Página 1 dos resultados de 2085 itens digitais encontrados em 0.019 segundos

‣ Impacto do número de parceiros sexuais na triagem clínica de doadores de sangue, características demográficas e marcadores sorológicos para doenças transmissíveis por transfusão; Impact of the number of sexual partnersin theclinical screening of blood donors, demographic and serologic markers for infections diseases transmitted by transfusion

Patavino, Giuseppina Maria
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 11/04/2012 Português
Relevância na Pesquisa
68.307617%
INTRODUÇÃO: No Brasil, os doadores de sangue são submetidos à triagem clinica antes da doação através de um questionário padronizado que segue recomendações do Ministério da Saúde. Apesar de não ser obrigatório, os serviços de hemoterapia brasileiros costumam perguntar aos candidatos sobre o número de parceiros sexuais nos doze meses que precederam aquela doação de sangue. Os candidatos que referem um número de parceiros acima do limite permitido em cada hemocentro são recusados na triagem clínica pré-doação. Este estudo analisa as características demográficas, o número de parceiros heterossexuais e marcadores sorológicos em 689.868 doações de três hemocentros brasileiros, participantes do REDS-II, entre 1 de julho de 2007 a 31 de dezembro de 2009. MÉTODOS: Os doadores foram classificados de acordo com o número máximo declarado de parceiros sexuais nos últimos doze meses permitidos em cada hemocentro. Os valores de corte para Belo Horizonte, Recife e São Paulo são dois, três e seis parceiros, respectivamente. Foram realizados os testes de qui-quadrado e regressão logística a fim de examinar associações entre características demográficas, número de parceiros sexuais em doze meses e taxas de marcadores sorológicos individuais e globais positivas para o vírus da imunodeficiência adquirida (HIV)...

‣ Promoção da saúde em doenças transmissíveis: uma investigação entre adolescentes

Beserra,Eveline Pinheiro; Araújo,Márcio Flávio Moura de; Barroso,Maria Grasiela Teixeira
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 Português
Relevância na Pesquisa
68.41834%
OBJETIVO: Relatar uma experiência de promoção da saúde no contexto das doenças transmissíveis com adolescentes. MÉTODOS: Utilizou-se a dialógica freireana: círculo de cultura, constituído por cinco oficinas de Promoção da Saúde com adolescentes da faixa etária de 13 a 16 anos numa escola de Fortaleza-CE. RESULTADOS: Foi identificado que os adolescentes tinham pouco conhecimento sobre os meios de prevenção das doenças transmitíveis (DT) e de sobremodo das doenças sexualmente transmissíveis (DST). Ao final do círculo de cultura, os jovens referiram mudança de comportamento. CONCLUSÃO: A prática de educação em saúde orientada pelo círculo de cultura possibilitou apreender aspectos culturais relacionados às DT/DST e dinamizar o processo educativo repercutindo em mudanças de comportamento dos adolescentes sobre a prevenção dessas doenças.

‣ Doenças transmissíveis

Reibnitz Júnior, Calvino; Ramos, Flávia Regina Souza; Freitas, Fernanda Lazzari; Padilha, Maria Itayra Coelho de Souza; Amante, Lúcia Nazareth
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // Português
Relevância na Pesquisa
68.686064%
O objeto começa com uma apresentação sobre a dificuldade de compreender o que são doenças transmissíveis e explicando suas características. Lembra que, perante a complexidade que envolve as doenças infecciosas, pode haver dificuldades como lembrar algumas delas; ter uma ideia mais completa ou exata acerca da sua ocorrência na população da área de abrangência; no reconhecimento do modo como podem ser dinâmicas; em entender como este conjunto de doenças pode ser classificado de diversos modos. Convida a pesquisar, aprimorar a profissão e não desanimar diante da complexidade ou variedade de fatores envolvidos numa doença ou grupo de doenças. Enfatiza que para classificar este conjunto de doenças, há diferentes critérios e dá como exemplo de classificação a análise das tendências destas doenças em três grandes subgrupos: transmissíveis com tendência descendente, doenças transmissíveis com quadro de persistência e doenças transmissíveis emergentes e reemergentes. Termina com uma apresentação que aprofunda o tema. Unidade 5 do módulo 7 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.

‣ Doenças transmissíveis

Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // Português
Relevância na Pesquisa
68.576675%
As doenças transmissíveis foram a principal causa de morte nas capitais brasileiras na década de 1930, respondendo por mais de um terço dos óbitos registrados nesses locais. O desenvolvimento de novas tecnologias, como as vacinas e os antibióticos, as melhorias sanitárias, a ampliação do acesso aos serviços de saúde e as medidas de controle fizeram com que esse quadro se modificasse bastante até os dias de hoje. Apesar da redução significativa da participação desse grupo de doenças no perfil da mortalidade do nosso país, ainda há um impacto importante sobre a morbidade, principalmente por aquelas doenças para as quais não se dispõe de mecanismos eficazes de prevenção e/ou que apresentam uma estreita associação com causas ambientais, sociais e econômicas. Diante disso, faz-se necessário promover ações de prevenção e controle dessas doenças, por meio de estratégias para detecção e resposta às emergências epidemiológicas, ampliando a capacidade de atuação diante de novas situações

‣ Epidemiologia e controle das doenças transmissíveis no Brasil

Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // Português
Relevância na Pesquisa
68.31209%
Na década de 1930, as doenças transmissíveis foram a principal causa de morte nas capitais do Brasil. As melhorias sanitárias, o desenvolvimento de novas tecnologias, como as vacinas e os antibióticos, a ampliação do acesso aos serviços de saúde e as medidas de controle fizeram com que esse quadro se modificasse bastante até os dias de hoje. Porém, mesmo diante dos notórios avanços obtidos para controlar essas doenças, elas ainda se constituem como importante problema de saúde pública no país. Fatores de ordem biológica, geográfica, ecológica, social, cultural e econômica atuam simultaneamente na produção, distribuição e controle das doenças. O controle de doenças vetoriais, tais como: doença de Chagas, malária, leishmanioses, esquistossomose, febre amarela e dengue, depende de ações conjuntas de todos os níveis de atenção à saúde. Diante disso, este material foca em como a equipe de atenção básica pode atuar no controle e combate dessas doenças.

‣ Doenças Transmissíveis

Universidade Aberta do SUS da Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS/UFMA
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // Português
Relevância na Pesquisa
68.753525%
Material do curso de capacitação em Doenças Transmissíveis, produzido pela UNA-SUS/UFMA. O curso tem como público alvo discentes dos cursos de graduação que fazem parte do Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde - PRÓ-SAÚDE no âmbito da Universidade Federal do Maranhão (enfermagem, farmácia, medicina e odontologia). Neste módulo estuda-se como a equipe de Atenção Básica pode atuar no combate e controle das doenças transmissíveis por vetores (Malária, Tripanossomíase americana, Leishmanioses, Esquistossomose, Febre amarela e Dengue), das doenças endêmicas prevalentes (Hanseníase, Tuberculose e Influenza), das doenças sexualmente transmissíveis (Gonorreia, Sífilis, AIDS) incluindo Hepatites Virais e Hepatites crônicas abordando aspectos de diagnóstico e tratamento. Além de apresentar os conceitos para reflexão sobre as doenças negligenciadas e como as condições ambientais podem influenciar na saúde das populações.

‣ Doenças transmissíveis: epidemiologia e controle das doenças transmissíveis no Brasil

Universidade Aberta do SUS da Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS/UFMA
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // Português
Relevância na Pesquisa
68.698125%
Unidade 1 do curso de capacitação em Doenças Transmissíveis, produzido pela UNA-SUS/UFMA. O curso tem como público alvo discentes dos cursos de graduação que fazem parte do Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde - PRÓ-SAÚDE no âmbito da Universidade Federal do Maranhão (enfermagem, farmácia, medicina e odontologia). Neste material aborda-se algumas as doenças transmissíveis por vetores (Tripanossomíase Americana, malária, leishmanioses, dengue, febre amarela, esquistossomose).

‣ Doenças transmissíveis: doenças sexualmente transmissíveis e hepatites virais

Universidade Aberta do SUS da Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS/UFMA
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // Português
Relevância na Pesquisa
68.467666%
Unidade 3 do curso de capacitação em Doenças Transmissíveis, produzido pela UNA-SUS/UFMA. O curso tem como público alvo discentes dos cursos de graduação que fazem parte do Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde - PRÓ-SAÚDE no âmbito da Universidade Federal do Maranhão (enfermagem, farmácia, medicina e odontologia). Neste material discute-se as principais características, a incidência e ações de controle das DSTs mais prevalentes no país (Gonorreia, Sífilis e AIDS), incluindo as Hepatites virais e também as Hepatites crônicas.

‣ Doenças transmissíveis: doenças negligenciadas associadas à pobreza e a vigilância em saúde

Universidade Aberta do SUS da Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS/UFMA
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // Português
Relevância na Pesquisa
68.41834%
Unidade 4 do curso de capacitação em Doenças Transmissíveis, produzido pela UNA-SUS/UFMA. O curso tem como público alvo discentes dos cursos de graduação que fazem parte do Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde - PRÓ-SAÚDE no âmbito da Universidade Federal do Maranhão (enfermagem, farmácia, medicina e odontologia). Neste material aborda-se as doenças negligenciadas associadas à pobreza e a vigilância ambiental em saúde, apresenta-se ainda conceitos para reflexão sobre a forma como as condições ambientais podem influenciar na saúde das populações.

‣ Os caminhos e descaminhos da vigilância das doenças transmissíveis no Brasil

Quaresma, Silvia Jurema Leone
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 518 p.| il., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
68.779277%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política, Florianópolis, 2012; Nesta tese valemo-nos de uma dualidade de métodos (pesquisa bibliográfica, com ênfase numa revisão histórica, e estudo de caso, na forma como é realizado nas Ciências Sociais); utilizamos diferentes fontes de dados; e também, entrevistas realizadas com uma tríade de profissionais, quais sejam, alguns sanitaristas/pesquisadores que atuaram na saúde pública do Brasil entre as décadas de 1960-1990, um técnico do setor de vigilância epidemiológica de SC e alguns profissionais das unidades de vigilância epidemiológica, ambiental e sanitária do município de pesquisa, para atingir o seguinte objetivo: analisar qualitativamente as trajetórias das políticas e das instituições que estavam relacionadas à vigilância das doenças transmissíveis no Brasil no período anterior a década de 1990 e posterior a esta; identificando os possíveis elementos remanescentes que estruturam essas políticas hoje; analisando as fragilidades da descentralização do setor da saúde, segundo a percepção de alguns sanitaristas/pesquisadores; e avaliando como um município de Santa Catarina está absorvendo todas as mudanças ocorridas na saúde com relação à municipalização das ações e serviços da vigilância das doenças transmissíveis. Ao longo dos capítulos da tese foi possível verificar que desde a chegada da Família Real...

‣ Doenças Transmissíveis

Universidade Aberta do SUS da Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS/UFMA
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Backup Moodle de módulo composto por 4 unidades que contém textos e livros online.
Português
Relevância na Pesquisa
68.860874%
Material do curso de capacitação em Doenças Transmissíveis, produzido pela UNA-SUS/UFMA. O curso tem como público alvo discentes dos cursos de graduação que fazem parte do Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde - PRÓ-SAÚDE no âmbito da Universidade Federal do Maranhão (enfermagem, farmácia, medicina e odontologia). Neste módulo estuda-se como a equipe de Atenção Básica pode atuar no combate e controle das doenças transmissíveis por vetores (Malária, Tripanossomíase americana, Leishmanioses, Esquistossomose, Febre amarela e Dengue), das doenças endêmicas prevalentes (Hanseníase, Tuberculose e Influenza), das doenças sexualmente transmissíveis (Gonorreia, Sífilis, AIDS) incluindo Hepatites Virais e Hepatites crônicas abordando aspectos de diagnóstico e tratamento. Além de apresentar os conceitos para reflexão sobre as doenças negligenciadas e como as condições ambientais podem influenciar na saúde das populações.; Ministério da Saúde

‣ Doenças transmissíveis: epidemiologia e controle das doenças transmissíveis no Brasil

Universidade Aberta do SUS da Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS/UFMA
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Tipo: Texto Formato: PDF de 46 páginas contendo textos e imagens.
Português
Relevância na Pesquisa
68.72021%
Unidade 1 do curso de capacitação em Doenças Transmissíveis, produzido pela UNA-SUS/UFMA. O curso tem como público alvo discentes dos cursos de graduação que fazem parte do Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde - PRÓ-SAÚDE no âmbito da Universidade Federal do Maranhão (enfermagem, farmácia, medicina e odontologia). Neste material aborda-se algumas as doenças transmissíveis por vetores (Tripanossomíase Americana, malária, leishmanioses, dengue, febre amarela, esquistossomose).; Ministério da Saúde

‣ Doenças transmissíveis: doenças endêmicas prevalentes

Universidade Aberta do SUS da Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS/UFMA
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Tipo: Texto Formato: PDF de 28 páginas contendo textos e imagens.
Português
Relevância na Pesquisa
68.31209%
Unidade 1 do curso de capacitação em Doenças Transmissíveis, produzido pela UNA-SUS/UFMA. O curso tem como público alvo discentes dos cursos de graduação que fazem parte do Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde - PRÓ-SAÚDE no âmbito da Universidade Federal do Maranhão (enfermagem, farmácia, medicina e odontologia). Neste material aborda-se o combate a doenças endêmicas prevalentes (Hanseníase, Tuberculose e Influenza), a fim de executar medidas preventivas e educativas, diagnóstico precoce e tratamento eficaz.; Ministério da Saúde

‣ Doenças transmissíveis: doenças sexualmente transmissíveis e hepatites virais

Universidade Aberta do SUS da Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS/UFMA
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Tipo: Texto Formato: PDF de 36 páginas contendo textos e imagens.
Português
Relevância na Pesquisa
68.61836%
Unidade 3 do curso de capacitação em Doenças Transmissíveis, produzido pela UNA-SUS/UFMA. O curso tem como público alvo discentes dos cursos de graduação que fazem parte do Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde - PRÓ-SAÚDE no âmbito da Universidade Federal do Maranhão (enfermagem, farmácia, medicina e odontologia). Neste material discute-se as principais características, a incidência e ações de controle das DSTs mais prevalentes no país (Gonorreia, Sífilis e AIDS), incluindo as Hepatites virais e também as Hepatites crônicas.; Ministério da Saúde

‣ Doenças transmissíveis: doenças negligenciadas associadas à pobreza e a vigilância em saúde

Universidade Aberta do SUS da Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS/UFMA
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Tipo: Texto Formato: PDF de 21 páginas contendo textos e imagens.
Português
Relevância na Pesquisa
68.453447%
Unidade 4 do curso de capacitação em Doenças Transmissíveis, produzido pela UNA-SUS/UFMA. O curso tem como público alvo discentes dos cursos de graduação que fazem parte do Programa Nacional de Reorientação da Formação Profissional em Saúde - PRÓ-SAÚDE no âmbito da Universidade Federal do Maranhão (enfermagem, farmácia, medicina e odontologia). Neste material aborda-se as doenças negligenciadas associadas à pobreza e a vigilância ambiental em saúde, apresenta-se ainda conceitos para reflexão sobre a forma como as condições ambientais podem influenciar na saúde das populações.; Ministério da Saúde

‣ Doenças transmissíveis

Reibnitz Júnior, Calvino; Ramos, Flávia Regina Souza; Freitas, Fernanda Lazzari; Padilha, Maria Itayra Coelho de Souza; Amante, Lúcia Nazareth
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Unidade 5 do módulo 7 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família. Arquivo .zip contendo página html com recursos de texto, imagens e animações em flash.
Português
Relevância na Pesquisa
68.686064%
O objeto começa com uma apresentação sobre a dificuldade de compreender o que são doenças transmissíveis e explicando suas características. Lembra que, perante a complexidade que envolve as doenças infecciosas, pode haver dificuldades como lembrar algumas delas; ter uma ideia mais completa ou exata acerca da sua ocorrência na população da área de abrangência; no reconhecimento do modo como podem ser dinâmicas; em entender como este conjunto de doenças pode ser classificado de diversos modos. Convida a pesquisar, aprimorar a profissão e não desanimar diante da complexidade ou variedade de fatores envolvidos numa doença ou grupo de doenças. Enfatiza que para classificar este conjunto de doenças, há diferentes critérios e dá como exemplo de classificação a análise das tendências destas doenças em três grandes subgrupos: transmissíveis com tendência descendente, doenças transmissíveis com quadro de persistência e doenças transmissíveis emergentes e reemergentes. Termina com uma apresentação que aprofunda o tema. Unidade 5 do módulo 7 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.; 1.0; Ministério da Saúdes/OPAS/OMS

‣ O usuário com doenças transmissíveis para enfermeiro

Júnior, Calvino Reibnitz; Freitas, Fernanda Lazzari; Ramos, Flávia Regina Souza; Tognoli, Heitor; Amante, Lúcia Nazareth; Cutolo, Luiz Roberto Agea; Padilha, Maria Itayra Coelho de Souza; Miranda, Fernanda Alves Carvalho de
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Conteúdo Online do módulo de Atenção integral à saúde do adulto: O usuário com doenças transmissíveis para enfermeiro. Unidade 3 do módulo 13 para dentista que compõe o Curso de Especialização Multiprofissional em Saúde da Família. Arquivo
Português
Relevância na Pesquisa
68.67065%
Tópico 1 – Considerações gerais sobre doenças transmissíveis O tópico demonstra que o quadro de doenças transmissíveis (DT) será tanto mais grave, quanto piores forem as condições de vida da população e a qualidade dos serviços de saúde. Ressalta a importância se atualizar sobre o cenário de doenças transmissíveis no Brasil. Mostra a cadeia de processo que envolve as doenças transmissíveis, a estrutura epidemiológica, os fatores de complexidade do tema, o fenômeno iceberg, a classificação das DT em três grandes grupos, conforme persistência e emergência. Tópico 2 – Tuberculose Quanto à tuberculose, o tópico apresenta: características, sinais, sintomas, transmissibilidade tratamento ambulatorial, hospitalização, situação no Brasil, metas internacionais e nacionais, PNCT, importância da atuação da AB para alcance das metas, ações de combate, importância da adesão do indivíduo ao tratamento, normas do CIPE e do CIPESC e sua importância na classificação dos fenômenos nas ações de enfermagem. Tópico 3 – Hepatites virais Sobre as hepatites virais, o tópico apresenta: características; distribuição universal, variação e magnitude conforme regiões no Brasil e no planeta; dados estatísticos; reflexão sobre presença de hepatites virais na própria área de atuação; ações do MS nos diferentes níveis de atenção; ações contra a doença; formas de prevenção; vacinação; uso de imunoglobina humana antivírus HB; importância do conhecimento do Manual de Exposição Ocupacional e cuidados. Tópico 4 – Os usuário com DST e AIDS O tópico apresenta a definição de DST da OMS e aborda a AIDS...

‣ O usuário com doenças transmissíveis para médico

Júnior, Calvino Reibnitz; Freitas, Fernanda Lazzari; Ramos, Flávia Regina Souza; Tognoli, Heitor; Amante, Lúcia Nazareth; Cutolo, Luiz Roberto Agea; Padilha, Maria Itayra Coelho de Souza; Miranda, Fernanda Alves Carvalho de
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Conteúdo Online do módulo de Atenção integral à saúde do adulto: O usuário com doenças transmissíveis para médico. Unidade 4 do módulo 13 para dentista que compõe o Curso de Especialização Multiprofissional em Saúde da Família. Arquivo .zi
Português
Relevância na Pesquisa
68.67065%
Tópico 1 – Considerações gerais sobre doenças transmissíveis O tópico demonstra que o quadro de doenças transmissíveis (DT) será tanto mais grave, quanto piores forem as condições de vida da população e a qualidade dos serviços de saúde. Ressalta a importância se atualizar sobre o cenário de doenças transmissíveis no Brasil. Mostra a cadeia de processo que envolve as doenças transmissíveis, a estrutura epidemiológica, os fatores de complexidade do tema, o fenômeno iceberg, a classificação das DT em três grandes grupos conforme persistência e emergência. Tópico 2 - Tuberculose Quanto à tuberculose, o tópico apresenta: características, sinais, sintomas, transmissibilidade, exames clínicos e outros exames, encaminhamento para unidades de referência, tratamento ambulatorial, hospitalização, situação no Brasil, metas internacionais e nacionais, PNCT, importância da atuação da AB para alcance das metas, ações de combate, importância da adesão do indivíduo ao tratamento. Tópico 3 – Pneumonia comunitária no adulto Sobre a pneumonia comunitária no adulto, o tópico apresenta: definição, agentes etiológicos, sinais e sintomas, uso da radiografia do tórax, tratamento medicamentoso...

‣ Doenças transmissíveis

Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Backup Moodle contendo recursos em texto e vídeos direcionados para o Programa de Valorização da Atenção Básica (Provab)
Português
Relevância na Pesquisa
68.686064%
As doenças transmissíveis foram a principal causa de morte nas capitais brasileiras na década de 1930, respondendo por mais de um terço dos óbitos registrados nesses locais. O desenvolvimento de novas tecnologias, como as vacinas e os antibióticos, as melhorias sanitárias, a ampliação do acesso aos serviços de saúde e as medidas de controle fizeram com que esse quadro se modificasse bastante até os dias de hoje. Apesar da redução significativa da participação desse grupo de doenças no perfil da mortalidade do nosso país, ainda há um impacto importante sobre a morbidade, principalmente por aquelas doenças para as quais não se dispõe de mecanismos eficazes de prevenção e/ou que apresentam uma estreita associação com causas ambientais, sociais e econômicas. Diante disso, faz-se necessário promover ações de prevenção e controle dessas doenças, por meio de estratégias para detecção e resposta às emergências epidemiológicas, ampliando a capacidade de atuação diante de novas situações; Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS

‣ Epidemiologia e controle das doenças transmissíveis no Brasil

Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Recurso textual contendo imagens coloridas, utilizado na unidade 01 do módulo 14 (Doenças transmissíveis), direcionado para o Programa de Valorização da Atenção Básica (Provab)
Português
Relevância na Pesquisa
68.31209%
Na década de 1930, as doenças transmissíveis foram a principal causa de morte nas capitais do Brasil. As melhorias sanitárias, o desenvolvimento de novas tecnologias, como as vacinas e os antibióticos, a ampliação do acesso aos serviços de saúde e as medidas de controle fizeram com que esse quadro se modificasse bastante até os dias de hoje. Porém, mesmo diante dos notórios avanços obtidos para controlar essas doenças, elas ainda se constituem como importante problema de saúde pública no país. Fatores de ordem biológica, geográfica, ecológica, social, cultural e econômica atuam simultaneamente na produção, distribuição e controle das doenças. O controle de doenças vetoriais, tais como: doença de Chagas, malária, leishmanioses, esquistossomose, febre amarela e dengue, depende de ações conjuntas de todos os níveis de atenção à saúde. Diante disso, este material foca em como a equipe de atenção básica pode atuar no controle e combate dessas doenças.; Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS