Página 1 dos resultados de 2649 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

‣ Fadiga em adultos acompanhantes de pacientes em tratamento ambulatorial; Fatigue in adults accompanying patients in outpatient treatment; Fatiga en adultos acompañantes de pacientes en tratamiento en ambulatorios

MOTA, Natália Fialho; CRUZ, Diná de Almeida Lopes Monteiro da; FINI, Andréa
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.357324%
OBJETIVOS: Descrever a fadiga e fadiga ao esforço em pessoas sem doenças crônicas e verificar associação entre fadiga ou fadiga ao esforço e sexo, idade, escolaridade, convivência marital, depressão, atividade física, tabagismo, Índice de Massa Corporal (IMC), dispnéia e depressão. MÉTODOS: Estudo descritivo abragendo 93 acompanhantes de pacientes ambulatoriais que informaram sobre tabagismo, fadiga, fadiga ao esforço, depressão, e atividade física. RESULTADOS: Dos 93 voluntários (65,6% mulheres, média de idade 33,4±10,1 anos), 52,7% tinham fadiga e 34,4% fadiga ao esforço. O escore médio de fadiga foi 16,3±6,6 (escala de 8 a 40) e de fadiga ao esforço 12,6±4,4 (escala de 9 a 45). A fadiga foi mais intensa (p=0,005) e mais freqüente (p=0,001) nas mulheres e correlacionou-se positivamente com depressão (r s=0,47; p=0,000). A fadiga ao esforço correlacionou-se positivamente com depressão (r s=0,39; p=0,000) e foi mais freqüente entre as mulheres (p=0,001). CONCLUSÃO: As características da fadiga em amostra de acompanhantes de pacientes são semelhantes às de pacientes com doenças crônicas. A interpretação de dados sobre fadiga em doenças crônicas precisaria considerar dados de fadiga na população geral.; OBJECTIVES: To describe fatigue and fatigue by efforts in people without chronic diseases and to verify the association between fatigue or fatigue by efforts with gender...

‣ Fadiga no doente com câncer colo-retal: fatores de risco e preditivos; Fatigue in colo-rectal cancer patients: risk and predictive factors

Mota, Dalete Delalibera Corrêa de Faria
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/01/2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.336782%
INTRODUÇÃO: Não existem estudos preditivos sobre fadiga em doentes com câncer colo-retal, embora fadiga seja descrita como freqüente na população oncológica. OBJETIVO: Identificar os fatores de risco e preditivos independentes de fadiga em doentes com câncer colo-retal. MÉTODO: Estudo preditivo que envolveu amostra não-probabilística de 157 pacientes adultos ambulatoriais com tumor primário de cólon ou reto (idade média 60±11,7 anos; 54% homens; média de anos de escolaridade 10,7±5,4 anos; estádio IV 44,8%), atendidos em quatro serviços de oncologia do município de São Paulo, Brasil (julho/2006 a julho/2007). Os pacientes preencheram a Ficha de Identificação, a Escala de Fadiga de Piper-Revisada (0-10; ponto de corte: >4; ?=0,94), o Inventário de Depressão de Beck (0-63; ponto de corte: >13; ?=0,83), a Escala de Karnofky (0%-100%; ponto de corte: <80), a Escala de Prejuízo do Sono (0-10; ponto de corte: >5) e a Escala de Dor (0-10; ponto de corte: >6). Os pontos de corte foram estabelecidos pela análise da curva ROC (Receiver Operating Characteristic), com exceção do ponto de corte de fadiga, que foi estabelecido após análise da distribuição dos escores em percentis e do critério proposto pela National Comprehensive Cancer Network. RESULTADOS: Fadiga foi referida por 26...

‣ Características da fadiga de pacientes com insuficiência cardíaca; Fatigue characteristics of heart failure patients

Fini, Andréa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/05/2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.347651%
INTRODUÇÃO: A fadiga é freqüente em pessoas com insuficiência cardíaca e limita a manutenção de um estilo de vida compatível com senso desejável de autonomia e independência. O controle das limitações funcionais é prioridade no cuidado à pessoa com insuficiência cardíaca, mas não há estudos sobre fadiga em amostras de pacientes brasileiros. OBJETIVO: Caracterizar a fadiga em pacientes com insuficiência cardíaca e comparar sua freqüência e intensidade com voluntários sem doença. MÉTODO: Estudo descritivo-exploratório, com 300 pacientes ambulatoriais. (masculino=68,3%, idade média de 54,8(±11,5) anos, escolaridade média de 6,0(±4,1) anos; Classe Funcional I= 44,7%) e 64 voluntários sem doença, acompanhantes de pacientes ambulatoriais (masculino=34,4%, idade média de 33,3(±10,7) anos, escolaridade média de 10,2(±3,2) anos). Foi aplicado instrumento com as escalas de fadiga (Dutch Fatigue Scale - DUFS) de fadiga ao esforço (Dutch Exertion Fatigue Scale - DEFS), o Inventário de Depressão de Beck (IDB), instrumento de avaliação da atividade física (International Physical Activity Questionnaire) e itens para avaliação da dispnéia, tabagismo e terapia medicamentosa. As escalas DUFS e DEFS foram adaptadas para o Brasil e mostraram propriedades psicométricas adequadas (consistência interna...

‣ Prevalência e fatores associados à fadiga em mulheres com câncer de mama; PREVALENCE AND FACTORS ASSOCIATED TO THE FATIGUE IN WOMEN WITH BREAST CANCER

Lamino, Daniela de Araujo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 08/02/2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.347651%
Introdução: Fadiga em mulheres com câncer de mama pode ser frequente, acentuada e levar a prejuízos na funcionalidade e sofrimento. No entanto, é pouco explorada na população brasileira. Objetivo: Estimar a prevalência de fadiga e analisar os fatores relacionados ao sintoma em mulheres com câncer de mama. Método: Estudo transversal com amostra não probabilística constituída por 163 mulheres com câncer de mama em acompanhamento ambulatorial (idade média de 51,7 anos, escolaridade média de 13,6 anos de estudo e, 23,4% apresentaram tumor em estádio IV). Os dados foram coletados na cidade de São Paulo, no período de julho de 2006 a abril de 2008, em três serviços de oncologia, sendo um público e dois privados. A fadiga, variável dependente do estudo, foi avaliada por meio da Escala de Fadiga de Piper Revisada (0-10). As variáveis independentes foram idade, escolaridade, situação marital, trabalho remunerado, renda familiar, estadiamento do câncer, tratamento atual para o câncer, níveis de hemoglobina, índice de massa corporal, depressão, capacidade funcional, presença e intensidade de dor e alteração do sono. Resultados: Fadiga foi definida como aquela com escore 4. A prevalência do sintoma foi de 31...

‣ Qualidade do sono e fadiga em mulheres com câncer de mama antes, durante e após o tratamento quimioterápico; Sleep quality and fatigue in women with breast cancer before, during and after chemotherapy

Silva, Pamina Roberta da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 22/08/2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.310452%
Estudo analítico, prospectivo, de abordagem quantitativa que teve como objetivo geral avaliar a relação entre as alterações do sono e a fadiga antes, durante e após o tratamento quimioterápico em mulheres com câncer de mama. Os objetivos específicos foram identificar possíveis alterações do sono e eventos de fadiga entre essas mulheres, assim como correlacionar as alterações do sono com episódios de fadiga. Para avaliar a qualidade do sono, foi aplicado o instrumento Pittsburgh Sleep Quality Index- PSQI e, para avaliar a fadiga, foi utilizada a escala do Functional Assessment of Cancer Therapy fatigue- FACIT-F versão 4. Foram realizadas três aplicações dos instrumentos; antes de iniciar a quimioterapia, no meio e após o último ciclo. A análise estatística dos dados foi realizada por meio do Software Statistical Package for the Social Sciences (SPSS) versão 16, utilizando-se o Teste Exato de Fisher para relacionar as variáveis sono e fadiga com as sociodemográficas, e o Teste de Sperman para correlacionar o sono com a fadiga. A amostra foi composta por 26 mulheres com diagnóstico de câncer de mama, com idade média de 48 anos; destas 65,4% delas possuíam companheiro; 57,7% referiram ter de 3 a 10 anos de estudo e 65...

‣ Fadiga na esclerose lateral amiotrófica: freqüência e fatores associados; Fatigue in amyotrophic lateral sclerosis: frequency and associated factors

Tognola, Clarissa Ramirez
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2004 Português
Relevância na Pesquisa
37.347651%
Esclerose lateral amiotrófica (ELA) é uma doença neurológica progressiva e fatal, caracterizada por perda dos neurônios motores, levando à fraqueza muscular global. As funções sensitivas e mentais são preservadas durante todo o curso da doença. A esclerose lateral amiotrófica tem uma prevalência de 6 por 100.000 pessoas e o início da doença é geralmente entre os 40 a 60 anos de idade. O prognóstico é reservado e em média os pacientes vivem de 3 a 5 anos após o diagnóstico médico. Com a progressão da doença outros sintomas surgem como fraqueza dos membros, comprometimento da fala, aumento da salivação, dificuldades de deglutição, dificuldades para deambular e fadiga muscular. As alterações dos músculos respiratórios levam à falência respiratória, que é a maior causa de óbito nos pacientes com esclerose lateral amiotrófica. Fadiga é definida como a queda da máxima contração isométrica voluntária e falta de tolerância do músculo sob esforço. A máxima contração isométrica voluntária depende de uma cadeia de eventos que se inicia no córtex motor - condutor excitatório dos neurônios motores superior e inferior, e se continua na transmissão pela junção neuromuscular, no acoplamento excitação-contração e na contração da fibra muscular que depende de um suprimento energético metabólico. A fadiga muscular ocorre em pacientes com esclerose lateral amiotrófica prejudicando a função e a qualidade de vida dos pacientes. O objetivo deste trabalho foi: 1) Quantificar a freqüência da fadiga na esclerose lateral amiotrófica; 2) Analisar a evolução da fadiga nos pacientes; 3) Correlacionar a presença da fadiga com fatores como a funcionalidade...

‣ Metodologia moderna para análise de fadiga baseada em elementos finitos de componentes sujeitos a fadiga uni e multiaxial.; Modern methodology for FE-Based Fatigue analysis of components under uni- and multiaxial fatigue.

Takahashi, Bruno Ximenes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/07/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.357324%
Grande parte dos componentes mecânicos e estruturas são solicitados por carregamentos que variam com o tempo e frequentemente falham por fadiga. Neste sentido, é indubitável que o modo de falha por fadiga seja considerado no projeto mecânico de componentes, equipamentos e estruturas sujeitas a carregamentos cíclicos. Os livros de projetos de máquinas ainda são os mais utilizados na indústria como referência teórica e prática ao dimensionamento contra a fadiga de produtos. Entretanto, muitos deles ainda não incluem as últimas descobertas e metodologias mais modernas para o cálculo de durabilidade de estruturas. Adicionalmente, de uma maneira geral, grande parte dos livros especializados em fadiga também não trazem informações detalhadas sobre a previsão de vida em fadiga sob a ótica do projeto mecânico, como a análise utilizando critérios de Fadiga Multiaxial e a análise de fadiga baseada em Elementos Finitos (FE-Based Fatigue Analysis). Baseado neste cenário, este trabalho tem o objetivo de propor um procedimento para avaliar a vida em fadiga de componentes e estruturas reunindo os métodos mais recentes utilizados nesta área. Dentre os vários assuntos incluídos no procedimento proposto, destacam-se: as importantes contribuições propostas pelo Conselho Alemão de Pesquisa em Engenharia (FKM-Guideline); a utilização de Análise por Elementos Finitos (FEA) na previsão de vida em fadiga; o cálculo do fator de tensão média utilizando pseudo tensões provenientes de FEA; a contabilização do efeito de entalhe em componentes com geometria complexa utilizando o Método do Gradiente de Tensão Relativo em conjunto com FEA...

‣ Comportamento de fadiga e perfis de tensões residuais de cerâmicas odontológicas; Fatigue behavior and residual stress profiles of dental ceramics

Fukushima, Karen Akemi
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/03/2015 Português
Relevância na Pesquisa
37.336782%
Capítulo 1. Objetivos: Medir e comparar o perfil de tensão residual da cerâmica de recobrimento aplicada sobre infraestruturas em zircônia tetragonal policristalina estabilizada por ítria (Y-TZP), em um compósito de alumina/zircônia (ZTA) e em uma alumina policristalina (AL). Material e Métodos: Os perfis de tensão residual de cada um dos materiais foi medido por meio do método "hole-drilling" em discos de 19 mm de diâmetro e 2,2 mm de espessura (0,7 mm de infraestrutura + 1,5 mm de porcelana de cobertura) .Resultados: Os espécimes de AL exibiram tensões de compressão que aumentaram numericamente com a profundidade, enquanto que as tensões compressivas mudaram para tensões de tração no interior das amostras de Y-TZP. As amostras de ZTA exibiram tensões de compressão na superfície, decrescendo com a profundidade até 0,6 mm, tornando-se compressivas novamente próximo à infraestrutura. Conclusão: O ZTA não apresentou tensões de tração em nenhum ponto ao longo da espessura da cerâmica de recobrimento. A AL apresentou um perfil de tensão residual mais favorável, gerado pelas tensões compressivas. A Y-TZP apresentou o perfil mais desfavorável, por apresentar tensões de tração próximo à infraestrutura. Capítulo 2. Objetivos: 1) Comparar os coeficientes de susceptibilidade ao crescimento subcrítico (n)...

‣ Avaliação da resistência à corrosão-fadiga do aço API 5L X60 em ambiente pressurizado contendo CO2

Corrêa, Marlon Brandi
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.347651%
Os risers rígidos, utilizados na indústria offshore para a exploração e transporte de óleo e gás, estão sujeitos a diversus fenômenos de degradação. A fadiga e a corrosãofadiga são uma das causas mais comuns de falhas em serviço destas tubulações. Estas falhas geralmente são encontradas nas regiões submetidas a processos de soldagem. Para uma operação que alie produtividade e segurança os fenômenos de fadiga e corrosão-fadiga devem ser estudados e entendidos a fim de evitá-los ou minimizá-los. Na indústria de exploração de óleo e gás, os ensaios de fadiga e corrosão-fadiga tornam-se necessários para a obtenção de dados que auxiliem no projeto das estruturas de produção. Aliado a isto, com a descoberta de novos campos de exploração de óleo e gás, novas condições operacionais são encontradas e carecem de dados. Deste modo, este trabalho tem o objetivo de determinar o comportamento frente aos fenômenos de fadiga e corrosão-fadiga do aço API 5L X60, para uma condição com elevada pressão de CO2, na presença de água com alta concentração de cloretos, inovando na aplicação de pressão elevada e abrindo caminho para a obtenção de resultados em altíssimas pressões, as quais frequentemente são encontradas em campo. Para a obtenção dos resultados esperados...

‣ Avaliação da resistência à corrosão-fadiga do aço API 5CT P1 10 em meio aquoso salino contendo H2S

Krauspenhar, Thiago Luz
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.3738%
Este trabalho tem por objetivo avaliar a resistência à corrosão-fadiga do aço API 5CT P110 em meio aquoso salino contendo CO2 e H2S e comparar com os resultados de fadiga ao ar, bem como avaliar a sua adequação ao uso nessas condições conforme normas vigentes e revisão da literatura. Esse aço é classificado como sendo do tipo ARBL (alta resistência, baixa liga) e é especificado principalmente para uso em colunas de revestimento (casing) e colunas de produção (tubing) para poços de petróleo e gás. As colunas de revestimento e de produção para poços de petróleo offshore necessitam operar sob altas pressões em profundidades cada vez mais elevadas, necessitando apresentar alta resistência e boa tenacidade para suportar as solicitações de tração, pressão interna, colapso e fadiga ao longo da sua vida útil. Adicionalmente, essas tubulações precisam resistir também à corrosão causada pela fase aquosa produzida juntamente com o petróleo e gás extraídos, os quais podem conter gases agressivos dissolvidos, tais como o CO2 e o H2S, além de espécies agressivas como os íons cloretos. As condições do meio agressivo do ensaio de corrosão-fadiga foram escolhidas para simular condições possíveis de serem encontradas em poços de petróleo e gás offshore. Para atingir estes objetivos foram realizados ensaios de fadiga ao ar e ensaios de corrosão-fadiga utilizando um controle de carga sob flexão a três pontos. Para os ensaios de fadiga ao ar...

‣ Efeito da fadiga no andar de pacientes com doença de Parkinson: relação com o nível de atividade física

Santos, Paulo Cezar Rocha dos
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 73 f. : il., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
37.336782%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Processo FAPESP: 11/05144-5; Pós-graduação em Ciências da Motricidade - IBRC; The symptom of fatigue and the muscle fatigue are both considered as problems that can attack patients with Parkinson disease (PD), which can have influence on gait. Physical activity counteracts the commitments of the PD and the effects of fatigue. However, the relationship between the level of physical activity and the fatigue in patients compared to individuals without PD is not very clear as well as the influence of induced fatigue on gait parameters in regular room and on the floor with overdrive obstacle PD patients. To fill these gaps 3 studies were proposed: Study 1 that aims to relate the symptom of fatigue with physical activity level in patients with PD and in individuals not affected by PD as to compare the perception of fatigue between these two groups. This study was composed by the participation of 80 individuals, in which 40 were patients with PD and 40 were patients without the disease (group control). Participants, within their groups, were divided into active (20) and inactive (20) according to the Baecke Questionnaire that was modified for the elderly. The Multidimensional Fatigue Inventory was used to verify the subjective perception of fatigue in both groups. Two-way ANOVA was used to compare groups according to the levels of physical activity and the Pearson correlation test that was performed to verify the relationship between physical activity level and subjective perception of fatigue for each group. There was only one difference which was between the fatigue of the participants with PD compared with controls without effect on physical activity level. Still...

‣ Fadiga em adultos acompanhantes de pacientes em tratamento ambulatorial

Mota,Natália Fialho; Cruz,Diná de Almeida Lopes Monteiro da; Fini,Andréa
Fonte: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo Publicador: Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 Português
Relevância na Pesquisa
37.357324%
OBJETIVOS: Descrever a fadiga e fadiga ao esforço em pessoas sem doenças crônicas e verificar associação entre fadiga ou fadiga ao esforço e sexo, idade, escolaridade, convivência marital, depressão, atividade física, tabagismo, Índice de Massa Corporal (IMC), dispnéia e depressão. MÉTODOS: Estudo descritivo abragendo 93 acompanhantes de pacientes ambulatoriais que informaram sobre tabagismo, fadiga, fadiga ao esforço, depressão, e atividade física. RESULTADOS: Dos 93 voluntários (65,6% mulheres, média de idade 33,4±10,1 anos), 52,7% tinham fadiga e 34,4% fadiga ao esforço. O escore médio de fadiga foi 16,3±6,6 (escala de 8 a 40) e de fadiga ao esforço 12,6±4,4 (escala de 9 a 45). A fadiga foi mais intensa (p=0,005) e mais freqüente (p=0,001) nas mulheres e correlacionou-se positivamente com depressão (r s=0,47; p=0,000). A fadiga ao esforço correlacionou-se positivamente com depressão (r s=0,39; p=0,000) e foi mais freqüente entre as mulheres (p=0,001). CONCLUSÃO: As características da fadiga em amostra de acompanhantes de pacientes são semelhantes às de pacientes com doenças crônicas. A interpretação de dados sobre fadiga em doenças crônicas precisaria considerar dados de fadiga na população geral.

‣ Correlação de fadiga com dor e incapacidade na artrite reumatoide e na osteoartrite, respectivamente

Novaes,Gilberto Santos; Perez,Mariana Ortega; Beraldo,Maria Beatriz Bray; Pinto,Camila Rodrigues Costa; Gianini,Reinaldo José
Fonte: Sociedade Brasileira de Reumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Reumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.336782%
OBJETIVO: Investigar a correlação de fadiga com dor em pacientes com artrite reumatoide e de fadiga com incapacidade em pacientes com osteoartrite. MÉTODOS: Foram avaliados 20 pacientes com artrite reumatoide e 20 com osteoartrite. Fadiga foi avaliada com escala visual analógica e questionário de avaliação multidimensional de fadiga. Utilizou-se a escala visual analógica para avaliar dor e para a avaliação global da doença pelo paciente. Incapacidade foi avaliada pelo questionário de avaliação de saúde. Idade, gênero, duração da doença, escolaridade, renda mensal, uso de drogas antirreumáticas e comorbidades foram obtidos. A análise estatística incluiu teste exato de Fisher, Shapiro-Wilk, Kruskal-Wallis e Spearman. O nível de significância foi de 0,05. RESULTADOS: A fadiga mostrou-se significativamente aumentada na osteoartrite em comparação à artrite reumatoide quando se utilizou o questionário de avaliação multidimensional de fadiga (P < 0,05). Dor correlacionou-se com fadiga ao se utilizar a escala visual analógica ou o questionário de avaliação multidimensional de fadiga em artrite reumatoide (r = 0,46; P < 0,05). O questionário de avaliação de saúde foi associado à fadiga por escala visual analógica em osteoartrite (r = 0...

‣ Fatores clínicos, funcionais e inflamatórios associados à fadiga muscular e à fadiga autopercebida em idosas da comunidade

Silva,Juscelio P.; Pereira,Daniele S.; Coelho,Fernada M.; Lustosa,Lygia P.; Dias,João M. D.; Pereira,Leani S. M.
Fonte: Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia Publicador: Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.324482%
CONTEXTUALIZAÇÃO: A fadiga é um sintoma comum e inespecífico associado aos problemas crônicos de saúde nos idosos. As alterações e adaptações do processo de envelhecimento associadas à natureza complexa e multidimensional da fadiga favorecem a interação de múltiplos fatores na gênese desse fenômeno. OBJETIVOS: Investigar a associação dos fatores clínicos, funcionais e inflamatórios com a fadiga muscular e a autopercebida em idosas. MÉTODOS: Participaram 135 idosas sedentárias da comunidade, com média de idade de 71,2±4,57. Questionário estruturado e teste funcional foram utilizados para avaliar as características clínicas e funcionais. As concentrações plasmáticas dos mediadores inflamatórios (IL-6 e sTNFR1) foram dosadas pelo método ELISA. A fadiga muscular foi mensurada pelo dinamômetro isocinético, e a fadiga autopercebida, pela Escala Visual Analógica (EVA). A análise estatística foi realizada pela regressão linear múltipla e pelo Coeficiente de Correlação de Spearman, com nível de significância de 5%. RESULTADOS: Os modelos de regressão demonstraram que os fatores idade, índice de massa corporal (IMC), nível de atividade física, capacidade funcional e pico de torque foram associados à fadiga muscular (R²=0...

‣ Fadiga e qualidade de vida em pacientes sobreviventes de câncer de mama após um ano do diagnóstico

Kluthcovsky, Ana Claudia Garabeli Cavalli
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.336782%
Resumo: Trata-se de estudo descritivo, comparativo e com abordagem quantitativa, que objetivou avaliar a fadiga e qualidade de vida em mulheres sobreviventes de câncer de mama livres da doença, após um ano ou mais do diagnóstico, atendidas no Sistema Único de Saúde. Foi constituída uma amostra não-probabilística, consecutiva, de 202 pacientes sobreviventes tratadas em dois grandes hospitais em Curitiba, Paraná, e comparadas com dois grupos controles (202 mulheres saudáveis e 202 mulheres sem história de câncer), pareadas por idade com as pacientes. A coleta de dados ocorreu de dezembro de 2008 a junho de 2010 e utilizou-se o WHOQOL-bref, o EORTC QLQ-C30 e a Escala de Fadiga de Piper-revisada, além de dados socioeconômicos, demográficos, clínicos e do tratamento. Os testes estatísticos utilizados foram qui-quadrado, regressão logística multivariada, modelo linear generalizado e o coeficiente de correlação de Spearman. A correção de Bonferroni também foi utilizada. Foi adotado o nível de significância de 5%. As sobreviventes tinham diagnóstico prévio de câncer de mama em estádios in-situ a III, não estavam em tratamento com exceção de hormonioterapia, tinham idade entre 31 e 85 anos (idade média=54...

‣ Versão brasileira do instrumento de avaliação da fadiga pós operatória - identity- consequences fatigue scale; Brazilian version of the assessment of postoperative fatigue: identity - consequences fatigue scale

Oliveira, Gabriela Ferreira de
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Enfermagem (FEN); Faculdade de Enfermagem - FEN (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Enfermagem (FEN); Faculdade de Enfermagem - FEN (RG)
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.324482%
Fatigue is a subjective phenomenon, characterized by a feeling of tiredness, being one of the most frequent symptoms in the postoperative period. Internationally, there is the scale Identity- Consequences Fatigue Scale (ICFS), multidimensional, specific to this population, composed of 29 items and five subscales. In Brazil, research on the consequences of the impact of fatigue on the lives of patients undergoing surgery are scarce. Moreover, their fatigue evaluation is difficult to perform, we suggest the analysis of this phenomenon by means of specific instruments and surgical population scales. Thus the cross-cultural adaptation and validation of specific assessment tools that phenomenon being, are necessary. PURPOSE. Perform cross-cultural adaptation to Brazilian Portuguese and validate the ICFS for fatigue assessment in surgical patients. METHODOLOGY. Methodological study of cross-cultural adaptation and validation of an assessment tool for postoperative fatigue, ICFS, linked to a scientific Project - multicenter technological "Fatigue in cancer patients: exploring the symptom in surgical patients and advancing in clinical patient care," approved by the Federal University of Goiás Research Ethics Committee and by the Association of Cancer Combat of Goiás Research Ethics Committee. The method is described in two stages: the first refers to the cross-cultural adaptation and the second for testing the psychometric properties. RESULTS. The ICFS was translated independently by two bilingual Brazilians...

‣ Efeitos da aplicação do laser de baixa intensidade (830nm) no desempenho muscular antes e após protocolo de fadiga induzida pelo exercício em atletas de futebol

Reis, Filipe Abdalla dos
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
37.347651%
Estudos recentes investigaram se o laser de baixa intensidade (LBI) pode otimizar o desempenho muscular durante o exercício físico. Trata-se de um estudo randomizado duplo-cego, placebo controlado que objetivou investigar a ação do LBI na performance muscular do quadríceps femoral antes e após o protocolo de fadiga induzida e avaliar níveis séricos de lactato e creatina quinase (CK). Uma amostra de 27 voluntários saudáveis, do sexo masculino, jogadores de futebol, distribuídos em três grupos: Placebo (n=9, idade média=26,7±11 anos, altura média=1,77±0,09 m e peso médio=76,2±9,9 kg); Laser Pré-Fadiga (n=9, idade média=19,6±1,4 anos, altura média=1,75±0,09 m e peso médio=67,0±7,6 kg) Laser Pós-Fadiga (n=9, idade média=21,7±8 anos, altura média=1,76±0,09 m e peso médio=71,9±8,4 kg). Realizaram-se duas sessões consistindo em alongamento seguido de coleta (lactato e CK) basal e após fadiga do quadríceps femoral na mesa extensora. Foram mensurados o tempo de fadiga, número repetições e carga máxima (RM) tolerada. Foram avaliados níveis séricos de lactato antes e após (5, 10 e 15 minutos) da fadiga e CK antes e após cinco minutos. Não houve nenhuma resposta significativa no número de repetições (p=0...

‣ Avaliação do impacto da fadiga nas atividades de vida diária em indivíduos com esclerose múltipla

Azevedo, Maria Teresa Quitério
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
37.310452%
Introdução: A Fadiga é dos sintomas mais frequentes em doentes com Esclerose Múltipla e que pode ter impacto nas suas atividades de vida diária. Objetivos: Caracterizar os indivíduos com esclerose múltipla do ponto de vista sociodemográfico, clínico e relativamente à fadiga; relacionar a fadiga com a independência funcional em indivíduos com esclerose múltipla. Metodologia: Trata-se de um estudo exploratório, descritivo e correlacional. A amostra é constituída por 276 indivíduos que responderam ao questionário que explorava a situação sociodemográfica e clínica, a fadiga (FSS, MFIS, Escala Analógica Visual) e a independência funcional (Índice de Barthel). Resultados: Dos 276 participantes, a maioria são mulheres (74,6%), casados (56,9%), idade média de 40,03 anos, com nível de educação elevado e profissionalmente ativos (55,1%); 64,9% tem esclerose múltipla há menos de 10 anos e 40% dos indivíduos refere ter tido surtos no último ano. As principais queixas referidas são fadiga (83,4%), desequilíbrio da marcha (50,2%), diminuição da atenção e concentração (50,2%) e dormência/parestesias (46,5%). Quando agrupados em categorias, os problemas motores, onde se enquadra a fadiga, prevalecem em 31...

‣ Prevalência e fatores associados à fadiga em idosos não institucionalizados

Lima Júnior, Antônio José de
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Enfermagem (FEN); Faculdade de Enfermagem - FEN (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Enfermagem (FEN); Faculdade de Enfermagem - FEN (RG)
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.310452%
Fatigue is a common complaint among elders and little is known about its prevalence and associated factors. Besides its significant impact on health conditions and functional incapacity that persist throughout the years, it results in negative impact on the development of activities of daily living, mood changes and increased risk of disability, impaired quality of life and mortality of elderly people. OBJECTIVE: To assess the prevalence and factors associated to fatigue in non-institutionalized elders. METHODOLOGY: This is a population-based cross-sectional study, conducted during the year of 2010. The sample consisted of 635 elders with age of 60 years or older, living in the urban area of Goiânia, Goiás (Brazil). Exclusion criteria were: obtaining a score lower than 20 in the Mini-Mental State Exame (MMSE) and any other reason that impeded the participants to answer the interview by themselves. The dependent variable was fatigue, characterized by two empirical factors: the verbalization of both "fatigue" and "reduced ability to perform usual activities." The independent variables were gender, age, education, marital status, paid work, household income, self-reported need of help in the tasks of everyday life, if the elder had someone to help...

‣ Propriedades de fadiga de parafusos de alta resistencia mecanica; Fatigue properties of hith strengh bolts

Andre Luiz Marcelo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/12/2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.324482%
Parafusos de alta resistência mecânica (classe ISO 10.9) fabricados com dois aços de origens diferentes são utilizados para investigar a influência da temperatura de revenido, da seqüência do processo de fabricação (laminação da rosca antes e após o tratamento térmico) e da quantidade de inclusões contidas no aço, no limite de fadiga e também qual o critério de falha por fadiga existente na literatura que melhor se aplica a parafusos de alta resistência mecânica com laminação da rosca antes do tratamento térmico. Parafusos M8 com rosca grossa foram divididos em sete grupos diferentes, três fabricados com aço nacional (AISI 4135) e tratados termicamente após laminação da rosca com temperaturas de revenido 490, 520 e 550 ºC, e quatro fabricados com aço japonês (SCM 435H), porém, desses quatro grupos, três foram idênticos aos fabricados com aço nacional e um último grupo teve a rosca laminada após tratamento térmico, com temperatura de revenido de 550 ºC. Nesses grupos foram realizadas análises metalográficas e de micro-inclusões, ensaios de tração, microdureza Vickers e fadiga e, por último, uma análise fratográfica dos parafusos que falharam durante o ensaio de fadiga, utilizando microscopia eletrônica de varredura. Os ensaios de fadiga foram realizados com pré-carga constante de 700 MPa...