Página 1 dos resultados de 48 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

‣ O papel das sociedades de garantia mútua no apoio ao financiamento

Oliveira, Américo do Carmo Ferrão de
Fonte: FEUC Publicador: FEUC
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
27.5621%
A actividade bancária actua hoje num ambiente de incerteza e constantes mudanças, exigindo a todos os intervenientes uma enorme capacidade de adaptação às novas necessidades e exigência das entidades reguladoras. As novas regras de Basileia III, que obrigam os bancos a ter de aumentar significativamente o nível de capital de qualidade que precisam de manter, sob a forma de reservas, para se tornarem mais resistentes a crises financeiras, fixando limites mínimos de solvabilidade, só vêm criar mais um desafio a esta actividade, já por si só fragilizada, face à actual crise económica mundial instalada. A Garantia Mútua insere-se num conjunto de instrumentos financeiros vocacionados fundamentalmente para a facilitação do financiamento das PME. É um instrumento com grande tradição em muitos países da Europa continental e que foi introduzido em Portugal em 1994. As SGM especializam-se na concessão de garantias para vários fins, resultando o seu carácter mutualista do facto de apenas o fazerem em favor de empresas que se tornem suas accionistas.; Trabalho profissionalizante do mestrado em Gestão, apresentado à Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, sob a orientação de António Marques Mendes.

‣ O segurador do ramo "Não vida" em Portugal: contributo para a sua identificação e definição das suas características intrínsecas no actual panorama segurador português

Silva, Rita Gonçalves Ferreira da
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
38.08816%
O objectivo do presente trabalho é analisar o “segurador” do ramo “Não vida” em Portugal, com vista à sua identificação e definição das suas características intrínsecas. No Capítulo I da Parte I deste trabalho estudamos a actividade seguradora em Portugal, onde concluímos que a mesma tem um importantíssimo papel no sistema financeiro português na captação de poupança e na protecção das pessoas, atento, aliás, o contributo da actividade seguradora (em geral) para o crescimento e o desenvolvimento da economia e o seu relevantíssimo papel na sociedade, pela sua grande relevância prática, quer na área da ciência jurídica, quer na área da ciência económica. Fazemos também referência à mudança de paradigma ocorrido no Direito dos Seguros, atentas as alterações legislativas, a mudança de linguagem (e "gíria"), as novas realidades e as alterações que se verificaram na área de actuação de cada um dos sectores financeiros. Ainda no Capítulo I fazemos uma distinção entre a actividade bancária e a actividade seguradora e entre o modelo de separação de actividades (financeiras) e o modelo geral de banca universal, bem como uma análise da principal legislação portuguesa com referência à actividade seguradora. Para além disso analisamos novos riscos e seguros que têm vindo a surgir...

‣ A qualidade urbanística como recurso estratégico para o desenvolvimento de Portugal

Mateus, Diogo; Bordalo, Ana Cristina
Fonte: Edições Universitárias Lusófonas Publicador: Edições Universitárias Lusófonas
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
27.195452%
Sobre o caos urbanístico em que o País se vem afundando desde há cerca de 30 anos, ainda nem tudo foi dito, mas a consciência da sua gravidade tem-se progressivamente sedimentado na sociedade portuguesa, tanto no plano formal como no social. O caos urbanístico em Portugal é um facto generalizado e indesmentível. Tem raízes profundas em causas culturais antigas e na história recente, na ausência de uma política de solos eficaz, nas lacunas, no incumprimento ou no defeituoso cumprimento da legislação. E não se trata só de clandestinos ou de bairros de lata mas também, e infelizmente, de loteamentos e obras, administrativa, jurídica e tecnicamente suportadas. Bairros e mais bairros promovidos, construídos e adquiridos muitas das vezes com recurso a financiamento que representa uma parte substancial da actividade bancária em Portugal

‣ Economia da escala e de gama e os efeitos da concentração na eficiência bancária

Ribeiro, Maria Clara Dias Pinto
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em 02/10/2006 Português
Relevância na Pesquisa
48.13821%
O objectivo deste estudo é a análise da existência de economias de escala e de gama, da eficiência produtiva, dos efeitos da concentração e do progresso tecnológico sobre os custos bancários, tendo por base o mercado bancário português. A conceptualização da empresa bancária passa pela abordagem adoptada: produção ou intermediação. A adopção desta última corrente, neste trabalho, implica que a variável a explicar inclua os custos financeiros, além dos operacionais. As especificações custo adoptadas são do tipo Cobb-Douglas, Translog e Fourier. O carácter multiproduto da empresa bancária sugere o recurso a funções como a Translog e a Fourier. No entanto, a introdução de variáveis de estrutura e de homogeneidade, permite a associação da actividade bancária (multiproduto) a uma função uniproduto (Cobb-Douglas). Por outro lado, a função Fourier consegue uma maior aderência aos dados do que a função Translog. A amostra corresponde a vinte e dois bancos que operavam em Portugal em 31 de Dezembro, entre 1995 e 2001 — base não consolidada, com uma estrutura de dados em painel. A estimação das economias de escala - dados em painel (efeitos fixos e efeitos aleatórios) - através das três especificações custo estudadas...

‣ Uma análise de eficiência do sector bancário português

Dias, Bruna Micaela Moreira
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.891296%
Dissertação de mestrado em Economia Monetária, Bancária e Financeira; O presente estudo pretende avaliar o nível de eficiência técnica dos bancos portugueses entre 1994 e 2010. A eficiência técnica, também conhecida como eficiência X, consiste na capacidade de evitar desperdícios na produção, produzindo a mesma quantidade de produtos com menos inputs, ou produzir mais com a mesma quantidade de inputs. Para estudar o nível de eficiência dos bancos portugueses foi aplicado o modelo bietápico de produção desenvolvido por Holod e Lewis (2011). Neste modelo, os bancos utilizam os activos fixos e os empregados para atraírem depósitos dos clientes. Os depósitos, por sua vez, são a fonte principal de financiamento para a actividade bancária da concessão de crédito e outros produtos bancários. Os resultados obtidos revelam que a banca portuguesa é muito eficiente na utilização dos seus recursos. Os bancos de maior dimensão revelam ser mais eficientes que os de menor dimensão. No entanto, verificamse algumas assimetrias entre bancos com estrutura e dimensão semelhantes. Parece também haver uma relação negativa entre o número de bancos a operar e o nível de eficiência.; This dissertation aims to study the technical efficiency of Portuguese banks...

‣ Impacto da propriedade famíliar do capital no processo de decisão de financiamento das empresas portuguesas

Rita, Rui Manuel Sobral
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
27.5621%
Esta tese tem por objectivo identificar o impacto do controlo familiar do capital das empresas sobre a decisão de financiamento Neste trabalho observou-se que este factor determina a decisão de financiamento em quatro fases. Entre as empresas com as mesmas características de controlo, as empresas familiares tendem a apresentar um maior nível de dívida e maior probabilidade de escolher a utilização de dívida bancária e leasing comparativamente às empresas não familiares. Estas diferenças tornam-se significativas quando se introduz a classe dimensional. As empresas familiares apresentam uma maior propensão para deter mais dívida de longo prazo comparativamente às suas congéneres não familiares. Contudo, são as empresas familiares de menores dimensões a apresentarem maiores restrições no acesso à dívida. A classe dimensional e sector de actividade determinam a forma como a propriedade familiar influencia a decisão de financiamento. Assim, comprovou-se a tese da propriedade familiar determinar a decisão de financiamento das empresas; ABSTRACT: The aim of this thesis is to investigate the impact of family control on the financing decisions. This work concluded that family control on the firm’s equity determines the financing decisions in four phases. Among the companies with the same characteristics of control...

‣ Marcas bancárias: factores determinantes do brand equity na indústria bancária em Portugal

Santos, Carlos José Matias Gonçalves
Fonte: Instituto Superior de Economia e Gestão Publicador: Instituto Superior de Economia e Gestão
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /12/2009 Português
Relevância na Pesquisa
38.038494%
Mestrado em Marketing; A marca tem, nos dias de hoje, uma importância fundamental na gestão das empresas constituindo um dos seus principais activos. A marca é crucial tanto para os marketers no estudo do comportamento dos consumidores, como para os gestores de activos das empresas. A indústria bancária não é alheia a esta problemática, pelo que, nos últimos anos, a gestão da marca bancária assumiu um papel importante e de relevo, sendo hoje uma das preocupações da gestão de topo dos Bancos. Neste contexto, o presente estudo pretendeu percepcionar os factores explicativos das marcas bancárias em Portugal tendo, para o efeito, aplicado o modelo conceptual de David Aaker, de forma a investigar a relação do brand equity com as suas dimensões, lealdade à marca, qualidade percebida, notoriedade da marca e associações da marca. Para testar a importância das dimensões do modelo optou-se por uma metodologia quantitativa, tendo sido desenvolvido um questionário dirigido a alunos e ex-alunos do ensino superior de dois Institutos Superiores (ISEG e ISGB). Os resultados obtidos revelaram que o brand equity dos Bancos em Portugal está suportado pelos factores lealdade à marca, qualidade percebida e notoriedade e associações da marca. De salientar que a lealdade à marca assume...

‣ Quota de mercado e o seu impacto na rentabilidade bancária: caso do mercado bancário nacional

Sá, Cláudio Jorge Martins de
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa Publicador: Universidade Técnica de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
27.6521%
Mestrado em Finanças; O presente estudo de investigação científica possui uma evidente importância no contexto bancário nacional, visto que este permite prover uma orientação estratégica aos gestores destas instituições, em termos de QM e da forma como esta poderá (ou não) influenciar a rendibilidade das suas instituições, através de uma observação exploratória da temática evidênciada. No desenvolvimento deste foi elaborada uma pesquisa profunda sobre as implicações que a QM possui na rendibilidade das instituições, não só sobre o caso concreto da indústria bancária mas também sobre uma panóplia de sectores de actividade, de forma a obter uma perspectiva global da temática, tendo tal proporcionado a base empírica necessária para a realização de várias inferências estatísticas pretendidas. O propósito das inferências realizadas visa alcançar o objecto em estudo, ou seja, a análise do potencial relacionamento entre a QM, em termos de activo líquido, crédito a clientes, recursos de clientes e postos de atendimento e o return on equitiy das instituições bancárias nacionais e as suas implicações estratégicas. Para tal foram recolhidos dados económico-financeiros do mercado bancário nacional...

‣ Concentração bancária em Portugal

Silva, Tiago Filipe Lopes da
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 Português
Relevância na Pesquisa
27.891296%
Mestrado em Gestão / Classificação JEL: G21, G34; Esta dissertação estuda a concentração bancária em Portugal entre 1992 e 2007. Enquadra o tema pelo desenvolvimento estratégico, conglomerados financeiros, evolução dos sistemas financeiros da OCDE e a evolução do sector bancário em Portugal. As concentrações verificadas na banca portuguesa resultam de vários factores entre os quais a adesão de Portugal à CEE, aos processos de privatizações ocorridos no sector bancário português nos anos 90, da desregulamentação e da consolidação dos principais grupos financeiros portugueses. O cálculo da concentração é efectuado para a actividade global corrigida para Portugal, para um conjunto de oito variáveis e com base em vários indicadores e, tendo por base, as contas consolidadas. Os resultados demonstram um aumento da concentração entre 1992 e 2007, para todas as variáveis e com base em qualquer dos indicadores habitualmente utilizados, o ano 2000 é o ano em que o nível de concentração é mais elevados para qualquer uma das variáveis. Apesar do aumento da concentração, nem sempre este aumento resultou num aumento de eficiência, como se demonstra na análise do rácio Produto Bancário/Activo. A viragem do século fica marcada pela reestruturação dos grupos bancários que optaram pela homogeneização da oferta bancária...

‣ The role of Caixa Geral de Depósitos in the recent economic crisis (2007-2011): does public ownership make a difference?

Mortágua, Mariana Rodrigues
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
28.2108%
Master in Economics / JEL: G21, H81; The public ownership of Caixa Geral de Depósitos (CGD), the biggest Portuguese commercial bank, has been a topic of controversy in the last 20 years. While public ownership is sometimes presented as both a source of competitive distortions in the banking industry and an instrument for the promotion of specific interest groups, its stabilizing role during the recent period of financial distress is hardly debatable. This dissertation intends to discuss the role of CGD as a State-owned bank in the context of the recent financial and economic crisis (2007-2011) by comparing its lending practices with the ones followed by private banks in Portugal. Evidence suggests that CGD played a counter cyclical role in the Portuguese economy by increasing its lending activity between 2007 and 2011, whereas all other private banks decreased their credit supply. Although Caixa might have benefited from special financing conditions from 2007 to 2009, after that moment the increase in Caixa‟s activity was mainly due to state capital injections. Therefore, the increase in CGD credit amounts during the period of crisis may reflect Caixa‟s political orientation towards other goals rather than profitability, such as the aggregate economic activity.; O debate...

‣ A gestão de risco operacional na distribuição de seguros automóvel através de rede bancária

Coelho, José Maria Valente da Silva
Fonte: Universidade Nova de Lisboa Publicador: Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 09/05/2014 Português
Relevância na Pesquisa
38.568184%
A globalização e desregulamentação da actividade financeira de uma forma geral conduziu, ao contrário de outras actividades, à diversificação da actividade bancária. A comercialização de seguros em canais de distribuição bancários, bancassurance, foi uma das diversificações a que assistimos nos últimos 25 anos. Esta actividade pode resultar de diversas relações contratuais, desde de um simples contracto de distribuição de produtos até à participação cruzada numa empresa participada. A distribuição de seguros em redes não especializadas, como a bancária, assume hoje uma realidade com diferentes expressões consoante se trate de seguros vida - poupança ou seguros não vida - patrimoniais, relativos a pessoas e de responsabilidades. Esta comercialização de produtos em redes de distribuição não especializada veio colocar de forma ainda mais pertinente a questão dos riscos operacionais. É o estudo desta realidade para um determinando contexto no âmbito da actividade seguradora Não Vida, e para uma rede de distribuição não especializada que aqui levamos a cabo.

‣ Os riscos e a actividade bancária em Portugal: uma aplicação empírica com dados em painel

Vaz, Sara Albuquerque Ferreira
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 Português
Relevância na Pesquisa
58.257944%
Este estudo pretende testar a performance bancária em Portugal, verificando quais os riscos a que estão expostos os bancos e a resistência financeira face aos choques. Este estudo usa, conforme referimos um "painel data" do período de 2005 a 2009 de forma a captar a crise de liquidez internacional sentida em Portugal despoletada nos finais de 2008. Para o efeito usaram-se estatísticas do foro contabilístico – Relatórios Anuais de Contabilidade – de todos os bancos a operar em Portugal com depósitos bancários, de forma a analisar a sustentabilidade dos bancos portugueses ao atravessar esta enorme turbulência financeira internacional. Em termos metodológicos usou-se modelos com dados em painel, sejam de efeitos fixos, sejam de efeitos aleatórios, uma metodologia em voga nos dias de hoje. A análise permitiu concluir, entre outros elementos, que há bancos mais expostos à crise que outros e identificar quais são os factores ou indicadores que se relacionam quer positivamente quer negativamente com a performance ou sustentabilidade do sistema bancário deste país da U.E..

‣ Banco Santander Totta (Agência Guarda-Bonfim)

Rosa, Aldara
Fonte: Instituto Politécnico da Guarda Publicador: Instituto Politécnico da Guarda
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Português
Relevância na Pesquisa
27.6521%
Este relatório surge no âmbito de um estágio realizado na agência Guarda-Bonfim do Banco Santander Totta, para conclusão do curso de Comunicação e Relações Económicas. A minha escolha de estágio numa agência Santander Totta, foi devida à posição de destaque que este Banco apresenta quer em Portugal, quer em outros países do Mundo, o que poderia resultar numa mais-valia tanto ao nível de realização profissional, como de interacção pessoal. A agência onde estagiei, conta com mais de dezoito anos de actividade bancária, uma vasta gama de produtos e serviços e uma equipa muito profissional e organizada, à disposição dos inúmeros segmentos de clientes de que dispõe. Após concluído o estágio curricular, na que para mim se revelou uma excelente agência bancária, é agora altura de rever todas as experiências vividas e os mais importantes pontos de aprendizagem e actuação. Este relatório será constituído por três capítulos e diversos pontos que os constituem. O primeiro capítulo ao qual atribuí o nome de “Grupo Santander”, onde menciono aspectos relacionados com o grupo e com a agência onde realizei o meu estágio curricular. O segundo capítulo dos quais fazem parte todos os produtos com que tive maior contacto durante o período de estágio. O terceiro e último capítulo onde são referidas as principais actividades por mim desenvolvidas na agência e algumas das gratificantes e compensadoras experiências. Estas actividades foram realizadas de acordo com o plano de estágio (Anexo I). A metodologia de trabalho utilizada para a elaboração deste relatório foi a pesquisa e recolha de informação bibliográfica...

‣ Banco Santander Totta - Seia

Figueiredo, Mickael
Fonte: Instituto Politécnico da Guarda Publicador: Instituto Politécnico da Guarda
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Português
Relevância na Pesquisa
27.754155%
O estágio curricular é a fase final da licenciatura de Comunicação e Relações Económicas, onde aprendi e cresci pessoal, profissional e socialmente na vasta área de Comunicação e Economia. A actividade económica, pela criação de riqueza, e repartição da mesma contribuíram necessariamente para um mundo mais justo e solidário. O meu estágio curricular no Banco Santander Totta - Seia, permitiu-me conhecer de forma directa, ainda que à escala local, a dimensão e objectivos da actividade bancária, assim como o contributo desta para o desenvolvimento da região. Uma gestão eficaz e racional das disponibilidades financeiras da banca, com os vários agentes económicos, é de primordial importância. A escolha pelo Santander Totta - Seia foi intencional por ser uma instituição de prestígio de dimensão internacional, permitindo-me compreender os mecanismos da actividade financeira, bem como o funcionamento da economia local e nacional, tema que me motiva de forma elevada. O presente relatório encontra-se dividido em três capítulos. No primeiro capítulo, faço uma breve apresentação da instituição, assim como a sua evolução ao longo do tempo, a sua imagem de marca e os produtos e serviços comercializados pela mesma. No segundo capítulo faço um enquadramento histórico do Santander Totta...

‣ Elites e Indústria no Alentejo (1890-1960): Um estudo sobre o comportamento económico de grupos de elite em contexto regional no Portugal contemporâneo

Guimarães, Paulo Eduardo
Fonte: Cidehus; Colibri Publicador: Cidehus; Colibri
Tipo: Livro Formato: 815760 bytes; application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
27.754155%
Este livro analisa o comportamento económico das elites face à actividade industrial no Alentejo entre os finais do século XIX e meados do século XX. Apesar de se afirmar, neste período, a vocação agrária desta região, diferentes actores foram responsáveis pelo seu desenvolvimento industrial, integrando a economia alentejana no espaço nacional e mundial. A par das empresas de média e de grande dimensão, orientadas para a exportação de matérias-primas ou de produtos semi-preparados para a indústria moderna, persiste uma multidão de oficinas que viviam ancoradas em bens de consumo regional. Na actividade mineira, na exploração de pedreiras, na indústria corticeira, moageira ou têxtil participaram grupos com diferentes interesses e ligações ao Alentejo, entre os quais as próprias elites agrárias e comerciais aqui radicadas. O seu papel no desenvolvimento da actividade bancária e seguradora é realçado, bem como o comportamento destas instituições. A grande exploração agrícola do sul, extensiva e latifundiária, quer pelas matérias-primas que fornecia às indústrias, quer pelos seus consumos, estruturou esse tecido e definiu os limites do crescimento industrial. No século XX criaram-se novas oportunidades de negócio e...

‣ Risco de crédito na banca face ao novo enquadramento normativo em contexto de crise : o caso do crédito a particulares

Pernão, José António Malias
Fonte: Instituto Politécnico de Lisboa Publicador: Instituto Politécnico de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /12/2014 Português
Relevância na Pesquisa
27.5621%
Mestrado em Auditoria; A actividade bancária, ao longo das últimas décadas, tornou-se uma actividade mais complexa e assistiu-se a algumas falências bancárias a nível internacional. Com o começo destes escândalos as entidades de regulação e supervisão emitiram um conjunto de regulamentos e orientações para evitarem novas falências no sistema financeiro de modo a restaurarem a confiança a todos os seus stakeholders. O risco está associado ao grau de incerteza, uma instituição de crédito, doravante “instituição”, não pode prever o impacto de determinados acontecimentos que possam ocorrer e afectar negativamente a realização dos objectivos. Desde o primeiro Acordo de Basileia I, em 1988, que existe uma maior preocupação para garantir a estabilidade e solidez do sistema bancário internacional, com este acordo iniciou-se a gestão do risco de crédito. Uma grave crise financeira desenvolveu-se em 2008 e em finais de 2009 começou a atingir a economia real que até então era extremamente alavancada pela expansão do crédito. A crise de crédito afectou essencialmente as PME e de um modo geral todo o comércio que entrou em contracção e verificou-se um declínio da procura internacional. Estes factos contribuíram para a propagação da crise: as exportações mundiais diminuíram 12% em 2009. Para combater o pânico instalado no mercado financeiro mundial...

‣ Os determinantes da performance bancária durante a crise financeira : o caso dos países do eurosistema

Nunes, Anne-Sophie Cavaco
Fonte: Instituto Superior de Economia e Gestão Publicador: Instituto Superior de Economia e Gestão
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
28.210225%
A presente investigação pretende estudar os determinantes internos e externos da performance do sector bancário para dois subperíodos, antes e depois da crise financeira: 2005-2007 e 2008-2009. A amostra, baseada no Bankscope, é constituída por 358 bancos representativos dos 16 países do Eurosistema. São estimados dois modelos explicativos da performance bancária, o primeiro é aplicado a cada um dos subperíodos, o segundo avalia o impacto diferencial, provocado pela crise, nos coeficientes das variáveis estudadas. A performance bancária é avaliada pelo Return On Average Asset (ROAA). Os determinantes internos testados foram o capital, a liquidez, a qualidade do activo, a diversificação da actividade, os custos e a dimensão. Os determinantes externos foram: o PIB, a inflação, o desemprego e a concentração do mercado. Os resultados empíricos destacam o efeito positivo da diversificação sobre a performance bancária. Em ambos os subperíodos, os custos, a qualidade do activo e a liquidez apresentam uma relação inversa com a performance. O capital exibe uma relação positiva, sendo que no segundo período a crise diminuiu o efeito positivo. A crise provocou uma diminuição do nível da performance média no conjunto dos países analisados...

‣ Análise da importância da supervisão e regulação do sistema bancário internacional, no contexto actual : enfoque nos Acordos de Basileia

Pedro, Sofia Esparbes Gouveia
Fonte: Instituto Superior de Economia e Gestão Publicador: Instituto Superior de Economia e Gestão
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
28.018748%
Mestrado em Finanças; No âmbito da actividade económica quer a nível global, quer a nível de um pais, o sistema bancário é um dos pilares fundamentais para garantir a estabilidade financeira e económica, tornando premente a solvabilidade dos seus principais actores, ou seja dos bancos. A actividade bancária propícia que os bancos estejam sujeitos a diversos tipos de risco, seja num contexto macro, seja num contexto micro. Foi esta condição que despoletou a necessidade de criar processos de regulação e supervisão prudenciais, abrangendo as duas perspectivas, macro e micro, potenciando a estabilidade bancária, e por conseguinte a estabilidade financeira. O Acordo de Basileia foi umas das formas de implementação da supervisão e da regulação a um nível micro, ou seja, das instituições financeiras individualmente, e será o foco deste trabalho. A principal causa para as revisões e upgrades de versões do Acordo foi (i) a necessidade de alargar o espectro em relação aos riscos bancários, e (ii) aprender com as crises financeiras que foram surgindo, permitindo ajustar o Acordo, protegendo de forma mais efectiva os bancos, e assim prevenir futuras crises financeiras. Por fim, concluímos que os sistemas prudenciais de regulação e supervisão são essenciais para garantir a estabilidade financeira...

‣ A convergência do mercado bancário da União Europeia

Costa, José Manuel Piriquito
Fonte: Instituto Superior de Economia e Gestão Publicador: Instituto Superior de Economia e Gestão
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em /01/2008 Português
Relevância na Pesquisa
38.257944%
Doutoramento em Gestão; A União Europeia (UE) implementou regras regulamentares uniformes para adopção pelos Estados membros, relativamente à actividade bancária, com maior relevância desde o início dos anos noventa. Admite-se que essa uniformização de regras regulamentares tenha contribuído para convergência da actividade bancária entre os países da UE. Por outro lado, também se admite que a globalização das economias tenha contribuído para semelhante convergência. Neste trabalho faz-se uma investigação empírica sobre a convergência de 12 países da UE e de 4 não comunitários com sistemas financeiros desenvolvidos, relativamente a custos e a proveitos operacionais, à estrutura financeira, à eficiência e à rendibilidade. Foram utilizados dados relativos aos anos de 1993 a 2003. A metodologia consistiu na comparação de médias, através de análises de variância e na utilização dos /-convergência e cr-convergência, habitualmente usados nos estudos de convergência macroeconómica entre países e entre regiões. Por ter sido encontrada evidência de diferenças entre os três segmentos de bancos comunitários contidos na amostra (bancos comerciais, cooperativos e de poupança), foram efectuadas análises conjuntas e separadas por segmento. Foi encontrada evidência de convergência no que se refere a custos e a proveitos operacionais e à estrutura financeira (esta mais nos bancos cooperativos e de poupança). Foi também encontrada evidência dos bancos comerciais da UE terem iniciado o movimento de convergência antes dos outros segmentos da UE e também antes dos bancos comerciais não comunitários.; The European Union (EU) has implemented prescribed uniform rules to be adopted by its state members...

‣ Os riscos e a actividade bancária em Portugal: uma aplicação empírica com dados em painel

Vaz, Sara Albuquerque Ferreira
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 Português
Relevância na Pesquisa
58.257944%
Este estudo pretende testar a performance bancária em Portugal, verificando quais os riscos a que estão expostos os bancos e a resistência financeira face aos choques. Este estudo usa, conforme referimos um "painel data" do período de 2005 a 2009 de forma a captar a crise de liquidez internacional sentida em Portugal despoletada nos finais de 2008. Para o efeito usaram-se estatísticas do foro contabilístico – Relatórios Anuais de Contabilidade – de todos os bancos a operar em Portugal com depósitos bancários, de forma a analisar a sustentabilidade dos bancos portugueses ao atravessar esta enorme turbulência financeira internacional. Em termos metodológicos usou-se modelos com dados em painel, sejam de efeitos fixos, sejam de efeitos aleatórios, uma metodologia em voga nos dias de hoje. A análise permitiu concluir, entre outros elementos, que há bancos mais expostos à crise que outros e identificar quais são os factores ou indicadores que se relacionam quer positivamente quer negativamente com a performance ou sustentabilidade do sistema bancário deste país da U.E..