Página 1 dos resultados de 4675 itens digitais encontrados em 0.013 segundos

‣ Hipertensão arterial na gravidez: qualidade de vida familiar e satisfação com a vida em Angola

Kapiñala, Esperança Cristina Sequesseque
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
68.492593%
A hipertensão arterial na gravidez está entre as causas mais frequentes de morte materna. Entre os tipos de hipertensão arterial presentes na gravidez, destacam-se, a pré-eclâmpsia e a hipertensão gestacional. Considerada como fator de risco, as características individuais, condições socioeconómicas desfavoráveis, bem como determinados antecedentes clínicos, podem desencadear danos materno-fetais. O presente estudo tem como objetivo geral estudar a qualidade de vida familiar e satisfação com a vida numa amostra de grávidas angolanas com e sem hipertensão arterial. A amostra deste estudo foi constituída por 100 mulheres grávidas, sendo que 50 com diagnostico de hipertensão arterial e 50 sem, residentes no município do Lubango, província da Huíla (Angola). O protocolo de avaliação envolveu um Questionário Sociodemográfico, um Questionário Complementar (recolha de dados acerca da grávida), o Qualidade de Vida (QOL) e a Escala de Satisfação com a Vida (SWLS). Os resultados obtidos apontam para diferenças estatisticamente significativas entre as duas amostras, revelando que as grávidas com hipertensão apresentam piores resultados ao nível da qualidade de vida familiar e satisfação com a vida. Acresce ainda...

‣ Implicações sistêmicas da hipertensão arterial em felinos domésticos

Flores, Gabriela de Araújo Narvaez
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
68.403267%
Considera-se hipertensão o incremento contínuo nos valores de pressão arterial sistêmica. A hipertensão arterial em felinos é uma doença prevalente na clínica de pequenos animais e traz consequências graves que afetam a qualidade e expectativa de vida. Sua importância vem sendo elucidada à medida que evoluímos em fazer seu diagnóstico e identificar suas consequências. O aumento significativo de pacientes geriatras nas últimas décadas também está associado a um aumento da prevalência dos casos clínicos associados à hipertensão, tendo em vista que os idosos tendem a ser mais acometidos. Diagnosticar e tratar a hipertensão arterial antes que ela traga injúrias irreparáveis ao organismo é um desafio na clínica de felinos e deve ser o principal objetivo do médico veterinário. Para isso, é fundamental o aprimoramento constante acerca dessa doença, boa compreensão técnica do funcionamento dos dispositivos utilizados para diagnóstico e habilidade no manejo dos animais. Os gatos permanentemente hipertensos desenvolvem lesões em órgãos-alvo, que são o cérebro, rins, coração e olhos. Tais alterações incluem infartos e hemorragias cerebrais, doença renal crônica, hipertrofia do ventrículo esquerdo e cegueira. O objetivo deste trabalho é fazer uma revisão bibliográfica acerca das principais alterações provocadas pela hipertensão em felinos domésticos...

‣ Hipertensão arterial sistémica em felídeos com doença renal crónica

Loução, Felisbela Alexandra da Cruz
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2008 Português
Relevância na Pesquisa
68.443203%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; A hipertensão arterial sistémica é a principal afecção cardiovascular da espécie felina. Consiste numa elevação persistente da pressão arterial sistémica e evidencia uma forte associação com a doença renal crónica. Nesta última ocorre retenção de sódio e água, com consequente aumento do volume de fluído extracelular e do débito cardíaco, produzindo elevação da pressão arterial sistémica. Também, a activação do sistema renina-angiotensina-aldosterona e outras alterações neuro-hormonais, comuns na doença renal crónica, são passíveis de induzir hipertensão arterial sistémica. Por sua vez, a hipertensão arterial sistémica promove a hipertensão e a hiperfiltração glomerulares, a proteinúria e a arteriosclerose, completando este ciclo vicioso através da auto-prepectuação da lesão renal. A prevalência significativa destas doenças, com particular destaque na população felina geriátrica, torna fundamental o diagnóstico precoce, a instituição de uma terapêutica específica e o controlo adequado das alterações secundárias, favorecendo assim, o prognóstico e melhorando a qualidade de vida dos animais afectados. No âmbito deste tema foi realizado um estudo...

‣ Hipertensão arterial: a dimensão socioeconómica

Ventura, Susana Patrícia de António Valente Mira
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 Português
Relevância na Pesquisa
68.50721%
Mestrado em Gestão de Serviços de Saúde; Este trabalho visa a descrição dos principais custos directos e indirectos associados à Hipertensão Arterial e à identificação das variáveis socioeconómicas que contribuem para a evolução da mesma e para a Qualidade de Vida dos indivíduos hipertensos. Foi recolhida informação referente aos custos da Hipertensão Arterial através de uma revisão da literatura internacional. O segundo objectivo foi atingindo através da realização de um questionário, de auto preenchimento pelos indivíduos, realizado em seis Farmácias Comunitárias. As partes I e II permitiram a recolha de informação demográfica e socioeconómica, enquanto a parte III avaliou a qualidade de vida. Os dados foram tratados através do software SPSS v.17.0. A variável identificada como preponderante para a evolução da Hipertensão Arterial foi a escolaridade. Os indivíduos analfabetos apresentaram um risco de descompensação três vezes superior quando comparados com indivíduos com mais de nove anos de escolaridade. A prática de exercício físico e os hábitos alimentares foram as outras duas variáveis com significado para a progressão da Hipertensão Arterial. A qualidade de vida dos indivíduos hipertensos também é determinada pela escolaridade dos mesmos...

‣ Hipertensão arterial em adolescentes escolarizados da área de intervenção do Centro de Saúde de Queluz

Mexia, Ricardo
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública. Universidade Nova de Lisboa Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública. Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 Português
Relevância na Pesquisa
68.47493%
RESUMO - A hipertensão arterial é uma das maiores causas de mortalidade e morbilidade mundial, sendo responsável por cerca de 7,1 milhões de mortes anualmente. A tensão arterial elevada no início da vida está associado a hipertensão na idade adulta, sendo a adolescência uma altura fundamental para modificar estilos de vida e comportamentos que possam diminuir a prevalência de hipertensão. Os dados existentes sobre a hipertensão arterial na adolescência em Portugal não são consistentes, mas parecem apontar para um aumento da prevalência. Entre Janeiro e Março de 2007 foi realizado um estudo descritivo e transversal, para determinar a prevalência de hipertensão dos alunos do 7º Ano das Escolas da área de intervenção do Centro de Saúde de Queluz. Foram avaliados sexo, idade, tensão arterial, perfil estato-ponderal, antecedentes familiares de hipertensão arterial e prática de exercício físico de 902 alunos. O estudo determinou uma taxa de prevalência de hipertensão arterial global de 25,3%, mais prevalente no sexo feminino (30,3%) do que no masculino (19,6%). Nos indivíduos com IMC superior a 25 kg/m2, foi encontrada uma prevalência de 50% de hipertensão sendo de apenas 21,2% nos com um perfil estato-poderal mais baixo. O Odds Ratio ajustado para raça...

‣ Hipertensão arterial na infância

Salgado,Cláudia Maria; Carvalhaes,João Thomaz de Abreu
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2003 Português
Relevância na Pesquisa
68.440635%
OBJETIVOS: realizar uma revisão crítica da literatura atual, enfocando aspectos práticos e relevantes para o diagnóstico e tratamento ambulatorial da criança com hipertensão arterial. FONTE DE DADOS: artigos clássicos e revisão sistemática da literatura atual através de busca eletrônica nos bancos de dados Medline e Lilacs, nos últimos 10 anos, utilizando-se as palavras-chave hipertensão arterial, recém-nascido, lactente, pré-escolar, criança e adolescente, selecionando-se aqueles que trouxeram informações relevantes. SÍNTESE DOS DADOS: a hipertensão arterial e a obesidade são um problema de saúde pública em todo o mundo. A hipertensão arterial essencial do adulto inicia-se na infância, e, além disso, pode ser secundária a várias doenças. O pediatra tem por obrigação medir adequadamente a pressão arterial de seus pacientes. Quando descoberta, a hipertensão arterial deve ser investigada para ser adequadamente tratada. A investigação depende da idade e do grau de elevação da pressão arterial, devendo preocupar-se não somente com a causa da hipertensão, mas também com os seus efeitos em órgãos alvo. CONCLUSÕES: o reconhecimento precoce da pressão arterial anormal e a intervenção (investigação e tratamento) adequada são necessários para diminuir a morbidade/mortalidade cardiovascular e renal futura.

‣ Validade da hipertensão arterial auto-referida e seus determinantes (projeto Bambuí)

Lima-Costa,Maria Fernanda; Peixoto,Sérgio Viana; Firmo,Josélia Oliveira Araújo
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2004 Português
Relevância na Pesquisa
68.38355%
OBJETIVO: Determinar a validade da hipertensão auto-referida e seus determinantes em adultos residentes na comunidade. MÉTODOS: Foi selecionada uma amostra aleatória simples de moradores da cidade de Bambuí, Estado de Minas Gerais, com 18 anos de idade ou mais. Três medidas de pressão arterial foram realizadas em 970 indivíduos, que correspondiam a 89,3% dos selecionados. A sensibilidade, especificidade e os valores preditivos positivo e negativo da hipertensão auto-referida foram calculados em relação à hipertensão (média da pressão arterial >90 ou >140 mmHg e/ou uso atual de medicamentos para hipertensão). RESULTADOS: A sensibilidade e a especificidade da hipertensão auto-referida foram 72,1% (IC 95%: 69,3-75,0) e 86,4% (IC 95%: 84,3-88,6), respectivamente. Sua prevalência foi 27,2% (IC 95%: 24,4-30,1), sendo razoavelmente semelhante à da hipertensão (23,3%; IC 95%: 20,7-26,1%). A validade da hipertensão auto-referida foi maior entre mulheres, entre aqueles com idade igual a 40-59 e >60 anos, entre os que haviam visitado médicos mais recentemente (<2 anos) e entre os que apresentavam maior índice de massa corporal (>25 kg/m²). CONCLUSÕES: Os resultados mostram que a hipertensão auto-referida é um indicador apropriado da prevalência da hipertensão arterial...

‣ Importância relativa do Índice de Massa Corporal e da circunferência abdominal na predição da hipertensão arterial

Sarno,Flávio; Monteiro,Carlos Augusto
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2007 Português
Relevância na Pesquisa
68.39253%
OBJETIVO: Avaliar a importância relativa do Índice de Massa Corporal (IMC) e da circunferência abdominal na determinação da hipertensão arterial em adultos. MÉTODOS: Estudo transversal com amostra de funcionários (N=1.584), entre 18 e 64 anos de idade, de hospital geral privado do município de São Paulo. A coleta de dados envolveu questionário estruturado, medida da pressão arterial, peso, altura e circunferência abdominal. A hipertensão foi diagnosticada com pressão arterial > 140/90 mmHg ou uso de medicação anti-hipertensiva. A importância relativa do IMC e da circunferência abdominal foi calculada pela fração atribuível de hipertensão correspondente a cada indicador antropométrico, empregando-se níveis de cortes usuais e baseados na distribuição observada na população estudada. Adicionalmente, foi desenvolvido um indicador que combinou simultaneamente valores de IMC e circunferência abdominal. RESULTADOS: A prevalência de hipertensão foi de 18,9% (26,9% em homens e 12,5% em mulheres). Em homens, a fração de hipertensão atribuível ao IMC superou aquela atribuível à circunferência abdominal segundo níveis de corte usuais (56% x 48%, respectivamente) e quartis da distribuição observada (73% x 69%...

‣ O enfermeiro e a avaliação do usuário sobre o atendimento do programa de hipertensão arterial e diabetes mellitus

Silva, Juliana Veiga Mottin da
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Tese e Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
68.40148%
Resumo: Trata-se de uma pesquisa avaliativa com abordagem qualitativa realizada em duas Unidades de Saúde com Estratégia de Saúde da Família, de um município da região metropolitana de Curitiba - Paraná, no período de setembro a março de 2012, uma de grande porte e outra de pequeno porte. Os participantes foram 30 adultos portadores de Hipertensão Arterial Sistêmica e/ou Diabetes mellitus, sendo 20 da unidade de maior porte e 10 da unidade de menor porte, cadastrados no Programa de Hipertensão Arterial e Diabetes mellitus. Os critérios de inclusão foram: ter idade entre 18 e 59 anos e estar com cadastro ativo; foram excluídos os usuários que não frequentavam a unidade por mais de 6 meses. Os objetivos foram avaliar o Programa proposto pelo Plano de Reorganização da Atenção à Hipertensão arterial e ao Diabetes mellitus na visão de seus usuários e descrever aspectos da trajetória dos usuários participantes do programa correlacionando com sua avaliação. Os dados foram coletados por meio de entrevista semiestruturada gravada em formato digital. A análise dos depoimentos ocorreu após a transcrição das entrevistas. As categorias oriundas desta análise foram: "A descoberta da doença", "Motivos da busca pelo programa"...

‣ Hipertensão arterial em receptores de transplante renal na infância: prevalência e fatores de risco

Antonello, Jerônimo Sperb
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
68.42298%
Hipertensão Arterial Sistêmica é fator de risco para morbidade e mortalidade cardiovascular, afetando 1 bilhão de indivíduos no mundo inteiro. Em crianças transplantadas de rim a prevalência aumenta significativamente sendo essencial conhecer as associações dos diferentes fatores de risco e hipertensão arterial. Este estudo consistiu de uma coorte retrospectiva e foram analisados prontuários de 171 pacientes transplantados de rim, entre 1981 e 2008. Após excluídos 21 pacientes pelos critérios estabelecidos, foram registradas variáveis demográficas e relacionadas ao transplante de cada paciente e relacionadas com a presença ou não de hipertensão arterial. Foram registrados para análise os dados dos meses 1, 2, 3, 6, 12 e 24 após o transplante. No início do estudo, 90 pacientes eram hipertensos (60%). A média de idade foi 9,91 + 4,29 anos. A prevalência de hipertensão arterial durante os 24 meses diminuiu progressivamente. Há uma associação positiva (risco) entre doença glomerular e negativa (proteção) entre doença urológica como etiologia da Insuficiência renal crônica prévia ao enxerto e hipertensão arterial em todos os meses avaliados. Houve associação positiva e isolada entre tratamento dialítico ou hipertrofia do ventrículo esquerdo prévios ao transplante e hipertensão arterial nos meses 1º...

‣ Estresse e hipertensão arterial de trabalhadores de enfermagem em um hospital de pronto socorro

Urbanetto, Janete de Souza
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
68.387495%
INTRODUÇÃO: O estresse tem sido estudado na busca de associações com o adoecimento dos trabalhadores em geral. Dentre os referenciais adotados para a avaliação do estresse laboral, o Modelo Demanda-Controle, tem sido utilizado na avaliação do estresse e as repercussões para a saúde. Este modelo relaciona duas dimensões psicossociais ao risco de adoecimento, a demanda psicológica e o controle sobre o trabalho. A versão resumida, denominada Job Stress Scale (JSS), está validada para uso no Brasil. As dimensões demanda e controle, dicotomizadas em baixa e alta, formam os quadrantes do Modelo Demanda-Controle: alto desgaste (alta demanda e baixo controle); trabalho ativo (alta demanda e alto controle); trabalho passivo (baixa demanda e baixo controle) e, baixo desgaste (baixa demanda e alto controle). Os trabalhadores nos quadrantes alto desgaste e trabalho passivo teriam maiores chances de adoecimento, enquanto no quadrante baixo desgaste teriam melhores condições de preservação de sua saúde. A Hipertensão Arterial Sistêmica é considerada um dos principais fatores de risco modificáveis e um dos mais importantes problemas de saúde.OBJETIVO: Investigar os quadrantes demanda-controle da Job Stress Scale e sua associação com a pressão arterial em trabalhadores de enfermagem de um hospital de pronto socorro.MÉTODO: estudo do tipo transversal...

‣ Hipertensão arterial e fatores de risco em servidores atendidos pelo departamento de assistência da Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Freire, Lucia de Fatima
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; Assistência à Saúde Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; Assistência à Saúde
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
68.512183%
Systemic arterial hypertension is a multifactorial disease that contributes to the country´s high cardiovascular morbi-mortality rates. Considering that hypertension affects individuals in their most productive age while facing work and living risk factors, it is important to investigate its occurrence and predisposing factors in different occupational segments. The objective of this study was to identify the prevalence of hypertension among workers attended to in a medical service of a public university, their hypertension levels, the risk factors present, and their knowledge of the factors that influence the arterial pressure. The epidemiologic study was conducted in the Health Department of the Federal University of Rio Grande do Norte with 102 workers that sought care in the medical clinic during the months of March to May 2009. Data were collected by means of a questionnaire and measurements of systolic and diastolic arterial pressure (SAP and DAP) that were classified in stages according to the Brazilian Society of Hypertension and the degree of risk for cardiovascular events according to the criteria of the Brazilian Society for Cardiology. Data were analyzed using descriptive statistics. The workers were, on average, 54 years of age; the majority (67%) was male and had primary or middle educational level; they worked mainly in supplemental units and deanship offices conducting different functions such as security guards...

‣ Prevalência e incidência de hipertensão arterial na população portuguesa: âmbito da actividade de investigação e evolução das tendências

Sousa-Uva, Mafalda; Victorino, Paulo; Roquette, Rita; Machado, Ausenda; Dias, Carlos Matias
Fonte: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP Publicador: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP
Tipo: Relatório
Publicado em 01/01/2014 Português
Relevância na Pesquisa
68.387495%
A hipertensão arterial (HTA) tem vindo a ser descrita como o fator de risco mais relevante para as doenças cardiovasculares e cerebrovasculares, nomeadamente o Enfarte agudo do Miocárdio e o Acidente Vascular Cerebral, as quais se encontram entre as mais importantes causas de morbilidade e mortalidade em todo o mundo.Durante os últimos 30 anos, Portugal tem sido descrito como um dos países com os mais elevados níveis de tensão arterial média 8 e em 2008, estima-se que as doenças cardiovasculares fossem responsáveis por cerca de um terço de todas as mortes . Nesse mesmo ano, em Portugal, a prevalência de hipertensão arterial ou de uso de medicamentos anti-hipertensores em adultos com idades superiores ou iguais a 25 anos foi estimado em aproximadamente 41,9% (46,5% nos homens e 37,4% nas mulheres) . Entre 1980 e 2008 verificou-se um decréscimo da tensão arterial sistólica, mais acentuado nas mulheres do que nos homens.Com vista a melhorar o conhecimento sobre a epidemiologia da doença de hipertensão arterial em Portugal, assim como da atividade de investigação realizada nesse domínio, foram estabelecidos os seguintes objetivos: I. Realização de uma revisão de âmbito para descrição do âmbito da atividade de investigação (natureza...

‣ Fatores para não-adesão ao programa de controle da hipertensão arterial em Campo Grande, MS : um estudo de caso e controle

Oshiro, Maria de Lourdes
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
Português
Relevância na Pesquisa
68.587227%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2007.; A hipertensão arterial, devido a sua alta prevalência na população brasileira, constitui um problema de saúde pública de grande relevância, por reduzir a expectativa de vida e conduzir a diversas complicações cardíacas e renais, além de gerar elevado custo social. A adesão ao tratamento em patologias crônicas e assintomáticas, como a hipertensão arterial, é fundamental para o controle e a diminuição da morbimortalidade. A maioria dos estudos considera como aderentes ao tratamento farmacológico os pacientes que tomam 80% dos medicamentos prescritos. No entanto, estima-se que o grau de adesão mundial nos tratamentos crônicos seja de 50% a 75%. O objetivo deste trabalho foi identificar os fatores que levam ao abandono do programa de controle de hipertensão arterial em Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Campo Grande, MS. Utilizou-se o método de caso–controle, aninhado a coorte de pacientes cadastrados em programa de tratamento da hipertensão arterial de janeiro de 2002 a dezembro de 2005. As informações foram obtidas por meio de entrevista semi- estruturada. Primeiramente foi realizada uma análise descritiva das variáveis aleatórias estudadas e...

‣ Hipertensão arterial e perfil antropométrico das mulheres da Região Centro do País

Ferreira, Paulo Alexandre Carvalho
Fonte: Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem / Health Sciences Research Unit: Nursing Escola Superior de Enfermagem de Coimbra / Nursing School of Coimbra. Publicador: Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem / Health Sciences Research Unit: Nursing Escola Superior de Enfermagem de Coimbra / Nursing School of Coimbra.
Tipo: Outros
Publicado em 15/05/2015 Português
Relevância na Pesquisa
68.638794%
Introdução: As doenças cardiovasculares são a principal causa de mortalidade em Portugal e na maioria dos países desenvolvidos, sendo que a mulher tem vindo a aumentar a sua incidência e prevalência. Um dos seus principais fatores de risco é a hipertensão arterial, considerado um problema invisível e silencioso, que raramente causa sintomas. A prevenção é considerada a melhor estratégia na redução da sua incidência. A avaliação e conhecimento do risco de hipertensão arterial é condição sine que non para o seu diagnóstico e tratamento precoce. Objetivos: Objetivo geral: conhecimento do risco a curto prazo de hipertensão arterial das mulheres da Região Centro no meio rural e urbano. Objetivos específicos: descrever o risco de hipertensão arterial nas mulheres da região centro para 1 ano, 2 anos e 4 anos; descrever os hábitos alimentares, composição corporal, perfil antropométrico e somatotipo das mulheres da região centro; analisar o conhecimento das mulheres da região centro sobre hipertensão arterial. Metodologia: Realizou-se estudo quantitativo, exploratório e descritivo. A população em estudo corresponde às mulheres residentes na região centro, no grupo etário dos 20 aos 69 anos de idade. O método de amostragem é não probabilística acidental-406 mulheres (tendo em conta as orientações do cálculo da OpenEpi...

‣ Validade da hipertensão arterial auto-referida e seus determinantes (projeto Bambuí); Validity of self-reported hypertension and its determinants (the Bambuí study)

Lima-Costa, Maria Fernanda; Peixoto, Sérgio Viana; Firmo, Josélia Oliveira Araújo
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/10/2004 Português
Relevância na Pesquisa
68.38355%
OBJETIVO: Determinar a validade da hipertensão auto-referida e seus determinantes em adultos residentes na comunidade. MÉTODOS: Foi selecionada uma amostra aleatória simples de moradores da cidade de Bambuí, Estado de Minas Gerais, com 18 anos de idade ou mais. Três medidas de pressão arterial foram realizadas em 970 indivíduos, que correspondiam a 89,3% dos selecionados. A sensibilidade, especificidade e os valores preditivos positivo e negativo da hipertensão auto-referida foram calculados em relação à hipertensão (média da pressão arterial >;90 ou >;140 mmHg e/ou uso atual de medicamentos para hipertensão). RESULTADOS: A sensibilidade e a especificidade da hipertensão auto-referida foram 72,1% (IC 95%: 69,3-75,0) e 86,4% (IC 95%: 84,3-88,6), respectivamente. Sua prevalência foi 27,2% (IC 95%: 24,4-30,1), sendo razoavelmente semelhante à da hipertensão (23,3%; IC 95%: 20,7-26,1%). A validade da hipertensão auto-referida foi maior entre mulheres, entre aqueles com idade igual a 40-59 e >;60 anos, entre os que haviam visitado médicos mais recentemente (;25 kg/m²). CONCLUSÕES: Os resultados mostram que a hipertensão auto-referida é um indicador apropriado da prevalência da hipertensão arterial, mesmo em uma população residente fora de grandes centros urbanos...

‣ Importância relativa do Índice de Massa Corporal e da circunferência abdominal na predição da hipertensão arterial; Relative importance of body mass index and waist circumference for hypertension in adults

Sarno, Flávio; Monteiro, Carlos Augusto
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/10/2007 Português
Relevância na Pesquisa
68.426694%
OBJETIVO: Avaliar a importância relativa do Índice de Massa Corporal (IMC) e da circunferência abdominal na determinação da hipertensão arterial em adultos. MÉTODOS: Estudo transversal com amostra de funcionários (N=1.584), entre 18 e 64 anos de idade, de hospital geral privado do município de São Paulo. A coleta de dados envolveu questionário estruturado, medida da pressão arterial, peso, altura e circunferência abdominal. A hipertensão foi diagnosticada com pressão arterial >; 140/90 mmHg ou uso de medicação anti-hipertensiva. A importância relativa do IMC e da circunferência abdominal foi calculada pela fração atribuível de hipertensão correspondente a cada indicador antropométrico, empregando-se níveis de cortes usuais e baseados na distribuição observada na população estudada. Adicionalmente, foi desenvolvido um indicador que combinou simultaneamente valores de IMC e circunferência abdominal. RESULTADOS: A prevalência de hipertensão foi de 18,9% (26,9% em homens e 12,5% em mulheres). Em homens, a fração de hipertensão atribuível ao IMC superou aquela atribuível à circunferência abdominal segundo níveis de corte usuais (56% x 48%, respectivamente) e quartis da distribuição observada (73% x 69%...

‣ Prevalência de hipertensão arterial e sua associação com sobrepeso e obesidade: estudo de base escolar; Hypertension and its association with overweight and obesity among adolescents: a school-based survey

Martins, Rafael Vieira; Universidade Federal do Paraná. Programa de Pós-Graduação em Educação Física. Grupo de Pesquisa em Exercício e Esporte. Centro de Pesquisa em Exercício e Esporte. Curitiba, PR. Brasil.; Campos, Wagner de; Universidade Fede
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; "Avaliado por Pares",; Descriptive; Avaliado por Pares; Descritiva Formato: application/pdf
Publicado em 29/06/2013 Português
Relevância na Pesquisa
68.403267%
DOI: http://dx.doi.org/10.5007/1980-0037.2013v15n5p551O estudo objetivou investigar a associação do sobrepeso e obesidade com ahipertensão arterial em adolescentes da rede pública de ensino da cidade de Curitiba--PR. A amostra foi constituída por 1.549 adolescentes, de idades de 12 a 18 anos (744 do sexo masculino), selecionados de forma aleatória. O índice de massa corporal (IMC) foicalculado e classificado conforme Conde e Monteiro (2006). A pressão arterial foi aferidapelo método auscultatório em duas ocasiões e classificada conforme o quarto relatório do National High Blood Pressure Education Program (NHBPEP). A razão de prevalência foi usada como medida de associação. O sobrepeso e a obesidade estiveram presentes em 23% e 5,8% dos meninos, respectivamente. Entre meninas, 18,8% estavam com sobrepeso e 5,6% eram obesas. Após duas avaliações, 7% dos meninos apresentavam pré-hipertensão e 10,5% tinham hipertensão. A pré-hipertensão e hipertensão foram encontradas em 5,2% e 9,9% das meninas, respectivamente. Somente a obesidade esteve significativamente associada à pressão arterial elevada entre os meninos (RP = 1,19, IC 95% = 1,07-1,32). Meninas com sobrepeso (RP = 1,11, IC 95% = 1,04-1,17) e obesidade (RP = 1...

‣ Hipertensão arterial em adolescentes do Rio de Janeiro: prevalência e associação com atividade física e obesidade

Corrêa-Neto,Victor Gonçalves; Sperandei,Sandro; Silva,Luis Aureliano Imbiriba; Maranhão-Neto,Geraldo de Albuquerque; Palma,Alexandre
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 Português
Relevância na Pesquisa
68.42298%
O objetivo do estudo foi identificar a prevalência de hipertensão arterial sistêmica em adolescentes estudantes do 3º ano do ensino médio de escolas públicas estaduais dentro do município do rio de Janeiro com idade entre 17 e 19 anos, bem como investigar as associações de hipertensão arterial sistêmica com obesidade e níveis de atividade física. Dados de pressão arterial, índice de massa corporal e atividade física, foram coletados. A amostra foi composta por 854 indivíduos, a estatística descritiva foi aplicada na amostra, bem como um modelo de regressão de Poisson para determinar o impacto das variáveis na prevalência de hipertensão arterial sistêmica. A prevalência de hipertensão arterial sistêmica foi de 19,4%. Sexo masculino, sobrepeso e obesidade se associaram positiva e significativamente com hipertensão arterial sistêmica (p < 0,05), já atividade física não mostrou associação significativa com hipertensão arterial sistêmica (p > 0,05). A natureza dessas relações deveria ser interpretada a luz da reflexão e não de rotulações passivas embasadas em conceitos hegemônicos.

‣ Importância relativa do Índice de Massa Corporal e da circunferência abdominal na predição da hipertensão arterial

Sarno,Flávio; Monteiro,Carlos Augusto
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2007 Português
Relevância na Pesquisa
68.39253%
OBJETIVO: Avaliar a importância relativa do Índice de Massa Corporal (IMC) e da circunferência abdominal na determinação da hipertensão arterial em adultos. MÉTODOS: Estudo transversal com amostra de funcionários (N=1.584), entre 18 e 64 anos de idade, de hospital geral privado do município de São Paulo. A coleta de dados envolveu questionário estruturado, medida da pressão arterial, peso, altura e circunferência abdominal. A hipertensão foi diagnosticada com pressão arterial > 140/90 mmHg ou uso de medicação anti-hipertensiva. A importância relativa do IMC e da circunferência abdominal foi calculada pela fração atribuível de hipertensão correspondente a cada indicador antropométrico, empregando-se níveis de cortes usuais e baseados na distribuição observada na população estudada. Adicionalmente, foi desenvolvido um indicador que combinou simultaneamente valores de IMC e circunferência abdominal. RESULTADOS: A prevalência de hipertensão foi de 18,9% (26,9% em homens e 12,5% em mulheres). Em homens, a fração de hipertensão atribuível ao IMC superou aquela atribuível à circunferência abdominal segundo níveis de corte usuais (56% x 48%, respectivamente) e quartis da distribuição observada (73% x 69%...