Página 1 dos resultados de 676 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

‣ Spreads bancários e informalidade: efeitos redistributivos e de bem-estar em um modelo de agentes heterogêneos com escolha ocupacional

Merlin, Giovanni Tondin
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
37.271387%
Este trabalho busca identificar os efeitos de mudanças nos spreads bancários sobre as distribuições de renda, riqueza e consumo, bem como o bem-estar da economia. Para tal, é desenvolvido um modelo de agentes heterogêneos com mercados incompletos e escolha ocupacional, no qual a informalidade de firmas e trabalhadores é um canal de transmissão relevante. O principal resultado encontrado é que reduções no spread para pessoa jurídica aumenta a proporção de empreendedores e trabalhadores formais na economia, de forma que o tamanho do setor informal diminui. Os efeitos sobre a desigualdade, no entanto, são ambíguos, e dependerão da dinâmica salarial e das transferências do governo. Reduções no spread para pessoa física levam a uma redução nos indicadores de desigualdade, em detrimento do consumo e bem-estar agregados. Calibrando o modelo para o Brasil para 2003-2012, é possível encontrar resultados em linha com a recente queda na informalidade e no diferencial salarial entre trabalhadores formais e informais.

‣ A informalidade na atividade pesqueira artesanal do município de Florianópolis

Santos, Isabel Rosana
Fonte: Florianópolis Publicador: Florianópolis
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: f.; 76 f.
Português
Relevância na Pesquisa
37.520684%
TCC (Graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro Socioeconômico. Curso de Ciências Contábeis; A informalidade vem crescendo a cada ano no Brasil, devido à alta carga tributária imposta às empresas. O presente trabalho de Conclusão de Curso faz uma abordagem sobre a informalidade na atividade pesqueira artesanal do município de Florianópolis. Destaca-se sua importância como fator econômico e social para as comunidades onde a pesca ainda é uma das únicas opções de renda para diversas famílias que vivem desse segmento. O estudo tem como objetivo identificar os fatores determinantes da informalidade na atividade pesqueira artesanal e analisar quais os impactos sobre essa atividade quando atendidos os critérios da formalidade. Os procedimentos metodológicos adotados para o desenvolvimento da pesquisa foram de abordagem qualitativa descritiva. A coleta de dados foi realizada por meio de livros, periódicos, internet, relatórios de entidades ligadas à pesca e por meio de um questionário composto de 16 questões, abertas e fechadas, que buscou identificar, em campo, e conhecer a situação do pesquisado, tendo sido utilizado o método de observação junto às comunidades visitadas. Pela pesquisa...

‣ Formalidade e informalidade : questões e perspectivas

Cunha, Manuela Ivone P. da
Fonte: Centro de Estudos de Antropologia Social Publicador: Centro de Estudos de Antropologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /11/2006 Português
Relevância na Pesquisa
37.46067%
Partindo de uma reflexão crítica sobre o percurso da noção de informalidade, sobre as coordenadas do seu campo semântico e sobre as conotações teóricas e políticas que ela tem assumido, este artigo explora as potencialidades e os limites de um tal conceito para a abordagem das sociedades contemporâneas e de algumas das linhas de força da evolução das mesmas. É também nesse sentido que se procura articular e colocar em perspectiva o conjunto de artigos deste dossier, conjunto esse que exprime, numa razoável extensão e a várias escalas, o espectro actual da informalidade e da dinâmica do par formalidade / informalidade. A conjugação destes artigos mostra também de que modo a utilização destas noções a partir de um ponto de vista antropológico pode contribuir para um estudo relativamente unificado de formas contemporâneas várias de aceder a recursos económicos ou políticos, formas essas que se jogam na confluência tensa entre, por um lado, a acção dos indivíduos e, por outro, a regulação de relações sociais por parte do Estado; Starting from a critical reflection on the trajectory of the notion of informality, on the coordinates of its semantic scope, and on its theoretical and political connotations...

‣ Estratégia nas empresas de internet: lições da informalidade

Barros,Marco A.
Fonte: Fundação Getulio Vargas, Escola de Administração de Empresas de S.Paulo Publicador: Fundação Getulio Vargas, Escola de Administração de Empresas de S.Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2001 Português
Relevância na Pesquisa
37.109146%
Pesquisas realizadas sobre o tema de formação de estratégias em pequenas empresas indicam que estas não usam abordagens formais para o apoio ao processo de planejamento estratégico. Elas tendem a utilizar uma abordagem informal e oportunista na criação de estratégias. Os resultados deste artigo mostram que pequenas firmas de prestação de serviços para a Internet não adotam ferramentas do tipo tool-kit. Elas aplicam um conjunto de atividades influenciadas por três dimensões características na formação de estratégias: "incrementalismo", informalidade e networking. Este estudo revela, ainda, que as empresas não empregam, de forma sistemática, as ferramentas acadêmicas concebidas para apoiar o processo de desenvolvimento de estratégias. Essas ferramentas foram percebidas como consumidoras de tempo e impróprias para a adoção pelas empresas analisadas.

‣ Os modos de ser da informalidade: rumo a uma nova era da precarização estrutural do trabalho?

Antunes,Ricardo
Fonte: Cortez Editora Ltda Publicador: Cortez Editora Ltda
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.271387%
Como resultado das transformações e metamorfoses nos países capitalistas, estamos diante de um intenso e significativo processo de informalização e precarização da classe trabalhadora. Compreender os modos de ser dessa processualidade, seus elementos explicativos, bem como suas conexões com a lei do valor é o principal objetivo deste texto. Em oposição à afirmação do fim do trabalho, podemos constatar uma expressiva precarização e informalidade do trabalho, que ocorre nas formas de trabalho parcial, subcontratado e precarizado.

‣ Subcontratação e informalidade na construção civil, no Brasil e na França

Costa,Luciano Rodrigues
Fonte: Universidade Federal da Bahia - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas - Centro de Recursos Humanos Publicador: Universidade Federal da Bahia - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas - Centro de Recursos Humanos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.271387%
Este artigo apresenta uma análise comparativa do mercado de trabalho do setor da Construção Civil, no Brasil e na França, em um contexto de flexibilização. Fruto de pesquisas de campo em canteiros de obras, nesses dois países, o texto aborda especificidades da informalidade dos contratos de trabalho no setor, que vêm produzindo uma transferência das ilegalidades das grandes para as pequenas empresas. No caso Francês, mediante as agências de temporários. No Brasil, através das pequenas empresas clandestinas, denominadas "gatas". Enfatizam-se a percepção dos trabalhadores frente às ilegalidades e suas estratégias para se manter no mercado. No caso Francês, ressalta-se o trabalho de imigrantes clandestinos ou portadores de títulos de estadia precários, viabilizados pelas agências de temporários. No Brasil, percebe-se que o setor sempre se organizou com base na informalidade e busca, aos poucos, fidelizar os trabalhadores, ainda que se mantenha predominante o trabalho informal.

‣ A coexistência de direitos no contexto da informalidade urbana: o caso de Fortaleza

Filomeno de Abreu Neto, Francisco; Ângela de Almeida Souza, Maria (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
37.271387%
O trabalho apresenta como foco central a análise do pluralismo jurídico a coexistência de direitos estatal e não estatal - no contexto da informalidade urbana do município de Fortaleza/CE. Aborda a questão partindo para elucidar a natureza do Estado Capitalista e a existência de diferentes campos sociais e de diferentes escalas nas quais o direito se aplica. Elege como foco de análise o equacionamento do direito à moradia e do direito de propriedade nos assentamentos informais, entendendo estes como os assentamentos que não são regidos pelo ordenamento jurídico urbanístico estatal. A partir das diferentes escalas do direito (internacional, nacional, municipal e local) procura identificar as relações de força entre os segmentos sociais, no processo de efetivação ou não do direito à moradia, elucidando se as medidas adotadas para mediação dos conflitos e para regularização fundiária dos espaços de informalidade urbana de Fortaleza encontram respaldo jurídico no arcabouço legislativo em vigor, apontando para a coexistência de outros direitos além do estatal, caracterizando o pluralismo jurídico. Destaca por fim, que, apesar dos avanços democráticos em prol da justiça social que caracterizam a legislação brasileira...

‣ As Faces e os Disfaces da Informalidade no Capitalismo Conteporâneo: Um Estudo do Comércio de Rua em Pau dos Ferros/RN

Silva, Franciclézia de Sousa Barreto
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Serviço Social; Serviço Social, Formação Profissional, Trabalho e Proteção Social; Serviço Social, Cultura e Relaçõe Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Serviço Social; Serviço Social, Formação Profissional, Trabalho e Proteção Social; Serviço Social, Cultura e Relaçõe
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.271387%
This paper discusses the expression of informality in contemporary capitalism. Thematic of relevance to the analysis of the reality of work today and the logic that moves the capital, its real presence in the lives of individuals. The street trading of Pau dos Ferros town, popularly known as "street market" was chosen as the search space. The main objective is to seize and examine the articulations and logic, present in the configuration of the street trading of this city, located in the state of Rio Grande do Norte, explaining the functionality of informality for capitalist accumulation, but also for the reproduction of segments of the working class. Our analysis is based in the perspective of totality, trying to grasp the historical determinations of the phenomenon in focus. It includes the analysis of the mechanisms used by the capital to reproduce itself in the current historical context, which has been implicated in the composition of the labor markets of different countries and in various forms of exploitation to which workers in general are subject. It also means discussing the development of capitalism in Brazil, the logic that permeates its dependence, and especially the use of over-exploitation of labor, as a lever for internal accumulation. The course of investigation consisted of theoretical research to form the basis of theoretical and methodological analysis and to outline the context in which our research object is inserted...

‣ PLANFOR: política compensatória para a inclusão na informalidade?

Sales, Francisco José Lima
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Educação; Educação Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Educação; Educação
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.271387%
Study about the national politics on the professional education, under responsibility of the brazilian Work Department in 1990 years. Purposes to apprehend the results of the actions of the professional education in a basic level, offered by the National Plan of the worker qualification ( PLANFOR ), as well as the effects on the assisted exits, starting from the experience appreciated on the Plan of Qualification developed in the state of Maranhão between 1996 to 2000. It adopts a theoretical-methodological conception by an ontological nature, if being worth of categories as the one of totality and of mediation that together, makes possible the apprehension of a dialectical movement that happens among the analysis object, the professional education politics in a basic level, performed by PLANFOR and your context, the underdevelop and heterogeneous Brazilian capitalism and the consequent job market generalized precarious and informal, making possible that the reality investigated become to understood rationally. This paper uses the indirect documentation technique, instruments of the bibliographical research and documental research. This study is based on those that aren´t part of PLANFOR, qualified by professional education courses in basic level...

‣ A evolução da informalidade no Brasil metropolitano: 1991-2001; Texto para Discussão (TD) 914: A evolução da informalidade no Brasil metropolitano: 1991-2001; The informality evolution in metropolitan Brazil: 1991-2001

Ramos, Lauro
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
37.520684%
Este trabalho procura investigar uma das características marcantes do funcionamento do mercado de trabalho metropolitano brasileiro na década de 1990, que foi o crescimento da informalidade das relações de trabalho. Com base nos dados mensais da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do IBGE, investiga-se a possível ligação entre este crescimento da informalidade e as mudanças na composição setorial do emprego, sumariadas por dois setores emblemáticos: indústria de transformação, que encolheu no período, e o segmento de serviços, que cresceu significativamente. Os resultados mostram que, embora não tão trivial quanto algumas vezes imaginada, a associação entre informalidade e composição setorial do emprego existe. Mais que isso, o comportamento recente desta última permite conjecturar que a trajetória de expansão da informalidade estaria por ser encerrada.; 10 p. : il.

‣ Cunha fiscal, informalidade e crescimento: algumas questões e propostas de políticas; Texto para Discussão (TD) 1068: Cunha fiscal, informalidade e crescimento: algumas questões e propostas de políticas; Tax wedge, informality and growth: some issues and policy proposals

Reis, Maurício Cortez; Ulyssea, Gabriel
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
37.381292%
Uma das características mais marcantes do mercado de trabalho brasileiro é o seu grau de informalidade extremamente elevado. Portanto, identificar as principais características do setor informal no Brasil, como ele tem evoluído ao longo do tempo, se de fato representa um entrave ao crescimento e quais as políticas mais adequadas para lidar com esse fenômeno são questões centrais na agenda pública do país. Com o objetivo de abordar esses diferentes aspectos relativos à informalidade no mercado de trabalho brasileiro, realizou-se em outubro de 2004 um seminário interno no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) que reuniu um grupo amplo de pesquisadores para apresentarem e discutirem suas visões e percepções acerca do tema. O objetivo deste texto é analisar essas questões à luz do que foi discutido nesse seminário, produzindo, dentro do possível, uma síntese do mesmo. É importante ressalvar, contudo, que não se trata de uma reprodução literal do conteúdo das apresentações e tampouco de uma interpretação institucional das mesmas por parte do IPEA.; 24 p. : il.

‣ Informalidade no mercado de trabalho brasileiro: uma resenha da literatura; Texto para Discussão (TD) 1070: Informalidade no mercado de trabalho brasileiro: uma resenha da literatura; Informality in the Brazilian labor market: a literature review

Ulyssea, Gabriel
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
37.271387%
A literatura econômica relativa à informalidade no mercado de trabalho brasileiro encontra-se pouco organizada e apresenta um elevado grau de dispersão. Assim, o objetivo deste artigo é organizar e discutir de forma sistemática os principais trabalhos da literatura nacional utilizando, sempre que possível, a literatura internacional como um contraponto aos resultados existentes para o caso brasileiro. Em particular, são enfatizadas as questões relativas aos diferenciais de salários entre trabalhadores formais e informais, à segmentação no mercado de trabalho e aos efeitos das instituições sobre o setor informal.; 23 p.

‣ Instituições e a informalidade no mercado de trabalho; Texto para Discussão (TD) 1096: Instituições e a informalidade no mercado de trabalho; Institutions and informality in the labor market

Ulyssea, Gabriel
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
37.271387%
O objetivo deste artigo é desenvolver um modelo que concilie os principais aspectos institucionais relativos à informalidade no mercado de trabalho. Trata-se de um modelo de matching com dois setores, formal e informal, que incorpora os principais trade-offs que firmas e trabalhadores enfrentam ao decidir em que setor ingressar. O modelo apresenta uma inovação que o torna mais coerente em relação aos principais fatos estilizados e às evidências empíricas mais recentes. Os resultados das simulações de políticas mostram que o modelo pode ser utilizado para analisar os impactos de diferentes mudanças institucionais sobre variáveis fundamentais do mercado de trabalho brasileiro.; 22 p. : il.

‣ Padrões espacial e setorial da evolução da informalidade no Brasil - 1991-2003; Texto para Discussão (TD) 1099: Padrões espacial e setorial da evolução da informalidade no Brasil - 1991-2003; Spatial and sectoral patterns of informality evolution in Brazil - 1991-2003

Ramos, Lauro; Ferreira, Valéria
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
37.605413%
O objetivo do trabalho é examinar a evolução da informalidade no mercado de trabalho brasileiro no período pós-abertura comercial, destacando suas dimensões espacial e setorial. A utilização das informações da PNAD permite identificar uma clara dicotomia entre o ocorrido nas regiões metropolitanas, em particular as cobertas pela PME, onde a informalidade cresceu muito, e o restante do país, onde ela diminuiu. A combinação desses dois padrões resultou em uma igualdade do grau de informalidade em plano nacional nos anos extremos, com poucas oscilações ao longo do período. Uma consequência dessa estabilidade, mesmo que em patamares elevados, é que, de forma surpreendente, o percentual de contribuintes para a previdência não diminuiu, tendo até crescido ligeiramente. Outro resultado interessante é que o propalado papel da mudança de estrutura ocupacional, ditado pelo processo de terceirização de várias atividades da indústria, não foi o único fator importante para explicar o aumento da informalidade metropolitana. Na verdade, o expressivo aumento da informalidade dentro do segmento industrial aponta para uma disseminação de uma “cultura da informalidade” no meio metropolitano, que seria o principal responsável para a explicação daquele aumento. Por fim...

‣ Informalidade e desempenho econômico: uma análise dos impactos micro e macroeconômicos de políticas para a formalização; Texto para Discussão (TD) 1900: Informalidade e desempenho econômico: uma análise dos impactos micro e macroeconômicos de políticas para a formalização; Informality and economic performance: an analysis of the micro and macroeconomic impacts of policies to formalize

Ulyssea, Gabriel
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
37.567654%
Este texto desenvolve um arcabouço que permite analisar os impactos micro e macro¬econômicos de diferentes políticas para formalização. O modelo é estimado e utilizado para avaliar os efeitos das duas principais abordagens para reduzir a informalidade: i) diminuir os custos da formalidade; e ii) elevar os custos da informalidade. Os resul¬tados mostram que há importantes tradeoffs entre os impactos micro e macro destas abordagens. Políticas que visam aumentar os custos da informalidade têm efeitos piores sobre as firmas que políticas que reduzem os custos da formalização. O oposto é ver¬dade para os indicadores macroeconômicos. Quando considerados os efeitos líquidos sobre o bem-estar agregado, políticas que aumentam o custo da informalidade têm melhor desempenho. Não obstante, reduções no grau de informalidade não estão necessariamente associadas a mais bem-estar.; 36 p. : il.

‣ Evolução recente da informalidade do emprego no Brasil : uma análise segundo as características da oferta de trabalho e o setor; Recent developments of informal employment in Brazil : a labor supply-side analysis

Barbosa Filho, Fernando de Holanda; Moura, Rodrigo Leandro de
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
37.520684%
Apesar da recente queda, o elevado nível de informalidade do emprego (acima de 30%) no Brasil chama atenção devido aos impactos da informalidade na economia de forma geral. Nesse sentido, analisar a relação entre as características da mão de obra e a informalidade é fundamental para compreender a redução recente superior a 10 pontos percentuais (p.p.). Para tanto, este trabalho utiliza dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) e da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), ambas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), para estudar esse fenômeno. Este artigo contribui para a literatura ao mostrar que a queda da participação de trabalhadores menos escolarizados e com baixa experiência chega a explicar quase 80% da queda da informalidade no país. Mostra, ainda, que a transição de trabalhadores do setor informal para o formal e a absorção dos trabalhadores desempregados pelo setor formal ajuda a explicar a queda da informalidade.; p. 101-123

‣ Conceito de informalidade/formalidade e uma proposta de tipologia

Hirata, Guilherme Issamu; Machado, Ana Flávia
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Mercado de trabalho: conjuntura e análise - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
37.271387%
Apesar do esforço acadêmico em chamar a atenção para a informalidade, apenas em 1997 institui-se a primeira pesquisa voltada especificamente para avaliar os aspectos da informalidade com mais rigor, a pesquisa Economia Informal Urbana (Ecinf), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A ideia de introduzir a discussão em torno de estratégias ocupacionais em meio à tipologia apresenta caráter apenas de associação, e não de determinação, isto é, as estratégias não definem as categorias, mas as categorias podem estar associadas às estratégias, esperando-se que tal associação auxilie no entendimento de certas características do mercado de trabalho brasileiro.; p. 23-29

‣ Aceleração educacional e a queda recente da informalidade

Mello, Rafael F.; Santos, Daniel D.
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Mercado de trabalho: conjuntura e análise - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
37.271387%
Esta nota apresenta a importância de mudanças na composição da força de trabalho para explicar a queda nas taxas de informalidade recente, contrastando com a maioria dos artigos sobre o tema, que enfatiza o papel de inovações tecnológicas (particularmente na estrutura de custos de contratação e demissão, e na rigidez salarial), e de interações do ambiente institucional com o grau de aquecimento econômico. Em particular, pretende-se mostrar nesta nota que é precisamente a entrada no mercado de trabalho de uma geração mais escolarizada que modificou a tendência de aumento da informalidade ocorrida nos anos 1990.; p. 27-33 : il.

‣ Informality among the elite societies of Latin America; Informalidad en las sociedades de elite de Latinoamérica; Informalidade nas sociedades de elite da América Latina

Deák, Csaba
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.520684%
La palabra "informalidad" comenzó a usarse de manera generalizada a partir de los años 1980, con la reacción neoliberal a la crisis del Estado de bienestar en los países desarrollados (o centrales). Eso promueve a fenómenos más o menos autónomos algunas características intrínsecas del capitalismo o de su crisis actual. De esa forma, exploración se torna exclusión, imperialismo se vuelve globalización, capitalismo tardío puede ser neo- o posfordismo, o aún posmodernidad, subproletariado se transforma en sin vivienda o en habitante de la calle. Ilegalidad se torna informalidad. En el aglomerado urbano, el vocablo hace referencia a asentamientos de bajos ingresos, precarios y/o irregulares: terreno invadido, parcelación clandestina, construcción sin proyecto aprobado o en desacuerdo con la zonificación. Pero vale recordar que, por la misma lógica, también hay "informalidad" en el otro extremo, superior, del espectro social: clubes recreativos, residencias de lujo con aprovechamiento superior al permitido y hasta shopping centers sobre terrenos apropiados ilícitamente y legalizados con documentación falsa o por prescripción adquisitiva son comunes (en São Paulo, Brasil). En el área de la economía, fuera del ámbito de la organización espacial...

‣ Formalidade e Informalidade: Questões e Perspectivas

Cunha,Manuela Ivone P. da
Fonte: Centro em Rede de Investigação em Antropologia - CRIA Publicador: Centro em Rede de Investigação em Antropologia - CRIA
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2006 Português
Relevância na Pesquisa
37.46067%
Partindo de uma reflexão crítica sobre o percurso da noção de informalidade, sobre as coordenadas do seu campo semântico e sobre as conotações teóricas e políticas que ela tem assumido, este artigo explora as potencialidades e os limites de um tal conceito para a abordagem das sociedades contemporâneas e de algumas das linhas de força da evolução das mesmas. É também nesse sentido que se procura articular e colocar em perspectiva o conjunto de artigos deste dossier, conjunto esse que exprime, numa razoável extensão e a várias escalas, o espectro actual da informalidade e da dinâmica do par formalidade / informalidade. A conjugação destes artigos mostra também de que modo a utilização destas noções a partir de um ponto de vista antropológico pode contribuir para um estudo relativamente unificado de formas contemporâneas várias de aceder a recursos económicos ou políticos, formas essas que se jogam na confluência tensa entre, por um lado, a acção dos indivíduos e, por outro, a regulação de relações sociais por parte do Estado.