Página 1 dos resultados de 1394 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

‣ Efeito de uma pectina metilesterase na firmeza de pedaços de morango

Neves, José Maria de Mascarenhas Gaivão Correia
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
Português
Relevância na Pesquisa
27.326582%
Os frutos são alimentos fundamentais na alimentação humana e são largamente consumidos em todo o mundo. Parte do consumo é feito na forma de frutos processados aplicados nos mais diversos produtos alimentares como iogurte, gelados, pastelaria, compotas, sumos etc. O processamento dos frutos provoca uma alteração das propriedades organoléticas especialmente na textura, devido a alterações na parede celular e principalmente na lamela média. As homogalacturonanas, um dos polissacarídeos pécticos presentes na lamela média, quando desesterificadas tem capacidade de formar ligações com catiões de Ca2+ formando assim um gel. Essa desesterificação pode ocorrer através da ação da pectina metilesterase (PME). A atividade da PME em conjunto com a adição de iões de cálcio pode trazer aumento da firmeza aos frutos processados. Neste trabalho foi testado o efeito provocado por uma PME em pedaços de morango. O trabalho focou-se na influência da temperatura de enzimagem ao longo do tempo em termos de firmeza dos pedaços. Foram utilizadas 3 temperaturas de incubação da enzima: 4ºC; 25ºC e 40ºC. Os dados obtidos foram adaptados ao modelo matemático de one-phase association que relaciona a firmeza dos pedaços em função do tempo através de uma constante de velocidade de enzimagem...

‣ Influência da desidratação na recuperação da firmeza e na brotação em cenoura

CALBO,ADONAI GIMENEZ
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2000 Português
Relevância na Pesquisa
37.369934%
Raízes de cenoura Daucus Carota L. Brasília recém-colhidas foram submetidas a diferentes níveis de desidratação com emprego de ventilação forçada a 25 ± 2 °C. Sob teores relativos de água inferiores a 0,95 a firmeza dependente da pressão celular, medida com a técnica da aplanação, ficou reduzida a praticamente zero, ao passo que as raízes do tratamento controle tiveram firmeza acima de 7,0 kgf cm-2. Após o armazenamento em sacos plásticos de polietileno de baixa densidade, durante 67dias a 5 ± 2 °C, as raízes que tiveram seu teor relativo de água reduzido a menos de 0,75 recuperaram a firmeza em mais de 60% da turgescência inicial do controle, além de apresentarem brotação. A recuperação da firmeza ocorreu sem absorção de água, visto que o armazenamento em embalagens de plástico diminuiu mas não anulou a transpiração. Essa recuperação da firmeza e a posterior brotação contrariou a expectativa inicial de que as raízes murchas não brotariam. Duas hipóteses foram postuladas para explicar esses resultados: a primeira seria o envolvimento de um processo de redistribuição de água na raiz; a segunda, a redução do volume do órgão, de acordo com a teoria coesiva do encolhimento celular. A favor da primeira hipótese pesou a formação de pequenas lacunas lisógenas distribuídas a partir do centro do cilindro vascular. O volume total dessas cavidades lisógenas corresponderia a uma quantidade de água aparentemente inferior a 2% do volume da raiz...

‣ Crescimento e partição de assimilados em cultivares de arroz diferindo no potencial de produtividade de grãos

Falqueto,Antelmo Ralph; Cassol,Daniela; Magalhães Júnior,Ariano Martins de; Oliveira,Antônio Costa de; Bacarin,Marcos Antonio
Fonte: Instituto Agronômico de Campinas Publicador: Instituto Agronômico de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2009 Português
Relevância na Pesquisa
27.197922%
Foram estudados o crescimento, a partição de assimilados e a produção de grãos nas cultivares de arroz BRS Pelota (maior produtividade) e BRS Firmeza (menor produtividade). O experimento foi realizado em casa de vegetação, com plantas cultivadas em vaso. Utilizou-se o delineamento experimental inteiramente casualizado, com duas cultivares, nove coletas e quatro repetições por tratamento. Com a cultivar BRS Pelota houve maior acúmulo de matéria seca total (Wt), principalmente no fim do ciclo, bem como maior área foliar (Af). A matéria seca alocada para o colmo + bainha e às panículas também foi maior em BRS Pelota. Porém, a porcentagem de Wt destinada às panículas aos 125 DAE foi semelhante entre as cultivares. Em BRS Firmeza, o aumento em Wt nas raízes pode ter influenciado o direcionamento de fotoassimilados para os grãos e contribuído para o atraso na senescência das plantas. A produtividade de BRS Pelota foi maior que a de BRS Firmeza (17,4 contra 11,8 g por vaso) e seu número de panículas por planta por vaso foi três vezes superior em relação à cultivar BRS Firmeza. O componente de produção de maior expressão no rendimento foi o número de panículas. A maior produtividade da cultivar BRS Pelota pode estar relacionada à maior área foliar e sua duração...

‣ Atividade da pectinametilesterase e sua relação com a perda de firmeza da polpa de mamão cv. Sunrise Solo e Tainung

Fontes,Renata Venturim; Santos,Mirella Pupo; Falqueto,Antelmo Ralph; Silva,Diolina Moura
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.271187%
O objetivo deste trabalho foi avaliar a atividade da pectinametilesterase (PME) em mamão (Carica papaya L.), cv. Sunrise Solo e Tainung, e relacionar suas alterações com a perda de firmeza da polpa durante o amadurecimento. Os frutos foram coletados diariamente em uma lavoura comercial em Aracruz - ES, e armazenados sob temperatura ambiente (aproximadamente, 25ºC) até o período das análises. A perda da firmeza da polpa dos frutos das cultivares iniciou-se no 4º dia após a colheita (DAC); entretanto, a cv. Sunrise Solo apresentou uma redução mais acentuada em relação à cv. Tainung. A atividade da PME na cv. Sunrise Solo foi alta no 1º DAC e reduziu gradativamente até o 4º DAC, quando atingiu seu menor valor. No 5º DAC, a atividade aumentou, permanecendo praticamente inalterada até o 8º DAC. Na cv. Tainung, a atividade aumentou até o 3º DAC e decresceu no 4º DAC. No 5º DAC, sua atividade aumentou novamente, atingindo seu maior valor no 6º DAC. A partir daí, a atividade da enzima reduziu-se significativamente, mantendo o mesmo valor até o último dia de análise (8º DAC). O coeficiente de correlação obtido entre a atividade da PME e a firmeza da polpa dos frutos da cv. Sunrise Solo, após o 4º DAC, foi de R = - 0...

‣ Calidad postcosecha de tomates almacenados en atmósferas controladas

Gómez,Perla A.; Camelo,Andrés F.L.
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2002 Português
Relevância na Pesquisa
27.197922%
Las atmósferas controladas alargan la vida en estante del tomate, permitiendo su cosecha en estados de madurez más avanzados y a su vez afectando su calidad. El objetivo de este experimento fue estudiar los efectos que atmósferas controladas con bajas concentraciones de oxígeno y libres de dióxido de carbono y etileno, producen sobre el color, la firmeza y los principales componentes del sabor de frutos de tomate cultivar Diva. Durante abril de 1998, frutos cosechados con grado de color 3 (USDA) en INTA Balcarce (Argentina) fueron almacenados en frascos herméticos de 3 L a 12°C durante 36 días. El diseño fue completamente aleatorizado con tres repeticiones. Cada frasco poseía cuatro frutos, los que constituyeron la unidad experimental. Los tratamientos fueron cuatro, consistiendo en un flujo continuo de: a) 1%, b) 3%, c) 5% y d) 21% de O2 (testigo) completando con N2 hasta 100%. El color, medido con un colorímetro, evolucionó más lentamente y la firmeza se retuvo por más tiempo a medida que se redujo la concentración de oxígeno. Con 5% de oxígeno el color final no difirió del testigo, con 3% sólo fue igual al exponerlos luego a 20°C, no alcanzándose una coloración normal con 1%. Por otra parte, y en todos los tratamientos por igual...

‣ Relações entre cátions trocáveis do solo e suas correlações com a qualidade de frutos de melão

Miranda,Neyton de Oliveira; Medeiros,José F. de; Levien,Sérgio Luiz A.
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2008 Português
Relevância na Pesquisa
27.197922%
A qualidade dos frutos de melão pode ser prejudicada pelo excesso de nutrientes no solo e pelo desequilíbrio entre eles, causados por adubações excessivas e desuniformes. A amostragem em duas áreas de produção de melão foi realizada para identificar entre relações catiônicas do solo (K:(Ca+Mg), K:Ca, K:Mg, K:CTC, Ca:Mg, Ca:CTC, Mg:CTC, Na:Ca, Na:Mg e PST) aquelas melhor correlacionadas com características de qualidade (espessura de polpa, firmeza da polpa e teor de sólidos solúveis totais). Para tanto se utilizou a estatística descritiva, o coeficiente de correlação de Spearman e a regressão múltipla. As variáveis de qualidade de frutos de melão apresentaram poucas correlações com as relações catiônicas do solo. No Goldex, as melhores correlações foram de K:CTC com espessura de polpa; Ca:CTC e Mg:CTC com firmeza de polpa e K:CTC, K:Ca, K:(Ca+Mg), Na:Ca e Na:Mg com SST, todas positivas. No Orange Flesh, observaram-se correlações apenas de firmeza de polpa com Ca:CTC (positiva), K:Mg, K:Ca, K:(Ca+Mg) e Na:Ca (negativas). No Orange Flesh, através da contribuição para as regressões, identificou-se como mais importantes as relações catiônicas Ca:CTC para espessura (6,2%) e firmeza de polpa (10,9%), e Mg:CTC para o teor de sólidos solúveis totais (1...

‣ Desempenho e divergência genética de genótipos de tomate para processamento industrial; Performance and genetic divergence of tomato genotypes for industrial processing

Bittar, Cecília Alves
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
Português
Relevância na Pesquisa
27.197922%
O crescimento do mercado de tomate para processamento industrial tem despertado o interesse de instituições nacionais e empresas multinacionais produtoras de sementes de hortaliças no desenvolvimento de novos híbridos neste segmento. Com isso torna-se necessário analisar, à nível de campo, os principais caracteres agronômicos e comportamentais, em condições edafo-climáticas brasileiras, de novos híbridos. Neste sentido objetivou-se avaliar o desempenho e a divergência genética de genótipos de tomate, quanto às características firmeza de fruto, concentração de maturação dos frutos, índice de retenção do pedúnculo, vigor da planta, cobertura foliar do fruto, sanidade da planta, produção média por planta e teor de sólidos solúveis (°Brix). Foram avaliados 53 híbridos, sendo três testemunhas, uma delas é o H9553, híbrido mais plantado no Brasil. Apenas 12 genótipos e o híbrido comercial H9553 atendem aos critérios necessários para tomates destinados ao processamento, com base nas características: firmeza, concentração de maturação dos frutos e ausência de índice de retenção do pedúnculo (jointless). Os genótipos 1, 18 e 48 destacam-se quanto ao teor de sólidos solúveis, concentração de maturação e firmeza dos frutos...

‣ Atividade da celulase e β-galactosidase no estudo da firmeza da polpa de mamões 'golden' e 'gran golden'; Cellulase and β-galactosidase activities in 'golden' and 'gran golden' papaya softening

GALLON, Camilla Zanotti; BROETTO, Sabrina Garcia; SILVA, Diolina Moura
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
37.369934%
O objetivo desse trabalho foi avaliar a ação das enzimas celulase e β-galactosidase em relação à perda de firmeza dessas cultivares de mamões 'Gran Golden' e 'Golden' devido a relatos de uma perda de firmeza diferenciada entre as cvs. Os frutos foram armazenados a 25ºC e analisados diariamente quanto à firmeza da polpa e à atividade enzimática da celulase e β-galactosidase durante 8 dias. Os resultados de firmeza da polpa e atividade enzimática foram submetidos às análises de correlação e regressão. No 4º dia pós-colheita os mamões 'Golden' apresentaram firmeza média de 60,6 N e os 'Gran Golden' 31,1 N e a um aumento da atividade da celulase e da β-galactosidase. Os dados gerados neste trabalho sugerem que as enzimas celulase e β-galactosidase atuam diferentemente no processo de perda de firmeza dos frutos das cultivares Goldene Gran Golden. Aantecipaçãonaperdade firmezade 'Gran Golden' pode estar relacionada com a maior atividade dessas enzimas.; It has been reported by orchards from the north of Espírito Santo state that 'Gran Golden' papaya loses firmness faster than 'Golden'. The goal of this work was to evaluate the action of cellulase and β-galactosidase related to the softening on papaya. The fruits have been stored at 25ºC and firmness and enzymes activities were daily analyzed during 8 days. The results were submitted to correlation and regression analysis. The activity of cellulase and β-galactosidase had increased for both cultivars. The 4th postharvest day showed that 'Golden' firmness was 6.18 while 'Gran Golden' was 31.1 N. Fruit softening in 'Gran Golden' was intense and the fruit was very soft at ripe stage. These works show that hydrolytic enzymes cellulase and β-galactosidase act differently in the softening process in 'Golden'and 'Gran Golden'papaya. The flesh firmness on 'Gran Golden' is related to the increased activity of these enzymes. These results can help to choose which cultivar to produce in relation to shelf-life and fruit quality at commercialization places.; Coordenacao de Aperfeicoamento de Pessoal de Nivel Superior (CAPES); Banco do Nordeste; Brapex

‣ Comportamento pós-colheita da ameixa 'Raínha Cláudia Verde' Prunus domestica L. : efeitos do cálcio na maturação

Barroso, Ana Elisa de Mendonça Rato
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Tese de Doutorado
Português
Relevância na Pesquisa
27.433413%
`Rainha Cláudia Verde' é uma antiga variedade da ameixeira europeia Prunus domestica L. que se encontra bem adaptada a uma zona restrita do Alto Alentejo. Esta variedade é utilizada para o consumo em fresco e na doçaria regional, onde se emprega na confecção das famosas 'Ameixas D'Elvas'. A confitagem é a técnica utilizada na confecção deste produto com denomicação de origem protegida, e que faz parte de um saber tradicional muito divulgado na região. As informações que resultam de evidências práticas mostram que nem todos os frutos reagem da mesma forma à fase da cozedura. Existem zonas específicas que produzem frutos que não se adequara processo da confitagem, apresentando uma textura imprópria após a cozedura. Recentemente, e com o aumento das áreas produtoras, verificou-se que os frutos destas regiões específicas para além de inadequados para a cozedura, também apresentavam uma menor capacidade de conservação em fresco. Assim durante a conservação estes frutos, quando comparados com os das outras regiões, apresentavam uma perda de firmeza mais rápida tornando-se mais difíceis de comercializar. Entre os factores culturais que contribuem para a qualidade pós-colheita dos frutos, o teor de cálcio presente no solo e nos frutos apresenta-se corno um dos mais importantes. O cálcio é um dos nutrientes que mais frequentemente é associado à manutenção da estrutura das paredes celulares das plantas...

‣ Atividade da celulase e β-galactosidase no estudo da firmeza da polpa de mamões 'golden' e 'gran golden'

Gallon,Camilla Zanotti; Broetto,Sabrina Garcia; Silva,Diolina Moura
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.369934%
O objetivo desse trabalho foi avaliar a ação das enzimas celulase e β-galactosidase em relação à perda de firmeza dessas cultivares de mamões 'Gran Golden' e 'Golden' devido a relatos de uma perda de firmeza diferenciada entre as cvs. Os frutos foram armazenados a 25ºC e analisados diariamente quanto à firmeza da polpa e à atividade enzimática da celulase e β-galactosidase durante 8 dias. Os resultados de firmeza da polpa e atividade enzimática foram submetidos às análises de correlação e regressão. No 4º dia pós-colheita os mamões 'Golden' apresentaram firmeza média de 60,6 N e os 'Gran Golden' 31,1 N e a um aumento da atividade da celulase e da β-galactosidase. Os dados gerados neste trabalho sugerem que as enzimas celulase e β-galactosidase atuam diferentemente no processo de perda de firmeza dos frutos das cultivares Goldene Gran Golden. Aantecipaçãonaperdade firmezade 'Gran Golden' pode estar relacionada com a maior atividade dessas enzimas.

‣ Variabilidade de índices de firmeza em figo utilizando ponteira cilíndrica e pratos planos

Souza,Franciane Colares; Ferraz,Antonio Carlos de Oliveira
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 Português
Relevância na Pesquisa
27.369934%
O figo 'Roxo de Valinhos' é um produto deteriorável e sensível ao manuseio. A pequena resistência mecânica do figo maduro exige cuidados especiais na colheita, acondicionamento, transporte e comercialização. A firmeza é uma medida em frutas e hortaliças, pois expressa em parte a relação tensão-deformação, útil na avaliação do ponto de colheita do produto e da qualidade durante o armazenamento. No entanto, a inexistência de um padrão para as medidas muitas vezes conduz a decisões inadequadas quanto à escolha do índice de firmeza. Neste trabalho, compararam-se quatro índices de firmeza obtidos a partir da curva força-deformação resultante dos ensaios mecânicos de penetração com ponteira cilíndrica e compressão entre pratos planos e paralelos com o objetivo de identificar o índice de menor variabilidade e potencialmente mais indicado para avaliação de firmeza do figo. Os resultados indicaram que a inspeção das curvas força-deformação é importante para estabelecer intervalos para avaliação de índices de firmeza. Dentre os índices de firmeza considerados, a energia de deformação até a deformação específica de 10%, utilizando-se de compressão entre pratos planos e paralelos, mostrou ser o mais indicado para avaliação de firmeza de figos devido ao menor coeficiente de variação exibido.

‣ Influência do intervalo entre a colheita e a aplicação do 1-metilciclopropeno no controle do amadurecimento de mamão

Jacomino,Angelo Pedro; Trevisan,Marcos José; Arruda,Maria Cecília de; Kluge,Ricardo Alfredo
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2007 Português
Relevância na Pesquisa
27.197922%
Este trabalho teve como objetivo determinar a influência do intervalo entre a colheita e a aplicação do 1-MCP na sua eficiência como retardador do amadurecimento de mamões 'Golden'. Os frutos foram colhidos em pomares comerciais da região de Linhares-ES, no estádio 2 de maturação, armazenados a 11±1ºC e submetidos à aplicação de 1-MCP (100nL.L-1) após 0; 1; 2 e 3 dias da colheita. Frutos tratados e não-tratados permaneceram durante 6 dias a 11±1ºC e, em seguida, foram armazenados a 22±1,5ºC e 80-90%UR, até completo amadurecimento. O 1-MCP retardou a perda de firmeza e a mudança da cor da casca dos frutos. Os frutos sem 1-MCP atingiram firmeza ideal para consumo entre o 2º e o 4º dia a 22ºC. Os frutos que receberam 1-MCP no 2º ou no 3º dia após a colheita, atingiram ponto de consumo entre o 8º e o 10º dia a 22ºC. Aqueles tratados no 1º dia após a colheita atingiram firmeza de consumo no 12º dia a 22ºC, e aqueles que receberam 1-MCP no dia da colheita, não amoleceram. A coloração da casca teve comportamento similar ao da firmeza, porém em menor intensidade. Houve pequeno aumento no teor de sólidos solúveis dos frutos em função do amadurecimento. Quanto menor o intervalo entre a colheita e a aplicação do 1-MCP maior sua eficiência como retardador do amadurecimento de mamões 'Golden'. Essa informação é fundamental na definição da tecnologia de aplicação desse regulador vegetal.

‣ Uso do 1-metilciclopropeno no controle da maturação de maçãs cv. 'Royal Gala'

Corrent,Adriana Regina; Parussolo,Aguinaldo; Girardi,César Luiz; Rombaldi,Cesar Valmor
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2005 Português
Relevância na Pesquisa
27.197922%
Avaliou-se o efeito do 1-metilciclopropeno (1-MCP) no controle da maturação de maçãs 'Royal Gala'. As frutas foram colhidas em dois estádios de maturação caracterizados como: estádio de maturação 1, com frutas apresentando firmeza de polpa de 82,14 N, acidez total titulável de 0,36 % de ácido málico, teor de sólidos solúveis totais de 14,10 ºBrix e produção de etileno de 2,00 nL.g-1.h-1, e estádio de maturação 2, com maçãs apresentando firmeza de polpa de 79,96 N, acidez total titulável de 0,33 % de ácido málico, teor de sólidos solúveis totais de 13,74 ºBrix e produção de etileno de 17,11 nL.g-1.h-1. Foram testadas quatro concentrações de 1-MCP: 0; 312; 625 e 1250 nL.L-1. A aplicação foi efetuada durante 48 horas, à temperatura de 20 ± 2 ºC, em câmaras com capacidade para 300 L. Após a aplicação, as frutas foram armazenadas a 20 ± 2 ºC, por 60 dias. A cada 10 dias, avaliaram-se a firmeza de polpa, a acidez total titulável, o teor de sólidos solúveis totais e a produção de etileno. O 1-MCP reduziu a produção de etileno nas maçãs e retardou a ocorrência do pico climatérico, independentemente do estádio de maturação e da concentração do produto. Em conseqüência, preservou maiores valores de firmeza de polpa e acidez total titulável.

‣ EFEITO DE INJÚRIAS MECÂNICAS NA FIRMEZA E COLORAÇÃO DE GOIABAS DAS CULTIVARES PALUMA E PEDRO SATO

MATTIUZ,BEN-HUR; DURIGAN,JOSÉ FERNANDO
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2001 Português
Relevância na Pesquisa
37.197922%
O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito das injúrias mecânicas por impacto, compressão ou corte na firmeza e coloração de goiabas 'Paluma' e 'Pedro Sato', colhidas no estádio de maturação "de vez" e armazenadas sob condições de ambiente. Na injúria por impacto, os frutos foram deixados cair, em queda livre, de uma altura de 1,20 m, sofrendo dois impactos, em lados opostos da porção equatorial do fruto. Na injúria por compressão, os frutos foram submetidos a um peso de 3 kg, por 15 minutos. Para a injúria por corte, foram efetuados dois cortes, no sentido longitudinal dos frutos, de exatamente 30 mm de comprimento por 2 mm de profundidade. Os frutos injuriados foram colocados em bandejas de isopor e armazenados sob condições de ambiente (23,4±1 °C, 62±6 % UR). A firmeza dos frutos submetidos ao impacto e compressão foi calculada pela relação peso(N)/área injuriada (m2). A evolução da coloração foi feita através de leituras diárias em reflectômetro Minolta CR 200b, procurando comparar a coloração da área lesionada com a da área não lesionada do mesmo fruto. Com relação à injúria por compressão, não se detectou diferença significativa entre as cultivares testadas, mas com relação ao impacto...

‣ Firmeza de caqui 'Giombo' submetido à aplicação pós-colheita de cloreto de cálcio

Moraes,Maria Rosa de; Vieites,Rogério Lopes; Daiuto,Érica Regina; Picanço,Nagela Farias Magave
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2011 Português
Relevância na Pesquisa
27.197922%
Este trabalho teve por objetivo avaliar o efeito da aplicação pós-colheita do cloreto de cálcio na firmeza de caquis 'Giombo', destanizados ou não. Os frutos foram colhidos manualmente com aproximadamente 50% da coloração verde, transportados para o Laboratório, onde foram selecionados, higienizados e imersos em água (T1= controle), e em solução de cloreto de cálcio, por 10 minutos, nas seguintes concentrações: T2 =0,5% CaCl2; T3 =1,0% CaCl2; T4 =2,0% CaCl2; e T5 =3,0% CaCl2. Em seguida, foram acondicionados em bandejas de poliestireno expandido, revestidas por filme plástico de polietileno de baixa densidade (PEBD). O armazenamento foi a 0 ºC e 85-90% UR, por 35 dias, com análise a cada 7 dias quanto à perda de massa, firmeza e atividade das enzimas poligalacturonase (PG) e pectinametilesterase (PME). Os frutos da testemunha do caqui não destanizado apresentaram, em média, a menor perda de massa e a maior manutenção da firmeza. Os frutos submetidos às diferentes concentrações de cálcio apresentaram as maiores atividades de PME no final do período de avaliação, sem diferença entre os tratamentos. Frutos não destanizados apresentaram menores atividades de PG quando comparados aos destanizados. A aplicação do cloreto de cálcio não apresentou incremento positivo na manutenção da qualidade e da firmeza dos caquis 'Giombo'.

‣ Dimensionamento amostral para avaliar firmeza de polpa e cor da epiderme em pêssego e maçã

Toebe,Marcos; Both,Vanderlei; Cargnelutti Filho,Alberto; Brackmann,Auri; Storck,Lindolfo
Fonte: Universidade Federal do Ceará Publicador: Universidade Federal do Ceará
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 Português
Relevância na Pesquisa
27.271187%
O objetivo deste estudo foi determinar o tamanho de amostra necessário para avaliar a firmeza de polpa e a cor de fundo da epiderme, em pêssego 'Eragil' e maçã 'Royal Gala'. Foram conduzidos dois experimentos, um com frutos de pêssego e outro com frutos de maçã dentro de minicâmaras de 0,23 m³. Os pêssegos foram armazenados por oito semanas a temperatura de -0,5 ºC, mais quatro dias a 20 ºC, sendo avaliadas oito formas de armazenamento (refrigerado, atmosfera controlada com diferentes concentrações de O2 e CO2, e com ou sem absorção de etileno). As maçãs permaneceram em armazenamento refrigerado durante quatro meses a 0,5 ºC, mais sete dias a 20 ºC, sendo os tratamentos compostos por doses de 1-metilciclopropeno combinados com tipos de tábuas de madeira. O número de frutos avaliados variou de 30 a 57 em pêssego e 78 a 101 em maçã. Para cada fruto foi mensurada a firmeza de polpa, com um penetrômetro manual e a cor de fundo da epiderme (luminosidade, intensidade e tonalidade de cor) com colorímetro eletrônico. Posteriormente, foi determinado o tamanho de amostra necessário para a estimação da média da firmeza de polpa e da cor de fundo da epiderme. Em pêssego, 121 frutos são suficientes para a estimação da média da firmeza de polpa e da cor de fundo da epiderme com erro de estimação de 5% da média em atmosfera controlada e de 10% em armazenamento refrigerado. Em maçã...

‣ Uso de misturas químicas para a manutenção da firmeza de banana 'Prata' minimamente processada

Vilas Boas,Eduardo Valério de Barros; Reis,Camila Martins Fonseca; Melo,Anderson Adriano Martins
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2009 Português
Relevância na Pesquisa
27.197922%
A banana constitui interessante alternativa para compor saladas de frutas. No entanto, possui curta vida de prateleira após o processamento mínimo em razão da rápida perda da firmeza. Neste trabalho, objetivou-se avaliar o efeito da mistura química contendo cloreto de cálcio, ácido ascórbico e L-cisteína e/com o uso de atmosfera modificada ativa (10 kPa CO2 e 2 kPa O2), enfatizando a perda de firmeza sobre a qualidade e vida de prateleira de banana 'Prata' minimamente processada. O conteúdo de pectina solúvel e a % de solubilização aumentaram significativamente ao longo do período de conservação. A perda de firmeza e o aumento das atividades das enzimas poligalacturonase e pectinametilesterase apresentaram uma interação significativa entre os fatores estudados (Tratamento/Tempo). As fatias tratadas com misturas químicas permaneceram com boas características para o consumo por até 3 dias de conservação. Os tratamentos com injeção inicial de gases de forma isolada, ou junto ao tratamento com mistura química, não propiciaram maior retenção da firmeza de banana 'Prata' minimamente processada em relação ao tratamento contendo L-cisteína (1% p/v) + ácido ascórbico (1% p/v) + cloreto de cálcio (1% p/v) na mistura química.

‣ Evaluación cuantitativa de la firmeza de baya en uva de mesa

Brayovic Piñones, Milenka Mariot
Fonte: Universidad de Chile Publicador: Universidad de Chile
Tipo: Tesis
Português
Relevância na Pesquisa
27.457349%
Tesis presentada para optar al Título de Ingeniero Agrónomo y Grado de Magíster en Ciencias Agropecuarias Mención Producción Frutícola; En la industria de la uva de mesa, es fundamental adaptar y calibrar el uso de instrumentos, de manera de objetivar las evaluaciones de firmeza de bayas de los racimos. Con este propósito, se evaluó la firmeza de bayas en las variedades Flame Seedless, Superior Seedless, Red Globe, Thompson Seedless y Crimson Seedless, por medio de dos instrumentos: Firmtech 2® y medidor de torque Torque Load Sensor®. Con la ayuda de personal experimentado, cada variedad fue cosechada por su condición de firmeza, diferenciándose tres categorías: racimo firme (RF), racimo medianamente firme (RMF) y racimo blando (RB). Inmediatamente, en el Laboratorio de Viticultura de la Facultad de Ciencias Agronómicas de la Universidad de Chile, se realizaron los análisis de firmeza (g·mm-1) de todas las bayas de los racimos por medio de Firmtech 2®. Luego se escogió una muestra representativa de bayas de cada sector del racimo (superior, medio y distal), donde se realizaron evaluaciones de peso fresco (g), largo (mm), ancho (mm), firmeza de pulpa (N·cm) con el instrumento Torque Load Sensor®, concentración de sólidos solubles (%) y peso seco (g) de cada baya. Además...

‣ Categorías de firmeza de bayas en diferentes variedades de uva de mesa (Vitis vinifera L.)

Callejas Rodríguez,Rodrigo; Brayovic Piñones,Milenka; Peppi Aronowsky,Cecilia; Kania Kuhl,Erika
Fonte: Revista de la Facultad de Ciencias Agrarias. Universidad Nacional de Cuyo Publicador: Revista de la Facultad de Ciencias Agrarias. Universidad Nacional de Cuyo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 Português
Relevância na Pesquisa
27.404785%
Se categorizó, a través de una nueva metodología objetiva, la firmeza de las bayas de uva de mesa de las variedades Flame Seedless, Superior Seedless, Red Globe, Thompson Seedless y Crimson Seedless. El estudio se realizó en la zona central de Chile: se recolectaron racimos en forma dirigida en cuanto a firmeza y se separaron en tres categorías: RF, racimo firme; RMF, racimo medianamente firme y RB, racimo blando. La firmeza de bayas (g/mm) se evaluó utilizando el Firmtech 2® (todas las bayas del racimo) y la firmeza de pulpa (N-cm) fue medida con Torque Load Sensor® (muestra del sector superior, medio y distal del racimo). Adicionalmente, se determinó la correlación entre Firmtech 2® y Durofel®. Los resultados indican que existen diferencias significativas en firmeza entre los tres tipos de racimos (RF, RMF y RB) en todas las variedades, excepto en Superior Seedless en la cual sólo fue posible diferenciar RF de RB. La correlación entre la firmeza de baya medida con Firmtech 2® y Durofel® es alta y significativa (r = 0,76). La firmeza de las bayas es un parámetro posible de medir y por tanto permitiría separar en rangos o categorías de firmeza distintas variedades de uva de mesa.

‣ Calidad de poscosecha en cultivares de arándano (Vaccinium sp.) sometidos a períodos de prealmacenamiento y temperaturas

Núñez Barrios,Abelardo; Sánchez Chávez,Esteban; Ruiz Vega,Jaime; Scott NeSmith,D.
Fonte: Instituto Nacional de Investigaciones Forestales, Agrícolas y Pecuarias Publicador: Instituto Nacional de Investigaciones Forestales, Agrícolas y Pecuarias
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 Português
Relevância na Pesquisa
27.326582%
El objetivo del trabajo fue evaluar el efecto de períodos de prealmacenamiento y temperaturas en la calidad de frutos de arándanos medida en términos de firmeza y pérdida de peso. Los cultivares estudiados fueron Brigthwell (BW), Tifblue (TB) y Powderblue (PB). Las temperaturas establecidas en las cámaras climáticas fueron de 1, 12, 22 y 32 °C, combinadas con cuatro períodos de prealmacenamiento (12, 24, 36 y 48 h). La firmeza inicial de los frutos recién cosechados fue de 167.8, 194.3 y 214.6 g mm-1 para PB, TB y BW, respectivamente. Durante el experimento se registraron pérdidas de firmeza entre tratamientos que variaron entre 5.4 y 20.8%. El prealmacenamiento de 12 h no afecto la firmeza de los cultivares BW y TB a ninguna temperatura (1, 12, 22 y 32 °C), sin embargo; con intervalos mayores de 24 h y temperatura de 22 °C, la firmeza de los frutos disminuyó significativamente. La pérdida de peso se incremento rápidamente en temperaturas de 32 °C, donde el cultivar PB perdió 41.8 y 63.5% más que TB y BW, respectivamente. El cultivar BW fue el más resistente al deterioro de sus frutos y conjuntamente con TB no requiere ser refrigerado inmediatamente después de cosechar. El cultivar Powderblue fue el más susceptible a perder peso y firmeza. El manejo poscosecha del arándano debe ser definido para cada cultivar en forma individual.