Página 1 dos resultados de 206 itens digitais encontrados em 0.007 segundos

‣ Algumas considerações sobre a desaceleração do PIB em 2011; Comunicados do Ipea 130 : Algumas considerações sobre a desaceleração do PIB em 2011

Silva, Napoleão Luiz Costa da; Carvalho, Leonardo Mello de; Petrelli, Vanessa; Amitrano, Claudio; Acioly, Luciana; Calixtre, André
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Comunicados do Ipea
Português
Relevância na Pesquisa
73.612925%
O Produto Interno Bruto brasileiro cresceu 7,5% em 2010. Em 2011, a taxa de crescimento do PIB deve se situar em um patamar bastante inferior. O objetivo deste Comunicado é discutir os principais fatores responsáveis pela desaceleração do crescimento econômico brasileiro no ano passado. Esta analise da desaceleração recente do PIB entende como fatores deste fenômeno: a taxa de câmbio que continuou a se apreciar em 2011, aperto monetário iniciado no final de 2010; as características da política fiscal em 2011 em relação a 2010; o acúmulo de estoques em 2011; e a crise econômica na Europa.; 15 p. : il.

‣ Heterogeneidade estrutural: uma retomada conceitual

Gusso, Divonzir Arthur; Nogueira, Mauro Oddo; Vasconcelos, Lucas Ferraz
Fonte: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Radar - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
92.09132%
O autor pretende questionar as diferentes abordagens desenvolvidas por autores estruturalistas em relação à HE, em seu nível conceitual e nas dificuldades analíticas associadas, têm sido objeto de numerosas avaliações. Não cabendo aqui reproduzir as discussões havidas, mas elas apontam alguns cuidados a serem tomados no encaminhamento deste projeto e alguns obstáculos cuja superação poderá permitir a abertura de novos caminhos para a análise dos óbices ao desenvolvimento que podem ser atribuídos à persistência das heterogeneidades estruturais. Neste sentido, o primeiro questionamento que se interpõe é: em que grau a manifestação de dessemelhanças na estrutura produtiva pode ser entendida como propriedade intrínseca e perniciosa desta estrutura, caracterizando-se como entrave para um aumento do dinamismo da economia nacional como um todo?; p. 10-13

‣ Heterogeneidade no setor agropecuário: contraste tecnológico

Vieira Filho, José Eustáquio Ribeiro; Santos, Gesmar Rosa dos
Fonte: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Radar - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
102.28281%
O objetivo deste estudo é iniciar o mapeamento dos estabelecimentos agropecuários por grupos tecnológicos, constituídos segundo critérios econômicos e qualitativos de tecnologia. O problema colocado é o de saber quais características da heterogeneidade são determinantes para promover o crescimento agrícola de forma mais vigorosa com maior incorporação tecnológica e quais distorções estruturais impedem o desenvolvimento mais amplo, com a inclusão dos agricultores marginalizados. Argumenta-se que, em face da diferenciação regional, do porte dos empreendimentos e dos diversos níveis de incremento tecnológico, as políticas públicas devem ser orientadas tendo em vista a redução das diferenças prejudiciais à difusão dos novos conhecimentos e ao aumento da produtividade dos agentes.; p. 15-20 : il.

‣ Taxa de câmbio real e heterogeneidade estrutural na indústria de transformação brasileira: uma avaliação preliminar

Amitrano, Cláudio Roberto; Squeff, Gabriel Coelho; Pires, Murilo José de Souza; Araújo, Victor Leonardo de
Fonte: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Radar - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
92.0798%
A taxa de câmbio é um dos preços mais estratégicos de qualquer economia. Seu nível, variação e volatilidade são aspectos sempre levados em consideração nas decisões de consumo e investimento, o que implica que a taxa de câmbio afeta a taxa de poupança e, sobretudo, a estabilidade macroeconômica de um país. Assim, o comportamento da taxa de câmbio sempre foi alvo de preocupação de pesquisadores e dos governos. Sendo assim, o objetivo deste estudo é lançar luz sobre essas questões tecendo alguns comentários a respeito das possíveis relações existentes entre o comportamento da taxa de câmbio real e a indústria, tanto no que concerne à composição nas Contas Nacionais quanto no que se relaciona com as exportações de manufaturados. Esta delimitação de escopo é pertinente na medida em que ganhou notoriedade nos últimos anos a discussão a respeito da hipótese de desindustrialização e doença holandesa no Brasil.; p. 39-45 : il.

‣ A Rússia e a crise econômica internacional

Pomeranz, Lenina
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Boletim de Economia e Política Internacional - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
63.698667%
Neste artigo desenvolve-se a tese de que a postura da Rússia frente à crise econômica internacional é singular, por vários aspectos: existe um nexo entre as políticas de curto e médio prazo, relacionadas com o impacto dessa crise sobre a economia russa, e as políticas de longo prazo, relacionadas ao projeto de diversificação da estrutura da economia do país herdada do período soviético; esta relação é reforçada pelo ingresso da Rússia na Organização Mundial de Comércio (OMC), que dita a necessidade de o país ajustar-se às condições da concorrência internacional, modernizando e diversificando seu parque produtivo, como forma de capacitar-se para o enfrentamento permanente de crises recorrentes; e o seu quadro político, no qual a contestação da legitimidade do poder recentemente eleito deriva em críticas à política de enfrentamento da crise; p. 21-31

‣ PNAD 2008 : primeiras análises - o setor rural; Comunicados do Ipea 42 : PNAD 2008 : primeiras análises - o setor rural

Brasil. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Comunicados do Ipea
Português
Relevância na Pesquisa
72.75159%
Este Comunicado apresenta algumas características dos domicílios rurais, das formas de ocupação e das fontes de renda de seus moradores. Iniciando pela descrição dos dados gerais sobre a população rural – sua proporção relativamente à população total e sua distribuição pelas regiões do País –, o texto procura oferecer um quadro das condições de vida nas áreas rurais a partir de alguns indicadores sociais e de desenvolvimento humano, analisados sempre em perspectiva comparativa com a população urbana. Em seguida, são estudadas as diferenças entre os trabalhos agrícola e não agrícola, em especial quanto ao grau de formalização e aos valores médios de rendimento, sem entretanto deixar de levar em conta algumas particularidades do meio rural, como a sazonalidade da produção – cuja expressão direta é o significativo percentual de empregados temporários –, e como a existência de um grande contingente de mão de obra ocupada em atividades não remuneradas, composto sobretudo pelos trabalhadores de unidades produtivas familiares e pelos trabalhadores na produção para consumo próprio. A renda dos domicílios rurais – sua distribuição, evolução e composição – é também objeto de uma seção própria deste Comunicado. Sua última parte propõe determinar...

‣ Economia brasileira no período 1987 - 2013 : relatos e interpretações da análise de conjuntura no Ipea; Brazilian economy during 1987-2013 : reports and interpretations of economic analysis at IPEA

Ribeiro, Fernando José da S. P. (Organizador); Bastos, Estêvão Kopschitz Xavier; Lameiras, Maria Andréia Parente; Carvalho, Leonardo Mello de; Levy, Paulo Mansur
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Livros
Português
Relevância na Pesquisa
64.41871%
Traz registro competente da evolução da economia brasileira de 1987 a 2013. Os capítulos são assinados pelos integrantes do atual Grupo de Estudos de Conjuntura do Ipea, os quais apresentam, ao mesmo tempo, a história dos fatos do período e a história da sua análise. O grupo de conjuntura do Ipea é certamente um dos grupos de trabalho mais antigos da instituição, com atividades que remontam ao final da década de 1970. A origem deste livro está na percepção de que essas publicações poderiam ser excelente fonte para o estudo da história econômica brasileira recente, pois guardam as análises de especialistas desenvolvidas à época dos acontecimentos marcantes da economia no período aqui coberto. A análise de conjuntura foca o momento, procurando entender o que se passou na economia no período mais recente, por meio do acompanhamento de indicadores, interpretados com o auxílio das teorias econômicas e estudos empíricos, lançando luz sobre o futuro próximo, a partir das perspectivas para esses mesmos indicadores, sempre de maneira disciplinada pela racionalidade econômica e pelos métodos disponíveis para essa ciência.; 450 p. : il.

‣ Carta de Conjuntura: n. 28, set. 2015

Brasil. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Diretoria de Estudos e Políticas Macroeconômicas (Dimac). Grupo de Estudos de Conjuntura (Gecon)
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Carta de Conjuntura
Português
Relevância na Pesquisa
63.728438%
A Carta de Conjuntura tem periodicidade trimestral e traz uma análise dos principais temas econômicos dos três meses precedentes, sempre acompanhada de projeções dos mais importantes indicadores macroeconômicos.; n. 28, [75] p.

‣ A Identificação de empregos verdes, ou com potencial verde, sob as óticas ocupacional e setorial no Brasil

Nonato, Fernanda J. A. P.; Maciente, Aguinaldo Nogueira
Fonte: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Radar - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
102.05463%
Este artigo mostrará que não existe consenso entre o governo, os empregadores, os trabalhadores e a academia sobre como identificar as atividades econômicas e as ocupações verdes. Sendo, portanto, necessário aprofundar a discussão sobre o conceito de atividade econômica verde no contexto da economia brasileira, assim como os critérios necessários para se classificar as ocupações por seu conteúdo verde. Apresentam também definições que podem auxiliar futuras políticas públicas, o direcionamento de investimentos ou o estabelecimento de incentivos e sanções.; p. 57-66 : il.,

‣ Amazônia: desenvolvimento agrícola com a criação de mercados

Homma, Alfredo Kingo Oyama
Fonte: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Radar - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
91.6644%
Neste artigo serão listadas algumas categorias de produtos que têm potencial de mercado, que podem ser importantes para promover o desenvolvimento da Amazônia e, ao mesmo tempo, retirar incentivos aos desmatamentos e às queimadas. Algumas das alternativas apresentadas não têm volume e valor de produção em níveis comparáveis aos cultivos lideres da agricultura brasileira. Porém, são alternativas importantes para o aumento da renda de um grande número de agricultores e podem ser a base de agroindústrias necessárias ao desenvolvimento local e regional.; p. 19-27

‣ Exportações agropecuárias : importância relativa e grupos de produtos

Freitas, Rogério E.
Fonte: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Radar - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
91.95271%
Neste artigo foram utilizados estudos clássicos dedicados à economia agrícola no Brasil (Castro, 1969; Marcondes, 1995; Melo, 1999) já haviam discutidos as funções centrais da agricultura no sistema econômico e, entre elas, a obtenção de divisas por meio de geração e, se possível, de ampliação de um excedente de alimentos, matérias-primas, e seus processados, utilizável para exportações a consumidores externos. Vemos que no cenário mundial do século XXI, tanto a produção de alimentos e de fibras quanto a produção de energia são questões inescapáveis. Segundo estimativas da Organização das Nações Unidas - ONU (UN, 2011), em 2050 a população mundial estará em torno de 11 bilhões de pessoas. Mormente, os aumentos de renda per capita e das taxas de urbanização nos países em desenvolvimento, sobretudo na Ásia e África, podem acelerar as demandas internacionais por alimentos, por seus processados e por fontes de energia ambientalmente preservativas vis-à-vis o emprego de combustíveis fósseis, fenômenos que podem já estar em curso.; p. 29-36 : il.

‣ Determimantes da cooperação em atividades de P&D das indústrias de alimentos e bebidas

Sousa, Alexandre Gervásio de
Fonte: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Radar - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
91.95271%
O artigo trata da mudança na demanda por alimentos e produtos agrícolas no Brasil, como o aumento da renda per capita, a maior urbanização e o crescente número de mulheres na força de trabalho, que geram demandas por commodities de maior valor agregado, por produtos processados e por produtos prontos. O estudo mostra, ainda, a clara tendência para dietas que incluem mais produtos de origem animal, tais como, peixe, carne vermelha, carne de aves e produtos lácteos, os quais, por sua vez, aumentam a demanda de grãos para ração animal.; p. 45-50

‣ Planejamento da infraestrutura brasileira: do planejado ao autorizado para os portos marítimos entre 2007 e 2011

Paula, Jean Marlo Pepino de
Fonte: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Radar - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
91.114%
O texto busca contribuir com o debate sobre o planejamento e a gestão das ações necessárias em infraestrutura para o desenvolvimento nacional a partir de uma avaliação do setor portuário. Espera-se que, com a recente retomada do planejamento e as contínuas melhorias de gestão, principalmente de infraestrutura, seja possível desencadear discussões para melhorar os resultados dos investimentos no setor.

‣ Modernização e simplificação regulatória no setor portuário

Salgado, Lucia Helena; Morais, Rafael Pinho de; Zucoloto, Graziela Ferrero; Rezende, Samuel da Silva
Fonte: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Radar - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
101.25262%
Este trabalho destina-se a discutir um programa de simplificação regulatória que poderia contribuir para a redução do custo da "burocracia" sobre o dia a dia das empresas e das empresas e dos cidadãos, liberando recursos para atividades produtivas com resultados mensuráveis de elevação de produtividade, de crescimento e de bem estar. A proposta analisada neste trabalho apoia-se em programas anteriores, tais como o Programa Nacional de Desburocratização (1979), o Programa Federal de Desregulamentação (1991) e o Programa Nacional de Gestão Pública e Desburocratização - Gespública (2007), atualizando-os com as novas técnicas e experiências, em particular as desenvolvidas no Reino Unido.; Artigo publicado em: Radar ? tecnologia, produção e comércio exterior, Brasília, n. 18, fev. 2012; Possui referência bibliográfica

‣ O Estado como cliente: características das firmas industriais fornecedoras do governo

Schmidt, Flávia de Holanda; Assis, Lucas Rocha Soares de
Fonte: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Radar - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
121.53505%
Este trabalho é uma etapa inicial de um estudo mais amplo focado no uso do poder de compras público (public procurement), tendo por objetivo discutir alguns aspectos importantes sobre o tema e analisar alguns dados sobre o perfil das firmas industriais contratadas pelo governo federal no período compreendido entre 2008 e 2010. Aborda ainda, discussões recentes da literatura sobre o uso da demanda pública. Trata também, da revisita breve da legislação brasileira de compras governamentais e destaca alguns de seus avanços recentes, além de detalhar alguns dados sobre as compras e as contratações públicas, delineando um perfil das aquisições dos órgãos compradores e também das firmas que têm sido contratadas pelo governo e finalmente, são tecidas algumas considerações e apresentadas algumas sugestões de ação para o governo.; p. 9-20

‣ Determimantes das tecnologias de produção de petróleo no mar

Morais, José Mauro de
Fonte: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Radar - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
102.42527%
Este trabalho procura, a partir de uma visão sistêmica, avaliar as condições e características prevalecentes nas atividades petrolíferas offshore que induzem a geração de novas tecnologias, essenciais às atividades de extração e produção de petróleo. Será verificado o processo inicial a partir do reconhecimento dos obstáculos existentes em novas áreas petrolíferas, decorrentes das condições advindas dos ambientes marinho, climático e geológico, que impõem restrições à produção de petróleo com base nas tecnologias disponíveis.; p. 27-33

‣ Grupos econômicos: aspectos normativos

Tironi, Luís Fernando
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Radar - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
63.469463%
O estudo mostra o aperfeiçoamento das normativas legais e institucionais poderá mover os grupos econômicos (GEs) para além do que se esperaria, dado seu suposto papel de agente que mais reage às insuficiências – de mercado e institucionais – dos contextos em que atua? Como estimular o grupo econômico a contribuir mais para o desenvolvimento? Responder a perguntas como estas requer ampliar o conhecimento sobre a natureza e as lógicas de atuação do grupo enquanto ente econômico que, entre outras coisas, proporciona um diferencial, no comportamento e no desempenho, às empresas que a ele são vinculadas.; p. 47-56 : inclui referência bibliográfica

‣ Carta de Conjuntura: n. 27, jun. 2015

Brasil. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Diretoria de Estudos e Políticas Macroeconômicas (Dimac). Grupo de Estudos de Conjuntura (Gecon)
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Carta de Conjuntura
Português
Relevância na Pesquisa
63.67265%
A Carta de Conjuntura tem periodicidade trimestral e traz uma análise dos principais temas econômicos dos três meses precedentes, sempre acompanhada de projeções dos mais importantes indicadores macroeconômicos.; n. 27, [168] p.; Material adicional: Séries Estatísticas Conjunturais de junho de 2015 em 8 arquivos xls

‣ Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE): v. 45, n. 01, abr. 2015

Brasil. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE)
Português
Relevância na Pesquisa
72.10075%
Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) é uma publicação quadrimestral com análises teóricas e empíricas sobre uma ampla gama de temas relacionados à economia brasileira. Estabelecida em 1971 sob o título Pesquisa e Planejamento, PPE é publicada em abril, agosto e dezembro.; v. 45, n. 01, p. 07-176

‣ Carta de Conjuntura: n. 29, dez. 2015

Brasil. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Diretoria de Estudos e Políticas Macroeconômicas (Dimac). Grupo de Estudos de Conjuntura (Gecon)
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Carta de Conjuntura
Português
Relevância na Pesquisa
63.728438%
A Carta de Conjuntura tem periodicidade trimestral e traz uma análise dos principais temas econômicos dos três meses precedentes, sempre acompanhada de projeções dos mais importantes indicadores macroeconômicos.; n. 29, [48] p.