Página 1 dos resultados de 634 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

‣ Pancreatic islet allograft in spleen with immunossuppression with cyclosporine. Experimental model in dogs; Alotransplante de ilhotas pancreáticas no baço com imunossupressão com ciclosporina. Modelo experimental em cães

WAISBERG, Jaques; NEFF, Charles Benjamin; WAISBERG, Daniel Reis; GERMINI, Demetrius; GONÇALVES, José Eduardo; ZANOTTO, Arnaldo; SPERANZINI, Manlio Basilio
Fonte: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Publicador: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
27.47746%
PURPOSE: To study the functional behavior of the allograft with immunosuppression of pancreatic islets in the spleen. METHODS: Five groups of 10 Mongrel dogs were used: Group A (control) underwent biochemical tests; Group B underwent total pancreatectomy; Group C underwent total pancreatectomy and pancreatic islet autotransplant in the spleen; Group D underwent pancreatic islet allograft in the spleen without immunosuppressive therapy; Group E underwent pancreatic islet allograft in the spleen and immunosuppression with cyclosporine. All of the animals with grafts received pancreatic islets prepared by the mechanical-enzymatic method - stationary collagenase digestion and purification with dextran discontinuous density gradient, implanted in the spleen. RESULTS: The animals with autotransplant and those with allografts with immunosuppression that became normoglycemic showed altered results of intravenous tolerance glucose (p < 0.001) and peripheral and splenic vein plasmatic insulin levels were significantly lower (p < 0.001) in animals that had allografts with immunosuppression than in those with just autotransplants. CONCLUSIONS: In the animals with immunosupression with cyclosporine subjected to allograft of pancreatic islets prepared with the mechanical-enzymatic preparation method (stationary collagenase digestion and purification with dextran discontinuous density gradient)...

‣ Monitoração terapêutica da azatioprina: uma revisão; Therapeutic drug monitoring of azathioprine: a review

PACHECO NETO, Maurílio; ALVES, Atecla Nunciata Lopes; FORTINI, Alexandre Soriano; BURATTINI, Marcelo do Nascimento; SUMITA, Nairo Massakazu; Srougi, Miguel; CHOCAIR, Pedro Renato
Fonte: Sociedade Brasileira de Patologia ClínicaSociedade Brasileira de PatologiaSociedade Brasileira de Citopatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Patologia ClínicaSociedade Brasileira de PatologiaSociedade Brasileira de Citopatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Português
Relevância na Pesquisa
27.12354%
Os nucleotídeos de tioguanina (6-TGN), metabólitos ativos da azatioprina (AZA) e da 6-mercaptopurina (6-MP), atuam como antagonistas das purinas, inibindo as sínteses de DNA, RNA e a protéica, e induzindo à citotoxicidade/imunossupressão. A enzima geneticamente determinada, tiopurina metiltransferase (TPMT), está envolvida no metabolismo desses agentes e, hipoteticamente, determina a resposta clínica às tiopurinas. A baixa atividade dessa enzima diminui a metilação das tiopurinas, resultando em potencial sobredose, enquanto altos níveis de TPMT levam à superprodução do metabólito tóxico 6-metilmercaptopurina (6-MMP) e à não-efetividade terapêutica da AZA e da 6-MP. Várias mutações no gene da TPMT têm sido identificadas e correlacionadas com fenótipos de baixa atividade. Neste artigo, também se discute a monitoração terapêutica desses fármacos por meio da medida dos níveis de 6-TGN intra-eritrocitários, os quais se correlacionam com imunossupressão e mielotoxicidade. Já a 6-MMP está diretamente relacionada com hepatotoxicidade. Esses ensaios estão associados ao uso de doses adequadas dessa droga, resultando num melhor controle da doença e menor uso de corticosteróides.; Thioguanine nucleotides (6-TGN)...

‣ Apoptose de linfócitos na imunossupressão da leismaniose visceral em hamsteres infectados com Leishmania (Leishmania) chagasi; Apoptosis of lymphocytes in immunosuppression leishmaniasis in hamsters infected with visceral Leishmania (Leishmania) chagasi

Fazzani, Camila
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/2010 Português
Relevância na Pesquisa
37.585178%
Hamsteres infectados com Leishmania (L.) chagasi são considerados um dos melhores modelos para estudo de fatores relacionados à imunossupressão que ocorre durante a leishmaniose visceral ativa, pois apresenta manifestações clínicas similares ao que ocorre no homem e não conseguem controlar a infecção. Neste estudo, hamsteres infectados intraperitonealmente com 2x107 parasitos foram utilizados para avaliação de possíveis fatores envolvidos na dinâmica da imunossupressão. Os parâmetros avaliados foram a produção de citocinas de padrão Th1 e Th2, produção de óxido nítrico por células esplênicas e detecção de apoptose em linfócitos esplênicos em tempos precoces (6, 20, 48 e 72 horas), intermediários (7 e 15 dias) e tardios (30 e 60 dias) de infecção. Inicialmente avaliamos a carga parasitária no baço e observamos aumento progressivo dependente do tempo de infecção, ratificando que hamster infectado é um bom modelo para desenvolvimento de doença. A resposta celular frente a mitógeno e antígeno de Leishmania foi o parâmetro utilizado para avaliação de imunossupressão. Observamos resposta preservada à concanavalina A em todos os tempos de infecção e resposta preservada ao antígeno de Leishmania nos tempos precoces...

‣ Análise quantitativa do RNA mensageiro associada aos diferentes esquemas imunossupressores em pacientes transplantados renais : avaliação pela reação em cadeia da polimerase em tempo real em células sanguíneas e do sedimento urinário

Rech, Caroline
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
27.12354%
Introdução: Técnicas que possibilitem o diagnóstico não-invasivo das condições que afetam a sobrevida dos transplantes e os mecanismos associados ao seu desenvolvimento encontram-se em intensa investigação. Este estudo objetiva delinear perfis de expressão de RNA mensageiro de alo-imunidade, tolerância, fibrose e injúria tubular aguda associados aos diferentes imunossupressores utilizados na prática clínica dos transplantes renais. Métodos: Amostras de sangue e urina foram coletadas de 53 pacientes transplantados renais com pelo menos um ano de seguimento pós-transplante e com níveis séricos de creatinina estáveis. Os pacientes foram divididos em 6 grupos, de acordo com seu regime de imunossupressão, todos contendo corticosteróides em baixas doses de manutenção: (1) inibidor da calcineurina (IC) + azatioprina (AZA) (7 pacientes); (2) ácido micofenólico (AMF) (6 pacientes); 3) rapamicina (RAPA) (7 pacientes); 4) IC + AMF (15 pacientes); 5) IC (6 pacientes); 6) belatacept (BLT) + AMF (11 pacientes). A quantificação do RNA mensageiro dos genes FOXP3, TIM-3, KIM-1, TGF-β e CTGF foi realizada através da técnica de reação em cadeia da polimerase em tempo real utilizando o método de quantificação relativa 2-ΔΔCT. Resultados: A expressão de FOXP3 foi maior nos grupos RAPA (P = 0...

‣ Estudo de viabilidade de aloenxerto de traquéia em ratos : o papel da omentoplastia na vigência de imunossupressão; Study of rat’s tracheal allograft viability : the role for omentoplasty with imunossupression

Schneider, Airton; Rosito, Tiago Elias; Diemen, Vinícius von
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
27.12354%
A cirurgia de traquéia enfrenta dificuldades em acompanhar os recentes avanços da terapêutica cirúrgica. Os resultados cirúrgicos são baseados em trabalhos clássicos desenvolvidos há mais de dez anos. Características específicas de vascularização e de regeneração estão entre os problemas que os cirurgiões enfrentam no tratamento das lesões adquiridas ou congênitas da traquéia. As próteses e o transplante ainda não fazem parte do arsenal terapêutico. Com o objetivo específico de determinar o valor da gordura na viabilidade de aloenxertos traqueais, os autores utilizaram ratos Fischer 344 para estudar a regeneração e a viabilidade de aloenxertos, associados à imunossupressão. Um doador possibilitou o implante de um fragmento traqueal em gordura do subcutâneo de dez ratos e de um fragmento no omento. Estes fragmentos de traquéia foram estudados histologicamente visando determinar a viabilidade. Os resultados demonstraram que a gordura extraperitonial, no rato, não serve para manter a viabilidade de aloenxerto, mesmo utilizando imunossupressão (p<0,05), quando comparada à gordura intraperitoneal.; The surgery of trachea has so many problems with grafts viability that recent advances did not promote satisfactory results in tracheal replacement surgery. Peculiar aspects of its circulation and cicatrization Larries problems in surgery. Our aim is to show the value of extraperitonial fat to promote tracheal grafts viability of used 20 tracheal segments of rats Fisher 344 that were implanted in the omentum (10) and in the subcutaneous fat (10). The animals were sacrificed after 20 days to evaluate the viability of tracheal grafts. All animals underment imunossupression with ciclosporin and corticosteroids. Tracheal grafts into the omentum were viable in all rats while the protector effects of extraperitonial fat were uneffective (p<0...

‣ Infecção experimental com Leishmania chagasi em camundongos Balb/c submetidos à imunossupressão: resposta imune e carga parasitária

Hoffmann, Juliano Leônidas
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 69 f.
Português
Relevância na Pesquisa
37.47746%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Doenças Tropicais - FMB; A resposta imune na leishmaniose pode resultar em uma polarização da subpopulação dos linfócitos T, levando a um fenótipo celular distinto, que resultam em proteção imune ou exacerbação da doença. As leishmânias persistem no organismo tanto em infecções assintomáticas como após o tratamento, representando risco em condições de imunossupressão. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da infecção e da imunossupressão com dexametasona associada à pentoxifilina, sobre o peso dos animais, peso do baço, carga parasitária do baço e do fígado, e da imunopatologia quanto à produção de IFN-γ, IL-10, IL-4 e IL-2 em cultura de células esplênicas de camundongos Balb/c infectados com Leishmania chagasi. A infecção não alterou o ganho de peso dos animais, mas sim o peso e o tamanho do baço. A imunossupressão utilizando a dexametasona associada à pentoxifilina afetou tanto ganho de peso, quanto o peso e o tamanho do baço, de animais infectados e não infectados. A imunossupressão não alterou significativamente o curso da carga parasitária...

‣ Os 600 transplantes renais do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HC da FMB) - UNESP: Mudanças ao longo do tempo

Andrade, Luis Gustavo Modelli De; Garcia, Paula Dalsoglio; Contti, Mariana Moraes; Silva, Andre Lopes Da; Banin, Vanessa Burgugi; Duarte, Juliana Da Cunha; Carvalho, Maria Fernanda Cordeiro De
Fonte: Sociedade Brasileira de Nefrologia Publicador: Sociedade Brasileira de Nefrologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 194-200
Português
Relevância na Pesquisa
27.12354%
Introdução:Os resultados alcançados pelos transplantes renais nas últimas décadas têm melhorado progressivamente. Objetivo:A fim de determinar a extensão desse progresso, conduzimos uma análise dos resultados obtidos em nosso programa de transplantes através de três períodos diferentes. Métodos:Avaliamos os 600 transplantes renais realizados no HC FMB-UNESP até dezembro de 2011, subdividindo-os em três eras, de acordo com a imunossupressão vigente. Era 1: de 1987 a 2000 (n = 180); associação de ciclosporina e azatioprina. Era 2: de 2001 a 2006 (n = 120); associação de ciclosporina e micofenolato e Era 3: de 2007 a 2011 (n = 300); associação de tacrolimus e micofenolato. Resultados:Os resultados mostram aumento da idade média do receptor, da prevalência de diabetes e do número de transplantes com doador falecido (60%) na terceira era. O uso de terapia de indução foi de 75% era atual contra 46,6% (Era 2) e 3,9% (Era 1), p < 0,0001. Os dados de sobrevida geral por tipo de doador mostram dados semelhantes à literatura. Houve progressivo aumento da sobrevida do enxerto com doadores falecidos em 5 anos, saindo de 13,7% (Era 1) para 81,9% (Era 3). Conclusão:Houve significativas diferenças ao longo do tempo, culminando com aumento do volume de transplantes na atual era (média de 14 transplantes/ano na Era 1 para 75 transplantes/ano na Era 3). Inverteu-se o perfil de transplantes na era atual com predomínio de doador falecido. A melhor sobrevida com doador falecido da atual era foi atribuída a maior experiência do centro e aos esquemas de imunossupressão baseados na combinação de tacrolimus com micofenolato associados a esquema de indução.; Introduction:A progressive improvement in kidney transplant outcomes has been achieved over the last decades. Objective:To determine the degree to which this has occurred in our center...

‣ Influencia da imunossupressão pela ciclosporina A sobre a carcinogenese pelo oxido de nitroquinolina em gengiva de ratas

Fabio Ornellas Prado
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/04/2003 Português
Relevância na Pesquisa
27.397544%
A Ciclosporina A é uma droga imunossupressora seletiva para linfócitos T, sendo atualmente muito utilizada na prevenção da rejeição de transplantes de órgãos e de medula óssea. Apesar de aumentar significativamente a sobrevida dos pacientes que dela fazem uso, a Ciclosporina A apresenta diversos efeitos colaterais, como nefrotoxicidade, hepatotoxicidade, neurotoxicidade, aumento gengival e há relatos de aumento na incidência de neoplasias malignas. O propósito do presente estudo foi avaliar a carcinogênese em gengiva de ratas tratadas diariamente com uma dose de Ciclosporina A de 10 mg/kg de peso corporal por dia, portanto, imunossuprimidas, associada à aplicação tópica do carcinógeno óxido de nitroquinolina diluído até a concentração final de 0,5% em propilenoglicol no palato, por três vezes semanais, durante o período de 240 dias. As ratas foram divididas em quatro grupos: Controle, sem tratamento com as drogas; Ciclosporina A, onde foram tratadas somente com tal droga, Óxido de Nitroquinolina, também com tratamento somente com a droga, e Ciclosporina A + Óxido de Nitroquinolina, onde as drogas administradas associadamente. As mandíbulas das ratas foram analisadas macroscopicamente e microscopicamente. Macroscopicamente nos grupos Controle e tratados com Ciclosporina A somente...

‣ Malaria and tuberculosis co-infection:role for hemozoin immunosuppression?

Frita, Rosangela M. R. C., 1981-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2014 Português
Relevância na Pesquisa
27.397544%
Tese de doutoramento, Ciências Biomédicas (Microbiologia e Parasitologia), Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina, 2014; Malaria and tuberculosis (TB) endemic regions overlap considerably, especially in sub-Saharan Africa. Although it is very likely that co-infections occur in these regions, not much is known about malaria-TB co-infections in humans, and how the interplay between these two infections might affect the prognosis of co-infected individuals. Furthermore, multiple Plasmodium infections will likely result in accumulation of malaria pigment (hemozoin) in host organs. Hemozoin was first thought of as an inert waste product resulting from hemoglobin digestion. However, several studies have associated the presence of hemozoin with host immunosuppression. Thus, the subject of this thesis was the study of Malaria-Tuberculosis co-infections with a particular focus on a possible role for hemozoin induced immunosuppression. For this, protocols for hemozoin production and characterization were first established. Then, in vitro studies to investigate how hemozoin ingestion affected cellular functions of human peripheral blood mononuclear cells (PBMC) were performed. For the first time hemozoin effects at the single cell level were investigated by flow-cytometry...

‣ Contribuição para o estudo da imunossupressão associada à quimioterapia, em cães

Lima, Francisca Ornelas Nogueira
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 30/11/2011 Português
Relevância na Pesquisa
37.12354%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; Com a melhoria dos cuidados médicos prestados aos animais de companhia, assistimos nos últimos anos a um aumento da esperança média de vida e a uma melhoria da qualidade da mesma. Paralelamente é evidente um aumento significativo da incidência de doenças neoplásicas nestes animais, conduzindo à utilização cada vez mais frequente de protocolos terapêuticos com fármacos antineoplásicos/quimioterapia, que se apresentam como uma das opções no tratamento dessas mesmas doenças. De modo a conjugar efeito curativo máximo com o máximo de bem-estar animal torna-se necessário conhecer os possíveis efeitos secundários que podem surgir na sequência do tratamento com fármacos citotóxicos, nomeadamente os efeitos adversos que ocorrem ao nível do sistema imunitário O objectivo deste trabalho foi avaliar se a administração de fármacos citotóxicos, em canídeos com diferentes tipos de neoplasias, pode ser causa de interferência no sistema imunitário destes animais, ou seja provocando imunossupressão. Numa amostra de nove canídeos, com diferentes tipos de neoplasias, submetidos a quimioterapia pela primeira vez, foram avaliados vários parâmetros, antes do início do tratamento e após duas sessões de tratamento. Esses parâmetros foram...

‣ Tamponamento Cardíaco Secundário a Pericardite por Staphylococcus Aureus Meticilino Resistente: Importância da Imunossupressão

Durão, D; Fernandes, AP; Marum, S; Marcelino, P; Mourão, L
Fonte: Sociedade Portuguesa de Cardiologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Cardiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.286887%
As pericardites bacterianas, apesar da sua baixa incidência e das terapêuticas actuais, apresentam um prognóstico desfavorável, sobretudo quando causadas por Staphylococcus aureus meticilino resistente (MRSA). O Tamponamento cardíaco é uma complicação potencialmente letal nos doentes com pericardites por este agente. Numa Unidade de Cuidados Intensivos, para além da imunossupressão, constituem factores predisponentes para este tipo de infecção, a elevada taxa de colonização nasal e cutânea, assim como a utilização de técnicas invasivas (1) entre as quais a simples colocação de catéteres intravenosos. Relatam-se dois casos clínicos de tamponamento cardíaco em doentes jovens, no contexto de imunossupressão de diferentes etiologias (infecção HIV e pós transplante hepático). Os internamentos foram complicados de quadros sépticos importantes com isolamento de MRSA nos líquidos biológicos e desenvolvimento de pericardite bacteriana e subsequente tamponamento cardíaco. Os autores salientam a importância dos quadros clínicos infecciosos em doentes imunodeprimidos, que constituem uma população cada vez mais numerosa, e a importância da monitorização ecocardiográfica na evolução prognóstica das pericardites bacterianas no contexto de sépsis.

‣ Tamponamento Cardíaco Secundário a Pericardite por Staphylococcus Aureus Meticilino Resistente: Importância da Imunossupressão

Durão, D; Fernandes, AP; Marum, S; Marcelino, P; Mourão, L
Fonte: Sociedade Portuguesa de Cardiologia Publicador: Sociedade Portuguesa de Cardiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2008 Português
Relevância na Pesquisa
37.286887%
As pericardites bacterianas, apesar da sua baixa incidência e das terapêuticas actuais, apresentam um prognóstico desfavorável, sobretudo quando causadas por Staphylococcus aureus meticilino resistente (MRSA). O Tamponamento cardíaco é uma complicação potencialmente letal nos doentes com pericardites por este agente. Numa Unidade de Cuidados Intensivos, para além da imunossupressão, constituem factores predisponentes para este tipo de infecção, a elevada taxa de colonização nasal e cutânea, assim como a utilização de técnicas invasivas (1) entre as quais a simples colocação de catéteres intravenosos. Relatam-se dois casos clínicos de tamponamento cardíaco em doentes jovens, no contexto de imunossupressão de diferentes etiologias (infecção HIV e pós transplante hepático). Os internamentos foram complicados de quadros sépticos importantes com isolamento de MRSA nos líquidos biológicos e desenvolvimento de pericardite bacteriana e subsequente tamponamento cardíaco. Os autores salientam a importância dos quadros clínicos infecciosos em doentes imunodeprimidos, que constituem uma população cada vez mais numerosa, e a importância da monitorização ecocardiográfica na evolução prognóstica das pericardites bacterianas no contexto de sépsis.

‣ Neurocriptococose e imunossupressão: modelo experimental, em camundongos

Machado,L. R.; Fecchio,Denise; Limongi,J. C. P.; Berger,A.; Livramento,J. A.; Spina-França,A.
Fonte: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO Publicador: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/1985 Português
Relevância na Pesquisa
27.286887%
Com o objetivo de padronizar modelo experimental de imunossupressão foram selecionados dois lotes de 50 camundongos impúberes, cada um dividido em grupos de 10, e submetidos a ação de dexametasona. O estudo foi dividido em dois experimentos. No primeiro experimento foi utilizado o primeiro lote de animais e foram estabelecidas as condições para obtenção de modelo de imunossupressão em camundongos mediante administração de dexametasona diluída na água de consumo e ingerida ad libitum pelos animais. Entre os critérios utilizados para avaliar a vigência de imunossupressão são realçados: a ocorrência de eriçamento de pelos, leucopenia por diminuição do número de linfócitos e hipotrofia do baço comparativamente aos controles, com hipoplasia intensa de todas as estruturas linfóides. No segundo experimento foi empregado o segundo lote de animais e foi estudado o comportamento do modelo experimental estabelecido. Os animais receberam, por via intraperitonial, número aproximado delO6 leveduras com os caracteres morfológicos do Cryptococcus neoformans, provenientes de culturas de cepas patogênicas ao homem e isoladas do líquido cefalorraqueano de pacientes com neurocriptococose. Apesar de haverem sido identificadas leveduras em cortes histológicos de pulmão...

‣ Vacinação em situações especiais

Succi,Regina Célia de Menezes; Farhat,Calil Kairala
Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria Publicador: Sociedade Brasileira de Pediatria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2006 Português
Relevância na Pesquisa
27.12354%
OBJETIVOS: Revisar a indicação, contra-indicação e eficácia da vacinação em algumas situações especiais: imunossupressão, prematuridade, gestação e pós-exposição. FONTES DOS DADOS: Revisão sistemática dos artigos sobre o tema publicado nas 2 últimas décadas pesquisados nas bases de dados MEDLINE, SciELO e Lilacs. Consulta às normas do Programa Nacional de Imunização, Brasil, 2001 a 2004, e normas do Programa Nacional de DST/AIDS, Brasil, 2004. Consulta aos temas livres publicados em anais de congressos internacionais e nacionais de pediatria e doenças infecciosas, nos últimos 5 anos. SÍNTESE DOS DADOS: Algumas situações especiais, como imunossupressão, prematuridade, gestação e exposição às doenças infecciosas, colocam os indivíduos em maior risco de adoecer ou apresentar eventos adversos pós-vacinais. Essas situações requerem esquemas vacinais diferenciados, podem indicar adiamento da vacinação e mesmo contra-indicá-la. De modo geral, as vacinas inativadas, ou de toxóides, podem ser aplicadas, levando-se sempre em consideração a possibilidade de resposta imunogênica insuficiente. Para indivíduos imunossuprimidos, as vacinas de vírus e bactérias vivos devem ser evitadas devido ao risco de disseminação do agente vacinal. O cuidado na imunização deve incluir não só o paciente...

‣ Correlação do esquema de imunossupressão com complicações pós-operatórias em transplantes renais através do uso da cintilografia renal dinâmica

Martins,Flávia Paiva Proença; Gonçalves,Renato Teixeira; Fonseca,Léa Mirian Barbosa da; Gutfilen,Bianca
Fonte: Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem Publicador: Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2001 Português
Relevância na Pesquisa
37.286887%
A cintilografia renal dinâmica possibilita o diagnóstico de complicações observadas nos tecidos transplantados, como desordens na perfusão do órgão, necrose tubular aguda e quadros de rejeição. Empregamos o 99mTc-DTPA neste estudo e correlacionamos os achados cintilográficos e clínicos visando ao diagnóstico de rejeição ou outra forma de complicação no órgão transplantado. Tanto as rejeições quanto as complicações foram avaliadas em relação ao tipo de imunossupressão utilizada. Foram analisados 55 pacientes submetidos a transplante renal entre 1989 e 1999. Todos os pacientes com nefrotoxicidade faziam uso do esquema tríplice de imunossupressão. Neste estudo houve predominância de rejeição aguda, em 40,4% dos casos. Treze dos quinze pacientes cujos doadores eram cadáveres tiveram necrose tubular aguda. Foi observado apenas um caso falso-positivo, em que o exame cintilográfico foi incompatível com a clínica. Sugerimos o uso da cintilografia renal no acompanhamento pós-operatório dos pacientes transplantados.

‣ Estudo de viabilidade de aloenxerto de traquéia em ratos: o papel da omentoplastia na vigência de imunossupressão

Schneider,Airton; Rosito,Tiago; Diemen,Vinícios Von
Fonte: Colégio Brasileiro de Cirurgiões Publicador: Colégio Brasileiro de Cirurgiões
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2000 Português
Relevância na Pesquisa
27.12354%
A cirurgia de traquéia enfrenta dificuldades em acompanhar os recentes avanços da terapêutica cirúrgica. Os resultados cirúrgicos são baseados em trabalhos clássicos desenvolvidos há mais de dez anos. Características específicas de vascularização e de regeneração estão entre os problemas que os cirurgiões enfrentam no tratamento das lesões adquiridas ou congênitas da traquéia. As próteses e o transplante ainda não fazem parte do arsenal terapêutico. Com o objetivo específico de determinar o valor da gordura na viabilidade de aloenxertos traqueais, os autores utilizaram ratos Fischer 344 para estudar a regeneração e a viabilidade de aloenxertos, associados à imunossupressão. Um doador possibilitou o implante de um fragmento traqueal em gordura do subcutâneo de dez ratos e de um fragmento no omento. Estes fragmentos de traquéia foram estudados histologicamente visando determinar a viabilidade. Os resultados demonstraram que a gordura extraperitonial, no rato, não serve para manter a viabilidade de aloenxerto, mesmo utilizando imunossupressão (p<0,05), quando comparada à gordura intraperitoneal.

‣ Dermatoses em indivíduos infectados pelo vírus HIV com diferentes graus de imunossupressão

Cardoso,Fernando; Ramos,Heloísa; Lobo,Márcio
Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Dermatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2002 Português
Relevância na Pesquisa
27.286887%
FUNDAMENTOS: A contagem sangüínea de linfócitos T Helper CD4+ e o número de cópias de RNA viral são marcadores laboratoriais da progressão de imunodeficiência induzida pelo vírus HIV. OBJETIVOS: Relacionar os marcadores do grau de imunidade em infectados pelo HIV aos aspectos clínicos das dermatoses neles presentes. MÉTODOS: A amostra compreendeu 172 pacientes, submetidos a quantificações de linfócitos T CD4+ e CD8+, pela técnica de citometria de fluxo; quantificações de RNA viral pela técnica de amplificação de ácidos nucléicos (Nuclisens). Foram classificados em pacientes com e sem imunossupressão acentuada, a partir da classificação clínico-laboratorial da infecção pelo HIV do CDC/1992. RESULTADOS: O percentual médio da pele atingida pelas dermatoses foi 12,5% e a média do número de dermatoses por doente foi 2,08. As dermatoses neoplásicas e do grupo miscelânia predominaram nos indivíduos com valores de linfócitos T CD4+•200 células/mm³, enquanto valores de linfócitos T CD4+>200 células/mm³ em pacientes com infestações por artrópodes. CONCLUSÃO: O número de dermatoses por doente mostrou ser marcador da evolução de imunossupressão (p=0,003). A extensão percentual da pele atingida por dermatoses não se prestou a medir gravidade das dermatoses em infectados pelo HIV (p=0...

‣ Imunossupressão com ciclofosfamida e fludarabina, com suporte de células tronco hematopoéticas autólogas CD-34+, para tratamento de esclerose sistêmica severa

von Mühlen,Carlos Alberto; Hinterholz,Éverton Luís; Garicochea,Bernardo; Weingrill,Pedro; Barrios,Carlos; Fernandes,Mário Sérgio; Dahmer,Rosângela; Keiserman,Mauro W; Staub,Henrique Luiz
Fonte: Sociedade Brasileira de Reumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Reumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2004 Português
Relevância na Pesquisa
37.286887%
Evidências recentes mostram a possibilidade de se retardar a evolução da esclerose sistêmica (ES), mesmo em suas formas mais graves, com ablação de células T, no momento reconhecidas como as principais envolvidas no processo fisiopatogênico. Altas doses de quimioterapia com suporte de células tronco hematopoéticas (CTH) - às vezes denominado pela literatura de "transplante da medula óssea" - tem-se mostrado um meio efetivo de controlar algumas doenças auto-imunes, entre elas a esclerose sistêmica. Neste trabalho é relatado o caso de paciente com forma difusa de esclerose sistêmica, em que se efetuou imunossupressão com ciclofosfamida 0,5 g/m² e fludarabina e suporte de células CD34+ autólogas sem depleção específica de linfócitos T. O paciente foi avaliado de forma periódica durante 12 meses através de testes cutâneos, exames de imagem, exames laboratoriais e questionário sobre qualidade de vida. A evolução imediata mostrou melhora importante dos quadros cutâneo e gastrointestinal, com melhora da diarréia e síndrome de má-absorção, que no entanto não se manteve após seis meses de evolução. O paciente apresentou reação transfusional passageira, infecção por herpes zoster e bronco-pneumonia durante o período de observação...

‣ Efeitos da imunossupressão com tacrolimus e micofenolato mofetil na histologia e na função renal de ratos com rim único submetidos à esquemia e reperfusão

Dias, Paulo Henrique Goulart Fernandes
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: 78f. : il. algumas color., grafs., tabs.; application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
37.397544%
Orientador: Prof. Dr. Rogério de Fraga; Co-orientador: Prof. Dr. Renato Tambara Filho; Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Clínica Cirúrgica. Defesa: Curitiba, 27/03/2014; Inclui referências; Área de concentração :Clínica cirúrgica; Resumo: Há poucos estudos que avaliam o efeito simultâneo da nefrotoxicidade induzidas por drogas imunossupressoras e da isquemia e reperfusão na disfunção renal pós-transplante. Objetivo: Avaliar as alterações histológicas renais e a função renal, em ratos com rim único, submetidos à isquemia e reperfusão renal e à imunossupressão com tacrolimus e micofenolato mofetil. Método: Realizado estudo experimental com 80 ratos Wistar, os quais foram divididos aleatoriamente em oito grupos de 10 animais: Controle (não submetido à cirurgia); SHAM (submetido à cirurgia, sem uso de drogas imunossupressoras). Os demais grupos foram submetidos à cirurgia e à imunossupressão: T1 (tacrolimus 1mg/kg/dia); T2 (tacrolimus 0,1mg/kg/dia); T3 (tacrolimus 10mg/kg/dia); M1 (micofenolato mofetil 20mg/Kg/dia); MT1 (micofenolato mofetil 20mg/kg/dia e tacrolimus 1mg/kg/dia); MT2 (micofenolato mofetil 20mg/kg/dia e tacrolimus 0...

‣ INDUÇÃO DE RETINITE POR CITOMEGALOVÍRUS HUMANO (HCMV), EM COELHOS IMUNOSSUPRIMIDOS; RETINITIS INDUCTION BY HUMAN CYTOMEGALOVIRUS IN IMUNOSSUPRESSED RABBITS

Silva, Fabrizio L. Mascaro; Figueiredo, José Fernando C.; Figueiredo, Luiz Tadeu M.; Sauaia, Cláudia C.; Romão, Erasmo; Rodrigues, Maria de Lourdes Veronese
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 30/06/2000 Português
Relevância na Pesquisa
27.397544%
A procura por novos esquemas terapêuticos para a retinite por HCMV levou pesquisadores à busca de um modelo animal para o estudo desta infecção. Em estudo anterior, não conseguimos nível adequado de imunossupressão com associação de Azathioprina e Prednisona em coelhos. Assim, optamos por utilizar a Ciclofosfamida em cinco coelhos da raça New Zealand, e injetamos HCMV no vítreo de ambos os olhos de cada um deles, em diferentes etapas do protocolo de imunossupressão. O período de seguimento foi de até 112 dias, avaliando-se alterações sistêmicas (peso, hemograma) e alterações oculares (através de oftalmoscopia binocular indireta e retinografia). Após o sacrifício dos animais, pesquisaram-se antígenos de HCMV em vítreo e retina. Encontrou-se importante perda de peso, hemograma não compatível com os sinais de imunossupressão, lesões retinianas e alterações vítreas inespecíficas (exsudatos e vitreíte com involução espontânea). Não foram detectados antígenos de HCMV nos Inprints de retinas e vítreos dos coelhos sacrificados. Desse modo, concluiu-se que, também com esse novo esquema de imunossupressão, o HCMV causa inflamação intra-ocular inespecífica. Portanto, a inoculação do HCMV, em coelhos...