Página 1 dos resultados de 234 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

‣ Síntese de pirróis - protótipos de agentes antiinflamatórios; Pyrroles synthesis - prototypes of anti-inflammatory agents

Pancote, Camila Garcel
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/08/2004 Português
Relevância na Pesquisa
58.462124%
O tratamento mais comumente utilizado na inflamação é o uso de agentes antiinflamatórios não-esteróides (AINE). Estes fármacos, por sua vez, inibem as cicloxigenases, enzima responsável pela transformação do ácido araquidônico em prostaglandinas flogísticas, pela ação da fosfolipase A2. A síntese de compostos antiinflamatórios contendo núcleo pirrólico em suas estruturas vêm sendo um tópico muito atrativo e bastante estudado. O conhecimento do sítio de interação do fármaco ao receptor possibilita o planejamento de estruturas de novas substâncias candidatas a protótipos de novos fármacos. Portanto, esse trabalho consiste na síntese de derivados, contendo núcleo pirrólico, com potencial atividade antiinflamatória, com base na indometacina, protótipo da classe dos derivados arilalcanóicos. Os compostos foram obtidos, inicialmente via ciclização de β-enaminoésteres, entretanto devido à complexidade da rota sintética e alto custo de determinados reagentes, propôs-se a metodologia de Hantzsch, descrita por Roomi e McDonald (1970). Esta metodologia consiste na formação de derivados pirrólicos à partir da condensação de α-halocetonas e compostos 1,3-dicarbonílicos na presença de amônia. Com base nesta metodologia...

‣ Ensaios pré-clínicos de híbridos ftalimídicos e pró-fármacos taurínicos derivados de antiinflamatórios não esteróides

Vizioli, Ednir de Oliveira
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 113 f.
Português
Relevância na Pesquisa
38.047278%
Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas - FCFAR; A inflamação é uma reação de defesa e reparo fisiológico, importante em resposta a agressões físicas, químicas ou biológicas ao organismo, que geram o aparecimento dos quatro sinais cardinais dor, edema, calor, rubor, incluindo, muitas vezes a perda de função do tecido ou órgão. O processo inflamatório agudo é imediato e inespecífico contra o agente agressor, podendo evoluir para crônico, caso haja a permanência do agente agressivo e é caracterizado pelo aumento de celularidade e outros elementos teciduais. Várias substâncias estão envolvidas no processo inflamatório, como a prostaglandinas, histamina, serotonina e citocinas pró-inflamatórias como IL-1b, 1L-6, IL-8, TNF-a, NF-kB. Estima-se que exista na terapêutica, mais de 50 antiinflamatórios não esteróides (AINEs) diferentes, mas nenhum deles totalmente destituído de efeitos tóxicos, como a gastrotoxicidade, mesmo os compostos mais novos, seletivos para receptores COX2, como o celecoxibe. Por este motivo nenhum AINEs é recomendado para utilização em processos inflamatórios crônicos. Neste sentido, Vizioli (2006) e Castro (2008), planejaram pró-fármacos taurínicos e híbridos ftalimídicos...

‣ Influencia dos antiinflamatorios, indometacina, deflazacort, e meloxicam sobre a secreção gastrica de ratos

Julio Takashi Kawaguchi
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/03/2000 Português
Relevância na Pesquisa
48.15511%
Muitos estudos têm relacionado os antiinflamatórios com alterações gástricas. Com o objetivo de apresentar alguma contribuição nesta área de pesquisa é que nos propusemos a investigar a influencia de antiinflamatórios sobre a secreção gástrica de ratos. Foram utilizados neste experimento, quarenta ratos (Wistar), machos com 120 dias de idade, pesando em média 350 gramas, os quais foram submetidos a jejum de 72 horas, e a seguir anestesiados com éter, e submetidos à ligação do piloro. Após 4 horas foi coletada a secreção gástrica para análise. O soro fisiológico e as drogas forma administradas por sonda gástrica, num volume de 0,5 ml, após a ligadura do piloro, de acordo com as seguinte distribuição:GRUPO I - Soro Fisiológico; GRUPO TI - Indometacina; GRUPO li Detlazacort; GRUPO N - Meloxicam. Após o experimento, o suco gástrico foi coletado para a avaliação do pH, volume, acidez livre, acidez total e atividade péptica.Resultados: Volume (ml) e pH : G-I ( 5,80 e 1,72 ); G-TI ( 9,72 e 1,18 ); G-li ( 8,79 e 2,11 ); G-N ( 6,63 e 2,13 ) Acidez livre e total (llEq/4h): G-I - ( 438,08 e 572,70 ); G-TI - ( 878,02 e 989,00); G-li - ( 462,97 e 600,97); G-N - (375,37 e 460,36 ) Atividade Péptica ( UE/4h ): G-I- ( 6...

‣ Estudo comparativo dos anti-inflamatorios de origem vegetal (bromelina, escina e papaina) em cirurgia

Juan Francisco Sinclair Arauz
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em //1982 Português
Relevância na Pesquisa
37.888096%
No presente trabalho, foi investigada, a atividade reparadora do osso mandibular de ratos, a altura sinfise, quando intervidas cirurgicamente e sob efeito de anti - inflamatórios de origem vegetal (bromelina , escina e papai - na). Os antiinflamatórios em estudo foram aplicados, intraperitonealmente, em dosagens semelhantes às indicadas para o homem (1,143 ? /kg) diariamente, durante quinze dias. Verificou-se que os animais tratados com bromelina e escina tiveram uma recuperação mais rápida que os animais tratados com papaina e os do grupo controle. Não houve diferença significativa na reparação õssea entre os animais tratados com bromelinae escina, a não ser uma diferença de tempo muito reduzida favorecendo à bromelina, havendo contudo, uma recuperação bem mais rápida do peso geral dos animais tratados com bromelina, causada, talvez, pela atividade diurética de escina. Os animais tratados com a papaina tiveram um tempo de recuperação menor que os do grupo-controle, porém diferença é insignificante. Não observamos alterações provocadas pelos antiinflamatórios de origem vegetal que indicassem um retardamento na regeneraçao óssea, e sim, um aceleramento do processo de cura.; The present experiment was made in order investigated the healing time of rats mandible...

‣ Efeitos antiinflamatorios da betametosona em preparações e posologias diferentes : estudo experimental em ratos

Eduardo Dias de Andrade
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 15/01/1986 Português
Relevância na Pesquisa
47.888096%
O presente trabalho teve como finalidade a avaliação experimental, em ratos, dos efeitos antiinflamatórios da betametasona, quando empregada em posologias e preparações distintas. Os resultados obtidos demonstraram que, quando este corticosteroide sintetico foi administrado na dose unicade 0,1 mg/kg, no pós-operatório imediato, sob a forma de preparação de depósito, observou-se uma atenuação dos fenômenos que caracterizam a resposta inicial do processo inflamatório. O mesmo também foi observado quando a betametasona foi utilizada sob um novo esquema terapêutica, na dose total de 0,05 mg/kg, dividida em duas doses de 0,025 mg/kg, com uma preparação injetável convencional, 1 hora antes e 4 horas após o ato operatório. Por outro lado, os tecidos dos animais submetidos a corticosteroideterapia, em ambos os esquemas estudados, tiveram sua reparação retardada quando comparada àquela observada nos tecidos obtidos de animais sob condições normais. Entretanto, a inibição do processo de reparação parece ter sido menos marcante nos tecidos tratados com a preparação convencional da betametasona, se comparada com aquela provocada pelo tratamento com a preparaçãode deposito do mesmo corticosteroide. A partir desses resultados...

‣ Mediadores e mecanismos envolvidos na pleurisia induzida pela carragenina em camundongos /

Fröde, Tânia Silvia
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Tese de Doutorado Formato: xxii, 176f.| grafs., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
37.888096%
Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas.; O modelo da [pleurisia] induzida pela [carragenina] (1%), apresenta resposta inflamatória bifásica (4 e 48 h) na cavidade pleural de [camundongos]. A L-NOARG, o HOE 140, o NPC 17731, a diacereína, a indometacina, o meloxicam, a nabumetona e a dexametasona administrados 30 min antes da [carragenina], inibiram a migração celular e os níveis da [mieloperoxidase] na primeira fase (4 h) desta resposta inflamatória. Todas as drogas, com exceção da diacereína, inibiram a exsudação. Além disso, a diacereína, a nabumetona, a L-NOARG e a L-NAME inibiram também os níveis de [nitrito/nitrato]. Em relação à segunda fase (48 h), observou-se que a dexametasona e a diacereína, inibiram os leucócitos, enquanto que a terfenadina reduziu apenas a exsudação. Nenhuma das drogas estudadas reduziu os níveis da [mieloperoxidase] ou do [nitrito/nitrato]. O NPC 17731, o HOE 140 e o NPC 18884 inibiram tanto a exsudação como a migração celular induzida pela [carragenina], 4 h. Neste modelo experimental observa-se a participação de [citocinas] com efeitos pró-inflamatórios (TNFa, IL-1b, IL-8) e antiinflamatórios (IL-6, IL-10), com base nos resultados de que tanto anticorpos-policlonais como citocinas-recombinantes...

‣ Associação entre sensibilidade aos antiinflamatórios não esteroidais (SAINE) e sensibilização ao ácaro de estocagem G.Domesticus. implicação no diagnóstico clínico de SAINE

Porto, Nadia Maria Hallack
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 1 v.| grafs., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
48.15511%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. Programa de Pós-graduação em Ciências Médicas; Apesar de vários relatos de que a sensibilização aos ácaros de estocagem está associada à sensibilidade aos antiinflamatórios não esteroidais, não dispomos de estudos estabelecendo uma correlação inversa. Para determinar em que condições a sensibilidade aos antiinflamatórios não esteroidais (SAINE) pode ser prevista pela presença de sensibilização aos ácaros de estocagem, realizamos um estudo observacional transversal de que participaram cem pacientes voluntários, que buscavam atendimento no ambulatório de alergia do Hospital Universitário da UFSC, entre setembro de 2002 e maio de 2003. Estes pacientes foram randomicamente selecionados e depois estratificados em SAINE e não SAINE. Todos foram submetidos à avaliação clínica e entrevista com a aplicação da escala Porto-Lima, desenvolvida para identificar a presença de SAINE. Em seguida, foram realizados testes cutâneos com aeroalergenos, farinhas e ácaros de estocagem. Buscando determinar o mais significativo modelo preditor de SAINE, foi feita a análise de regressão (stepwise) para cada extrato alergênico. Os testes para Glycyphagus domesticus...

‣ Desenvolvimento de novos agentes antiinflamatórios 5-benzilideno-3-benzil-tiazolidina-2,4-dionas: síntese, propriedades físico-químicas, caracterização estrutural e avaliação biológica

Cruz da Silva, Juliana; da Rocha Pitta, Ivan (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
37.888096%
A necessidade de novos fármacos antiinflamatórios com menos efeitos adversos direcionam estudiosos a intensificar as pesquisas para a descoberta de novos compostos. As tiazolidinas-2,4-dionas são substâncias promissoras devido aos efeitos antiinflamatórios via PPARγ. Assim, dando continuidade aos trabalhos realizados no Laboratório de Síntese e Planejamento de Fármacos (LPSF/GPIT/UFPE), foram sintetizados dez novos compostos das séries 5- benzilideno-3-(2-bromo-benzil)-tiazolidina-2,4-diona (LPSF/GQ) e 5-benzilideno-3- (3-flúor-benzil)-tiazolidina-2,4-diona (LPSF/GQ). Partindo-se da tiazolidina-2,4- diona, os derivados sintetizados foram obtidos por reações de N-alquilação, na posição 3 da tiazolidina-2,4-diona, e por reações de Michael, na posição 5 do núcleo. Os rendimentos da última etapa de síntese variaram entre 31 e 77%. As estruturas químicas dos compostos sintetizados foram devidamente comprovadas por RMN 1H e Infravermelho. A atividade antiinflamatória foi avaliada pelo modelo do air-pouch induzido por carragenina de sete compostos sintetizados. Os percentuais de inibição da resposta inflamatória variaram entre 24 e 66% (3 mg/kg; v.o.). Os compostos 3-(3-flúor-benzil)-5-(metilsulfonil-benzilideno)- tiazolidina-2...

‣ Síntese e avaliação das atividades antiinflamatória, citotóxica e imunomodulatória de derivados da Ftalimida

Fernandes Barbosa, Fabio; Cristina Lima Leite, Ana (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
48.097246%
Os relatos de Relação Estrutura Atividade (REA) da Talidomida e análogos revelam o potencial farmacofórico do anel ftalimídico e, ao mesmo tempo, denotam o perfil toxicofórico do grupamento glutarimida. Em conseqüência, o núcleo ftalimida vem sendo explorado visando-se agentes antiinflamatórios e antitumorais mais potentes e menos tóxicos. Merece destaque ainda o conhecimento de que pequenos resíduos de L-α-aminoácidos são utilizados como grupos transportadores na latenciação de agentes farmacológicos menos tóxicos. Em um estudo de REA preliminar, são descritos neste trabalho, a síntese e a avaliação das atividades antiinflamatória, citotóxica e imunomodulatória de derivados do tipo N-aminoacídicos-1,3-isoindolinadionas. Através da condensação entre o anidrido ftálico e os respectivos L-α-aminoácidos os produtos foram obtidos e, posteriormente, submetidos aos testes biológicos. Para avaliação da atividade antiinflamatória ‗in vivo empregou-se o ensaio do bolsão de ar em camundongos. As substâncias foram administradas por via oral, na dose de 100 mg.kg-1, tomou-se a Talidomida como droga padrão. Foram realizados ainda, ensaios ‗in vitro frente às células tumorais MDA-MB 435...

‣ Desenvolvimento de novos agentes antiinflamatórios 5-benzilideno-3-metil-slfonil-benzil-2-tioxo-imidazolidin-4-ona

Carlos Apolinario da Silva, Luiz; da Rocha Pitta, Ivan (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
38.195107%
A inflamação representa uma complexa mobilização dos sistemas de defesa celular e humoral do organismo, com participação vascular e hormonal. As enzimas ciclooxigenase e lipoxigenase são enzimas que transforma o ácido araquidônico em prostaglandinas, tromboxanos e leucotrienos, também denominados eicosanóides, logo substâncias com capacidade de inibir a ação dessas enzimas, tornam-se antiinflamatórios. Entre essas substâncias estão os antiinflamatórios não-esteróides (AINEs), onde seu mecanismo de ação baseia-se na inibição da produção de prostaglandinas. Tendo em vista que os agentes disponíveis no mercado não possuem a capacidade de resolução plena da patologia inflamatória e estão sempre associados a efeitos gastro-irritantes e nefro-tóxicos. Surge a necessidade da procura por fármacos que proporcionem um tratamento mais eficaz e seguro. Derivados imidazolidinicos se destacam por pertencerem a uma classe de compostos com atividade biológica comprovada, vários produtos naturais e sintéticos contêm esse heterociclo em suas estruturas. Com base na importância dessas moléculas planejamos a síntese da série 5-benzilideno-3-(4-metilsulfonilbenzil)-2-tioxo-imidazolina-4-ona intencionando desenvolver novas moléculas potencialmente ativas na resposta inflamatória...

‣ Estudo clinico comparativo em duplo-cego, entre os antiinflamatorios papaina e A.A.S. em cirurgia bucal

Tomaz Wassall
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 23/03/1988 Português
Relevância na Pesquisa
37.888096%
o emprego de antiinflamatórios em cirurgias bucais minimiza o edema, o trismo e a dor. Nesta pesquisa comparamos, clinicamente, em duplo-cego cruzado, os antiinflamatórios papaína e ácido acetil salicílico em cirurgia bucal. Trinta e dois pacientes sadios foram submetidos a mesma intervenção cirúrgica em duas ocasiões diferentes,e que consistiu na avulsão dos terceiros molares inferiores retidos. Os pacientes foram divididos em quatro grupos, recebendo cada grupo, no pós-operatório das intervenções, drogas diferentes, as drogas objeto do estudo e seus placebos.O parâmetro para se mensurar a ação antiinflamatória das drogas foi o edema facial. O tempo médio entre as intervenções foi controlado, variando.de 18'14" a 21'05". A papaína não se mostrou significante na redução dos edemas tanto em relação ao seu placebo quanto em relação ao A.A.S. O A.A..S. se mostrou significante na redução dos edemas, somente em relação ao seu placebo; The use of anti-inflammatories in the post operative of oral surgery minimizes swelling, trismus and pain. In this work we compared by clinical double-blind crossover, papain and acetylsalicylic acid in oral surgery. Thirty two healthy patients, in two separate occasions,were submitted to the same surgerYr which consisted of the surgical remova 1 of impacted mandibular third molars: a total of sixty four operations performed. The patients were divided into four groups...

‣ Estudio de la interacción antinociceptiva entre nimesulida y paracetamol en dolor agudo experimental.

Palma Cartes, Jorge Ricardo
Fonte: Universidad de Chile; Programa Cybertesis Publicador: Universidad de Chile; Programa Cybertesis
Tipo: Tesis
Português
Relevância na Pesquisa
38.097249%
En la actualidad existen múltiples fármacos capaces de producir un potente y selectivo efecto en la inhibición de la nocicepción o transmisión dolorosa, a niveles experimentales como a niveles clínicos. Los agentes analgésicos antiinflamatorios no esteroidales (AINEs) se presentan como eficaces agentes frente a estos problemas. Los AINEs son fármacos muy usados en los diferentes tipos de dolor, tanto agudos como crónicos. Sin embargo, ellos independientes de su eficacia, presentan una serie de reacciones adversas que limitan su uso. El estudio sistemático de la acción combinada de AINEs no ha sido completamente abordado, con tal fin en el presente trabajo se estudió la interacción entre nimesulida con paracetamol en el test de las contorsiones abdominales, Se utilizaron ratones de la cepa CF-1, a los que se les administró por vía i.p., al tiempo del máximo efecto, proporciones fijas (1/2, 1/4, 1/8 y 1/16) de la De50 de nimesulida y paracetamol, y se determinó por análisis isobolográfico la naturaleza de la interacción que resultó ser de tipo sinérgica. El efecto del sistema opioide se evaluó con animales pretratados con naltrexona 1 mg/kg i.p., antagonista opiode, y se comprobó que no existe modificación de la naturaleza de la interacción antes mencionada. . Los resultados del presente trabajo comprueban un efecto sinérgico en la actividad antinociceptiva de la co-administración sistémica de nimesulida con paracetamol en el cual no participa el sistema opiode.

‣ Estudio de la interacción antinociceptiva entre ibuprofeno y paracetamol en dolo agudo experimental.

Vásquez Muñoz, Víctor Hugo
Fonte: Universidad de Chile; Programa Cybertesis Publicador: Universidad de Chile; Programa Cybertesis
Tipo: Tesis
Português
Relevância na Pesquisa
38.097249%
Existe una amplia gama de fármacos capaces de producir un potente y selectivo efecto en la inhibición de la nocicepción o transmisión dolorosa, tanto a nivel experimental como a nivel clínico. Entre los agentes que provocan tal respuesta se tiene a los agentes analgésicos antiinflamatorios no esteroidales (AINEs). Los AINEs son fármacos muy usados en los diferentes tipos de dolor, tanto agudos como crónicos y por lo tanto, son de los más estudiados. Sin embargo, ellos independientes de su eficacia, presentan una serie de reacciones adversas que limitan su uso. El estudio sistemático de la acción combinada de AINEs no ha sido completamente abordado, con tal fin en el presente trabajo se estudió la interacción entre ibuprofeno con paracetamol en el test de las contorsiones abdominales. Se utilizaron ratones de la cepa CF-1, a los que se les administró por vía i.p., al tiempo del máximo efecto, proporciones fijas (1/2, 1/4, 1/8 y 1/16) de la DE50 de ibuprofeno y paracetamol y se determinó por análisis isobolográfico la naturaleza de la interacción que resultó ser de tipo sinérgica. El efecto del sistema opioide se evaluó con animales pretratados con naltrexona 1 mg/kg i.p., antagonista opioide, y se comprobó que no existe modificación de la naturaleza de la interacción entre ibuprofeno y paracetamol. Los resultados del presente trabajo comprueban un efecto sinérgico en la actividad antinociceptiva de la co-administración sistémica de ibuprofeno con paracetamol en el cual no participa el sistema opioide.

‣ Dendrimers as anti-inflammatory agents

Avti, Pramod K.; Kakkar, Ashok
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2013 Português
Relevância na Pesquisa
48.355923%
Dendrímeros constituem uma classe intrigante de macromoléculas que apresentam aplicações em diversas áreas incluindo biologia. Essas macromoléculas extremamente ramificadas com esqueleto planejado e grupos de superfície foram extensivamente investigadas como nanotransportadores de genes e de fármacos, por encapsulamento molecular ou conjugação covalente. Dendrímeros têm proporcionado uma plataforma excelente de desenvolvimento nanoconjugados multivalentes e multifuncionais incorporando uma variedade de grupos funcionais, incluindo fármacos que são conhecidos por atuarem agentes antiinflamatórios. Recentemente, os dendrímeros mostraram propriedades antiinflamatórias. Esta inesperada e intrigante descoberta tem proporcionado um impulso adicional no planejamento de novos agente farmacêuticos ativos. Nesta revisão, nós destacamos alguns dos desenvolvimentos recentes no campo dos dendrímeros como agentes antiinflamatórios em nanoescala.; Dendrimers constitute an intriguing class of macromolecules which find applications in a variety of areas including biology. These hyperbranched macromolecules with tailored backbone and surface groups have been extensively investigated as nanocarriers for gene and drug delivery, by molecular encapsulation or covalent conjugation. Dendrimers have provided an excellent platform to develop multivalent and multifunctional nanoconjugates incorporating a variety of functional groups including drugs which are known to be anti-inflammatory agents. Recently...

‣ Condición de venta de analgésicos antiinflamatorios no esteroides, legalmente autorizados para su comercialización en Colombia. Estrategias de uso racional

Solano Roa,Magda Vianneth; Garavito Cárdenas,Giovanny
Fonte: Revista Colombiana de Ciencias Químico - Farmacéuticas Publicador: Revista Colombiana de Ciencias Químico - Farmacéuticas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 Português
Relevância na Pesquisa
47.888096%
La condición de comercialización (venta libre, con fórmula médica, bajo control especial o para uso hospitalario exclusivamente) determina las circunstancias en las cuales puede ser publicitado y comercializado un medicamento. La venta libre no involucra una consulta al equipo de salud, quienes no participan de la selección del medicamento, su dispensación ni seguimiento fármaco-terapéutico. El presente trabajo, mediante un estudio observacional descriptivo de corte transversal desarrollado partiendo del universo de registros sanitarios de medicamentos en Colombia, identifica y describe las variaciones en la condición de venta de analgésicos antiinflamatorios no esteroides. Para este grupo farmacológico, de gran consumo en el país, predominan la modalidad de registro "fabricar y vender", las formas farmacéuticas sólidas no estériles, la condición de venta con fórmula médica y la vía de administración enteral; asimismo, predomina como principio activo el diclofenaco, seguido de ibuprofeno y piroxicam. Ocho de los principios activos de este grupo farmacológico poseen doble condición de venta (venta sin prescripción facultativa o libre y venta con fórmula médica) y alcanzan el 70% de las autorizaciones de comercialización de aines en Colombia. Se evidencia una relación entre la cantidad principio activo por unidad posológica y la condición de venta autorizada...

‣ Desensibilización con aspirina en un paciente con intolerancia a antiinflamatorios no esteroides

Álvarez Castelló,Mirta; Osoria Mengana,Lludenich; Ronquillo Díaz,Mercedes; Castro Almarales,Raúl Lázaro; Pérez Marrero,Doguerti; Rodríguez Canosa,José Severino; Irarragorri Toledo,Catalina
Fonte: Revista Cubana de Farmacia Publicador: Revista Cubana de Farmacia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 Português
Relevância na Pesquisa
47.888096%
El ácido acetilsalicílico o aspirina es uno de los medicamentos más utilizados a nivel mundial. Los pacientes con enfermedad coronaria requieren tratamientos prolongados con este medicamento, el cual se les niega a aquellos con historias de reacciones adversas a este. Se recoge en la literatura internacional el uso de terapias de desensibilización en pacientes con intolerancia a los antiinflamatorios no esteroides con diferentes protocolos, con resultados satisfactorios. En este trabajo se describe la primera desensibilización con aspirina realizada a un paciente en el Hospital Universitario «Calixto García» y el protocolo de actuación utilizado. No se encontró otro caso en la bibliografía nacional. El paciente actualmente ingiere 125 mg diarios sin reacciones adversas. Se considera que la desensibilización con aspirina es una opción terapéutica efectiva en aquellos pacientes con intolerancia a esta y con una afección que justifique este proceder.

‣ Comportamiento de las reacciones adversas a los analgésicos y antiinflamatorios no esteroideos notificadas por el Sistema Cubano de Farmacovigilancia en el 2001

Jiménez López,Giset; Debesa García,Francisco; Bastanzuri Villares,Teresa; Pérez Peña,Julián; Ávila Pérez,Jenny
Fonte: Revista Cubana de Farmacia Publicador: Revista Cubana de Farmacia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2003 Português
Relevância na Pesquisa
48.15511%
Los fármacos analgésicos y antiinflamatorios no esteroideos comparten algunas actividades terapéuticas y efectos colaterales, su mecanismo de acción está mediado por la inhibición de la ciclooxigenasa (COX 1 y 2), enzima encargada de la biosíntesis de prostaglandinas y otros autacoides similares. En la Unidad Coordinadora de Farmacovigilancia se hace un análisis periódico de las sospechas de reacciones adversas notificadas, y en el 2001 se observó que de los 10 fármacos sospechosos de producir mayor número de reacciones adversas el 50 % corresponde al grupo de los analgésicos y antiinflamatorios no esteroideos, que es a su vez uno de los grupos de mayor consumo en el país. Se realiza una descripción del comportamiento de las sospechas de reacciones adversas relacionadas con aspirina, dipirona, indometacina, ibuprofeno, naproxeno, paracetamol y piroxicam, incluyendo severidad, características demográficas y mecanismo fisiopatológico de estas. En el 2001 se recibieron en la Unidad Coordinadora de Farmacovigilancia 16 195 notificaciones que contenían un total de 33 601 reacciones adversas medicamentosas, de las cuales el 21,5 % correspondió a los analgésicos y antiinflamatorios no esteroideos, grupo este más notificado después de los antimicrobianos. Se encontró que las reacciones de mayor gravedad afectaron a los sistemas hematológico...

‣ Agentes promotores de la permeación percutánea

Rodríguez Orjales,Ileana
Fonte: Revista Cubana de Farmacia Publicador: Revista Cubana de Farmacia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/1998 Português
Relevância na Pesquisa
47.60342%
Se presenta una panorámica sobre la diversidad de agentes potenciadores de la permeación que son utilizados en la actualidad, así como los procedimientos más frecuentemente empleados para conocer el mecanismo de acción de estas sustancias; además de realizar un recorrido por aspectos teóricos concernientes a la fisiología de la piel y la absorción percutánea. También se hace referencia a los posibles modos de acción en que estos potenciadores actúan y para concluir se mencionan algunas de las técnicas más novedosas para el mejoramiento de la difusión de sustancias activas a través de la barrera cutánea.

‣ Antiinflamatorios no esteroideos (AINES).: Consideraciones para su uso estomatológico

Pérez Ruiz,Andrés A.; López Mantecón,Ana Marta; Grau León,Ileana
Fonte: Revista Cubana de Estomatología Publicador: Revista Cubana de Estomatología
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2002 Português
Relevância na Pesquisa
48.04728%
Se realiza una revisión extensa y actualizada sobre los antiinflamatorios no esteroideos (AINEs), con el fin de actualizar al estomatólogo en su uso. Para ello se revisan aspectos importantes del proceso inflamatorio en estructuras de la boca que como las pulpitis, presentan sus peculiaridades. Se identifica a una de las 2 familias de autacoides provenientes de los fosfolípidos de membrana celular, es decir, los eicosanoides derivados a partir de algunos ácidos grasos polisaturados, en particular, ácido araquidónico, que tras la acción de enzimas da lugar a la formación de prostaglandinas, prostaciclinas, tromboxeno A2 y leucotrienos. Conocidos estos antecedentes, nos ocupamos de fármacos usados para combatir los síntomas y signos de la inflamación. Casi todos los antiinflamatorios no esteroideos utilizados en la actualidad, casi todos, inhiben las actividades de la ciclooxigenasa 1 constitutiva y la ciclooxigenasa 2, inducida en el sitio de la inflamación y con ello, la síntesis de prostaglandinas y tromboxanos. Se alude a la ventaja terapéutica de los inhibidores de la COX-2 que aparecen hoy en el mercado. Se expone las dosis y frecuencias de los AINEs, sus interacciones, así como las reacciones adversas al medicamento y contraindicaciones...

‣ Antiinflamatorios no esteroides como terapia adjunta al raspado y alisado radicular en periodontitis

Ardila Medina,C.M.
Fonte: Avances en Periodoncia e Implantología Oral Publicador: Avances en Periodoncia e Implantología Oral
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/04/2012 Português
Relevância na Pesquisa
47.888096%
La destrucción periodontal resulta de la interacción entre la placa bacteriana y la respuesta inflamatoria inducida por mediadores que incluyen enzimas del huésped, citoquinas, y metabolitos del ácido araquidónico (AA) tales como las prostaglandinas (PGs). Las PGs participan en la regulación de diversas funciones celulares bajo condiciones fisiológicas y patológicas. La ciclooxigenasa (COX) proporciona la conversión de AA a PGs en tres formas funcionalmente distintas: COX-1, COX-2 y COX-3. COX-2, se induce después de estimular una variedad de citoquinas inflamatorias, factores de crecimiento y lipopolisacáridos. Expresiones elevadas de COX-2 en periodontitis incrementan los niveles de PGs E2, considerados como los mayores mediadores de la destrucción tisular periodontal. Los antiinflamatorios no esteroides (AINES) inhiben la elaboración de productos COX y pueden atenuar el avance de la pérdida ósea, convirtiéndose en una alternativa terapéutica para el manejo de la periodontitis.