Página 1 dos resultados de 1553 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

‣ Biochemical and computational insights into the anti-aromatase activity of natural catechol estrogens

Neves, Marco A. C.; Dinis, Teresa C. P.; Colombo, Giorgio; Melo, M. Luisa Sá e
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: aplication/PDF
Português
Relevância na Pesquisa
37.374844%
High levels of endogenous estrogens are associated with increased risks of breast cancer. Estrogen levels are mainly increased by the activity of the aromatase enzyme and reduced by oxidative/conjugative metabolic pathways. In this paper, we demonstrate for the first time that catechol estrogen metabolites are potent aromatase inhibitors, thus establishing a link between aromatase activity and the processes involved in estrogen metabolism. In particular, the anti-aromatase activity of a set of natural hydroxyl and methoxyl estrogen metabolites was investigated using biochemical methods and subsequently compared with the anti-aromatase potency of estradiol and two reference aromatase inhibitors. Catechol estrogens proved to be strong inhibitors with an anti-aromatase potency two orders of magnitude higher than estradiol. A competitive inhibition mechanism was found for the most potent molecule, 2-hydroxyestradiol (2-OHE2) and a rational model identifying the interaction determinants of the metabolites with the enzyme is proposed based on ab initio quantum-mechanical calculations. A strong relationship between activity and electrostatic properties was found for catechol estrogens. Moreover, our results suggest that natural catechol estrogens may be involved in the control mechanisms of estrogen production.; http://www.sciencedirect.com/science/article/B6T8X-4RW435B-1/1/e10135327f6ef1e2c98b343e9e9b8f25

‣ Aromatase inhibitors in breast cancer: the discovery of new computational design and biochemical evaluation

Neves, Marco André Coelho das
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
37.479004%
Continuous exposure to high levels of endogenous estrogens is associated with increased risks of developing breast cancer. In this sense, aromatase, the cytochrome P450 enzyme involved in the conversion of androgens, testosterone and androstenedione, into estrogens, estradiol and estrone, is an important target for the endocrine treatment of breast cancer in postmenopausal women. Aromatase inhibition is achieved either with compounds structurally related to the androstenedione substrate or with non-steroid inhibitors. Moreover, increasing evidence suggests that compounds mimicking the products of catalysis, such as endogenous estrogens as well as natural polyphenols, are able to bind into the aromatase active site as competitive inhibitors. Computer-assisted drug design refers to the application of informatics on the discovery and optimization of biologically active compounds. In this work we took advantage of several molecular modelling tools, combined with a fast and accurate biochemical evaluation assay, to the discovery and rational at an atomic level, of the anti-aromatase properties of new molecules. The first objective of this study was to explore the structure-activity relationships of emerging new classes of aromatase inhibitors such as estrogens and their endogenous metabolites...

‣ Design, synthesis and structure-activity relationships studies on steroidal aromatase and 5α-reductase inhibitors as anti-tumors

Varela, Carla
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
37.49212%
O cancro é dos problemas de saúde pública com maior incidência a nível mundial. Dos diferentes tipos de cancro, o cancro de mama e da próstata são dos mais frequentemente diagnosticadas na Mulher e no Homem, sendo que um número significativo deles são hormono-dependentes. O cancro de mama é das doenças mais comuns nas mulheres e constitui a principal causa de morte por cancro na população feminina, em todo o mundo. Desde há muito que se sabe que a maioria deste tipo de cancro depende de estrogénios, para o seu desenvolvimento e crescimento. Entre as diversas opções terapêuticas disponíveis, a terapia endócrina de controlo da produção de estrogénios tem sido o princípio orientador seguido durante mais de um século. Na biossíntese de estrogénios existe a enzima aromatase e a sua inibição constitui uma forma muito eficiente de tratar esta doença. Atualmente, tem-se observado uma evolução significativa no desenvolvimento dos inibidores da aromatase. A recente elucidação da estrutura cristalina 3D da enzima constitui um importante ponto de viragem, já que esclareceu as bases estruturais para a especificidade da interação da enzima com o seu substrato. Este esclarecimento mostrou que se estabelecem ligações de hidrogénio entre os átomos de oxigénio dos grupos carbonilo em C-3 e C-17 e resíduos específicos de aminoácidos...

‣ Cancro da mama e inibidores da aromatase : avaliação biológica do exemestano na linha celular MCF-7aro

Melo, Soraia Miliza da Cruz Santiago Mamede de
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
37.426753%
Breast cancer remains a public health issue on a global scale, and there is an important general trend to increase more specific interventions to obtain efficacious treatment, with less toxic side effects. Estrogens are pivotal in the growth and development of normal and neoplastic mammary tissue, and mediate their action via the estrogen receptors (ER). Based on this knowledge there are several therapeutic approaches to block estrogen actions: use of estrogen receptor modulators (SERMs), like tamoxifen, and estrogen receptor downregulators (SERDs), such as fulvestrant, which directly target estrogen receptors; or use of aromatase inhibitors (AIs). Aromatase is responsible for the final step of estrogen biosynthesis, and its inhibition has been considered as an important target in the treatment of estrogen-dependent breast cancer. In fact, the use of synthetic AIs has shown to be an effective alternative to the classical treatment with tamoxifen, for post-menopausal women with ER-positive breast cancer. Exemestane is a potent third-generation steroidal aromatase inhibitor used in cancer therapy. However, its mechanism of action as AI in cells is not totally understood neither is the eventual development of resistance in some patients. This work allowed the study of the in vitro effects of exemestane...

‣ Efeitos do VEGF e do bFGF sobre a expressão da aromatase P450 em cultivo de células placentárias provenientes de bovinos clonados e não clonados; VEGF and bFGF effects on P450 aromatase expression of cultivated placental cells from cloned and non-cloned bovines

Sousa, Liza Margareth Medeiros de Carvalho
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/06/2007 Português
Relevância na Pesquisa
37.340427%
Os fatores de crescimento vascular endotelial (VEGF) e o fibroblástico básico (bFGF) são reguladores importantes do desenvolvimento e função placentária. Os efeitos destes na expressão da enzima esteroidogênica aromatase P450 (P450arom) na placenta bovina em diferentes estágios gestacionais (90 a 270 dias) foram avaliados através de imunocitoquímica. Além disso, comparou-se a influência destes entre células placentárias de bovinos clonados e não clonados aos 270 dias. A aromatase P450 foi localizada exclusivamente no citoplasma das células trofoblásticas gigantes e sua expressão foi menor aos 150 dias de gestação, em relação às demais idades (p<0,05). O VEGF (50 ng/ml) influenciou significativamente a expressão da P450arom aos 150 e 270 dias, enquanto o bFGF (10 ng/ml) foi efetivo em estimular essa expressão particularmente no final da gestação (270 dias). Os dois fatores combinados (bFGF+VEGF) inibiram a expressão da P450arom no terço inicial (90 dias), mas, por outro lado, estimularam-na aos 150 e 270 dias (p<0,05). Nos clones, a expressão da P450arom, nos grupos controle e VEGF, foi semelhante a dos animais não clonados aos 270 dias de gestação, porém, o bFGF e os dois fatores combinados inibiram-na significativamente (p<0...

‣ Ação do inibidor da aromatase no tratamento do leiomioma uterino na menacme; Use of aromatase inhibitor for leiomyoma of the uterus treatment in patient during menacme

Hilário, Sandro Garcia
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/09/2007 Português
Relevância na Pesquisa
37.340427%
Foram estudadas 20 pacientes na menacme portadoras de leiomioma uterino, sintomáticas, que utilizaram anastrozol na dose 1 mg/dia por três meses consecutivos. Durante o tratamento acompanhou-se o volume do conjunto úteroleiomiomas com ultra-sonografia, no momento inicial e após um mês e três meses do início do uso da medicação. Além disso, foi observada a evolução da sintomatologia relacionada ao leiomioma (hipermenorréia, dismenorréia e metrorragia), presença de sintomas ligados ao hipoestrogenismo e dosagens séricas de FSH, estradiol, colesterol total e frações, triglicérides e glicose. Obtivemos redução média do volume do conjunto útero-leiomiomas de 9,32% até 31%. Houve diminuição significante dos sintomas relacionados ao leiomioma do útero. Não ocorreram sintomas ligados ao hipoestrogenismo. Não se comprovou modificação significante dos demais parâmetros estudados. Concluiu-se que o inibidor da aromatase, o anastrozol, na dosagem utilizada, foi efetivo na redução volumétrica do conjunto útero-leiomiomas, além de proporcionar significativa melhora dos sintomas relacionados a essa doença, sem alterar, no entanto, os valores de FSH, estradiol, colesterol total e frações, triglicérides e glicose.; We studied 20 patients in menacme with leiomyoma in the uterus...

‣ Análise da expressão de receptores hormonais (androgênio, estrogênio alfa e beta) e da aromatase em carcinomas epidermóides de boca (CE); Analysis of the expression of hormonal receptors (androgen, estrogen alpha and beta) and aromatase enzime in oral squamous cell carcinoma (OSCC)

Marocchio, Luciana Sassa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/12/2010 Português
Relevância na Pesquisa
37.403115%
Das diversas neoplasias denominadas câncer de boca, mais de 95% tem o diagnóstico de carcinoma epidermóide (CE). O carcinoma epidermóide apresenta etiologia e patogênese complexas e não totalmente compreendidas determinando altos índices de morbidade e mortalidade. Por isso crescentes esforços têm sido empregados para a melhor compreensão dos eventos celulares, da susceptibilidade genética e dos fatores de risco que atuando em conjunto dão origem e atuam na progressão do carcinoma epidermóide de boca. Buscando novas facetas da carcinogênese oral e baseando-se no papel pró-carcinogênico que os hormônios esteróides desempenham nas neoplasias dos órgãos reprodutivos, alguns estudos passaram a avaliar o papel desses hormônios na patogênese e progressão do CE. O propósito deste trabalho foi avaliar a presença dos receptores de androgênio, estrogênio (alfa e beta) e da enzima aromatase em carcinomas epidermóides de boca (CE), através das técnicas de imuno-histoquímica, western-blotting e imunofluorescência, e comparar, com base no gênero (masculino e feminino), os resultados encontrados. Da amostra de CE utilizada, 30 eram pertencentes a pacientes do gênero feminino e 30 do masculino. Para as reações de Western blotting e imunofluorescência foram utilizadas duas linhagens celulares: OSCC9 e OSCC25...

‣ Perfil dos esteroides gonadais e expressão dos hormônios folículo estimulante (FSH) e luteinizante (LH) durante a inversão sexual de Epinephelus marginatus (Teleostei: Serranidae), hermafrodita protogínico, utilizando-se inibidor de aromatase; Gonadal steroids profile and expression of follicle-stimulating (FSH) and luteinizing (LH) hormones during the sex reversal of Epinephelus marginatus (Teleostei: Serranidae) hermaphroditic protogynous, using aromatase inhibitor

Garcia, Carlos Eduardo de Oliveira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 03/08/2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.403115%
A plasticidade do desenvolvimento gonadal em peixes, que contrasta com os padrões mais estáveis encontrados nos demais vertebrados, deu origem a várias questões intrigantes relativas tanto ao seu significado adaptativo quanto aos fatores genéticos e fisiológicos que modulam o processo. A inversão do sexo em peixes hermafroditas seqüenciais (protândricos ou protogínicos) ocorre em decorrência de diversos fatores, dentre eles, fisiológicos, genéticos e comportamentais podendo ser ainda decorrente do comportamento social. A garoupa verdadeira, Epinephelus marginatus é um peixe teleósteo, hermafrodita protogínico característico do litoral rochoso, maturando primeiramente como fêmeas, e posteriormente, na vida adulta, os ovários são substituídos por testículos, transformando-os em machos reprodutivamente ativos. No presente trabalho foram realizados três experimentos de inversão sexual em condições assistidas, em diferentes estações do ano, utilizando a mesma dose do inibidor de aromatase (IA) letrozole (100μg/Kg) para promover a inversão sexual de E. marginatus visando contribuir e aprimorar o conhecimento dos mecanismos fisiológicos envolvidos nesse processo. O primeiro e o terceiro experimentos foram iniciados na primavera e início da primavera respectivamente e promoveram a inversão sexual com uma diminuição no índice gonadossomático (IGS) nos animais do grupo experimental que apresentaram uma desorganização gonadal peculiar...

‣ Expressão do gene da aromatase (CYP19A1) nas células da granulosa murais luteinizadas de mulheres com endometriose submetidas a técnicas de reprodução assistida; Aromatase gene expression (CYP19A1) in mural lutein-granulosa cells of women with endometriosis undergoing assisted reproduction techniques

Abreu, Lauriane Giselle de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 26/03/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.50371%
Introdução:Até 60% das mulheres com endometriose apresentam como sintoma a infertilidade. Entretanto, os mecanismos envolvidos ainda permanecem não totalmente esclarecidos, especialmente quando não há distorção da anatomia pélvica. A etiologia multifatorial e comprometimento poligênico nesta doença têm sido amplamente aceitos. A aromatase é uma molécula das mais estudadas e há evidências de aumento da expressão do seu gene no endométrio eutópico e ectópico na endometriose. Esta enzima, codificada pelo gene CYP19A1, converte andrógenos a estrógenos e está presente normalmente nas células da granulosa, onde é fundamental para a produção esteroidogênica intrafolicular. Estudos in vitropor cultivo de células da granulosa, mostraram redução da atividade da aromatase em mulheres com endometriose. Devido à escassez de estudos que analisem a expressão do seu gene (CYP19A1) nessas células foi o que estimulou a proposta deste estudo. Este trabalho tem porobjetivo medir a expressão do gene da aromatase por PCR em tempo real nas células da granulosa luteinizadas murais de mulheres com endometriose submetidas a técnicas de reprodução assistida. Pacientes e Métodos: Estudo caso-controle...

‣ Expressão gênica da aromatase em folículos pilosos do vértice do escalpo de mulheres com ciclos ovulatórios e pacientes com síndrome dos ovários policísticos (PCOS) : análise de associação com parâmetros hormonais e metabolicos

Maier, Polyana Sartori
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.552275%
O entendimento dos mecanismos de ação hormonal envolvidos com o crescimento do pêlo são de grande relevância na área médica e podem representar novas perspectivas no tratamento para distúrbios de crescimento de pêlos. A aromatase, enzima que converte androgênios em estrogênios, é uma das enzimas-chave relacionadas com o metabolismo intra-tecidual de hormônios sexuais. O objetivo desse estudo foi determinar a expressão gênica da enzima aromatase em folículos pilosos do vértice do escalpo de mulheres com ciclos regulares e ovulatórios e em pacientes com PCOS, verificando possíveis associações com variáveis hormonais e metabólicas dessas mulheres. Cinqüenta e quatro mulheres no menacme preencheram os critérios de inclusão (23 com PCOS e 31 com ciclos regulares e ovulatórios) e completaram avaliação antropométrica, hormonal e metabólica. Uma sub-amostra de 16 mulheres (11 com ciclos regulares e ovulatórios e 5 com PCOS) foi selecionada para coleta de folículos pilosos através da técnica do arrancamento. A expressão do gene da aromatase foi avaliada por PCR em tempo real, e os resultados foram normalizados em relação ao gene constitutivo b2-microglobulina. A expressão do gene da aromatase foi observada nos folículos pilosos da região do escalpo de mulheres dos dois grupos em estudo. A expressão deste gene foi de intensidade baixa e variável entre as amostras estudadas e não houve diferença estatisticamente significativa da relação dos genes aromatase/b2-microglobulina entre o grupo de mulheres com ciclos regulares [80 (35...

‣ Expressão protéica das isoformas do receptor de estrogênio α e β e da aromatase em miométrio normal e leiomioma uterino

Grings, Anelise Olmos
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.340427%
Introdução: Miomas são tumores benignos extremamente comuns em mulheres em idade reprodutiva. Constituem um importante problema de saúde pública, uma vez que atualmente o tratamento cirúrgico é o mais eficaz. Os estrógenos parecem ter importante participação no desenvolvimento e crescimento dos miomas. Dentre as hipóteses estudadas para explicar esta influência, destacamse o aumento da concentração de receptores de estrogênio no tecido miomatoso e a habilidade deste de converter androgênios em estrogênio in situ, via aumento da expressão da aromatase. Métodos: Foi realizado um estudo caso-controle. Foram obtidas amostras de miomas e miométrios normais de 14 pacientes em idade reprodutiva que se submeteram a histerectomia por miomatose. Resultados: Foram avaliadas amostras de leiomioma e miométrio normal de 12 pacientes. Não foi encontrada diferença estatisticamente significativa entre a expressão protéica dos receptores REα, REβ e da aromatase (P= 0,239, P = 0,695 e P = 0,203, respectivamente). Conclusão: Não foi encontrada diferença estatisticamente significativa na expressão protéica dos receptores de estrógeno alfa e beta e na expressão protéica da aromatase. Os estudos realizados até o momento em relação a este assunto são controversos e o assunto está longe de ser esclarecido.; Introduction: Leiomyomas are common benign tumors of the female reproductive tract. They are a major public health problem since nowadays surgical treatment is the most effective. Evidence suggests that estrogens regulate cell proliferation and myoma growth. This estrogen-mediated effect might be due to different amounts of estrogen receptors (ERα and ERß) in normal and myoma tissues and overexpression of aromatase P450 in myomas...

‣ Níveis séricos e expressão gênica de leptina, adiponectina e aromatase em tecido adiposo de mulheres com a síndrome dos ovários policísticos

Lecke, Sheila Bünecker
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.44681%
A síndrome dos ovários policísticos (polycystic ovary syndrome – PCOS) constitui o distúrbio endócrino mais comum em mulheres em idade reprodutiva, afetando cerca de 5 a 10% das mulheres em todo o mundo. Caracteriza-se por hiperandrogenismo e disfunção ovariana, incluindo oligo-anovulação e/ou ovários policísticos na ausência de outras doenças que causem hiperandrogenismo. Também importante é o reconhecimento da PCOS como uma disfunção metabólica, manifestada por obesidade abdominal, resistência à insulina, dislipidemia e hipertensão. Estes fatores aumentam o risco para diabetes tipo 2 e, provavelmente, doença cardiovascular. O tecido adiposo secreta adipocinas e pode mediar inúmeros processos fisiológicos. Entre as adipocinas, a leptina e a adiponectina têm sido associadas com índice de massa corporal (IMC), ação da insulina e metabolismo da glicose. Além disso, o tecido adiposo armazena, mobiliza e forma esteróides a partir de interconversões de vários metabólitos hormonais. A aromatase é a enzima-chave para a síntese de estrogênios a partir de androgênios e está presente no tecido adiposo. Evidências indicam associações entre hormônios sexuais e hipertensão arterial sistêmica. Nas mulheres com PCOS...

‣ Reproductive changes in male rats treated perinatally with an aromatase inhibitor.

Gerardin, Daniela C. C.; Pereira, Oduvaldo C. M.
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 301-305
Português
Relevância na Pesquisa
37.374844%
The effects of maternal exposure to aromatase inhibitor during the perinatal period of sexual brain differentiation were studied. The fertility was assessed in adult, male rat offspring of aromatase inhibitor-treated dams. The following results were obtained: (1) Sexual maturation, body weight, and wet weights of testis, pituitary, seminal vesicle, ventral prostate, and levatori ani muscle were unchanged at adult life. (2) Fifty percent of the animals were able to mate with normal females, which became pregnant but exhibited an increased number of preimplantation loss. (3) There was a decrease in the number of spermatozoa found in the testes and in the daily sperm production. (4) Of those, 25% of the male rats treated with aromatase inhibitor did not present male sexual behavior, showing female behavior when pretreated with estrogen. These results indicate that perinatal exposure to aromatase inhibitor during the critical period of male brain sexual differentiation has a long-term effect on the reproductive physiology and behavior of male rats.

‣ Immunoexpression of aromatase and estrogen receptors β in stem spermatogonia of bullfrogs indicates a role of estrogen in the seasonal spermatogonial mitotic activity

Caneguim, Breno Henrique; Luz, Juliana Silva da; Valentini, Sandro Roberto; Cerri, Paulo Sérgio; Sasso-Cerri, Estela
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 65-72
Português
Relevância na Pesquisa
37.340427%
Bullfrog stem spermatogonia, also named primordial germ cells (PGCs), show strong testosterone immunolabeling in winter, but no or weak testosterone immunoexpression in summer. Thus, the role of testosterone in these cells needs to be clarified. In this study, we proposed to evaluate whether PGCs express aromatase and estrogen receptors, and verify a possible role of estrogen in PGCs seasonal proliferation. Testes of male adult bullfrogs, collected in winter (WG) and summer (SG), were fixed and embedded in historesin, for quantitative analysis, or paraffin for immunohistochemistry (IHC). The number of haematoxylin/eosin stained PGCs/lobular area was obtained. Proliferating cell nuclear antigen (PCNA), aromatase, estrogen receptor β (ERβ) and PCNA/ERβ double immunolabeling were detected by IHC. The number of PCNA-positive PGCs and the histological score (HSCORE) of aromatase and ERβ immunolabeled PGCs were obtained. Although the number of PGCs increased significantly in WG, a high number of PCNA-positive PGCs was observed in summer. Moreover, aromatase and ERβ HSCORE was higher in SG than WG. The results indicate that PGCs express a seasonal proliferative activity; the low mitotic activity in winter is related to the maximal limit of germ cells which can be supported in the large lobules. In SG...

‣ Dosagem sérica de vitamina D como fator preditivo do estado da massa mineral óssea em mulheres em uso de inibidores de aromatase; Blood measures of vitamin D are an effective way to follow bone mass reduction of women in treatment for breast cancer with aromatase inhibitors

Ana Karina Bartmann
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/08/2012 Português
Relevância na Pesquisa
37.50371%
Introdução: O uso de inibidores de aromatase para o tratamento de longo prazo de pacientes com câncer de mama com receptores hormonais positivos tem sido considerado uma boa maneira de controlar a doença em termos de recorrência e metástases. Infelizmente, no entanto, os inibidores de aromatase podem reduzir drasticamente a massa óssea mineral. Devido a este fato, hoje em dia tem sido considerado de extrema importância a realização de exames complementares para a avaliação do status ósseo como marcadores do metabolismo ósseo e densitometrias ósseas. A vitamina D é de especial interesse em termos de câncer, uma vez que poderia ser bom preditor do desenvolvimento não só da osteoporose, mas também de eventual recorrência tumoral. Material e Métodos: A fim de verificar a relação entre a densidade mineral óssea (DMO) e valores de vitamina D foram avaliados níveis de vitamina D e cálcio no sangue, além de densitometrias ósseas e calciúria de 24 horas de 147 pacientes com diagnóstico de câncer de mama - 80 pacientes em uso de inibidores da aromatase e 67 pacientes em uso de tamoxifeno (grupo controle). As pacientes foram estratificadas por tempo de utilização da medicação: <1 ano, 1-2 anos, 2-3 anos, 3-4 anos e 4-5 anos. Vinte e um pacientes com baixa densidade mineral óssea e os valores baixos de vitamina D sérica foram tratadas com suplementação oral de 800 UI/dia de vitamina D durante 1 ano. Os valores de DMO...

‣ Manejo farmacológico da baixa estatura: o papel dos inibidores da aromatase

Damiani,Durval; Damiani,Daniel
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2007 Português
Relevância na Pesquisa
37.297612%
OBJETIVO: Revisão sobre o uso de inibidores de aromatase, uma nova modalidade terapêutica em pacientes com baixa estatura, numa tentativa de evitar o avanço rápido da idade óssea, dependente da produção estrogênica, mesmo no sexo masculino. FONTES DOS DADOS: MEDLINE, com levantamento dos últimos 10 anos, com os termos inibidor de aromatase, baixa estatura e puberdade precoce, selecionando os textos mais informativos a respeito das indicações, uso, esquemas de tratamento e efeitos colaterais dos inibidores de aromatase. SÍNTESE DOS DADOS: Tem se tornado evidente que o avanço da idade óssea depende da produção estrogênica e da ação desse hormônio sobre a placa de crescimento. Nos meninos, a conversão testosterona para estradiol ocorre pela ação da enzima P450 aromatase. O uso de bloqueadores desta enzima tem se mostrado efetivo em prolongar o tempo de crescimento em crianças com baixa estatura idiopática, atraso constitucional de crescimento e puberdade e mesmo na deficiência de hormônio de crescimento, em que o avanço da idade óssea coloca em risco os resultados da terapia com reposição hormonal com hormônio de crescimento. Não tem havido problemas com efeitos adversos, e os resultados são animadores em termos de melhora efetiva da altura final sempre que a indicação tenha sido pertinente. CONCLUSÕES: Dentre as opções do manejo farmacológico da baixa estatura...

‣ Expressão da aromatase em carcinomas de mama ductais invasivo e in situ presentes na mesma mama

Oliveira,Vilmar Marques de; Ribeiro,Lecticia de Siqueira; Rossi,Lia Mara; Silva,Maria Antonieta Longo Galvão; Aldrighi,José Mendes; Bagnoli,Fábio; Rinaldi,José Francisco; Aoki,Tsutomu
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.403115%
OBJETIVO: Avaliar expressão da enzima aromatase nos carcinomas de mama ductais invasivos (CDI), in situ (CDIS), no epitélio e estromas adjacentes. MÉTODOS: Foram avaliados 45 espécimes cirúrgicos provenientes de mastectomias e quadrantectomias com CDI e CDIS concomitantes de pacientes com estadios clínicos I e II. A análise da expressão da enzima aromatase foi realizada por meio de anticorpos policlonais antiaromatase e categorização das amostras de acordo com intensidade e número de células coradas. RESULTADOS: Nos 45 casos de CDI a expressão da aromatase foi positiva em 32 espécimes (71%) e negativa em 13 (29%). Nos casos de CDIS, a positividade foi idêntica à observada no CDI, mostrando correlação positiva. No epitélio normal constatou-se expressão positiva em 19 casos (42,2%) e negativa nos outros 26 (57,8%), mostrando correlação positiva estatisticamente (p<0,01), quando comparada com CDI e CDIS. Na análise do estroma normal a expressão da aromatase foi observada em apenas sete (15,5%) dos 45 casos avaliados, não apresentando correlação com nenhuma variável analisada para expressão da aromatase. A presença da aromatase no estroma tumoral foi positiva em 36 casos (80%) e negativa em 9 (20%), mostrando correlação estatisticamente com a expressão no CDI (p<0...

‣ The interaction between aromatase, metalloproteinase 2,9 and cd44 in breast cancer

Bagnoli,Fábio; Oliveira,Vilmar Marques de; Silva,Maria Antonieta Longo Galvão da; Taromaru,Giuliana Cássia Morrone; Rinaldi,José Francisco; Aoki,Tsutomu
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 Português
Relevância na Pesquisa
37.374844%
OBJECTIVE: This study intends to verify the expression levels and correlation of aromatase, matrix metalloproteinase 2 (MMP-2), matrix metalloproteinase 9 (MMP-9) and CD44 in ductal carcinoma in situ (DCIS) and infiltrating ductal carcinoma (IDC) when both are found in the same breast. METHODS: One hundred and ten cases were evaluated by tissue microarray (TMA) and immunohistochemically screened with anti-aromatase polyclonal antibodies, anti-MMP-2 monoclonal antibodies, anti-MMP-9 policlonal antibodies and anti-CD44 monoclonal antibodies. RESULTS: Aromatase was expressed in IDC and DCIS in 63 (57.3%) and 60 (67%) of the cases respectively; MMP-2 was similarly expressed in IDC and DCIS in 15 (13.60%) cases; MMP-9 was positively expressed in IDC and DCIS in 83 (75.50%) and 82 (74.50%) cases, respectively; CD44 was positively expressed in IDC and DCIS in 49 (44.50%) and 48 (42.60%) of the cases, respectively; all of them were highly correlated (p<0,001). The correlation analysis found positive, statistically significant correlation, in IDC between aromatase and MMP-2 (p<0.001) and between aromatase and MMP-9 (p=0.034). Positive correlation between aromatase and MMP-2 (p<0.001) and between MMP-9 and CD44 (p=0.030) were found in DCIS. CONCLUSION: These results allow us to conclude that aromatase through local estrogen synthesis in breast tissue plays an important role in breast carcinogenesis...

‣ Role of aromatase inhibitors in breast cancer

Carpenter, R; Miller, W R
Fonte: Nature Publishing Group Publicador: Nature Publishing Group
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.340427%
Primarily, the role of the aromatase inhibitors has been investigated in postmenopausal women with breast cancer, although it is also now being assessed in premenopausal patients following ovarian ablation/suppression. Aromatase inhibitors markedly suppress endogenous oestrogens without directly interacting with oestrogen receptors, and thus have a different mechanism of action to the antioestrogen, tamoxifen. The inhibitors may be divided into subgroups according to their structure (steroidal and nonsteroidal), and there appears to be a lack of cross-resistance between the classes of aromatase inhibitors enabling them to be used sequentially and potentially to prolong endocrine hormone therapy. In addition, with increased efficacy and favourable safety and tolerability profiles, the aromatase inhibitors are starting to challenge tamoxifen as first choice endocrine treatment in a number of settings. Potential differences in side-effect profiles may appear between the steroidal and nonsteroidal aromatase inhibitors when used in long-term settings. Thus, it has been suggested that the steroidal agents have favourable end organ effects; for example, the steroidal inhibitor, exemestane, has minimal negative effects on bone and lipid metabolism in animal and clinical studies. This paper provides an overview of the current and future roles of aromatase inhibitors for breast cancer treatment.

‣ A case of Aromatase deficiency due to a novel CYP19A1 mutation

Gagliardi, L.; Scott, H.; Feng, J.; Torpy, D.
Fonte: BioMed Central Ltd Publicador: BioMed Central Ltd
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
37.479004%
BACKGROUND Aromatase deficiency is a rare, autosomal recessive disorder of which there are approximately twenty four case reports. The aromatase enzyme is crucial in the biosynthesis of oestrogens from androgens. The phenotype of aromatase deficiency therefore is the result of androgen excess and oestrogen deficiency in the absence of normal aromatase activity. We report the first case of aromatase deficiency diagnosed in a female adult, at the age of 32 years, due to a novel duplication in the aromatase gene. CASE PRESENTATION A 32 year old Indian woman presented with a history of gender assignment difficulties at birth, lack of pubertal development, osteopaenia with fracture and tall stature. She had central obesity, impaired fasting glucose and borderline hypertension. Past examinations had revealed partial fusion of urethra and vagina, hypoplastic uterus and streak ovaries. The ovaries had been excised due to malignant risk after an initial clinical diagnosis of Turner’s syndrome with Y mosaicism. Oestrogen replacement commenced shortly after her fracture, in adulthood. After reassessment, aromatase deficiency was diagnosed. Sequencing of the coding exons of the aromatase (CYP19A1; OMIM 109710) gene revealed a novel 27-base duplication in exon 8 (p.Ala306_Ser314dup). This duplication...