Página 1 dos resultados de 200 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

‣ Ensaio de captura em massa contra a mosca da azeitona Bactrocera oleae (Gmel.).

Bento, Albino; Torres, L.; Lopes, João; Pereira, J.A.; Rocha, M.
Fonte: Sociedade de Ciências Agrárias de Portugal Publicador: Sociedade de Ciências Agrárias de Portugal
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.56571%
Nos últimos anos a mosca da azeitona Bactrocera oleae (Gmel.) tem-se revelado um dos principais inimigos da oliveira em Trás-os-Montes, causando graves prejuízos de natureza quantitativa e qualitativa à produção. Na situação apresentada, e uma vez que os insecticidas actualmente disponíveis para combate deste insecto possuem reduzida selectividade, podendo, quando mal utilizados, causar desequilíbrios biológicos no olival, com o presente estudo procurou-se avaliar as possibilidades oferecidas pela captura em massa, enquanto alternativa ou complemento da luta química. Para o efeito em 1997 instalou-se um ensaio num olival situado próximo de Mirandela. As armadilhas utilizadas eram constituídas por um saco de papel de cor verde, impregnado de insecticida e contendo um atractivo alimentar e uma feromona sexual. As modalidades ensaiadas foram para além da testemunha, uma armadilha por árvore, uma armadilha para duas árvores, uma armadilha para três árvores e uma armadilha para quatro árvores. O acréscimo no nível de infestação foi significativamente maior na testemunha e na modalidade onde se utilizou uma armadilha por cada três ou quatro árvores do que nas restantes. Por outro lado, os resultados obtidos foram significativamente melhores na modalidade onde se utilizou uma armadilha por árvore que em qualquer das outras. Os resultados deste estudo sugerem que a captura em massa oferece perspectivas interessantes para a protecção contra a mosca da azeitona em Trás-os-Montes. Contudo...

‣ Estudo comparativo dos custos de três sistemas de colheita mecânica de azeitona

Almeida, Arlindo; Peça, José; Pinheiro, Anacleto; Dias, António; Santos, Luís S.S. dos; Reynolds, Domingos; Lopes, João
Fonte: IFE - International Faculty for Executives Publicador: IFE - International Faculty for Executives
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.689858%
Ao longo de três anos, foram realizados ensaios de campo em olivais com densidades de plantação compreendidas entre 100 e 150 árvores por hectare, utilizando três sistemas de colheita mecânica de azeitona. Nesses ensaios, foi obtida informação sobre o desempenho de cada um dos sistemas, que permite estimar os custos de utilização dos sistemas em estudo. Nos três sistemas foi usado o mesmo vibrador de troncos, sendo a recolha feita (a) manualmente, (b) com um enrolador de panos montado em tractor, (c) com um apara-frutos. Com os resultados obtidos, sendo conhecidos os custos do sistema que recolhe manualmente a azeitona, são estimadas, para os mesmos olivais e condições de trabalho, as alterações esperadas nos custos dos sistemas que recolhem a azeitona mecanicamente.

‣ A utilização de um rotor mecânico na colheita de azeitona

Almeida, Arlindo; Peça, José; Pinheiro, Anacleto; Santos, Luís S.S. dos; Dias, António; Lopes, João; Reynolds, Domingos
Fonte: Estação Nacional de Melhoramento de Plantas Publicador: Estação Nacional de Melhoramento de Plantas
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
37.56571%
O vibrador de tronco é frequentemente utilizado na mecanização do destaque de azeitona. Sobre o seu desempenho existe publicada informação clara e objectiva. Porém, menos informação está disponível sobre equipamentos que realizam a colheita abordando directamente a copa da árvore. É o caso do equipamento denominado comercialmente por “Oli-Picker”. O órgão activo é constituído por uma “escova” animada de movimento de rotação (variando de sentido) em torno do seu eixo central. Em virtude de esta “escova” poder ser colocada em qualquer posição em relação ao solo (vertical, horizontal ou oblíqua), percorre a copa da oliveira (interior e exterior) provocando o destaque da azeitona. Pretende-se com esta comunicação apresentar resultados preliminares relativos ao desempenho deste tipo de equipamento em olivais situados em Trás-os-Montes.

‣ Observação de uma máquina de colheita de azeitona “Oli-Picker” em Trás-os-Montes

Almeida, Arlindo; Peça, José
Fonte: IFE - International Faculty for Executives Publicador: IFE - International Faculty for Executives
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.847312%
A mecanização da colheita de azeitona, tem sido objecto de inúmeros estudos efectuados nos principais países olivícolas, incluindo Portugal. Nesses estudos o destaque da azeitona é realizado com vibradores de tronco e pernadas. É também este o equipamento vulgarmente utilizado pelos agricultores que procedem à colheita mecânica de azeitona. No entanto para outros equipamentos concebidos para o destaque de azeitona, que abordam directamente a copa, não são vulgares registos que permitam qualificar o seu trabalho. É o caso do equipamento denominado comercialmente por “Oli-Picker”. O órgão activo é constituído por um “rotor”ou “escova” com movimento de rotação (variando de sentido) em torno do seu eixo central. Este órgão activo pode ser colocado em qualquer posição em relação ao solo (vertical, horizontal ou oblíqua), percorre a copa da oliveira (interior e exterior) provocando o destaque da azeitona. Tendo sido iniciada em 2005/2006 a recolha de informação sobre o trabalho deste equipamento, apresentam-se alguns resultados preliminares.

‣ Importância dos inimigos associados à oliveira para azeitona de conserva no planalto mirandês

Bento, Albino; Andrade, João Verdial; Ribeiro, A.C.; Rodrigues, M.A.; Cabanas, J.E.; Pereira, J.A.
Fonte: ENMP Publicador: ENMP
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
37.689858%
Em Trás-os-Montes, a oliveira É uma das culturas mais importantes. Nesta região, a maioria da produção de azeitona e destinada à obtenção de azeite. Contudo, nos concelhos de Freixo de Espada à Cinta e Mogadouro, a quase totalidade da produção é destinada para azeitona de conserva podendo ser certificada como "Azeitona de Conserva Negrinha de Freixo" DOP.

‣ Estudo comparativo do desempenho de três sistemas de colheita mecânica de azeitona

Almeida, Arlindo; Peça, José; Pinheiro, Anacleto; Dias, António; Santos, Luís S.S. dos; Reynolds, Domingos; Lopes, João
Fonte: Associação Portuguesa de Horticultura Publicador: Associação Portuguesa de Horticultura
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
37.689858%
Ao longo de três anos, foi realizado trabalho experimental em olivais com densidades de plantação compreendidas entre 100 e 150 árvores por hectare, utilizando três sistemas de colheita mecânica de azeitona, que permitiram obter resultados de capacidade de trabalho (árvores por hora). Nos três sistemas, para o destaque dos frutos foi usado o mesmo vibrador de troncos. A diferença está na recolha dos frutos derrubados: no sistema (A) foi realizada manualmente; no sistema (B) foi efectuada com um enrolador de panos montado em tractor; no sistema (C) utilizou-se um apara-frutos. Os resultados obtidos nos ensaios de campo, permitem (1) apontar as limitações de cada um dos sistemas e (2) sendo conhecida a capacidade de trabalho do sistema que recolhe manualmente a azeitona, estimar para os mesmos olivais e condições de trabalho, os valores de capacidade de trabalho dos sistemas que recolhem a azeitona mecanicamente.

‣ Avaliação do colhedor de azeitona Oli-picker no Nordeste de Portugal

Almeida, Arlindo; Peça, José
Fonte: IFE - International Faculty for Executives Publicador: IFE - International Faculty for Executives
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.56571%
O colhedor de azeitona “Oli-Picker” está disponível no mercado e trabalha escovando a copa das oliveiras com um rotor (figura 1) montado num braço articulado hidraulicamente, tornando possível o destaque da azeitona no interior exterior da copa. Ao contrário do que acontece com os vibradores de tronco, o “Oli-Picker” não é usual em Portugal e é escassa a informação disponível sobre este equipamento. Anteriores observações de campo, efectuadas ao longo de duas campanhas de colheita (Almeida, 2007) indicam valores de capacidade de trabalho de 10 a 25 árvores por hora, dependendo da metodologia de trabalho e volume da copa das árvores, o que é um resultado modesto quando comparado com as 50 a 80 árvores por hora que se obtém com sistemas de colheita que utilizam vibradores de tronco. A vantagem do “Oli-Picker” sobre os vibradores de tronco pode ser encontrada em olivais tradicionais constituídos por grandes árvores (figura 2) que se encontram em muitas regiões do Nordeste de Portugal, em Espanha e Itália. Nestes olivais os vibradores de tronco não são eficientes (Peça, 2002) ou mesmo impossíveis de utilizar devido ao diâmetro dos troncos, mas para o “Oli-Picker” a dimensão da copa não é uma dificuldade. Neste texto são apresentados resultados do terceiro ano de observações de campo com o “Oli-Picker” e são estimados os custos de colheita em olivais constituídos por árvores não adequadas à colheita com vibradores de tronco.

‣ Alguns factores a considerar na divulgação da mecanização da colheita de azeitona

Almeida, Arlindo; Dias, António; Peça, José; Pinheiro, Anacleto; Santos, Luís S.S. dos; Lopes, João
Fonte: Sociedade de Ciências Agrárias de Portugal Publicador: Sociedade de Ciências Agrárias de Portugal
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.689858%
Devido à dificuldade de mão-de-obra, tem-se registado nos últimos anos em Portugal um crescente interesse pela colheita mecânica da azeitona, tornando-se necessário o estudo desta questão, de forma a corresponder a este interesse. A substituição da tradicional colheita manual pela colheita mecânica, altera de modo significativo os procedimentos, as práticas e as condições técnicas e económicas em que decorre a colheita da azeitona. Na sequência de trabalhos desenvolvidos em Trás-os-Montes e no Alentejo, são neste texto indicados e discutidos factores considerados relevantes para o conhecimento dessas alterações, contribuindo para que a mecanização da colheita da azeitona possa de facto conduzir à melhoria das condições de competitividade do sector e aumentar a qualidade dos produtos finais, como: factores que se prendem como processo de difusão e adopção de inovações; factores agronómicos, quer relacionados com o olival, quer com o solo em que está implantado; factores económicos, relacionados com a escolha do equipamento a utilizar e com a condicionante resultante da curta utilização anual deste tipo de equipamento.

‣ Alguns factores a considerar na divulgação da mecanização da colheita da azeitona

Almeida, Arlindo; Peça, José; Dias, António; Pinheiro, Anacleto; Santos, Luís S.S. dos; Reynolds, Domingos; Lopes, João
Fonte: Escola Superior Agrária de Bragança Publicador: Escola Superior Agrária de Bragança
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
37.689858%
Devido à dificuldade de mão-de-obra, tem-se registado nos últimos anos em Portugal um crescente interesse pela colheita mecânica da azeitona, tornando-se necessário o estudo desta questão, de forma a corresponder a este interesse. A substituição da tradicional colheita manual pela colheita mecânica, altera de modo significativo os procedimentos, as práticas e as condições técnicas e económicas em que decorre a colheita da azeitona. Na sequência de trabalhos desenvolvidos em Trás-os-Montes e no Alentejo, são neste texto indicados e discutidos factores considerados relevantes para o conhecimento dessas alterações, contribuindo para que a mecanização da colheita da azeitona possa de facto conduzir à melhoria das condições de competitividade do sector e aumentar a qualidade dos produtos finais, como: factores que se prendem como processo de difusão e adopção de inovações; factores agronómicos, quer relacionados com o olival, quer com o solo em que está implantado; factores económicos, relacionados com a escolha do equipamento a utilizar e com a condicionante resultante da curta utilização anual deste tipo de equipamento.

‣ Práticas agrícolas associadas à olivicultura em modo de Produção Biológico e efeito na qualidade da azeitona e azeite na região de Trás-os-Montes

Máximo, Teresa Carolina Batista
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
38.088354%
O olival biológico tem assumido cada vez mais importância na região da Terra Quente Transmontana. Neste sentido, com o presente trabalho pretendeu-se avaliar em primeiro lugar as práticas agrícolas associadas à olivicultura em modo de Produção Biológico na região da Terra Quente Transmontana. Para tal, efectuaram-se inquéritos acerca das práticas agrícolas utilizadas. No que respeita às características do olival biológico, o olival de sequeiro (580,5 ha) tem maior predominância relativamente ao olival em regadio (162 ha), o que corresponde a 44 % da área total em olivicultura biológica na região da Terra Quente Transmontana. Na gestão do coberto vegetal, a maioria dos olivicultores faz a gestão do coberto maioritariamente através do corte mecânico (53,4%). Na aplicação de fertilizantes, a maioria dos inquiridos faz aplicações de adubos biológicos (33,4%) e de substâncias à base de cobre (60%) para o combate de doenças. A maioria dos inquiridos diz ter aderirido à agricultura biológica por questões de saúde humana, preservação da biodiversidade e maior harmonia com o ambiente (40%). Verificou-se que alguns dos inquiridos têm olival biológico certificado e outros ainda estão em fase de transição e que a maioria tinha conhecimento e fazia uso dos princípios e regras adoptados par este tipo de olivicultura. Em segundo lugar fez-se a caracterização morfológica e quantificação da intensidade de ataque proveniente de mosca-da-azeitona em amostras de azeitona biológica recolhidas na Região da Terra Quente Transmontana e respectiva caracterização físico-química de amostras de azeite biológico correspondentes a três amostras de azeite...

‣ Controlo microbiológico de pastas de azeitona processadas com diferentes especiarias e temperos

Rodrigues, Nuno; Pereira, J.A.; Bento, Albino; Ramalhosa, Elsa; Pereira, Ermelinda
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
37.689858%
As pastas de azeitona são um produto apreciado e com procura crescente por parte do consumidor. No seu processamento diferentes aspetos deverão ser tidos em conta, sendo a segurança para o consumidor um dos mais importantes. Neste sentido, com o presente trabalho pretendeu-se avaliar a qualidade microbiológica de pastas de azeitona aromatizadas com diferentes especiarias e temperos (alho, azeite, louro, pimentão-doce, piripiri, orégãos e sumo de limão), elaboradas à escala laboratorial. Os microrganismos avaliados, após três meses de processamento das pastas, foram os mesófilos totais, bolores e leveduras, bactérias láticas, clostrídios sulfito redutores, Staphlylococcus aureus, coliformes totais, Escherichia coli e Salmonella spp.. Apenas na amostra de pasta de azeitona com adição de pimentão-doce foi possível contabilizar colónias viáveis de microrganismos, 2,3x103 UFC/g de mesófilos totais e 6,4x102 UFC/g de bactérias láticas. Apesar da presença destes microrganismos, os valores determinados indicam que o produto se encontra dentro dos limites de aceitabilidade estabelecidos pelos valores guia para avaliação da qualidade microbiológica de alimentos prontos a comer. Em nenhuma amostra analisada se detetou a presença de Salmonella spp.. Assim...

‣ Controlo microbiológico de pastas de azeitona processadas com diferentes especiarias e temperos

Rodrigues, Nuno; Pereira, J.A.; Bento, Albino; Ramalhosa, Elsa; Pereira, Ermelinda
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
37.689858%
As pastas de azeitona são um produto apreciado e com procura crescente por parte do consumidor. No seu processamento diferentes aspetos deverão ser tidos em conta, sendo a segurança para o consumidor um dos mais importantes. Neste sentido, com o presente trabalho pretendeu-se avaliar a qualidade microbiológica de pastas de azeitona aromatizadas com diferentes especiarias e temperos (alho, azeite, louro, pimentão-doce, piripiri, orégãos e sumo de limão), elaboradas à escala laboratorial. Os microrganismos avaliados, após três meses de processamento das pastas, foram os mesófilos totais, bolores e leveduras, bactérias láticas, clostrídios sulfito redutores, Staphlylococcus aureus, coliformes totais, Escherichia coli e Salmonella spp.. Apenas na amostra de pasta de azeitona com adição de pimentão-doce foi possível contabilizar colónias viáveis de microrganismos, 2,3x103 UFC/g de mesófilos totais e 6,4x102 UFC/g de bactérias láticas. Apesar da presença destes microrganismos, os valores determinados indicam que o produto se encontra dentro dos limites de aceitabilidade estabelecidos pelos valores guia para avaliação da qualidade microbiológica de alimentos prontos a comer. Em nenhuma amostra analisada se detetou a presença de Salmonella spp.. Assim...

‣ Efeito de um coberto de leguminosas pratenses no estado nutricional de um olival e na produção de azeitona

Dimande, Paulo; Arrobas, Margarida; Ferreira, I.Q.; Freitas, Sara; Rodrigues, M.A.
Fonte: Sociedade Portuguesa de Pastagens e Forragens Publicador: Sociedade Portuguesa de Pastagens e Forragens
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Português
Relevância na Pesquisa
37.689858%
O solo dos pomares e vinhas é cada vez mais gerido com cobertos vegetais. Os cobertos vegetais protegem o solo da erosão e incrementam o sequestro de carbono no solo, com aumento favorável do teor de matéria orgânica. Se forem utilizados cobertos vegetais de leguminosas semeadas, para além do efeito reforçado do sequestro de carbono, devido à maior produção de biomassa, acresce o aumento da pool de azoto (N) orgânico com consequências muito positivas na fertilidade do solo. Neste trabalho apresentam-se resultados de um ensaio onde se comparou o efeito de um coberto vegetal de leguminosas semeadas (uma mistura de 11 espécies/cultivares de leguminosas anuais de ressementeira natural de ciclo curto a médio) com um coberto de vegetação natural sem fertilização (tal como o coberto de leguminosas semeadas) e outro coberto de vegetação natural em que se aplicaram 60 kg N ha-1 ano-1.O ensaio foi instalado em 2009 em Mirandela, NE Portugal, num olival jovem da cultivar Cobrançosa. No ano da instalação e no ano seguinte, a produção de azeitona não diferiu entre tratamentos. Nos dois anos seguintes a produção de azeitona foi significativamente superior nos talhões geridos com leguminosas semeadas e com um coberto vegetal natural fertilizado com N comparativamente com o talhão com vegetação natural não fertilizado. Na quinta e última colheita...

‣ Máquina para a colheita contínua de azeitona em olivais intensivos

Dias, António Bento; Cardoso, V.; Reynolds de Souza, D.; Falcão, J.M.; Pinheiro, Anacleto; Peça, J.O.
Fonte: Associação Portuguesa de Horticultura Publicador: Associação Portuguesa de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.56571%
A diminuição dos custos de colheita nos olivais intensivos (200 a 550 árvores por hectare) terá de ser encarada como tarefa urgente para que estes olivais possam ser competitivos. Nestes olivais, a técnica tradicional de colheita com vibradores de tronco encontra limitações, como a falta de espaço para o desempenho de equipamentos de recolha associados aos vibradores; mas é sobretudo, devido a ser uma técnica descontínua, baseada numa repetição de ciclos de manobras, que origina enorme fadiga no pessoal e equipamento. Estas limitações motivaram o aparecimento de equipamentos de colheita por vibração da copa da árvore, que realizam a colheita de uma forma contínua. Assim, além de permitirem maiores capacidades de trabalho, dispensam grande parte da mão-de-obra requerida nos processos descontínuos. Presentemente o mercado dispõe de equipamentos de colheita em contínuo de azeitona por vibração da copa, que se baseiam em máquinas automotrizes de vindimar ou da colheita de café. Invariavelmente, uns e outros, estão concebidos para cavalgar as árvores (deslocamento por cima das linhas), pelo que, mais tarde ou mais cedo, a sua utilização estará condicionada pelo crescimento das plantas. Em olivais intensivos de cultivares locais...

‣ Avaliação e selecção de sistemas de colheita mecânica de azeitona

Almeida, Arlindo Castro Ferreira de
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
37.77952%
Pretende-se com este trabalho, contribuir para o melhor conhecimento de soluções mecanizadas de colheita de azeitona em olivais de sequeiro, com árvores alinhadas e densidades de plantação compreendidas entre 100 e 200 árvores por hectare. Definiram-se três sistemas de colheita, cada um correspondendo a uma solução mecanizada que utiliza uma cadeia de máquinas determinada. Nos três sistemas, o destaque dos frutos é efectuado com vibrador mecânico. A diferença entre eles, está- na forma de recolhera azeitona destacada: (a) recolha utilizando lonas estendidas sob as oliveiras, movimentadas manualmente; (b) recolha efectuada utilizando um enrolados de panos; (c) recolha efectuada utilizando um apara-frutos. Com base em informação recolhida em ensaios de campo realizados ao longo de três anos, foi: (a) deduzida para árvores vibradas só ao tronco, a capacidade de trabalho (em árvores por hora) de cada cadeia de máquinas; (b) efectuado um estudo das diferentes operações elementares necessárias ao funcionamento das cadeias de máquinas; (c) efectuada a comparação do desempenho das diferentes cadeias num mesmo olival; (d) deduzida a capacidade de trabalho, conforme a percentagem no olival de árvores vibradas a duas pernadas; (e) efectuada a avaliação dos custos por quilograma de azeitona colhida...

‣ Avaliação de resíduos em "azeitonas de mesa" resultantes dos tratamentos fitossanitários aplicados no combate à mosca-da-azeitona (Bactrocera oleae gmelin), ilha Terceira, Açores

Meneses, Carla Maria Gonçalves
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 04/04/2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.900369%
Dissertação de Mestrado em Engenharia Agronómica.; A mosca-da-azeitona (B. oleae) é umas das principais pragas da oliveira em Portugal, sendo considerada também um dos principais inimigos da cultura na ilha Terceira. Para uma proteção eficaz contra esta praga é necessário um acompanhamento quase diário aplicando os princípios da proteção integrada, apostando na estimativa do risco, mas, infelizmente abusando das aplicações com inseticidas, de forma a reduzir as populações da mosca-da-azeitona. A luta química, que, nalguns casos, é a única forma de limitar os prejuízos resultantes da ação dos inimigos da cultura, apesar das suas vantagens, apresenta também graves inconvenientes, entre os quais se destacam, a possibilidade de ocorrência de resíduos na produção. Assim sendo, faz todo o sentido o presente estudo, que teve como principais objetivos: perceber em que altura a mosca-da-azeitona apresentou uma maior população e avaliar o impacto desta através da determinação da percentagem de frutos afetados; perceber se os tratamentos efetuados contra esta praga diminuíram a sua população e avaliar a presença de resíduos de produtos fitofarmacêuticos nas azeitonas aquando da colheita e depois da salmoura. Para este estudo colocaram-se armadilhas em sete pomares de oliveiras do Porto Martins...

‣ Hidrotratamento de óleo de bagaço de azeitona bruto na produção de biocombustíveis líquidos

Varela, Francisco Moura da Costa Telles
Fonte: Faculdade de Ciências e Tecnologia Publicador: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.56571%
Dissertação apresentada à Universidade Nova de Lisboa, Faculdade de Ciências e Tecnologia, para a obtenção do grau de Mestre em Energia e Bioenergia; A presente dissertação tem como principal objectivo investigar através do processo de hidrotratamento de óleos vegetais (HVO), a conversão do óleo de bagaço de azeitona bruto em biocombustíveis líquidos,permitindo ao mesmo tempo encontrar uma forma de valorização alternativa ao uso alimentar deste óleo que pode apresentar elevados riscos para a saúde humana. O óleo de bagaço de azeitona bruto é um sub-produto da indústria do azeite, com composição semelhante a outros óleos vegetais e que apresenta um preço de mercado inferior a estes. Com o objectivo de optimizar as condições do processo, foram estudadas diferentes condições experimentais: temperatura de reacção, na gama de 300-430 ºC; tempo de reacção, na gama de 30-120 minutos; volume de óleo inicial, na gama de 25-80 mL; variação da atmosfera de reacção, azoto (N2) ou hidrogénio (H2); presença ou ausência dos catalisadores: CoMo/Al2O3 comercial, NaphtaMax(FCC) e Max Olefins Additive (ZSM-5). Os rendimentos de produtos líquidos variaram entre 73,68 e 93,48 %(m/m), sendo o maior rendimento obtido nas seguintes condições experimentais: 300 ºC; 30 minutos; 50 mL óleo inicial; atmosfera H2; pressão inicial 1...

‣ Preparação e caracterização de compósitos de PEBD reforçados com pó de cortiça e de caroço de azeitona, para aplicações na construção civil

Ferreira, João Daniel Teixeira
Fonte: Faculdade de Ciências e Tecnologia Publicador: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.56571%
Dissertação para obtenção do grau Mestre em Engenharia Civil – Perfil de Construção; Sendo a única actividade agrícola na qual Portugal é líder mundial, a produção de cortiça e produtos derivados é uma actividade de grande valor económico, responsável em 2009 por 30% do total das exportações nacionais de produtos florestais, representando 2,2% do PIB (Fonte: INE 2009). Estes valores são obtidos quase exclusivamente pelos sectores tradicionais, nomeadamente rolha de cortiça, rolha de aglomerados, isolamentos e revestimentos. Isto implica que outras aplicações de cortiça são inexpressivas, mostrando um campo de aplicação ainda algo limitado, tendo em conta as vantagens de um material natural como a cortiça. A utilização de pó de cortiça neste trabalho deriva desta inexpres-sividade e características únicas deste material, tais como, propriedades térmicas e acústicas reconhe-cidas na indústria da construção civil. O olival é uma cultura com grandes tradições e importância determinante em vastas áreas do País. Tem associado à sua presença a múltiplas funções e valias, que podem contribuir de forma importante para as regiões e populações onde se encontra. A cultura do olival encontra-se distribuída por todas as regiões agrárias do continente...

‣ Microencapsulação de bactérias lácticas com potencial probiótico para produção de pasta de azeitona

Alves, Marta Sofia
Fonte: Faculdade de Ciências e Tecnologia Publicador: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.689858%
Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Tecnologia e Segurança Alimentar/Qualidade Alimentar; Neste estudo foram aplicadas metodologias para avaliação da aptidão probiótica de estirpes de bactérias lácticas isoladas de processos de fermentação de azeitona da cultivar Galega. Das 156 estirpes de bactérias lácticas inicialmente isoladas 13 evidenciaram, em ensaios preliminares, tolerância aos ácidos e sais biliares do aparelho digestivo e mostraram ter um potencial probiótico. Nenhuma das estirpes mostrou capacidade hemolítica ou capacidade para degradar a mucina. Todas as estirpes apresentaram capacidades de auto-agregação (3,77-12,80%), co-agregação (8,38-45,70%) e aderência a células Caco-2 (0,83-15,3%). A atividade antimicrobiana e a resistência ao processo de digestão simulado foram também evidenciadas. Dos 13 isolados estudados, foram selecionados dois Lactobacillus plantarum para incorporação numa pasta de azeitona previamente preparada. Tendo em conta que a viabilidade das bactérias probióticas num produto, no momento de consumo, é um aspeto importante a ter em conta aquando da avaliação da sua eficácia e porque deve sobreviver durante o processamento, a vida útil do alimento, bem como tolerar as condições extremas do estômago e do intestino optou-se por recorrer à técnica da microencapsulação para proteção das células. Os resultados demonstraram que a microencapsulação é uma técnica eficaz para a sobrevivência das estirpes...

‣ Preparação de pastas com “azeitona de mesa Transmontana”

Rodrigues, Nuno Miguel de Sousa
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior Agrária Publicador: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior Agrária
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
38.146626%
Orientado por José Alberto Cardoso Pereira, Elsa Cristina Dantas Ramalhosa; Face às dificuldades que o setor da olivicultura atualmente enfrenta para escoar os produtos, é necessário encontrar alternativas para reduzir as perdas e ao mesmo tempo valorizar o produto em causa. Assim sendo, esta indústria precisa de estar constantemente a inovar de forma a dar resposta às necessidades dos produtores e satisfazer os desejos de um maior número de consumidores. Em Portugal, e concretamente em Trás-os-Montes, são produzidas azeitonas de mesa de excelente qualidade, havendo uma grande tradição na sua produção. As pastas de azeitona elaboradas a partir de azeitonas de mesa transmontanas podem ser uma forma de as valorizar. Neste sentido, com o presente trabalho pretendeu-se avaliar o efeito da adição de diferentes especiarias/temperos nas características físico-químicas, biológicas, microbiológica e sensoriais de pastas de azeitona. Para tal elaboraram-se pastas de azeitona com diferentes especiarias/temperos e procedeu-se à determinação dos parâmetros físico-químicos (humidade, gordura total, proteína total, cinzas e hidratos de carbono, valor energético, acidez total, pH e cor), controlo microbiológico, avaliação sensorial e atividade antioxidante das mesmas...