Página 1 dos resultados de 870 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

‣ A transformação da educação em mercadoria no Brasil; The transformation of education into commodity in Brazil

OLIVEIRA, Romualdo Portela de
Fonte: Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes Publicador: Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.052524%
O presente artigo apresenta pesquisa que estuda as consequências perceptíveis do processo de penetração dos fundos financeiros na educação superior no Brasil e, posteriormente, a emissão de ações de instituições de ensino diretamente na bolsa de valores. Entre os resultados observados encontra-se o rápido crescimento das instituições que adotaram tal estratégia. A forma mais visível desse crescimento é a compra de outras instituições e seu aperfeiçoamento, por meio da implantação de uma gestão mais profissionalizada. Tal processo tem propiciado o crescimento acelerado de algumas instituições, generalizando a educação como uma mercadoria, assim como a tendencial oligopolização da oferta. Conclui-se afirmando que é cabível falar-se em uma financeirização da educação, posto que é o setor financeiro que assume a hegemonia na educação privada no país.; This paper presents a research on the noticeable consequences of the supply of private equities and venture capital in Brazilian Higher Education and of the subsequent going public of many teaching institutions. These are growing fast, mainly through the purchase of other schools, whose administration is professionalized. Such process has generalized both education as a commodity and the oligopolization of provision. It is thus possible to conclude that education has been financialized...

‣ Fetichismo da mercadoria e inconsciente: contribuições marxianas e psicanalíticas para uma teoria da ideologia; Commodity fetishism and unconscious: Marxian and Psychoanalytic contributions to a theory of ideology

Dezan, Lúcia Cristina
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 16/05/2013 Português
Relevância na Pesquisa
37.498728%
Este trabalho tem por objetivo construir um diálogo teórico entre a alienação do fetichismo da mercadoria, em Marx, e algumas categorias da psicanálise. A noção marxista clássica de ideologia, concebida como o desconhecimento e a distorção da consciência necessariamente produzidos pelas condições efetivas da realidade social, é criticada pelo filósofo esloveno Slavoj iek, ao trazer para o campo da ideologia a noção psicanalítica de fantasia. Entretanto, realizamos uma primeira problematização dessa elaboração do filósofo por dirigir a sua crítica a essa noção de ideologia, remetendo-a ao fetichismo da mercadoria. Mostramos que esse conceito de ideologia a que a sua crítica se dirige se adéqua justamente à noção de ideologia desenvolvida por Marx e Engels nA ideologia alemã, e não ao fetichismo da mercadoria, visto que o fetichismo comporta uma noção mais complexa que não se resume a um mero desconhecimento da realidade e a uma distorção socialmente necessária da consciência. Retornamos a O capital de Marx para mostrar as imbricações da fantasia no fetichismo da mercadoria e para mostrar que a sujeição que atinge os sujeitos sob a alienação fetichista é da ordem do inconsciente. No contexto da relação entre fetichismo da mercadoria e inconsciente...

‣ Ação, representação e o fetichismo da mercadoria; Action, representation and commodity fetishism

Ghelere, Gabriela Doll
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 11/02/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.052524%
Este trabalho consiste em abordar o conceito de fetichismo da mercadoria, de Karl Marx, presente principalmente na obra O Capital. Ao fazer essa abordagem, a pesquisa encontrou aspectos de certa teoria da ação que estariam presentes na problemática do fetichismo. As relações entre a ação e a representação formam o eixo que permeia toda a pesquisa. Está dividida em três capítulos. No primeiro, se apresenta o fetichismo como um problema que relaciona de modo muito particular a ação e a representação. Para refletir sobre estes aspectos buscamos, nos capítulos seguintes, alguns pontos da teoria da ação de Aristóteles como a responsabilidade moral, a diferença entre práxis e poiêsis, a divisão entre o intelecto prático e o teórico e a figura do acrático. Tais conceitos são articulados de modo que o fetichismo pode ser visto como um problema de uma teoria da ação; This work addresses the concept of commodity fetishism, from Karl Marx's book The Capital. By doing this approach, this research has found certain aspects of the theory of action that would be present in the problematic of fetishism. The relationship between action and representation form the axis that permeates all research. It is divided into three chapters. At the first...

‣ Do sonho americano à forma mercadoria: uma leitura de Zelig de Woody Allen; From the American dream to the commodity-form: a reading of Woody Allen's Zelig

Queirós, Rosangela Aparecida de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/10/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.052524%
O objetivo desta dissertação é apontar para a duplicidade narrativa a partir da qual a história Zelig (1983) é contada. Por um lado, tem-se um narrador tradicional de um documentário em voz over, no entanto, sua forma de narrar acaba por revelar aspectos deste gênero como produção dentro da Indústria Cultural. Por outro lado, tem-se outra instância narrativa, conhecida como autor implícito, que coloca elementos em cena para que o espectador consiga ter uma leitura totalizadora da obra. Ademais, o filme Zelig, como produção cultural do início dos anos 1980, revela os desdobramentos e consequências de viver segundo uma ordem social pós-moderna. Observa-se, dentre outros fatores, a forma-mercadoria dominando todas as instâncias da vida social, além da espetacularização da sociedade presente em diversos aspectos da vida moderna.; The aim of this dissertation is to point to the narrative duplicity from which the story Zelig (1983) is told. On the one hand, there is a traditional voiceover documentary narrator, however, his way of narrating ends up revealing aspects of this genre as a production within the Cultural Industry. On the other hand, there is another narrative instance, known as implied author, who adds elements in the scene so that the viewer can have a totalizing reading of the work. Furthermore...

‣ A mercadoria cultural

Bolognesi, Mario Fernando
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP), Departamento de Filosofia Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP), Departamento de Filosofia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 75-86
Português
Relevância na Pesquisa
37.052524%
Adorno e Horkheimer adotaram a noção de fetichismo da mercadoria para a análise da arte e da cultura. Bens materiais e físicos não são idênticos aos simbólicos. Apesar de dominante, a indústria cultural não pode ser tomada como protótipo de toda análise da cultura. Não se pode reduzir toda a produção cultural da época da economia de mercado a produtos de mercado. A pluralidade de práticas artísticas e culturais, à qual se assiste em países como o Brasil, torna problemático o uso indiscriminado do referencial frankfurtiano.; Adorno and Horkheimer adoted the notion of the fetishism of commodities for the analysis of art and culture. Material, physical goods are not identical to symbolic ones. In spite of being predominant cultural industry can not be taken as the prototype of all analyses of culture. One can not reduce all cultural productives of the period of market economy to market products. The plurality of artistic and cultural practices present in countries like Brazil, does make questionable the indiscriminate use of the Frankfurtian framework.

‣ A mercadoria cultural

Bolognesi,Mário Fernando
Fonte: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia Publicador: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1996 Português
Relevância na Pesquisa
37.052524%
Adorno e Horkheimer adotaram a noção de fetichismo da mercadoria para a análise da arte e da cultura. Bens materiais e físicos não são idênticos aos simbólicos. Apesar de dominante, a indústria cultural não pode ser tomada como protótipo de toda análise da cultura. Não se pode reduzir toda a produção cultural da época da economia de mercado a produtos de mercado. A pluralidade de práticas artísticas e culturais, à qual se assiste em países como o Brasil, torna problemático o uso indiscriminado do referencial frankfurtiano.

‣ A transformação da educação em mercadoria no Brasil

Oliveira,Romualdo Portela de
Fonte: Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes Publicador: Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.052524%
O presente artigo apresenta pesquisa que estuda as consequências perceptíveis do processo de penetração dos fundos financeiros na educação superior no Brasil e, posteriormente, a emissão de ações de instituições de ensino diretamente na bolsa de valores. Entre os resultados observados encontra-se o rápido crescimento das instituições que adotaram tal estratégia. A forma mais visível desse crescimento é a compra de outras instituições e seu aperfeiçoamento, por meio da implantação de uma gestão mais profissionalizada. Tal processo tem propiciado o crescimento acelerado de algumas instituições, generalizando a educação como uma mercadoria, assim como a tendencial oligopolização da oferta. Conclui-se afirmando que é cabível falar-se em uma financeirização da educação, posto que é o setor financeiro que assume a hegemonia na educação privada no país.

‣ O livro didático como mercadoria

Munakata,Kazumi
Fonte: UNICAMP - Faculdade de Educação Publicador: UNICAMP - Faculdade de Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.210413%
Para Marx, a mercadoria é a principal categoria para o entendimento do capitalismo. Mediadora das relações sociais, ela é, antes, uma coisa que serve para realizar as necessidades do ser humano. Num regime baseado na troca, o valor de uso da mercadoria, que se refere à sua utilidade para satisfazer essas necessidades, aparece também como suporte material do valor de troca, pelo qual as mercadorias são trocadas no mercado. Com o livro didático não é diferente. Como valor de uso, satisfaz as necessidades de certa expectativa dita educacional, mas, para realizar a satisfação dessas necessidades, subordina-se ao valor de troca e às suas determinações. O presente artigo busca traçar historicamente essa duplicidade do livro didático, com ênfase na sua configuração no Brasil.

‣ Crítica à estética da mercadoria no turismo : dilemas da precarização do trabalho na produção do espaço de Itacaré, litoral sul da Bahia

Fernando Meliani, Paulo; Tôrres Aguiar Gomes, Edvânia (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
37.498728%
Esta tese traz uma contribuição para a análise geográfica do turismo que, fundamentada na teoria crítica da estética da mercadoria, reconhece alguns aspectos da produção do espaço e da subordinação do trabalho aos interesses de reprodução do capital. Procura demonstrar, a partir da análise socioespacial do turístico município de Itacaré, no sul da Bahia, que dos processos de produção do turismo, fundados na estética da mercadoria, derivam diferentes formas de alienação social (do consumo e do lazer, do trabalho e do espaço) e, de modo perverso para a população local, uma nítida precarização das relações do trabalho. Na primeira parte, após a descrição dos conceitos instrumentais da teoria, a tese remonta à gênese e à evolução do turismo, no sentido do reconhecimento da produção estética que ocorre desde origens elitistas de viagem. Em seguida, apresenta as manifestações da estética da mercadoria no turismo contemporâneo, reconhecidas pela padronização da sensualidade dos turistas, pela criação de marcas para os lugares e pela produção de certificações ambientais, sempre visando à valorização dos produtos turísticos. Na segunda parte da tese, depois de identificados os tipos e descritos os processos de trabalho no turismo...

‣ A estética da natureza e o processo de reprodução do capital nas áreas centrais de Medellín – Colômbia

Londoño, Luz Stella Carmona; Gomes, Edvânia Torres Aguiar (Orientadora)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
27.394614%
Esta tese parte do pressuposto categórico do mundo como mercadoria, e, especialmente, o espaço geográfico que assume dialeticamente valores de uso e de troca ao longo do processo histórico. O Capital metaboliza-se vigorosamente no espaço, notadamente nas áreas centrais das cidades, ocupando-as e transformando-as, a tal ponto que a natureza é submetida, mercantilizada e datada. Medellín, famosa na década de 1990 como a cidade de Pablo Escobar, dos sicários, da “coca”, passou nos últimos anos a ser reconhecida no país e no continente inteiro pelas suas renovações urbanas, mudanças sociais e obras arquitetônicas, tendo como principais aliados os instrumentos de planejamento, a publicidade e a mídia. A nomeada “globalização” promete a construção de um espaço mundial único, que tenderia a se tornar cada vez mais homogêneo, e o principal agente dessa homogeneização seriam os fluxos mercantis. Assim, hoje a cidade é o palco do turismo, o consumo e as indústrias culturais e de conhecimento, mas também o palco da segregação, da desigualdade, violência e desemprego. Neste marco, esta pesquisa analisa a estética das áreas centrais de Medellín-Colômbia, à luz do processo de produção e reprodução do uso e ocupação do solo...

‣ A estética da natureza como mercadoria no discurso imobiliário de Gravatá-PE.

Valença, Mariana Rabêlo; Gomes, Edvânia Torres Aguiar (Orientadora)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
37.210413%
mercadoria. Um grande exemplo disso está no setor imobiliário. Além disso, a natureza é evocada em diferentes contextos, em especial no atual debate sobre os limites da sustentabilidade. Portanto, faz-se necessário refletir sobre como a natureza é concebida e reproduzida e como está inserida nos diferentes discursos. Diante disso, como a natureza vem sendo significada dentro do discurso do mercado imobiliário, fundamentando o processo de (re)produção mercadológica do espaço e do capital? Partimos do pressuposto de que não ficam evidentes conflitos e contradições decorrentes de tal prática. Também julgamos ser a incorporação da natureza dentro desses discursos de grande relevância para o sucesso do mercado e para a escolha dos consumidores diretos. Analisamos um espaço cujo sítio geográfico favorece as atividades turísticas, especialmente de segunda residência, Gravatá- PE, que tem recebido muitos investimentos no ramo da construção civil para atender a demanda, sob a forma de grandes empreendimentos caracterizados pela forte presença de elementos naturais, que ganham destaque em seus anúncios. Nosso objetivo foi analisar não só a presença, mas o sentido/significado conferido à natureza nos conteúdos do discurso do mercado imobiliário...

‣ MERCADO E DEMOCRACIA: A RELAÇÃO PERVERSA

Martins,José de Souza
Fonte: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo Publicador: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1990 Português
Relevância na Pesquisa
27.453018%
Um reexame crítico das supostas relações causais entre mercado e democracia deveria ter em conta a teoria do fetiche da mercadoria. A forma de que a mercadoria se reveste para circular acoberta conteúdos, consubstanciados no valor, que resultam de relações sociais historicamente diversas de sua manifestação formal no mercado. Acoberta, portanto, tempos históricos distintos do tempo do mercado. É nesse movimento que, nas sociedades pobres, o capital extrai excedentes que são, na verdade, tributos, estabelecendo aí uma violência que é oposta ao igualitarismo proclamado pelo fetiche da mercadoria. Produzida desse modo, a mercadoria e o mercado não cumprem sua suposta missão civilizadora, pois de fato empobrecem a possibilidade da cidadania. Basicamente, na relação entre mercado e democracia é necessário considerar as relações sociais reais que definem o conteúdo do processo político, pois há situações (e sociedades) em que as possibilidades proclamadas pela forma exterior igualitária da mercadoria estão em contradição com a realidade opressiva das desigualdades sociais e políticas.

‣ Paisagem mercadoria: uma discussão sobre o consumo das paisagens urbanas; Merchandise landscape a debate about the consuption of urban landscapes

Barreto, Juliana Cunha; Cruz, Maria de Fátima Plácida da; Pimentel, Laís Carla de Miranda; Melo, Vera Mayrinck
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 04/12/2006 Português
Relevância na Pesquisa
37.210413%
Nas últimas décadas, alterações na dinâmica sócio-espacial urbana têm seguido novos padrões tecnológicos, que refletem a fragmentação das identidades espaciais tradicionais e sua reinterpretação segundo novos conceitos e novas formas de apropriação cultural. Como resultado desse processo, surgem as chamadas paisagens urbanas pós-modernas ou paisagens mercadoria, onde prevalece a lógica do consumo do espaço, traduzida na difusão de modelos estetizados, difíceis de serem apreendidos pela sociedade. São incorporadas às cidades como símbolos de consumo, que passam a ser vendidos como mercadorias a cidadãos cada vez mais consumidores. Assim, torna-se objeto de estudo do presente artigo, a caracterização da paisagem mercadoria no contexto urbano brasileiro, permeado por alguns fatores que influenciaram na formação dessas paisagens, como os efeitos do turismo e do city-marketing. Foram ilustrados em experiências nacionais – a paisagem do litoral nordestino, o Pelourinho e a cidade de Curitiba – como elementos de promoção urbana. Tem, assim, por objetivo, ampliar a compreensão em torno do aspecto mercadológico da paisagem urbana, com uma reflexão sobre a influência de forças dominantes da sociedade sobre a formação das paisagens.; In the last decades...

‣ A vida como nas vitrines: sociedade do espetáculo e do fetichismo da mercadoria em O mágico (2010); The Society of the spectacle and the commodity fetishism life in “The Wizard” film

Fressato, Soleni Biscouto; Nóvoa, Jorge
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.052524%
Partindo do pressuposto de que as produções fílmicas podem ser utilizadascomo fontes para estudos histórico-sociológicos, pois nos filmes está expressa umainfinidade de aspectos culturais e relações sociais, a proposta do presente artigo éanalisar aspectos da sociedade capitalista, a saber: a espetacularização, o fetichismoda mercadoria e o confronto entre o arcaico e o moderno, com base na animação fílmicaO mágico (L´illusionniste, 2010).; Based on the pressupposition that the filmic productions can be usedas sources for historical and sociological studies, since the film expresses aninfinity of cultural aspects and social relations, the purpose of this article is toanalyze aspects of capitalist society, namely: the spectacle, commodity fetishismand the clash between the archaic and the modern, from the animated film TheWizard (L’illusionniste, 2010).

‣ CULTURA E NATUREZA NAS SOCIEDADES MODERNAS: ENSAIO SOBRE AS RELAÇÕES ENTRE HOMEM E NATUREZA NAS SOCIEDADES PRODUTORAS DE MERCADORIAS; CULTURA E NATUREZA NAS SOCIEDADES MODERNAS: ENSAIO SOBRE AS RELAÇÕES ENTRE HOMEM E NATUREZA NAS SOCIEDADES PRODUTORAS DE MERCADORIAS

Rocha, Adriana Marques; Mota, José do Egito Araújo da
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana. Universidade de São Paulo. Publicador: Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana. Universidade de São Paulo.
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 30/04/2011 Português
Relevância na Pesquisa
27.317368%
 O objetivo deste trabalho é entender como as sociedades em suas diferentes culturas se relacionaram com a natureza. Por esse viés objetivamos elaborar uma análise dos conceitos de cultura e natureza, especificamente nas sociedades produtoras de mercadorias. No caminho metodológico foram utilizados os conceitos de mercadoria e espetáculo, de Marx e Debord, respectivamente. Essas categorias expressam o modelo de vida dominante nas sociedades modernas. A elaboração deste ensaio compreendeu três momentos: o primeiro com a seleção e definição do objeto a ser estudado. O segundo correspondeu à revisão da literatura. O último momento foi a organização e interpretação da bibliografia selecionada, que levaram a teorizar o objeto, explicá-lo, o que possibilitou chegar às conclusões contidas nesse trabalho. Quanto à sua estrutura de exposição está constituída em quatro partes, a saber: na primeira, apresenta-se o objeto e justifica-se a pesquisa. Na segunda, analisa-se o conceito de cultura e especificamente de cultura da mercadoria. A terceira parte enfoca, especialmente, o conceito de natureza sob a lógica da cultura da mercadoria. E finalmente, conclui-se que sob a lógica da cultura da mercadoria a natureza é negada quando os ecossistemas são destruídos e as verdadeiras necessidades humanas são submetidas à lógica da valorização.; The objective of this work is to understand as the societies in your different cultures they linked with the nature. For that inclination we aimed at to elaborate an analysis of the culture concepts and nature...

‣ Fetichismo religioso, fetichismo da mercadoria, fetichismo sexual: transposições e conexões; Religious fetishism, commodity fetishism and sexual fetishism: transpositions and connections

Pires, Rogério Brittes W.
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 11/11/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.052524%
Os conceitos de fetichismo sexual e fetichismo da mercadoria são tortuosas transformações de um conceito anterior: fetichismo religioso. Este artigo foca tal transposição conceitual, tentando entender qual seu impacto sobre o conceito anterior. Busca também traçar conexões entre os fetichismos e examinar usos variados da(s) ideia(s) de fetiche no século xx. Daremos importância à continuidade entre a denúncia iluminista da “ilusão religiosa” e certa postura crítica das ciências humanas modernas. Por fim, notaremos tentativas teóricas de unir os fetichismos, seja através de análises das características comuns aos diversos objetos já taxados de “fetiches”; seja através da proposta de um fetichismo geral, sem qualificadores, que una as versões religiosa, sexual e capitalista sobre uma mesma rubrica. ; The concepts of sexual fetishism and commodity fetishism are roundabout transformations of a prior concept: religious fetishism. This article tries to account for this conceptual transmutation and for the effects the establishment of this new categories of fetishism had over their precursor. It additionally aims to outline connections among all three fetishisms and to examine the manifold uses of the idea(s) of fetish throughout the 20th century. We will focus on the continuities between the Enlightenment’s denouncement of “religious illusion” and the modern human sciences critical attitude. We will also point out a few theoretical attempts to unite all fetishisms...

‣ Mercado e democracia: a relação perversa; Market and democracy: the perverse relation

Martins, José de Souza
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/1990 Português
Relevância na Pesquisa
27.453018%
A critical reexamination of the supposedly causal relations between market and democracy should take into account the theory of fetichism of commodities. The form taken by commodities in order to circulate conceals contents, consubstantiated in value, resulting from relations which are historically diverse from their formal manifestation in the market. Thus, it conceals historical times that are different from the market time. In poor societies, it is in this movement that capital extracts surplus which are, in fact, tribute, thus establishing a kind of violence opposed to the equalitarianism proclamed by the commodity´s fetichism. The commodity thus produced and the market do not accomplish their supposed civilizatory mission, as they actually impoverish the possibility of citizenship. Basically, in the relation between market and democracy, it is essential to consider the real social relations which define the contents to the political process because there are situations (and societies) in which the possibilities professed by the comodities equalitarian exterior form are in contradiction with the oppressive reality of political an social inequalities.; Um reexame crítico das supostas relações causais entre o mercado e democracia deveria ter em conta a teoria do fetiche da mercadoria. A forma de que a mercadoria se reveste para circular acoberta conteúdos...

‣ DA ARTE À MERCADORIA: a transfiguração do teatro pelo sistema capitalista

Rosa, Beatriz Maria Vianna
Fonte: MORINGA - Artes do Espetáculo Publicador: MORINGA - Artes do Espetáculo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 29/12/2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.052524%
No momento em que o ator se profissionaliza, isto é, atribui ao seu ofício o objetivo de ser remunerado, o capitalismo se apropria das relações teatrais, transformando-o em mercadoria e atribuindo-lhe a mesma função dos objetos de consumo. Nossa reflexão filosófica, baseada em dois filósofos, Ernest Fischer e Ana Portich, questiona a possibilidade que o teatro, que é uma arte que se dá no encontro sensível de seres humanos, tem de não perder sua essência imaterial e simbólica, nos perguntando se a arte teatral tem condição de sobreviver dentro do sistema capitalista de produção.

‣ Da casa moderna à habitação como mercadoria: Colômbia, 1942-1991

Cuervo Calle,Juan José
Fonte: Instituto de Investigaciones Dr. José María Luis Mora Publicador: Instituto de Investigaciones Dr. José María Luis Mora
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2015 Português
Relevância na Pesquisa
37.052524%
Este texto aborda um panorama geral da habitação social na Colômbia entre 1940 e 1991, marco temporal que evidencia dois momentos importantes: aquele onde a moradia social é fortemente influenciada pelas correntes da arquitetura moderna, a consolidação das instituições estatais e as contribuições exercidas das missões internacionais: a participação do Padre Lebret, do economista Lauchlin Currie e da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL). E um segundo momento que ilustra o enquadramento que teve a casa moderna na Colômbia como uma mercadoria por causa da estratégia de desenvolvimento econômico que o Estado planejou por meio de uma concentração dos recursos no financiamento, produção e construção de habitação social para tirar o país da crise enquadrando a casa no âmbito da acumulação do capital.

‣ O livro didático como mercadoria

Munakata, Kazumi
Fonte: Pro-Posições Publicador: Pro-Posições
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ;
Publicado em 11/01/2016 Português
Relevância na Pesquisa
37.210413%
Para Marx, a mercadoria é a principal categoria para o entendimento do capitalismo. Mediadora das relações sociais, ela é, antes, uma coisa que serve para realizar as necessidades do ser humano. Num regime baseado na troca, o valor de uso da mercadoria, que se refere à sua utilidade para satisfazer essas necessidades, aparece também como suporte material do valor de troca, pelo qual as mercadorias são trocadas no mercado. Com o livro didático não é diferente. Como valor de uso, satisfaz as necessidades de certa expectativa dita educacional, mas, para realizar a satisfação dessas necessidades, subordina-se ao valor de troca e às suas determinações. O presente artigo busca traçar historicamente essa duplicidade do livro didático, com ênfase na sua configuração no Brasil.Abstract For Marx, commodity is the main category for understanding capitalism. Mediator of social relations, it is rather a thing that serves to satisfy some human needs. In a system based on the exchange, the use-value of the commodity, which refers to its usefulness to satisfy those needs, also appears as a material support for the exchange value whereby commodities are exchanged in the market. The textbook is not different. As usevalue, it satisfies the needs of some educational expectations...