Q. Guimarães. Deu-se ênfase à implantação de campanhas de erradicação ou controle de doenças transmissíveis (malária, chagas, poliomielite, variola, etc.) e à reforma total da Secretaria da Saúde iniciada em 1970.

‣ O que é Saúde Pública?

Pires Filho,Fernando Molinos
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/1987 Português
Relevância na Pesquisa
87.173545%
O autor elabora uma reflexão sobre os entendimentos mais prevalentes entre os atores da área da saúde, a respeito da expressão "saúde pública". E procura mostrar que: - enquanto cidadãos trabalhadores de saúde, "enchergamos" ou "entendemos" a questão ou as questões de saúde pública de forma diferente; - em função dessas percepções diferentes, temos interesses, assumimos posturas e apontamos soluções diferentes; - os tipos de soluções, interesses, posturas e soluções guardam entre si uma lógica própria que lhes dá coerência interna, e ao mesmo tempo definem um nível de abrangência para o trato da questão, assim como determinam a possibilidade de graus de resolutividade para os problemas a ela relacionados.

‣ Saúde pública, rede básica e o sistema de saúde brasileiro

Merhy,Emerson E.; Queiroz,Marcos S.
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1993 Português
Relevância na Pesquisa
87.1718%
Este artigo focaliza o desenvolvimento da saúde pública no Brasil com o intuito de analisar os problemas com os quais se depara o processo atual de municipalização dos serviços de saúde. Argumenta-se que a postura neoliberal ou conservadora tornou-se incapaz de articular uma proposta viável para o sistema de saúde. Por outro lado, a proposta reformista concentra sua atenção no sistema de saúde e sua administração, tendo como modelo a postura positivista das ciências naturais e administrativas. Argumenta-se que apenas uma mudança radical no paradigma da medicina, na qual a dimensão coletiva e social predomina sobre a dimensão biológica e individual, permitiria conciliá-la com as necessidades de saúde da população.

‣ Desvelando a concepção de adolescência/adolescente presente no discurso da Saúde Pública

Peres,Fumika; Rosenburg,Cornélio P.
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/1998 Português
Relevância na Pesquisa
87.14806%
Este artigo é parte de uma Tese de Doutorado*. Trata-se de um trabalho de natureza teórica que, no campo das Ciências Sociais, busca analisar criticamente o conhecimento produzido e utilizado na área da saúde e que vem orientando a prática com adolescentes, de forma hegemônica, desvelando a concepção de adolescência/adolescente presente no discurso da Saúde Pública. Mediante um processo de desconstrução e reconstrução histórica do discurso em estudo, utilizando-se o instrumental de pesquisa em História Social, reconhece-se a concepção adotada, representativa do paradigma médico-biológico/ biomédico, que vem orientando, de forma predominante, a produção do conhecimento e as práticas correspondentes nessa área de atuação.

‣ Um olhar sobre o VI congresso paulista de saúde pública

Capucci,Paulo Fernando; Martins,Cleide Lavieri; Ianni,Aurea Maria Zõllner; Carneiro Junior,Nivaldo; Bógus,Cláudia Maria
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1999 Português
Relevância na Pesquisa
87.14806%
Os autores apresentam uma avaliação do VI Congresso Paulista de Saúde Pública a partir de documentos de preparação do evento e de avaliação dos Congressistas. Comentam aspectos da organização e informa sobre origem e categorias profissionais dos congressistas.

‣ Breve história da hanseníase: sua expansão do mundo para as Américas, o Brasil e o Rio Grande do Sul e sua trajetória na saúde pública brasileira

Eidt,Letícia Maria
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2004 Português
Relevância na Pesquisa
87.173545%
Este trabalho faz uma revisão sobre a história da hanseníase através dos tempos, desde sua provável origem na Antigüidade até a sua vinda para as Américas, o Brasil e o Rio Grande do Sul. Relata, também, a evolução das políticas de saúde pública brasileiras adotadas para o seu controle e descreve algumas atitudes da sociedade para com os doentes de hanseníase no passado. Este retrospecto histórico contribui para o conhecimento da doença, para a detecção de fatores predisponentes do binômio saúde-doença e auxilia na compreensão dos sentimentos dos pacientes com relação a sua doença na atualidade.

‣ Biodiversidade e Saúde Pública: questões para uma nova abordagem

Ianni,Aurea Maria Zöllner
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2005 Português
Relevância na Pesquisa
87.173545%
Verificar o estado da biodiversidade e as intervenções que provocaram ou provocam a sua destruição ou comprometem a sua conservação implica problematizar aspectos fundamentais do fenômeno da vida, das relações entre saúde e ambiente. Na dinâmica ecológica, a freqüência de determinados seres vivos depende em grande medida da freqüência de outros seres vivos. Também na saúde, a história de cada doença é dependente da história de todas as doenças, da história natural e da dos homens. A emergência e reemergência de doenças infecto-contagiosas colocam em evidência a fragilidade do equilíbrio ambiental. Esses problemas implicam necessidade de reposicionar o limiar crítico das relações do homem com a natureza, do biológico com o social. Articular a interface dessas categorias por meio da Epidemiologia, disciplina estruturante da Saúde Pública no Brasil, possibilita desvendar as implicações ecológicas dessa prática social.

‣ Representações sociais sobre dengue: reflexões sobre a mediação da informação em saúde pública

Villela,Edlaine Faria de Moura; Almeida,Marco Antônio de
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2013 Português
Relevância na Pesquisa
87.173545%
O objetivo do trabalho é trazer subsídios para o debate sobre as relações entre saúde pública, meios de comunicação e a formulação e divulgação da informação sobre saúde para os cidadãos. O foco da pesquisa é a divulgação de informações sobre dengue e processos epidêmicos em Ribeirão Preto, SP. Foi utilizada como principal referencial para a pesquisa a Teoria das Representações Sociais, a qual busca captar o imaginário social da população sobre a doença a ser abordada. O método utilizado foi o Discurso do Sujeito Coletivo (DSC), caracterizado pela organização e tabulação de dados qualitativos de natureza verbal. Questionários foram aplicados para a coleta de dados. Para analisar e contextualizar os dados obtidos foram feitas referências a algumas teorias acerca da reflexividade, do risco epidemiológico e da Sociedade da Informação. Salienta-se, ao final, a importância dos mediadores para que haja bom desempenho do processo de mediar informações sobre saúde, e sobre dengue especificamente.

‣ História da saúde pública no Estado de São Paulo; History of public health in the S. Paulo State, Brazil

Mascarenhas, Rodolfo dos Santos
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/02/2006 Português
Relevância na Pesquisa
87.173545%
Estuda-se a história, através da evolução dos serviços estaduais de saúde pública em São Paulo, desde 1891 até o presente. Dois vultos se destacam: Emílio Ribas e Geraldo de Paula Souza. Emílio Ribas conseguiu debelar no fim do século passado surtos epidêmicos de febre amarela, febre tifóide, varíola e cólera e, na Capital, malária. Prova, em um grupo de voluntários, no qual foi o primeiro, a transmissão, por vector, de febre amarela, repetindo, um ano depois, a experiência norte-americana em Cuba. Funda o Instituto Butantã, entregando-o a outro cientista, Vital Brasil. Paula Souza reorganiza, em 1925, o Serviço Sanitário do Estado, introduzindo o centro de saúde, a educação sanitária, a visitação domiciliaria. Lidera, posteriormente, no SESI, a assistência médica, odontológica, alimentar e social do operário. Em junho de 1947 foi criada a Secretaria da Saúde Pública e da Assistência Social cujo primeiro titular foi o Dr. José Q. Guimarães. Deu-se ênfase à implantação de campanhas de erradicação ou controle de doenças transmissíveis (malária, chagas, poliomielite, variola, etc.) e à reforma total da Secretaria da Saúde iniciada em 1970.; The history through the evolution of the estate public health services in S. Paulo from 1891 till 1971 was studied. Two public health leaders are distinguished: Emilio Ribas and Geraldo de Paula Souza. At the end of the later century Emilio Ribas succeeded in overcoming outbreaks of epidemics...

‣ História da saúde pública no Estado de São Paulo; History of Public Health in the S. Paulo State, Brazil

Mascarenhas, Rodolfo dos Santos
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/1973 Português
Relevância na Pesquisa
87.173545%
Estuda-se a história, através da evolução dos serviços estaduais de saúde pública em São Paulo, desde 1891 até o presente. Dois vultos se destacam: Emílio Ribas e Geraldo de Paula Souza. Emílio Ribas conseguiu debelar no fim do século passado surtos epidêmicos de febre amarela, febre tifóide, varíola e cólera e, na Capital, malária. Prova, em um grupo de voluntários, no qual foi o primeiro, a transmissão, por vector, de febre amarela, repetindo, um ano depois, a experiência norte-americana em Cuba. Funda o Instituto Butantã, entregando-o a outro cientista, Vital Brasil. Paula Souza reorganiza, em 1925, o Serviço Sanitário do Estado, introduzindo o centro de saúde, a educação sanitária, a visitação domiciliaria. Lidera, posteriormente, no SESI, a assistência médica, odontológica, alimentar e social do operário. Em junho de 1947 foi criada a Secretaria da Saúde Pública e da Assistência Social cujo primeiro titular foi o Dr. José Q. Guimarães. Deu-se ênfase à implantação de campanhas de erradicação ou controle de doenças transmissíveis (malária, chagas, poliomielite, variola, etc.) e à reforma total da Secretaria da Saúde iniciada em 1970.; The history through the evolution of the estate public health services in S. Paulo from 1891 till 1971 was studied. Two public health leaders are distinguished: Emilio Ribas and Geraldo de Paula Souza. At the end of the later century Emilio Ribas succeeded in overcoming outbreaks of epidemics...

‣ Um olhar sobre o VI congresso paulista de saúde pública; A glance on the 6th congress from São Paulo of public health

Capucci, Paulo Fernando; Martins, Cleide Lavieri; Ianni, Aurea Maria Zõllner; Carneiro Junior, Nivaldo; Bógus, Cláudia Maria
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/1999 Português
Relevância na Pesquisa
87.14806%
Os autores apresentam uma avaliação do VI Congresso Paulista de Saúde Pública a partir de documentos de preparação do evento e de avaliação dos Congressistas. Comentam aspectos da organização e informa sobre origem e categorias profissionais dos congressistas.; The authors make an evaluation of the VI Congresso Paulista de Saúde Pública, based both on preparation documents for the meeting, and on an evaluation of the Congress activities, made by its participants. They comment on organizational aspects, as well as on the origin and occupation of the participants.

‣ Violência entre torcidas nos estádios de futebol: uma questão de Saúde Pública; Violence among supporters in football stadiums: a Public Health question

Vieira, Ricardo Alexandre Guerra; Siqueira, Gisela Rocha de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
87.18482%
Este artigo tem o objetivo de trazer a debate a temática da violência entre torcedores nos estádios de futebol sob o foco da perspectiva da Saúde Pública. Foi desenvolvido a partir de uma revisão de literatura, consubstanciada por uma consulta à Secretaria de Saúde Pública e à Polícia Militar do Estado de Pernambuco. A partir disso, ficaram constatadas a escassez de dados relacionados ao assunto, a subutilização dos dados existentes e a falta de intercâmbio entre as instituições para utilizá-los na criação de mecanismos de reflexão e ação conjunta em busca de soluções para o problema. Na coleta de material, foram consultadas obras de referência, dentre elas: livros, periódicos, anais de congressos, priorizando-se textos da literatura das últimas duas décadas nos idiomas português e inglês. Foram consultados também base de dados da literatura científica on-line como Lilacs, Medline, Scielo, Bireme, entre outros, utilizando-se os seguintes descritores: violência, torcedores, torcidas organizadas, futebol, saúde pública. Este artigo propõe uma reflexão sobre a possibilidade de propostas e procura apontar caminhos para uma mudança de comportamento a partir de um melhor entendimento desse fenômeno tão atual quanto complexo no cenário da sociedade brasileira.; This article aims to discuss the theme of violence among football fans in stadiums in the Public Health perspective. It was developed through a literature review and a consultation with the Public Health Department and the Military Police of the State of Pernambuco. The consultation revealed the scarcity of data related to the subject...

‣ Reflexões sobre água de abastecimento e saúde pública: um estudo de caso na Amazônia brasileira; Considerations about water supply and public health: a case study in the Brazilian Amazonia

Giatti, Leandro Luiz
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/04/2007 Português
Relevância na Pesquisa
87.18482%
Embora a Amazônia ostente grandioso patrimônio ambiental e abundância de recursos hídricos, é na região Norte do Brasil, contida neste notável bioma, que se verificam os piores índices de acesso a serviços de saneamento e respectivos indicadores de saúde pública. Por meio de estudo de caso efetuado na cidade de São Gabriel da Cachoeira, localizada à noroeste do Estado do Amazonas, com aproximadamente 18.000 habitantes e substancial parcela de população indígena, verificou-se a complexidade de fatores relacionados ao provimento de água e à melhoria da saúde pública para núcleos urbanos da Amazônia. A ausência de políticas concisas, as peculiaridades ambientais, as dificuldades logísticas e financeiras somam-se a questões socioculturais, a aspectos migratórios e a processo de urbanização desordenada, associada a impactos ambientais. Para melhoria da saúde pública nessas circunstâncias torna-se necessária uma abordagem interdisciplinar, que possibilite a gestão dos recursos hídricos, a implementação de saneamento básico e, não obstante, a promoção de adesão dos habitantes.; Even though Amazonia displays magnificent environmental heritage and abundance of water resources, it is exactly in the Brazilian northern region...

‣ História da saúde pública no Estado de São Paulo

Mascarenhas,Rodolfo dos Santos
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1973 Português
Relevância na Pesquisa
87.173545%
Estuda-se a história, através da evolução dos serviços estaduais de saúde pública em São Paulo, desde 1891 até o presente. Dois vultos se destacam: Emílio Ribas e Geraldo de Paula Souza. Emílio Ribas conseguiu debelar no fim do século passado surtos epidêmicos de febre amarela, febre tifóide, varíola e cólera e, na Capital, malária. Prova, em um grupo de voluntários, no qual foi o primeiro, a transmissão, por vector, de febre amarela, repetindo, um ano depois, a experiência norte-americana em Cuba. Funda o Instituto Butantã, entregando-o a outro cientista, Vital Brasil. Paula Souza reorganiza, em 1925, o Serviço Sanitário do Estado, introduzindo o centro de saúde, a educação sanitária, a visitação domiciliaria. Lidera, posteriormente, no SESI, a assistência médica, odontológica, alimentar e social do operário. Em junho de 1947 foi criada a Secretaria da Saúde Pública e da Assistência Social cujo primeiro titular foi o Dr. José Q. Guimarães. Deu-se ênfase à implantação de campanhas de erradicação ou controle de doenças transmissíveis (malária, chagas, poliomielite, variola, etc.) e à reforma total da Secretaria da Saúde iniciada em 1970.

‣ O que é Saúde Pública?

Pires Filho,Fernando Molinos
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/1987 Português
Relevância na Pesquisa
87.173545%
O autor elabora uma reflexão sobre os entendimentos mais prevalentes entre os atores da área da saúde, a respeito da expressão "saúde pública". E procura mostrar que: - enquanto cidadãos trabalhadores de saúde, "enchergamos" ou "entendemos" a questão ou as questões de saúde pública de forma diferente; - em função dessas percepções diferentes, temos interesses, assumimos posturas e apontamos soluções diferentes; - os tipos de soluções, interesses, posturas e soluções guardam entre si uma lógica própria que lhes dá coerência interna, e ao mesmo tempo definem um nível de abrangência para o trato da questão, assim como determinam a possibilidade de graus de resolutividade para os problemas a ela relacionados.

‣ História da saúde pública no Estado de São Paulo

Mascarenhas,Rodolfo dos Santos
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2006 Português
Relevância na Pesquisa
87.173545%
Estuda-se a história, através da evolução dos serviços estaduais de saúde pública em São Paulo, desde 1891 até o presente. Dois vultos se destacam: Emílio Ribas e Geraldo de Paula Souza. Emílio Ribas conseguiu debelar no fim do século passado surtos epidêmicos de febre amarela, febre tifóide, varíola e cólera e, na Capital, malária. Prova, em um grupo de voluntários, no qual foi o primeiro, a transmissão, por vector, de febre amarela, repetindo, um ano depois, a experiência norte-americana em Cuba. Funda o Instituto Butantã, entregando-o a outro cientista, Vital Brasil. Paula Souza reorganiza, em 1925, o Serviço Sanitário do Estado, introduzindo o centro de saúde, a educação sanitária, a visitação domiciliaria. Lidera, posteriormente, no SESI, a assistência médica, odontológica, alimentar e social do operário. Em junho de 1947 foi criada a Secretaria da Saúde Pública e da Assistência Social cujo primeiro titular foi o Dr. José Q. Guimarães. Deu-se ênfase à implantação de campanhas de erradicação ou controle de doenças transmissíveis (malária, chagas, poliomielite, variola, etc.) e à reforma total da Secretaria da Saúde iniciada em 1970.

‣ Produção científica em saúde pública e as bases bibliográficas internacionais

Coimbra Jr.,Carlos E. A.
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/1999 Português
Relevância na Pesquisa
87.18482%
Inicialmente, esse trabalho situa, de forma condensada, a gênese dos procedimentos de indexação da bibliografia científica, que remetem à segunda metade do século XIX. A seguir, e tomando como referencial a saúde pública na América Latina, problematiza a utilização corrente da indexação para fins de avaliação de qualidade da produção científica e, por conseguinte, dos periódicos científicos. Argumenta-se que, por razões diversas, as bases de indexação internacional não devem ser utilizadas como os únicos parâmetros de avaliação do impacto da produção científica latino-americana em saúde pública. Critérios alternativos aos índices de impacto devem ser desenvolvidos visando um entendimento mais amplo acerca da dinâmica de produção científica em saúde pública na América Latina.

‣ Saúde pública, rede básica e o sistema de saúde brasileiro

Merhy,Emerson E.; Queiroz,Marcos S.
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1993 Português
Relevância na Pesquisa
87.1718%
Este artigo focaliza o desenvolvimento da saúde pública no Brasil com o intuito de analisar os problemas com os quais se depara o processo atual de municipalização dos serviços de saúde. Argumenta-se que a postura neoliberal ou conservadora tornou-se incapaz de articular uma proposta viável para o sistema de saúde. Por outro lado, a proposta reformista concentra sua atenção no sistema de saúde e sua administração, tendo como modelo a postura positivista das ciências naturais e administrativas. Argumenta-se que apenas uma mudança radical no paradigma da medicina, na qual a dimensão coletiva e social predomina sobre a dimensão biológica e individual, permitiria conciliá-la com as necessidades de saúde da população.