Página 1 dos resultados de 473 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

‣ A "financeirização" no capitalismo contemporâneo: uma discussão das teorias de François Chesnais e David Harvey; The "financialization" of contemporay capitalism: a discussion of the theories of François Chesnais and David Harvey

Lapyda, Ilan
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/08/2011 Português
Relevância na Pesquisa
68.432056%
A dissertação procura compreender o fenômeno da financeirização no âmbito do capitalismo contemporâneo. Uma série de transformações iniciadas nos anos 1970 assinalou o declínio do regime de acumulação fordista e a provável emergência de uma nova fase do capitalismo. Sua característica fundamental consiste em um movimento de financeirização, decorrente em parte de mudanças desenvolvidas na esfera financeira. Seus traços mais destacados são o aumento exponencial das transações, tanto em termos absolutos como em relação às atividades produtivas; a liberalização e desregulamentação de mercados e das atividades financeiras em todo o mundo; o surgimento de novos agentes e instituições ligados às finanças. Processo este que desembocou no aumento da importância do capital financeiro nos circuitos de valorização. O caráter recente deste fenômeno ainda não permitiu que fossem estabelecidos consensos teóricos sobre a questão. Por conta disso, a dissertação debruça-se sobre as obras de dois pensadores marxistas, François Chesnais e David Harvey, buscando estabelecer semelhanças, diferenças e, sobretudo, as complementaridades de suas contribuições. A escolha de Chesnais se impõe pelo papel destacado que o assunto ocupa em sua obra. Harvey...

‣ Teorizando o mundo contemporâneo: Robert Brenner; Giovanni Arrighi; David Harvey

Postone,Moishe
Fonte: Centro Brasileiro de Análise e Planejamento Publicador: Centro Brasileiro de Análise e Planejamento
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2008 Português
Relevância na Pesquisa
58.006274%
O artigo busca apreender as profundas transformações sociais, políticas, econômicas e culturais que marcaram as três últimas décadas, em contraste com o período de prosperidade subseqüente à Segunda Guerra Mundial. Para tanto, o autor analisa criticamente três obras específicas que abordam o período: "The economics of global turbulence", de Robert Brenner, O longo século XX, de Giovanni Arrighi, e A condição pós-moderna, de David Harvey. O procedimento metateórico adotado permite apontar os requisitos de uma teoria crítica adequada ao capitalismo contemporâneo.

‣ Símbolo e signo: o dinheiro no capitalismo contemporâneo

Paulani,Leda Maria; Müller,Leonardo André Paes
Fonte: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE Publicador: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 Português
Relevância na Pesquisa
68.463154%
O presente texto busca refletir sobre a natureza do dinheiro no capitalismo contemporâneo, debruçandose particularmente sobre o fato de que, atualmente, não só no plano nacional, mas também no mundial, o objeto que corporifica o dinheiro é inconversível, ou seja, não tem lastro, nem nenhuma relação, por remota que seja, com uma mercadoria de verdade. O enfoque teórico é aquele oferecido pela teoria de Marx, paradigma esse que é tratado a partir de uma leitura hegeliana. Partimos da diferença entre símbolo e signo, para mostrar de que maneira Marx, movendo-se no arcabouço hegeliano, pôde construir uma linguagem das mercadorias, onde o dinheiro - e a autonomia que ele detém ante as coisas que representa - tem papel de destaque, associando, finalmente, essa construção teórica com a natureza do dinheiro no capitalismo contemporâneo.

‣ Capitalismo, crise e lutas de classes contemporâneas: questões e polêmicas

Braz,Marcelo
Fonte: Cortez Editora Ltda Publicador: Cortez Editora Ltda
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 Português
Relevância na Pesquisa
58.023325%
O texto apresenta questões e polêmicas relacionadas ao momento atual do desenvolvimento capitalista. Divido a exposição em quatro partes que se relacionam entre elas. Uma primeira discute o capitalismo contemporâneo e as condições de sua crise. A segunda mostra os dados reais que condensam o desenvolvimento contraditório capitalista em dois níveis: barbárie e restauração. A terceira parte levanta algumas questões práticas e teóricas para refletir sobre as condições atuais das lutas de classes. Por último, um breve balanço que sugere alguns caminhos.

‣ Valor, renda e "imaterialidade" no capitalismo contemporâneo

Cavalcante,Sávio Machado
Fonte: Universidade Federal da Bahia - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas - Centro de Recursos Humanos Publicador: Universidade Federal da Bahia - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas - Centro de Recursos Humanos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2014 Português
Relevância na Pesquisa
58.023325%
O capitalismo contemporâneo é marcado pela crescente conjunção da produção tradicional de mercadorias "físicas" com a criação de bens e serviços intangíveis que são permutados pela informação, conhecimento ou apelo artístico ou cultural que possuem. Esse cenário foi possibilitado por novas tecnologias que modificam os processos de trabalho e promovem questionamentos sobre a teoria do valor desenvolvida por Marx. O objetivo deste artigo é problematizar essas questões a partir de intervenções de autores brasileiros que confluem para as seguintes conclusões: ciência e tecnologias são mobilizadas para a produção de mercadorias "sem valor", consequentemente, a apropriação capitalista assume um caráter cada vez mais rentista, e é possível analisar tal processo a partir de determinações da teoria do valor de Marx que levam à autonomização da forma capital em relação a seus conteúdos. Assim, argumenta-se que, em vez de sua obsolescência, o valor passa por uma transformação qualitativa e permanece como norma produtiva, ainda que sob uma forma "desmedida".

‣ Regulação social e acumulação por espoliação: reflexão sobre a essencialidade das teses da financeirização e da natureza do estado na caracterização do capitalismo contemporâneo

Almeida Filho,Niemeyer; Paulani,Leda Maria
Fonte: Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas Publicador: Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2011 Português
Relevância na Pesquisa
68.550493%
O artigo estrutura-se a partir da interpretação da natureza do capitalismo contemporâneo de David Harvey, particularmente de sua proposição de que esta natureza é essencialmente espoliadora. Esta proposição é confrontada e qualificada pelas teses da financeirização expressas na contribuição de François Chesnais. Daí em diante, mostra-se como a discussão do Estado, de sua forma de operação, sobretudo de suas funções de regulação social, introduz elementos essenciais do "campo político" na caracterização do capitalismo contemporâneo. Neste particular, incorporam-se elementos teóricos de Joachim Hirsch, relativos ao processo de regulação social, mostrando que, para ele, há um "sistema de regulação social" diversificado, que torna o tema da regulação bem mais complexo do que usualmente se reconhece. O artigo busca, assim, mostrar que a associação entre as teses da regulação social e da acumulação por espoliação pode ampliar o escopo de caracterização do processo social de reprodução no capitalismo de hoje, bem como a análise de suas condições de superar as crises.

‣ Especulação financeira e capitalismo contemporâneo: uma proposição teórica a partir de Marx

Sabadini,Mauricio de Souza
Fonte: Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas Publicador: Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 Português
Relevância na Pesquisa
68.215786%
No contexto da análise das fases de circulação e produção capitalista, o objetivo principal deste artigo é o de enfatizar que o processo de autonomização das formas funcionais do capital, com base na teoria do valor-trabalho de Marx e caracterizado principalmente pelo capital fictício, é um forte instrumento para explicar algumas transformações verificadas no capitalismo contemporâneo. Destaque especial para as crises capitalistas recentes e para o intenso processo de especulação financeira.

‣ Os determinantes da atuação dos intelectuais do trabalho no capitalismo contemporâneo

Andrade da Silva, Eliana; Maria Pereira da Silva, Zelia (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
68.334224%
Este estudo discute os determinantes da atuação dos intelectuais do trabalho no capitalismo contemporaneo, a partir da realidade dos projetos de assentamento de reforma grária do Rio Grande do Norte. O desvendamento deste objeto teve como caminho metodológico a análise das principais transformações que ocorrem no âmbito do Mercado, do Estado e da Sociedade Civil na atualidade. Dessa forma, partimos do pressuposto que as transformações do capital tem forjado determinações para a atuação dos intelectuais do trabalho, de forma que a ordem burguesa madura, tem construído novas formas de assimilação destes intelectuais, através de uma estratégia transformista. Foi-nos evidenciado na pesquisa, que o fenômeno do transformismo se situa no interior dos embates de projetos hegemônicos na sociedade brasileira, e ocorre de forma molecular sobre os intelectuais do trabalho, no conteúdo dos programas de reforma agrária, na precarização do trabalho experimentada pelos intelectuais e na fetichização da parceria Estado/sociedade civil, presente na visão de mundo dos entrevistados. O transformismo como assimilação dos intelectuais do trabalho ganha relevo diante do processo de identificamos na pesquisa como reatualização da modernização conservadora...

‣ Capitalismo Contemporâneo, Mudanças no Mundo do Trabalho e a Intermediação Pública da Força de Trabalho em Recife/PE: novas expressões da exploração da força de trabalho em tempos de desemprego e precarização

Izabella Alves Pinheiro, Karla; Falcão de Oliveira, Edelweiss (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
Português
Relevância na Pesquisa
58.239595%
O capitalismo contemporâneo vem assumindo, nas últimas décadas, uma configuração que acentuou sua lógica concentradora e destrutiva. O cenário de pobreza, exclusão, desigualdade social e degradação do meio ambiente que se delineia mundialmente explicita os caminhos perversos da atual etapa de desenvolvimento do sistema econômico capitalista. As necessidades e imperativos deste sistema, que acompanham e viabilizam sua própria existência, penetram em todas as esferas da sociabilidade humana, atingindo particularmente o mundo do trabalho. Assim, as transformações que estão ocorrendo no mundo do trabalho devem ser pensadas no interior das profundas mudanças que o capitalismo vem sofrendo, em escala mundial, tanto na sua estrutura produtiva, quanto no universo de suas idéias e valores. Enquanto respostas do sistema de capital em torno da realização de seu constante desejo de obtenção de lucro, a reestruturação produtiva e o neoliberalismo produziram resultados desemprego estrutural, precarização e desregulamentação do trabalho que revelam um forte incremento da exploração da força de trabalho. Tais mudanças também atingiram o mundo do trabalho brasileiro, incorporando-se às mazelas particulares...

‣ Marx, Keynes e Minsky: a supremacia das finanças no capitalismo contemporâneo

Camargo, Leonardo de Carvalho
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
68.580156%
Nas últimas três décadas do século XX e na primeira deste, as forças internas do sistema capitalista se alteraram de um tal modo, que denotam ter surgido um novo tipo de capitalismo que atualmente vigora. É um capitalismo de tipo financeiro – tendo a globalização das altas finanças como sua expressão máxima. Este novo arranjo societário é caracterizado por uma instabilidade crônica que acarreta inúmeros problemas em escala global. Dentre os quais, destaca-se a supremacia da esfera financeira sobre a produtiva. Tal supremacia é uma componente desestabilizadora do investimento, do financiamento das atividades produtivas, do emprego e da renda. Além do mais, desarticulou os Estados Nacionais e sua capacidade de intervenção visando dar disciplina e ordem ao sistema. Os Estados Nacionais também foram afetados na sua condição de criarem e efetivamente implementarem políticas objetivando o pleno emprego e a melhor geração e distribuição da renda e da riqueza. A partir de meados do século passado, forças histórico-estruturais surgiram e se ampliaram no capitalismo contemporâneo. Uma tal junção do estrutural com o histórico tornou possível à supremacia das finanças, principalmente por intermédio de sua vertente maior: a globalização financeira (Capítulo I). O esforço desta Dissertação está centrado no argumento de que a supremacia das finanças é uma característica inerente ao próprio modo de funcionamento do capitalismo e que...

‣ Símbolo e signo: o dinheiro no capitalismo contemporâneo

PAULANI, Leda Maria; MÜLLER, Leonardo André Paes
Fonte: Instituto de Pesquisas Econômicas da FEA-USP Publicador: Instituto de Pesquisas Econômicas da FEA-USP
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
68.463154%
O presente texto busca refletir sobre a natureza do dinheiro no capitalismo contemporâneo, debruçandose particularmente sobre o fato de que, atualmente, não só no plano nacional, mas também no mundial, o objeto que corporifica o dinheiro é inconversível, ou seja, não tem lastro, nem nenhuma relação, por remota que seja, com uma mercadoria de verdade. O enfoque teórico é aquele oferecido pela teoria de Marx, paradigma esse que é tratado a partir de uma leitura hegeliana. Partimos da diferença entre símbolo e signo, para mostrar de que maneira Marx, movendo-se no arcabouço hegeliano, pôde construir uma linguagem das mercadorias, onde o dinheiro - e a autonomia que ele detém ante as coisas que representa - tem papel de destaque, associando, finalmente, essa construção teórica com a natureza do dinheiro no capitalismo contemporâneo.; This paper aims to reflect about money in contemporary capitalism, particularly about the question related to the fact that, nowadays, even in the world level, the thing that embodies money (the American dollar) is inconvertible, i.e., doesn't have ballast, doesn't have any relationship, even remote, with a true commodity. The theoretical approach is that offered by Marxian monetary theory...

‣ Economia desregrada : Marx, Keynes e Polanyi e a riqueza no capitalismo contemporaneo

Jose Rubens Damas Garlipp
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/05/2001 Português
Relevância na Pesquisa
58.698594%
Em um esforço para apanhar o substrato do capitalismo contemporâneo, esta tese busca identificar as formas como o desaparecimento das regras e das fronteiras deixa o capital entregue às suas próprias leis de movimento. Nesse sentido, propõe que um quadro aproximativo do capitalismo contemporâneo pode ser desenhado por meio do conceito de economia desregrada (INTRODUÇÃO). O argumento explorado é o de que a construção de circuitos internacionais produtivos e, principalmente, financeiros de valorização do capital responde pelo desmantelamento do ?padrão? global de desenvolvimento herdado do pós-guerra. Assim é que a financeirização da riqueza, exponenciada pelas inovações dos instrumentos financeiros e desregulação dos mercados que caracterizam as políticas econômicas ocidentais das últimas décadas, ao tempo em que preside a lógica de valorização do capital, não faz mais que tornar claro o objetivo precípuo do capitalismo: a expansão da riqueza abstrata. Esta característica central e distintiva do capitalismo é, sob perspectivas teóricas distintas, sublinhada por Marx, Keynes e Polanyi, autores que analisam os fundamentos da riqueza capitalista e recusam a advocacia clássica acerca da capacidade de auto-regulação do mercado. Por conta disso...

‣ A diaspora do capital imobiliario, sua dinamica de valorização e a cidade no capitalismo contemporaneo : a irracionalidade em processo; The diaspora of the real estate capital, dynamics of valorization and the city in the contemporary capitalism : the irrationality in process

Claudio Cesar de Paiva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 30/07/2007 Português
Relevância na Pesquisa
48.215786%
A problemática fundamental da tese é compreender, a partir de incursões teóricas e empíricas, a estreita imbricação entre o capital financeiro e o capital imobiliário, que procuram interagir de maneira sistêmica para potencializar a acumulação de capital. Desta maneira, será possível realizar uma reflexão teórica não somente acerca das articulações e conflitos existentes entre os agentes que participam do processo de apropriação do espaço urbano, mas, sobretudo, compreender a força do capital financeiro imobiliário no capitalismo contemporâneo. Não obstante, procura-se enfatizar em diversos momentos do trabalho que não se trata de uma relação recente entre essas duas frações do capital, mas de uma relação que adquire contornos diferenciados no capitalismo contemporâneo, onde o padrão de acumulação está baseado predominantemente na financeirização. Num contexto em que o setor imobiliário emerge como alvo privilegiado do investimento realizado por grandes investidores institucionais e por instituições financeiras bancárias e não-bancárias, o capital financeiro imobiliário surge como resultado de uma busca incessante para 'revolucionar' as formas de acumulação de capital, decorrentes da exploração de ativos imobiliários. Para tanto...

‣ Dependência e superexploração do trabalho no capitalismo contemporâneo

Marques, Pedro
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); Associação Brasileira de Estudos do Trabalho (ABET) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); Associação Brasileira de Estudos do Trabalho (ABET)
Tipo: Livros
Português
Relevância na Pesquisa
68.215786%
A obra de Ruy Mauro Marini durante muito tempo ficou negligenciada em seu próprio país de origem. Entretanto, a vitalidade de seus trabalhos, no contexto da formação da Teoria Marxista da Dependência, parece resistir à prova do tempo; caso contrário, não despertaria o interesse crescente de estudantes e pesquisadores, nem se multiplicaria o volume de trabalhos científicos que transitam pela sua complexa produção teórica. O objetivo deste trabalho é discutir, sem pretender esgotar, obviamente, questões relacionadas à categoria da superexploração da força de trabalho, originalmente desenvolvida por Marini e concebida como núcleo de sua interpretação do desenvolvimento capitalista dependente. O trabalho está dividido em outros três capítulos. No segundo capítulo, busca-se apresentar uma discussão a respeito das principais determinações teóricas em torno da construção do conceito da superexploração do trabalho e das contradições que ele visa representar. Nos dois capítulos seguintes, é abordada a questão da atualidade dessa categoria no tocante ao que denomina-se hipótese da tendência à generalização da superexploração do trabalho no capitalismo contemporâneo, proposta por Marini, como efeito dos avanços nos processos de internacionalização do capital a partir dos anos 80 e 90 do século XX.; 130 p.

‣ Símbolo e signo: o dinheiro no capitalismo contemporâneo

Paulani, Leda Maria; Müller, Leonardo André Paes
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2010 Português
Relevância na Pesquisa
68.463154%
This paper aims to reflect about money in contemporary capitalism, particularly about the question related to the fact that, nowadays, even in the world level, the thing that embodies money (the American dollar) is inconvertible, i.e., doesn't have ballast, doesn't have any relationship, even remote, with a true commodity. The theoretical approach is that offered by Marxian monetary theory, paradigm that is read in a Hegelian way. We depart from the difference between symbol and sign to show how Marx, moving within the Hegelian framework, could construct a commodities language, in which money - and the autonomy it has in face of the things it represents - has a detached role. Finally we indicate the relation we see between this theoretical construct and the nature of money in contemporary capitalism.; O presente texto busca refletir sobre a natureza do dinheiro no capitalismo contemporâneo, debruçandose particularmente sobre o fato de que, atualmente, não só no plano nacional, mas também no mundial, o objeto que corporifica o dinheiro é inconversível, ou seja, não tem lastro, nem nenhuma relação, por remota que seja, com uma mercadoria de verdade. O enfoque teórico é aquele oferecido pela teoria de Marx, paradigma esse que é tratado a partir de uma leitura hegeliana. Partimos da diferença entre símbolo e signo...

‣ Contemporary capitalism and social policy; Capitalismo contemporâneo e política social

Demo, Pedro; UnB - Brasília - DF
Fonte: Editora da Universidade Federal de Santa Catarina (Edufsc) Publicador: Editora da Universidade Federal de Santa Catarina (Edufsc)
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2005 Português
Relevância na Pesquisa
58.023325%
  This article seeks to analyze the extreme difficulty of adapting social policy to the current form of capitalism. It aims to stimulate a broad discussion about what can be done in the sphere of social policy, beyond compensatory and marginal programs. It is based on the idea that capitulation does not make sense, because it is a position typical of one who studies, but does not suffer from poverty. It also highlights the formidable barriers to attempts at redistributive and emancipatory social policy. It maintains that some Marxist concepts are essential for an understanding of the current capitalist situation, such as surplus value in relation to the abstract character of commodities.;   Neste texto procura-se fundamentar a dificuldade extrema de compatibilizar política social com o atual capitalismo, numa abordagem ampla destinada a fomentar a discussão em torno do que poderia ser feito na esfera da política social, mas que não seja apenas compensatório e residual. Parte-se da idéia de que capitular não faz sentido, porque seria uma postura típica de quem estuda, não sofre pobreza, mas, no outro lado, cabe vislumbrar os empecilhos formidáveis que atalham as tentativas de política social redistributiva e emancipatória. Em grande parte...

‣ Los nuevos fetichismos en el capitalismo contemporáneo

Fuentes,Mario Luis
Fonte: Universidad Nacional Autónoma de México, Facultad de Economía Publicador: Universidad Nacional Autónoma de México, Facultad de Economía
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2015 Português
Relevância na Pesquisa
58.152256%
Se resalta que hace falta construir un relectura de Marx en muchos de los temas centrales de su obra y se advierte que el problema de la economía política ha sido abandonado en casi todos los espacios de discusión académica planetaria, como si los procesos esenciales del capitalismo se hubiesen modificado o hasta desaparecido con la caída del viejo "bloque soviético". El artículo propone retraer pasajes que mantienen plena vigencia del pensamiento marxista en el siglo XXI, a fin de tomarlos como puntos de partida para el re-análisis de cuestiones económicas y sociales, a las señalo como los nuevos fetichismos del capitalismo contemporáneo.

‣ Regulação social e acumulação por espoliação – reflexão sobre a essencialidade das teses da financeirização e da natureza do Estado na caracterização do capitalismo contemporâneo

Almeida Filho, Niemeyer; Paulani, Leda Maria
Fonte: Universidade Estadual de Campinas - Instituto de Economia - Setor de Publicações Publicador: Universidade Estadual de Campinas - Instituto de Economia - Setor de Publicações
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares;
Publicado em 06/01/2016 Português
Relevância na Pesquisa
68.550493%
O artigo estrutura-se a partir da interpretação da natureza do capitalismo contemporâneo de David Harvey, particularmente de sua proposição de que esta natureza é essencialmente espoliadora. Esta proposição é confrontada e qualificada pelas teses da financeirização expressas na contribuição de François Chesnais. Daí em diante, mostra-se como a discussão do Estado, de sua forma de operação, sobretudo de suas funções de regulação social, introduz elementos essenciais do “campo político” na caracterização do capitalismo contemporâneo. Neste particular, incorporam-se elementos teóricos de Joachim Hirsch, relativos ao processo de regulação social, mostrando que, para ele, há um “sistema de regulação social” diversificado, que torna o tema da regulação bem mais complexo do que usualmente se reconhece. O artigo busca, assim, mostrar que a associação entre as teses da regulação social e da acumulação por espoliação pode ampliar o escopo de caracterização do processo social de reprodução no capitalismo de hoje, bem como a análise de suas condições de superar as crises. Abstract The article is structured from David Harvey`s interpretation of the nature of contemporary capitalism, particularly his proposal that this nature is essentially predatory. This proposition is confronted and qualified by the theses of financialization expressed in the contribution by François Chesnais. Thereafter it is shown how the discussion of the State...

‣ Sobre as teorias do imperialismo contemporâneo: uma leitura crítica

Leite, Leonardo de Magalhães
Fonte: Universidade Estadual de Campinas - Instituto de Economia - Setor de Publicações Publicador: Universidade Estadual de Campinas - Instituto de Economia - Setor de Publicações
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares; Formato: application/pdf
Publicado em 09/12/2015 Português
Relevância na Pesquisa
58.124707%
A teoria marxista, através do imperialismo, tem um instrumento de caracterização e interpretação do capitalismo contemporâneo. Atualmente, diversas vertentes do campo marxista (e que se assumem enquanto tal) utilizam o imperialismo em suas análises, seja através do termo neoimperialismo, novo imperialismo, imperialismo tardio, Império, globalização, neoliberalismo, ou, simplesmente, imperialismo. Desta forma, o objetivo deste artigo é analisar as interpretações marxistas do imperialismo contemporâneo e responder à questão: existe uma teoria contemporânea do imperialismo? Abstract Marxist theory, through imperialism, has an analytical framework for the interpretation of contemporary capitalism. Currently, various aspects of the Marxist camp (and those who identify themselves as such) use imperialism in their analysis, either through the term neo-imperialism, newimperialism, late imperialism, Empire, globalization, neoliberalism, or simply imperialism. Thus, the aim of this paper is to analyze the Marxist interpretations of contemporary imperialism and answer the question: is there one contemporary theory of imperialism?Keywords: Imperialism; Ultraimperialism; Globalization; Contemporary capitalism; Marxism.

‣ Especulação financeira e capitalismo contemporâneo: uma proposição teórica a partir de Marx

Sabadini, Mauricio de Souza
Fonte: Universidade Estadual de Campinas - Instituto de Economia - Setor de Publicações Publicador: Universidade Estadual de Campinas - Instituto de Economia - Setor de Publicações
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares; Formato: application/pdf
Publicado em 11/12/2015 Português
Relevância na Pesquisa
68.215786%
No contexto da análise das fases de circulação e produção capitalista, o objetivo principal deste artigo é o de enfatizar que o processo de autonomização das formas funcionais do capital, com base na teoria do valor-trabalho de Marx e caracterizado principalmente pelo capital fictício, é um forte instrumento para explicar algumas transformações verificadas no capitalismo contemporâneo. Destaque especial para as crises capitalistas recentes e para o intenso processo de especulação financeira. Abstract Regarding the analysis of the stages of capitalist production and circulation, the main objective of this article is to emphasize that the self-expansion process of the functional forms of capital, is a tool that effectively explains the changes observed in contemporary capitalism.This process takes place under the foundations of Marx’s value theory, and is primarily characterized by fictitious capital. Particular attention is given to the recent capitalist crises and the intense financial speculation process.Keywords: Financial speculation; Fictitious capital; Crisis; Contemporary capitalism; Marxist theory.