Página 1 dos resultados de 6 itens digitais encontrados em 0.051 segundos

‣ O impacto do trabalho infantil no setor agrícola sobre a saúde

NICOLELLA, Alexandre Chibebe; KASSOUF, Ana Lúcia; BARROS, Alexandre Lahóz Mendonça de
Fonte: Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural Publicador: Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
57.996265%
O objetivo desse artigo é verificar se o trabalho infantil no setor agrícola produz impacto negativo sobre a saúde. Para a análise foram utilizadas as PNADs (Pesquisas Nacionais por Amostra de Domicílios) de 1998 e 2003, que trazem suplemento especial sobre saúde, empregando a técnica econométrica de pseudo-painel. Assim, foram consideradas as crianças de 5 a 15 anos em 1998 e de 10 a 20 anos em 2003. Os resultados mostram que, para os indivíduos economicamente ativos, a atividade no setor agrícola e o trabalho de risco no setor agrícola não diferem dos outros setores, ou seja, trabalhar no setor agrícola não impõe um maior desgaste à saúde em relação aos outros setores da economia. Se considerados todos os indivíduos economicamente ativos, os resultados mostram que o trabalho agrícola não afeta a saúde e que o trabalho não-agrícola tem impacto negativo. Dessa forma, acredita-se que a atuação do governo deve ser setorial, visando uma melhoria no acesso ao sistema de saúde, bem como aos medicamentos, e a promoção da educação materna com relação à saúde.; The aim of this dissertation is to identify the causal relation between rural child labour and health. The analysis utilized the PNAD, a Brazilian household survey...

‣ O atrito nas pesquisas longitudinais: o caso da pesquisa mensal de emprego (PME/IBGE)

Ribas,Rafael Perez; Soares,Sergei Suarez Dillon
Fonte: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE Publicador: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 Português
Relevância na Pesquisa
79.16283%
O objetivo deste artigo é estimar os determinantes da permanência de pessoas no painel da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) e, além disso, testar se ignorar a não-aleatoriedade do desgaste no painel causa algum viés em análises de regressão. Os resultados apontam que há uma forte correlação da taxa de atrito com as características geralmente associadas a uma mobilidade geográfica maior. Além disso, tanto características do processo de entrevista quanto fatores socioeconômicos estão significativamente relacionados à probabilidade de atrito no painel. Nos modelos adotados para testar o viés do desgaste no painel, assim como de outros critérios de seleção amostral, constatamos que todos estes são endógenos, apesar de alguns não estarem diretamente correlacionados com a equação de interesse. Por fim, mostramos que a ausência do controle para seleção amostral, o que inclui a retenção no painel, pode incorrer em algumas análises enviesadas.

‣ O impacto do trabalho infantil no setor agrícola sobre a saúde

Nicolella,Alexandre Chibebe; Kassouf,Ana Lúcia; Barros,Alexandre Lahóz Mendonça de
Fonte: Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural Publicador: Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 Português
Relevância na Pesquisa
47.99219%
O objetivo desse artigo é verificar se o trabalho infantil no setor agrícola produz impacto negativo sobre a saúde. Para a análise foram utilizadas as PNADs (Pesquisas Nacionais por Amostra de Domicílios) de 1998 e 2003, que trazem suplemento especial sobre saúde, empregando a técnica econométrica de pseudo-painel. Assim, foram consideradas as crianças de 5 a 15 anos em 1998 e de 10 a 20 anos em 2003. Os resultados mostram que, para os indivíduos economicamente ativos, a atividade no setor agrícola e o trabalho de risco no setor agrícola não diferem dos outros setores, ou seja, trabalhar no setor agrícola não impõe um maior desgaste à saúde em relação aos outros setores da economia. Se considerados todos os indivíduos economicamente ativos, os resultados mostram que o trabalho agrícola não afeta a saúde e que o trabalho não-agrícola tem impacto negativo. Dessa forma, acredita-se que a atuação do governo deve ser setorial, visando uma melhoria no acesso ao sistema de saúde, bem como aos medicamentos, e a promoção da educação materna com relação à saúde.

‣ O atrito nas pesquisas longitudinais: o caso da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do IBGE; Texto para Discussão (TD) 1347: O atrito nas pesquisas longitudinais: o caso da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do IBGE; The Attrition in longitudinal studies: the case of the Monthly Employment Survey (PME) from IBGE

Ribas, Rafael Perez; Soares, Sergei Suarez Dillon
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
Português
Relevância na Pesquisa
58.792915%
O objetivo deste artigo é estimar os determinantes do atrito/permanência de pessoas no painel da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e, além disso, testar se ignorar a não-aleatoriedade deste desgaste causa algum viés na análise de regressões. O atrito pode ser de três tipos: a) aleatório, que não gera qualquer tipo de viés em estimações de parâmetros; b) função de variáveis observadas, cujo viés pode ser corrigido mediante repesagem adequada; e c) função de variáveis não-observadas, cujo viés pode ser corrigido usando-se um probit bivariado para variáveis discretas ou a correção de Heckman para variáveis contínuas. Os resultados apontam que a taxa de atrito na pesquisa tende a ser maior nos meses de férias, e que há uma forte correlação dessa taxa com as características geralmente associadas a uma mobilidade geográfica maior. Além disso, tanto características do processo de entrevista quanto fatores socioeconômicos são significativamente relacionados à probabilidade de atrito no painel. Nos modelos adotados para testar o viés do desgaste no painel, assim como de outros critérios de seleção amostral, constatamos que todos estes são endógenos...

‣ The reality of acoustic power emitted by therapeutic ultrasound equipment: a revision; A realidade da potência acústica emitida pelos equipamentos de ultra-som terapêutico: uma revisão

Guirro, Rinaldo; Santos, Sandra C. Britschgy dos
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 07/12/1997 Português
Relevância na Pesquisa
37.590051%
A segurança e a eficiência da terapia ultra-sônica poderá ser comprometida se a potência de saída no transdutor diferir consideravelmente do valor indicado no painel do equipamento. Este fato pode ser evidenciado nas várias publicações que abordam o referido tema, onde diversos estudos determinam que mais de 50% dos equipamentos, em uso rotineiro, nas clínicas e departamentos de fisioterapia estão fora das especificações postuladas pela International Eletrotechinical Commission (IEC) . Isso ocorre em função da não regulamentação das normas técnicas de produção, do próprio desgaste do equipamento em uso e pela não adoção de procedimentos metrológicos de rotina por parte do fisioterapeuta. A precisão da intensidade acústica irá possibilitar uma terapia mais eficiente, além da reprodução de protocolos já definidos na literatura. Outro importante fator a ser destacado é o material utilizado para o acoplamento do transdutor ultra-sônico, onde evidencia-se que dos vários meios utilizados, alguns propiciam a atenuação da energia irradiada. Esta revisão pretende atualizar o profissional usuário do ultra-som terapêutico, bem como conscientizá-lo da necessidade de adoção de medidas metrológicas como prática de rotina para os equipamentos em uso.; The safety and efficiency of ultrasonic therapy may be compromised if the outlet power on the tranducer differs considerably from the value indicated on the equipment panel. This fact may be seen in the various publications which approach the referenced theme...

‣ O atrito nas pesquisas longitudinais: o caso da pesquisa mensal de emprego (PME/IBGE)

Ribas, Rafael Perez; Soares, Sergei Suarez Dillon
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2010 Português
Relevância na Pesquisa
79.164316%
This article aims to estimate the determinants of attrition/permanence of people in the panel of the Brazilian Monthly Employment Survey (PME/IBGE) and also to test the bias emerged from ignorability of attrition selection in regression analyses. Results point out a strong correlation between attrition rate and characteristics closely related to geographic mobility. In addition, both survey design aspects and socioeconomic events are significantly related to the probability of attrition. In selection correction models, we find that all selection mechanisms are endogenous, even though they are not directly correlated with the equation of interest. Finally, we show that ignoring the endogeneity of sample selection, such as attrition, may imply to a biased analysis. However, controlling for only some selection mechanism, not controlling for all, may provide estimators even more biased than no controlling.; O objetivo deste artigo é estimar os determinantes da permanência de pessoas no painel da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) e, além disso, testar se ignorar a não-aleatoriedade do desgaste no painel causa algum viés em análises de regressão. Os resultados apontam que há uma forte correlação da taxa de atrito com as características geralmente associadas a uma mobilidade geográfica maior. Além disso...