Página 1 dos resultados de 85 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

‣ O atrito nas pesquisas longitudinais: o caso da pesquisa mensal de emprego (PME/IBGE)

Ribas,Rafael Perez; Soares,Sergei Suarez Dillon
Fonte: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE Publicador: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 Português
Relevância na Pesquisa
121.15095%
O objetivo deste artigo é estimar os determinantes da permanência de pessoas no painel da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) e, além disso, testar se ignorar a não-aleatoriedade do desgaste no painel causa algum viés em análises de regressão. Os resultados apontam que há uma forte correlação da taxa de atrito com as características geralmente associadas a uma mobilidade geográfica maior. Além disso, tanto características do processo de entrevista quanto fatores socioeconômicos estão significativamente relacionados à probabilidade de atrito no painel. Nos modelos adotados para testar o viés do desgaste no painel, assim como de outros critérios de seleção amostral, constatamos que todos estes são endógenos, apesar de alguns não estarem diretamente correlacionados com a equação de interesse. Por fim, mostramos que a ausência do controle para seleção amostral, o que inclui a retenção no painel, pode incorrer em algumas análises enviesadas.

‣ Uma avaliação dos efeitos do salário mínimo sobre o mercado de trabalho no Brasil; Texto para Discussão (TD) 564: Uma avaliação dos efeitos do salário mínimo sobre o mercado de trabalho no Brasil; An assessment of the effects of the minimum wage on the labor market in Brazil

Foguel, Miguel Nathan
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
89.75347%
O principal objetivo deste artigo é estimar os impactos do salário mínimo sobre o mercado de trabalho brasileiro. Para isso, exploramos o processo de convergência dos salários mínimos regionais ocorrido durante a primeira metade dos anos 80. A metodologia empregada foi a usualmente denominada “diferenças em diferenças” e as informações utilizadas foram obtidas da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) para as seis principais regiões metropolitanas brasileiras.; Série Monográfica: Texto para Discussão ; 564; Referências Bibliográficas: possui referências bibliográficas

‣ Aplicação de um modelo de idade-período-coorte para a atividade econômica no Brasil metropolitano

Rios-Neto, Eduardo L. G.; Oliveira, Ana Maria H. C.
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
100.67632%
Um método relevante para a projeção da população economicamente ativa (PEA) é a projeção das taxas específicas de participação na PEA integrando o período com a coorte. Este trabalho formaliza essas aplicações, que normalmente são efetuadas mediante estimativa de planilha, através da implementação de modelos log-lineares topológicos de taxa (rate models). A discussão teórica e metodológica sobre os problemas de identificação nos modelos de idade-período-coorte é uma contribuição do trabalho. Já a aplicação empírica do modelo para os dados da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) nos anos 80 e 90 mostrou a eficácia da metodologia, apresentando resultados similares aos obtidos pela metodologia tradicional. A vantagem da metodologia aqui proposta é a possibilidade de se desenhar cenários mais rigorosos para a projeção da PEA.; p. 243-272 : il.

‣ A imputação da renda do não trabalho na pesquisa mensal de emprego

Ribas, Rafael Perez; Machado, Ana Flávia
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
90.37916%
O painel da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é uma das bases de dados mais ricas do Brasil para investigações de fenômenos relativos ao mercado de trabalho. Entretanto, seu questionário traz apenas informações relativas à renda do trabalho. Este artigo propõe uma nova forma de imputar a renda do não trabalho utilizando um sistema de equações estimado com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), também do IBGE. Além de descrever o modelo de imputação e sua consistência, o artigo levanta alguns fatos estilizados sobre pobreza e desigualdade em regiões metropolitanas (RMs) brasileiras. Os resultados contemplam basicamente os seguintes pontos: sazonalidade e tendência da pobreza e da desigualdade; taxas de transição para fora e para dentro da pobreza; e comparação entre as incidências de pobreza crônica e pobreza observada.; p. 265-395 : il.

‣ Padrão espacial da evolução do emprego formal: 1995-2003; Texto para Discussão (TD) 1102: Padrão espacial da evolução do emprego formal: 1995-2003; Spatial pattern of formal employment trends: 1995-2003

Ramos, Lauro; Ferreira, Valéria
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
100.42058%
As diferenças quanto à homogeneidade espacial da evolução das principais variáveis associadas ao funcionamento do mercado de trabalho já foram identificadas em alguns estudos. Se, por um lado, o comportamento do nível da ocupação parece ser espacialmente neutro, o do emprego formal e da informalidade é heterogêneo, principalmente no que diz respeito ao recorte metropolitano. Essas evidências para o emprego formal, encontradas nos dados amostrais da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são examinadas em maior profundidade neste estudo, com base nos dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério de Trabalho e Emprego (MTE), que consiste basicamente de uma enumeração desse setor. Essas informações confirmam as diferenças na evolução, tanto no tempo quanto na distribuição espacial. Primeiro, tanto para a ocupação formal como um todo quanto para aquela restrita à indústria, o período 1995-1998 apresentou um crescimento muito modesto, ou mesmo retração. De 1999 a 2003, entretanto, o panorama foi radicalmente distinto, com um crescimento expressivo, provavelmente reflexo da mudança de regime cambial que conferiu um “ganho” de produtividade à produção nacional. Segundo...

‣ Pesquisa mensal de emprego na região metropolitana de Curitiba

Lira, Sachiko Araki; Delgado, Paulo Roberto
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Mercado de trabalho: conjuntura e análise - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
100.37727%
Traz uma breve apresentação do comportamento do mercado de trabalho na região metropolitana de Curitiba (RMC) nos anos de 2003 e 2004, comparando-o com o das demais regiões metropolitanas em que o IBGE realiza a Pesquisa Mensal de Emprego (PME).; p. 33-47 : il.

‣ Mudanças na relação entre a PME e a PED com a nova metodologia da PME

Reis, Maurício Cortez
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Mercado de trabalho: conjuntura e análise - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
80.79499%
Apresenta uma análise descritiva dos comportamentos da PEA, dos totais de ocupados e desocupados e da taxa de desemprego na PME e na PED. Essa análise procura enfatizar as diferenças nas relações entre as duas pesquisas antes e depois da mudança metodológica da PME. Para isso, são apresentadas as correlações entre a PME e a PED para as trajetórias dessas quatro variáveis ao longo do tempo. Em seguida, a partir da extração das tendências de longo prazo, são analisadas as relações entre os comportamentos cíclicos de cada uma das séries na PME e na PED.; p. 43-48 : il.

‣ Um Mapa setorial do emprego e dos salários a partir dos dados da RAIS; Texto para Discussão (TD) 2033 : Um Mapa setorial do emprego e dos salários a partir dos dados da RAIS

Amitrano, Claudio Roberto
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
90.38868%
O objetivo deste texto consiste em fazer um mapeamento setorial do mercado de trabalho entre 1995 e 2010, a partir, sobretudo, dos dados de emprego e salário da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), ainda que informações extraídas da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) e da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) – ambas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) –também tenham sido utilizadas. O estudo centrou-se na análise da trajetória da composição setorial do emprego e das elasticidades emprego-produto setoriais. Por fim, foi realizada uma discussão sobre a desigualdade de rendimentos no setor formal da economia e o impacto que a segmentação setorial tem sobre sua evolução no período em questão.; 79 p. : il.

‣ Desemprego e desigualdade no Brasil metropolitano; Comunicados do Ipea 76 : Desemprego e desigualdade no Brasil metropolitano

Brasil. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Comunicados do Ipea
Português
Relevância na Pesquisa
89.92362%
O presente Comunicado do Ipea trata da problemática da desigualdade no desemprego no conjunto das seis principais regiões metropolitanas do país (Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Recife). Não obstante os sinais positivos no comportamento do mercado de trabalho, favoráveis à ampliação da ocupação e, por consequência, à redução sensível do desemprego, constata-se, a seguir, a presença de importante desigualdade entre aqueles que seguem sem uma ocupação. Por conta disso, este Comunicado se constitui de quatro partes, a saber: 1. Queda do desemprego e impacto no rendimento dos ocupados; 2. Desigualdade do desemprego segundo a distribuição pessoal dos rendimentos; 3. Desigualdade do desemprego segundo a condição do trabalhador pobre e não pobre: e 4. Tempo de procura por trabalho. Os dados primários do IBGE (Pesquisa Mensal de Emprego - PME) foram sistematizados com o objetivo de melhor permitir o entendimento acerca da evolução da desigualdade entre os desempregados. Com isso, espera-se poder contribuir com uma melhor consideração a respeito das políticas públicas de atenção à pobreza e à desigualdade de renda no Brasil.; 11 p. : il.

‣ Análise regionalizada da massa salarial com uso da PME-IBGE; Comunicados do Ipea 72 : Análise regionalizada da massa salarial com uso da PME-IBGE

Rodrigues Júnior, Waldery; Laureto, Camilo Rey; Pena, Marina Garcia
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Comunicados do Ipea
Português
Relevância na Pesquisa
131.61475%
A Pesquisa Mensal do Emprego (PME) é uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que permite avaliar as flutuações e tendências da força de trabalho regionalmente. Esta pesquisa tem como alguns de seus objetivos avaliar e traçar metas socioeconômicas sobre o mercado de trabalho nacional, além de informações sociodemográficas. Uma característica importante da pesquisa é a periodicidade de atualização dos resultados pelo IBGE. As bases e resultados são divulgados mensalmente com as características da população residente nas áreas urbanas das principais regiões metropolitanas. Além disso, o trabalho traz resultados não só das características dos trabalhadores como também da estrutura de ocupação e atividade. Como dito anteriormente, a pesquisa foca as principais regiões metropolitanas, ou seja, região metropolitana de Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre. Atualmente, a PME está dividida entre informações sociodemográficas e informações sobre trabalho e educação. Na primeira, são pesquisados todos os moradores entrevistados e, na segunda, apenas moradores com dez anos ou mais de idade, ou seja, População em Idade Ativa (PIA)...

‣ Reprovação, avanço e evasão escolar no Brasil

Leon, Fernanda Leite Lopez de; Menezes-Filho, Naércio Aquino
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
100.80005%
Este trabalho apresenta uma análise descritiva dos indicadores e determinantes da reprovação, avanço e evasão escolar condicional à reprovação no Brasil para as seguintes séries-diploma: 4ª e 8ª séries do ensino fundamental e 3º ano do ensino médio, no período 1984-1997. Foram utilizados dados em painel da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), do IBGE, cuja peculiaridade é seguir os mesmos indivíduos ao longo do tempo. Procuramos encontrar os determinantes da seleção dos indivíduos ao longo do ciclo escolar, concentrando a análise nas características familiares e nos seus efeitos sobre as probabilidades de sucesso. Concluímos que esses efeitos são mais importantes nas séries mais avançadas, e principalmente como determinantes do avanço escolar. Além disso, durante o período em análise, as características familiares perderam parte de sua importância, apontando para a universalização do ensino.; p. 417-452 : il.

‣ O atrito nas pesquisas longitudinais: o caso da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do IBGE; Texto para Discussão (TD) 1347: O atrito nas pesquisas longitudinais: o caso da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do IBGE; The Attrition in longitudinal studies: the case of the Monthly Employment Survey (PME) from IBGE

Ribas, Rafael Perez; Soares, Sergei Suarez Dillon
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
132.1432%
O objetivo deste artigo é estimar os determinantes do atrito/permanência de pessoas no painel da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e, além disso, testar se ignorar a não-aleatoriedade deste desgaste causa algum viés na análise de regressões. O atrito pode ser de três tipos: a) aleatório, que não gera qualquer tipo de viés em estimações de parâmetros; b) função de variáveis observadas, cujo viés pode ser corrigido mediante repesagem adequada; e c) função de variáveis não-observadas, cujo viés pode ser corrigido usando-se um probit bivariado para variáveis discretas ou a correção de Heckman para variáveis contínuas. Os resultados apontam que a taxa de atrito na pesquisa tende a ser maior nos meses de férias, e que há uma forte correlação dessa taxa com as características geralmente associadas a uma mobilidade geográfica maior. Além disso, tanto características do processo de entrevista quanto fatores socioeconômicos são significativamente relacionados à probabilidade de atrito no painel. Nos modelos adotados para testar o viés do desgaste no painel, assim como de outros critérios de seleção amostral, constatamos que todos estes são endógenos...

‣ Sobre o painel da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do IBGE; Texto para Discussão (TD) 1348: Sobre o painel da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do IBGE; About the panel's Monthly Employment Survey (PME) from IBGE

Ribas, Rafael Perez; Soares, Sergei Suarez Dillon
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
132.260625%
O objetivo deste texto é fornecer as informações necessárias para que pesquisadores possam utilizar a Pesquisa Mensal de Emprego (PME) e, em particular, o painel de domicílios. O painel da PME é um instrumento extremamente útil de análise que, no entanto, tem sido subutilizado devido a uma série de dificuldades práticas, principalmente na sua (re)construção. Escrevemos este texto para fornecer a outros pesquisadores alguns instrumentos para lidar com estas dificuldades. O texto tem três partes. A primeira trata da leitura e identificação do painel da PME, inclusive o esquema de rotação da pesquisa. Até esta tarefa relativamente simples torna-se complexa devido a algumas peculiaridades de como a PME é organizada. Na segunda parte, fornecemos alguns procedimentos para aumentar a taxa de identificação no painel de pessoas. A hipótese por trás destes procedimentos é que o erro na declaração de informações individuais dificulta a reconstituição mais precisa deste painel. Finalmente, na última parte, apontamos qual é a implicação de uma reconstituição menos precisa do painel de pessoas sobre os resultados de um exemplo de análise do mercado de trabalho.; 35 p. : il.

‣ A imputação da renda não-trabalho na Pesquisa Mensal de Emprego (PME/IBGE) e seu proveito em análises dinâmicas de pobreza e desigualdade; Texto para Discussão (TD) 1363: A imputação da renda não-trabalho na Pesquisa Mensal de Emprego (PME/IBGE) e seu proveito em análises dinâmicas de pobreza e desigualdade; Imputation of non-labor income in the Monthly Employment Survey (PME / IBGE) and its advantage in dynamic analysis of poverty and inequality

Ribas, Rafael Perez; Machado, Ana Flávia
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
132.08975%
O painel da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é, sem dúvida alguma, uma das bases de dados mais ricas do Brasil para investigações de fenômenos relativos ao mercado de trabalho. Isso devido a sua natureza longitudinal. Entretanto, por enfatizar apenas o mercado de trabalho, seu questionário traz apenas informações relativas a esta fonte de renda, não considerando outros tipos de rendimentos, como pensões, aposentadorias, transferências sociais etc. Dada esta limitação, este artigo apresenta uma proposta para aumentar a utilidade da atual PME. Esta proposta consiste em imputar a renda não-trabalho, utilizando um sistema de equações estimado com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), também conduzida pelo IBGE. Além de descrever o modelo de imputação e sua consistência em termos de reprodução na PME dos mesmos indicadores da Pnad, o artigo levanta alguns fatos estilizados sobre pobreza e desigualdade em Regiões Metropolitanas (RMs) brasileiras. A natureza dinâmica desses fatos estilizados os impossibilita de serem levantados com o uso de outra base de dados no Brasil que não seja a própria PME imputada. Os resultados contemplam basicamente os seguintes pontos: sazonalidade e tendência da pobreza e da desigualdade; taxas de transição para fora e para dentro da pobreza; e comparação entre as incidências de pobreza crônica e pobreza observada.; 28 p. : il.

‣ Sobre a comparação da taxa de desocupação na PNAD Contínua e na PME; Nota Técnica n. 18 (Disoc) : Sobre a comparação da taxa de desocupação na PNAD Contínua e na PME

Corseuil, Carlos Henrique; Ramos, Lauro
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); Diretoria de Estudos e Políticas Sociais (Disoc) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); Diretoria de Estudos e Políticas Sociais (Disoc)
Tipo: Nota Técnica
Português
Relevância na Pesquisa
80.18156%
Análise da taxa de desocupação retratada na pesquisa domiciliar - PNAD Contínua (frequência trimestral de cobertura nacional) referente aos dados divulgados com cobertura do período entre o primeiro trimestre de 2012 (2012/1) e o segundo trimestre de 2013 (2013/2).; 8 p. : il.

‣ Uma Análise das diferenças entre as estatísticas do mercado de trabalho sobre a variação da ocupação formal metropolitana : PME e CAGED

Ramos, Lauro; Aguas, Marina; Corseuil, Carlos Henrique L.
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Mercado de trabalho: conjuntura e análise - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
111.3654%
Esta nota procura levantar elementos que ajudem a avaliar em que medida as duas pesquisas, (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) e Pesquisa Mensal de Emprego (PME), oferecem informações que estão em concordância ou discordância sobre a geração de empregos de janeiro de 2003 a dezembro de 2009, levando em consideração as variações das dimensões citadas. Cabe notar que a estatística mensal comparável entre as duas fontes é a variação mensal da população ocupada, sendo portanto o objeto da análise.; p. 37-44 : il.

‣ Mercado de trabalho na região metropolitana de Curitiba

Garcias, Paulo Mello; Lyra, Sachiko Araki
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Mercado de trabalho: conjuntura e análise - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
100.72464%
O objetivo deste texto é apresentar a evolução do mercado de trabalho na região metropolitana de Curitiba (RMC) no período 1999-2001 a partir dos dados da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) e compará-la com os resultados do Brasil.; p. 73-77 : il.

‣ Ciclo econômico, emprego e desigualdade; Texto para Discussão (TD) 1981: Ciclo econômico, emprego e desigualdade; Economic cycle, employment and inequality

Cavalcanti, Marco A. F. H.; Moreira, Ajax R. B.
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
80.15308%
Este trabalho analisa, para o caso brasileiro, os condicionantes transitórios dos níveis de emprego e distribuição de renda do país, utilizando os microdados da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) produzida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para avaliar os efeitos de choques macroeconômicos sobre o emprego e a desigualdade de renda de diferentes segmentos sociais, com foco na possível heterogeneidade destes efeitos. Consideram-se oito segmentos sociais, diferenciados segundo três atributos: gênero, experiência e educação. Para relacionar os indicadores sociais de emprego/desigualdade às variáveis macroeconômicas, adotam-se dois tipos de abordagem econométrica: modelos autorregressivos vetoriais padrão – Vector Autoregressive Model (VAR) – e modelos autorregressivos vetorais de fatores – Factor-Augmented Vector Autoregressive (Favar) –, nos quais os choques macroeconômicos são identificados utilizando restrições de sinal inspiradas em modelos dinâmicos estocásticos de equilíbrio geral – Dynamic Stochastic General Equilibrium (DSGE). A comparação entre os resultados das metodologias VAR e Favar permite avaliar em que medida a consideração da possível heterogeneidade dos efeitos pode alterar resultados qualitativos da relação entre os choques macroeconômicos e os indicadores sociais. Os principais resultados do trabalho são que o efeito dos choques identificados: i) é estatisticamente significativo apenas para os modelos Favar...

‣ O atrito nas pesquisas longitudinais: o caso da pesquisa mensal de emprego (PME/IBGE)

Ribas, Rafael Perez; Soares, Sergei Suarez Dillon
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2010 Português
Relevância na Pesquisa
121.39895%
This article aims to estimate the determinants of attrition/permanence of people in the panel of the Brazilian Monthly Employment Survey (PME/IBGE) and also to test the bias emerged from ignorability of attrition selection in regression analyses. Results point out a strong correlation between attrition rate and characteristics closely related to geographic mobility. In addition, both survey design aspects and socioeconomic events are significantly related to the probability of attrition. In selection correction models, we find that all selection mechanisms are endogenous, even though they are not directly correlated with the equation of interest. Finally, we show that ignoring the endogeneity of sample selection, such as attrition, may imply to a biased analysis. However, controlling for only some selection mechanism, not controlling for all, may provide estimators even more biased than no controlling.; O objetivo deste artigo é estimar os determinantes da permanência de pessoas no painel da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) e, além disso, testar se ignorar a não-aleatoriedade do desgaste no painel causa algum viés em análises de regressão. Os resultados apontam que há uma forte correlação da taxa de atrito com as características geralmente associadas a uma mobilidade geográfica maior. Além disso...

‣ Grau de formalização, nível e qualidade do emprego no mercado de trabalho metropolitano do Brasil

Ramos, Lauro; Reis, José Guilherme Almeida
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Mercado de trabalho: conjuntura e análise - Artigos
Português
Relevância na Pesquisa
110.153545%
Apresenta análise desenvolvida em Ramos e Reis (1997), com vistas tanto à consideração de novos elementos relacionados com a mudança da composição do emprego e no perfil dos trabalhadores por conta própria quanto no que tange à uma breve avaliação das diferenças no comportamento de indicadores do desempenho do mercado de trabalho ao longo das regiões metropolitanas constantes da Pesquisa Mensal do Emprego (PME).; p. 1-9 : il.