Página 1 dos resultados de 137 itens digitais encontrados em 0.007 segundos

‣ Pectinase production by Penicillium viridicatum RFC3 by solid state fermentation using agricultural wastes and agro-industrial by-products

Silva, Dênis; Martins, Eduardo da Silva; Silva, Roberto da; Gomes, Eleni
Fonte: Sociedade Brasileira de Microbiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Microbiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 318-324
Português
Relevância na Pesquisa
27.158928%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); A produção de pectina liase (Pl) e poligalacturonase (Pg) por cepa de Penicillium viridicatum Rfc3, recentemente isolada, foi estudada por meio de fermentação em estado sólido usando bagaço de laranja, tegumento de milho, farelo de trigo e cascas de manga e banana como fontes de carbono. Quando os resíduos foram utilizados isoladamente, o valor máximo de atividade de Pg (30 U g-1) foi observado em meio de farelo de trigo, enquanto que o valor máximo para atividade de Pl (2000 U g-1) foi obtido em meio de bagaço de laranja. Misturas de cascas de banana ou de manga com bagaço de cana-de-açúcar (50% p/p), resultaram em aumento na produção tanto de Pl quanto de Pg, quando comparado com os experimentos nos quais esses materiais foram usados isoladamente. A mistura de bagaço de laranja e farelo de trigo (50%) elevou a produção de Pg e Pl para 55 U.g-1 e 3540 U.g-1, respectivamente. O fracionamento das enzimas presentes na solução enzimática bruta, através de filtração em gel Sephadex G50, resultou na obtenção de diferentes frações de Pl e de Pg. As frações de Pg e Pl, as quais foram caracterizadas, apresentaram atividade ótima em pH 5,0 e 10...

‣ Screening of bacterial strains for pectinolytic activity: characterization of the polygalacturonase produced by Bacillus sp

Soares, Márcia M.C.N.; Silva, Roberto da; Gomes, Eleni
Fonte: Sociedade Brasileira de Microbiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Microbiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 299-303
Português
Relevância na Pesquisa
27.158928%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); A partir de amostras de solo e de material vegetal em decomposição, foram isoladas 168 linhagens bacterianas capazes de utilizar pectina de citrus como única fonte de carbono. Destas, 102 foram positivas para a despolimerização da pectina, através de ensaios em placa de Petri nos quais foram detectados halos claros ao redor das colônias. Entre essas, 30% (50) foram consideradas ótimas ou boas produtoras de poligalacturonase. O cultivo dessas linhagens através de fermentação submersa e semi-sólida para a quantificação das poligalacturonases (PG) produzidas indicou que 6 linhagens de Bacillus sp foram as melhores produtoras da enzima. As características físico-químicas, como pH ótimos entre 6,0 e 7,0 e temperaturas ótimas entre 45 e 55oC, estabilidade à temperaturas acima de 40oC e a pH neutros e alcalinos foram determinadas.; One hundred sixty eight bacterial strains, isolated from soil and samples of vegetable in decomposition, were screened for the use of citrus pectin as the sole carbon source. 102 were positive for pectinase depolymerization in assay plates as evidenced by clear hydrolization halos. Among them, 30% presented considerable pectinolytic activity. The cultivation of these strains by submerged and semi-solid fermentation for polygalacturonase production indicated that five strains of Bacillus sp produced high quantities of the enzyme. The physico-chemical characteristics...

‣ Production and partial characterization of polygalacturonases produced by thermophilic Monascus sp N8 and by thermotolerant Aspergillus sp N12 on solid-state fermentation

Freitas, Paula Mendes de; Martin, Natalia; Silva, Dênis; Silva, Roberto da; Gomes, Eleni
Fonte: Sociedade Brasileira de Microbiologia Publicador: Sociedade Brasileira de Microbiologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 302-306
Português
Relevância na Pesquisa
27.158928%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); A produção de poligalacturonases pelas linhagens fúngicas recentemente isoladas, Monascus sp N8 e Aspergillus sp N12, foi estudada através de fermentação em estado sólido usando como substratos misturas de farelo de trigo, bagaço da cana-de-açúcar e bagaço de laranja. A atividade máxima de exo-Pg produzida por Monascus sp (6,6 U/mL) foi obtida quando o meio de cultivo utilizado continha mistura de farelo de trigo, bagaço da cana-de-açúcar e bagaço de laranja (1:1:1), enquanto que Aspergillus sp produziu maior quantidade da enzima (10 U/mL) em meio de farelo de trigo e bagaço de laranja. A maior produção de exo-Pg foi obtida através de incubação das culturas a 45ºC quando comparadas àquelas incubadas a 50ºC. A produção de endo-poligalacturonase (endo-Pg) pelas duas linhagens não foi afetada pela temperatura de incubação. A atividade de endo-Pg em meio de cultura Monascus sp foi 1.8 U/mL a 45ºC em 72 hs de fermentação e 1,6 U/mL a 50ºC em 120 hs de fermentação nas mesmas condições. Valores semelhantes foram obtidos pelo cultivo de Aspergillus sp com 1.9 U/mL a 45ºC a 1.8 U/mL at 50ºC. As exo-poligalacturonases produzidas por ambas as linhagens mostraram maiores atividades em pH 5...

‣ Produção de poligalacturonase termoestável pelo fungo Rhizomucor pusillus A 13.36 em fermentação em estado sólido, purificação e caracterização da enzima

Freitas, Paula Mendes de
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 94 f. : il., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
37.87857%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Pós-graduação em Ciências Biológicas (Microbiologia Aplicada) - IBRC; O fungo Rhizomucor pusillus A 13.36, quando cultivado por fermentação em estado sólido utilizando farelo de algodão como fonte de carbono por 72 horas, produziu altos níveis de poligalacturonase (18,6U/g). Essa enzima apresentou atividade máxima em pH 5,5 e em 55oC. A poligalacturonase bruta apresentou estabilidade na faixa de pH entre 4,5 e 6,5, com uma atividade residual de 91,3% no pH 6,5, e também até 70oC por 1h, com atividade residual de 80% nas temperaturas de 55 a 60oC. Esta enzima foi purificada por concentração e uma combinação de procedimentos de gel filtração e cromatografia de troca-iônica. A massa molecular da enzima foi 53,7kDa. A focalização isoelétrica mostrou uma única banda cujo ponto isoelétrico (pI) foi 3,8. A atividade máxima da enzima purificada também ocorreu em pH 5,5 e a 55oC. A enzima purificada foi estável na faixa de pH 4,5 a 6,5, com atividade residual na faixa de 80 a 100%, e também até 70oC por 1h, com atividade residual de 100% nas temperaturas de 55 a 60oC. A enzima purificada foi totalmente inibida por Ca2+, Cu2+, Hg2+ e 80% inibida por Fe2+ e Ag+. Mg2+ estimulou a atividade da poligalacturonase em 100%. Entre os substratos avaliados...

‣ Purificação e caracterização da poligalacturonase termoestável produzida pela linhagem fúngica Thermomucor indicae-seudaticae N31 em fermentação em estado sólido e submersa

Martin, Natalia
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 104 f. : il., gráfs., tabs.
Português
Relevância na Pesquisa
27.158928%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Ciências Biológicas (Microbiologia Aplicada) - IBRC; Organismos termofílicos produzem enzimas que, em geral, são mais termoestáveis que aquelas produzidas por mesofílicos. Além disso, essas enzimas geralmente apresentam várias características importantes sob o ponto de vista de aplicação industrial, como estabilidade em ampla faixa de pH e maior tolerância a solventes e outros desnaturantes proteicos. O tipo de processo fermentativo usado também pode influênciar a produção e as propriedades das enzimas obtidas. Foram isoladas várias cepas fúngicas termofílicas e pectinolíticas e entre elas, o fungo termofílico Thermomucor indicae-seudaticae N31 foi o que apresentou maior potencial de produção de poligalacturonase (PG) usando meios a base de resíduos agro-industriais. Em fermentação em estado sólido (FES) usando como meio de cultura uma mistura de farelo de trigo e bagaço de laranja (1:1) a 70% de umidade, o fungo produziu 14 U/mL em 48 horas e em fermentação submersa (FSm) com 1% farelo de trigo e 1% bagaço de laranja como substrato foram obtidas 13 U/mL em 96 horas de fermentação. A PG presente na solução enzimática bruta obtida de FSm foi mais termoestável do que aquela de FSS e mais estável em ampla faixa de pH. As exo-PGs produzidas em FSm e FSS foram purificadas até homegeneidade...

‣ Purificação de uma endo-poligalacturonase, produzida por Kluyveromyces marxianus, utilizando sistemas de duas fases aquosas

Pereira, Martinha
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2005 Português
Relevância na Pesquisa
37.657144%
Dissertação de doutoramento em Engenharia Química e Biológica.; Com o trabalho presente nesta dissertação pretendeu-se estabelecer procedimentos para a purificação da enzima endo-poligalacturonase, produzida pela levedura Kluyveromyces marxianus. Para tal foram usados os sistemas de duas fases aquosas. As estirpes provenientes da fermentação do cacau foram estudadas para encontrar a melhor produtora de enzima utilizando, como fonte de carbono, a glucose ou a sacarose. Foram seleccionadas as estirpes CH4-1, CH0-1 e CCT 3172. Para esta última estirpe, foram realizados ensaios em que se verificou que a produtividade da enzima era máxima quando somente era utilizada a agitação mecânica, sem introdução de ar. Para os ensaios de purificação foram determinados alguns diagramas de fases, cuja informação foi utilizada nos ensaios de partição e extracção. Foram realizados ensaios de partição para vários sistemas de duas fases aquosas. Verificou-se que os sistemas mais adequadas para a partição da enzima são os sistemas de composição 24 % PEG-5,6 % (NH4)2SO4 e 6,9 % PEG8000-8,7 % PVA (percentagens mássicas). Foram propostos 2 esquemas de separação. O primeiro, constituído por um sistema de composição 24 % PEG-5...

‣ Alterações pós-colheita da "fruta-de-lobo" (Solanum lycocarpum St. Hil.) durante o amadurecimento: análises físico-químicas, químicas e enzimáticas

Oliveira Junior,Enio Nazaré de; Santos,Custódio Donizete dos; Abreu,Celeste Maria Patto de; Corrêa,Angelita Duarte; Santos,José Zilton Lopez
Fonte: Sociedade Brasileira de Fruticultura Publicador: Sociedade Brasileira de Fruticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 Português
Relevância na Pesquisa
27.158928%
Estudaram-se, neste trabalho, algumas modificações físico-químicas, químicas e enzimáticas, em pós-colheita, durante o amadurecimento da fruta-de-lobo, comparando-as com as de outros frutos. Os frutos colhidos de plantas nativas no início do estádio de amadurecimento foram selecionados e armazenados durante 18 dias à temperatura ambiente (17,1 a 26,9ºC). Os frutos foram lavados com água destilada, descascados, picados, congelados em nitrogênio líquido e liofilizados até massa constante. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado, com quatro repetições de 3 frutos. Os valores de pH e acidez titulável não variaram estatisticamente durante o amadurecimento. A atividade de amilase e os teores de amido diminuíram gradativamente com o aumento dos açúcares solúveis totais e não redutores, enquanto os teores dos redutores se mantiveram constantes. Os teores de pectinas totais e solúveis diminuíram, enquanto a atividade de pectinametilesterase manteve-se constante. As atividades das enzimas poligalacturonase e polimetilgalacturonase não foram detectadas no fruto. Observou-se diminuição dos teores de polifenóis e das atividades das enzimas peroxidase e polifenoloxidase e conseqüente diminuição do escurecimento da polpa do fruto.

‣ Aplicação da metodologia de superfície de resposta no estudo da produção e extração da poligalacturonase

Santos,Sharline Florentino de Melo; Macedo,Gorete Ribeiro de; Silva,Flávio Luiz Honorato da; Souza,Rosane Liege Alves de; Pinto,Gustavo Adolfo Saavedra
Fonte: Sociedade Brasileira de Química Publicador: Sociedade Brasileira de Química
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 Português
Relevância na Pesquisa
27.158928%
The aim of this work was to verify the effects of initial medium moisture content (U), addition of ammonium sulphate (N) and of potassium phosphate (P) in the production of the polygalacturonase through the solid-state fermentation, using cashew apple husk as substrate and Aspergillus niger CCT0916 as transformation agent. We also studied the best extraction conditions of the produced enzyme. The best condition of production was with U of 40%, 1% of N and 0% of P being reached an activity of the poligalacturonase of 10.1 U/g. The best extraction condition is an agitation system with a time of 100 min and a solvent-fermented medium volume ratio of 5 mL/g.

‣ Isolamento e seleção de microrganismos pectinolíticos a partir de resíduos provenientes de agroindústrias para produção de aromas frutais

Uenojo,Mariana; Pastore,Glaucia Maria
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2006 Português
Relevância na Pesquisa
27.158928%
As pectinases são enzimas produzidas naturalmente por plantas, fungos, leveduras e bactérias. Estes microrganismos podem ser inoculados em meios contendo resíduos agroindustriais utilizados como fonte de carbono para a produção de compostos de maior valor agregado, como enzimas, etanol, proteínas, aminoácidos e compostos de aroma. Vários microrganismos foram isolados e selecionados quanto à produção de enzimas pectinolíticas pelo método da placa, através de zonas claras de degradação de pectina ao redor da colônia. De 104 linhagens testadas, 18 foram selecionadas para fermentarem em meio líquido, contendo pectina para a determinação de atividade de poligalacturonase (PG) e de pectina liase (PMGL), e em meio frutose/extrato de levedura para produção de aromas. As linhagens 2, 9, 20, 39, 70, 74 e 99 apresentaram unidades de atividade de PG superiores a 80 µmol de ácido galacturônico/mL/min, as linhagens 17, 18, 31, 37, 73, 74 e 125 apresentaram unidades de atividade de PMGL superiores a 1000 etamol de produtos insaturados/mL/min e as linhagens 13, 70, 73, 74, 125 e 144 apresentaram os melhores descritores e as maiores intensidades de aromas percebidos por um painel não treinado de provadores.

‣ Produção de poligalacturonase, pelo termofílico Bacillus sp. e algumas de suas propriedades

Cordeiro,Carlos Alberto Martins; Martins,Meire Lelis Leal
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.94878%
A produção de poligalacturonase pelo termofílico Bacillus sp. SMIA-2, cultivado em meio líquido contendo pectina cítrica como única fonte de carbono, alcançou a sua máxima atividade enzimática em 30 horas, com níveis de 42 IU.mL-1. Entre as várias fontes orgânicas e inorgânicas de nitrogênio testadas, o sulfato de amônio foi a que proporcionou maior atividade da poligalacturonase. O aumento da concentração da pectina cítrica, no meio de cultura, acima de 0,5% não proporcionou um aumento da atividade da enzima. O microrganismo foi capaz de utilizar uma variedade de fontes de carbono, mas a atividade da poligalacturonase variou com cada fonte. Pectina de maçã foi a melhor fonte de carbono para a secreção da poligalacturonase (56 IU.mL-1), enquanto frutose e maltose não foram muito efetivas. Galactose, rafinose e glicose inibiram a síntese da enzima. Estudos sobre a caracterização da poligalacturonase revelaram que a temperatura ótima dessa enzima foi 70 ºC e que ela manteve 62 e 58% de sua atividade máxima quando incubada por 2 horas a 40 e 90 ºC, respectivamente. O pH ótimo para atividade da enzima foi 7,0. A enzima manteve 90 e 75% de sua atividade máxima quando incubada a pH 8,0 e 8,5, respectivamente...

‣ Alterações nas atividades das enzimas alfa-galactosidase e poligalacturonase e nas reservas de carboidratos de sementes de Schizolobium parahyba (vell.) Blake (guapuruvú) durante a germinação

Magalhães,Simone Rodrigues de; Borges,Eduardo Euclydes de Lima e; Berger,Ana Paula Aguiar
Fonte: Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes Publicador: Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 Português
Relevância na Pesquisa
27.158928%
A retomada do metabolismo do embrião durante a germinação é realizada por processos metabólicos que culminam na protrusão da radícula e no fornecimento de energia para o desenvolvimento inicial da plântula. O objetivo deste trabalho foi estudar as variações nas atividades das enzimas alfa-galactosidase e poligalacturonase e nas reservas de mono e oligossacarídeos em sementes de guapuruvú durante a germinação. Para tanto, as sementes foram colocadas para germinar e as reservas do eixo embrionário e cotilédones, avaliadas periodicamente. Os teores de galactose no eixo embrionário diferiram significativamente somente entre a testemunha e o oitavo dia, muito embora houvesse aumento contínuo até o quarto dia. Somente no sexto dia de germinação houve aumento no teor de galactose nos cotilédones. Houve tendência de aumento nos teores de arabinose, manose e glicose no eixo embrionário, não sendo detectada a presença de xilose no oitavo dia. Nos cotilédones os mesmos açúcares não foram originalmente detectados no tempo zero, mas apresentaram valores mais altos nas amostras do oitavo dia. Os teores de galactose oscilam tanto no eixo embrionário, quanto nos cotilédones durante o período de germinação de sementes de guapuruvu. Os teores de sacarose aumentam e os de rafinose decrescem nos cotilédones e no eixo embrionário. Os teores de estaquiose permanecem aproximadamente estáveis no eixo e nos cotilédones...

‣ Armazenamento sob atmosfera controlada de tomates com injúria interna de impacto

Moretti,Celso Luiz; Sargent,Steven A.; Huber,Donald J.; Puschmann,Rolf
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2002 Português
Relevância na Pesquisa
27.158928%
A injúria interna de impacto causa redução significativa da qualidade de frutos de tomate. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a utilização do armazenamento sob atmosfera controlada na redução do desenvolvimento de uma desordem de amadurecimento conhecida como injúria interna de impacto. Tomates (Lycopersicon esculentum Mill), cv. Solimar, foram colhidos no estádio de amadurecimento verde-maduro e tratados com etileno, por 12 horas, a 20°C. Ao atingirem o estádio verde-rosado, sofreram uma queda de 40 cm de altura sobre uma superfície plana, lisa e maciça. Metade dos frutos foi então armazenada sobre atmosfera controlada (3% O2; 4% CO2; balanço com N2) por 8 dias a 20°C e 85-95% de umidade relativa, e então foram transferidos para atmosfera ambiente até completamente maduros. A outra metade dos frutos foi mantida continuamente em atmosfera ambiente à mesma temperatura e umidade relativa. Quando estavam completamente maduros, os frutos que sofreram injúria mecânica, armazenados sob atmosfera controlada e sob atmosfera ambiente, desenvolveram sintomas de injúria interna de impacto no tecido locular. O armazenamento sob atmosfera controlada não produziu efeitos significativos no conteúdo de vitamina C total e carotenóides totais para o pericarpo e o tecido locular injuriados. Entretanto...

‣ Atividade de enzimas pectinametilesterase e poligalacturonase durante o amadurecimento de tomates do grupo multilocular

Resende,Josane Maria; Chitarra,Maria Isabel F.; Maluf,Wilson Roberto; Chitarra,Adimilson Bosco; Saggin Júnior,Orivaldo José
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2004 Português
Relevância na Pesquisa
27.158928%
Mediu-se a atividade das enzimas pectinametilesterase (PME) e poligalacturonase (PG) em frutos de tomate do grupo multilocular em diferentes estádios de maturação e correlacionou-se com mudanças na textura, pectinas e licopeno. Os tomates foram colhidos no estádio verde-maturo e colocados a amadurecer em recinto com umidade relativa de 85-90% e temperatura ambiente de 20(0)C±2. Durante o armazenamento, foram retiradas amostras nos estádios verde-maturo, "de vez", maduro e vermelho-maduro para determinar a atividade enzimática. As outras características foram analisadas somente quando os frutos atingiram o estádio vermelho-maduro. Dentre os genótipos avaliados, três híbridos, H3: F1 (BPX 308B hv x Stevens), H8: F1 (BPX 308B hv x Piedmont) e H1: F1 (BPX 308B hv x BPX-127H) sobressaíram-se com melhores características para o consumo ao natural, quando comparado às testemunhas, por apresentarem menor atividade das enzimas PME e PG, o que reduziu a despolimerização e solubilização das pectinas resultando em maior textura. As maiores espessuras da polpa e menores números de lóculos também contribuíram para aumentar a textura do fruto melhorando a vida-de-prateleira e a qualidade dos frutos. A baixa atividade da enzima PG não influenciou o desenvolvimento da cor...

‣ Textura de goiabas "Pedro Sato" submetidas à aplicação de cloreto de cálcio

Xisto,Andréa Luiza Ramos Pereira; Abreu,Celeste Maria Patto de; Corrêa,Angelita Duarte; Santos,Custódio Donizete dos
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2004 Português
Relevância na Pesquisa
27.467346%
Entre as técnicas utilizadas para manter a qualidade pós-colheita de frutos, destaca-se a aplicação de cálcio, geralmente associada à refrigeração. No entanto, nem todos os produtores têm acesso a câmaras frias; portanto, objetivou-se neste trabalho avaliar o tratamento isolado com cloreto de cálcio na manutenção da aparência de goiabas (Psidium guajava L.) destinadas ao consumo “in natura”, armazenadas em condições ambientes. O tratamento hidrotérmico à temperatura de 30ºC com cloreto de cálcio a 1g/100 mL (CCa) foi testado, comparando-o com frutos sem tratamento (SCa). Em seguida, os frutos foram armazenadas em condições ambientes (22,6ºC ± 1, UR 75% ± 5) durante quatro dias. Após o armazenamento, avaliaram-se os teores de pectina total e solúvel e as atividades de pectinametilesterase e poligalacturonase. O emprego de cálcio afetou as características analisadas, proporcionando menores teores de pectina solúvel e atividades mais baixas de pectinametilesterase e poligalacturonase, promovendo um amaciamento menos intenso e mantendo a firmeza desses frutos durante o período de armazenamento.

‣ Caracterização da poligalacturonase produzida por fermentação semi-sólida utilizando-se resíduo do maracujá como substrato

Souza,Rosane L. A. de; Oliveira,Líbia de S. C.; Silva,Flávio L. H. da; Amorim,Beatriz C.
Fonte: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG Publicador: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2010 Português
Relevância na Pesquisa
27.657144%
As enzimas pectinolíticas ou pectinases são um grupo heterogêneo de enzimas que hidrolisam as substâncias pécticas presentes nas células vegetais. Essas enzimas estão sendo aplicadas em diversas áreas tornando-se importante conhecer suas características visando uma aplicação eficiente. Assim, este trabalho, objetivou-se caracterizar o resíduo seco da casca e do albedo do maracujá (Passiflora edulis) e posterior caracterização da enzima poligalacturonase, produzida através da fermentação em estado sólido e, como agente da fermentação, o fungo filamentoso Aspergillus niger. O resíduo do maracujá apresenta teor de pectina de 13,10%. A atividade de poligalacturonase alcançou um pico em 66 h de processo, para 40% de umidade inicial e 1% da concentração da fonte de nitrogênio, condição, em que a atividade obtida foi de 20,9 U g-1. A poligalacturonase do extrato enzimático bruto apresentou boa estabilidade térmica até temperaturas de 50 °C. Esta enzima permaneceu estável para pH entre 3,5 e 5,5 e não foi detectada para valores de pH acima de 6,5.

‣ Estudo da produção de pectinase por fermentação em estado sólido utilizando pedúnculo de caju como substrato; Pectinases production by solid-state fermentation using cashew apple as substrate

Santos, Sharline Florentino de Melo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química; Pesquisa e Desenvolvimento de Tecnologias Regionais Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química; Pesquisa e Desenvolvimento de Tecnologias Regionais
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Português
Relevância na Pesquisa
27.467346%
Pectinolytic enzymes, or simply pectinases, are complex enzymes that degrade pectic polymers. They have many uses, such as fruit juice extraction and purification, textile fiber treatment and vegetal oil extraction. The aim of this work was to study the kinetics of pectinases production by solid-state fermentation, using dry cashew apple residue as substrate and the microorganism Aspergillus niger CCT 0916. The influence of the initial medium moisture and medium supplementation with a source of nitrogen and phosphorus was evaluated using the factorial experimental planning and response surface methodology. Ammonia sulphate and potassium phosphate were used as nitrogen and phosphorus source, respectively. The variables time of contact (T) and ratio volume solvent/fermented medium (RZ), in systems with and without agitation, were evaluated in order to study the best extraction condition of the produced enzyme. Washed and unwashed cashew apple residues were tested as the growth medium. The unwashed residue was obtained by drying the residue after the extraction of the juice, while the washed residue was obtained by water washing 5 times using the proportion of 1 kg pulp/2 liters of water. Samples were taken every 12 hours for moisture content...

‣ Textura de goiabas "Pedro Sato" submetidas à aplicação de cloreto de cálcio

Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Português
Relevância na Pesquisa
27.467346%
Entre as técnicas utilizadas para manter a qualidade pós-colheita de frutos, destaca-se a aplicação de cálcio, geralmente associada à refrigeração. No entanto, nem todos os produtores têm acesso a câmaras frias; portanto, objetivou-se neste trabalho avaliar o tratamento isolado com cloreto de cálcio na manutenção da aparência de goiabas (Psidium guajava L.) destinadas ao consumo in natura , armazenadas em condições ambientes. O tratamento hidrotérmico à temperatura de 30ºC com cloreto de cálcio a 1g/100 mL (CCa) foi testado, comparando-o com frutos sem tratamento (SCa). Em seguida, os frutos foram armazenadas em condições ambientes (22,6ºC ± 1, UR 75% ± 5) durante quatro dias. Após o armazenamento, avaliaram-se os teores de pectina total e solúvel e as atividades de pectinametilesterase e poligalacturonase. O emprego de cálcio afetou as características analisadas, proporcionando menores teores de pectina solúvel e atividades mais baixas de pectinametilesterase e poligalacturonase, promovendo um amaciamento menos intenso e mantendo a firmeza desses frutos durante o período de armazenamento.

‣ Fisiologia do amadurecimento na planta do tomate 'Santa Clara' e do mutante 'Firme'

Moura,Márcia Lima; Finger,Fernando Luiz; Mizobutsi,Gisele P.; Galvão,Hilton L.
Fonte: Associação Brasileira de Horticultura Publicador: Associação Brasileira de Horticultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2005 Português
Relevância na Pesquisa
27.467346%
O mutante natural de tomate 'Firme' da cv. Santa Clara tem frutos com coloração "amarelo-creme" quando imaturos, firmes e com amadurecimento lento. Estudou-se as alterações fisiológicas que ocorrem durante o processo de amadurecimento na planta de frutos de tomate da cv. Santa Clara e do mutante 'Firme'. Os frutos normais e mutantes foram colhidos em 6 diferentes estádios de maturidade, e em cada um deles foram avaliados a produção de etileno e CO2, os teores de açúcares solúveis totais do pericarpo e do tecido locular, e as atividades das enzimas oxidase do ACC e poligalacturonase. Os frutos mutantes apresentaram menores taxas respiratórias e de produção de etileno em todos os estádios de maturidade. A atividade da oxidase do ACC apresentou padrão de comportamento distinto durante o amadurecimento na planta dos frutos mutantes e normais, porém com semelhante atividade final. Os frutos mutantes apresentaram atraso no aumento da atividade da enzima poligalacturonase em relação aos frutos normais nas fases iniciais do amadurecimento. Frutos normais acumularam açúcares solúveis totais durante seu amadurecimento na planta, enquanto que nos frutos mutantes os teores foram inferiores nos estádios mais avançados do amadurecimento quando comparados com aqueles no início do climatério. O pericarpo dos frutos mutantes nos estádios mais avançados do amadurecimento teve teores de açúcares total inferiores.

‣ Modificações nas atividades da poligalacturonase e pectinametilesterase em morangos armazenados a temperatura ambiente

Silva,Polyanna Alves; Abreu,Celeste Maria Patto de; Corrêa,Angelita Duarte; Asmar,Simone Abreu
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 Português
Relevância na Pesquisa
37.467346%
Objetivou-se, neste trabalho, avaliar as modificações da poligalacturonase (PG) e da pectinametilesterase (PME) em morangos cultivados na região de Lavras, MG, e armazenados em temperatura ambiente. Foram utilizados morangos das cultivares 'Oso-grande', 'Toyorrinho' e 'Tudla'. Utilizou-se o delineamento inteiramente casualizado com 4 repetições, sendo os tratamentos arranjados em esquema fatorial (3X2), sendo 3 cultivares e 2 dias de análises (0 e 5 dias). A parcela experimental foi constituída por 10 frutos. Durante o armazenamento houve uma diminuição nos teores de pectina total e um aumento nos de pectina solúvel em todas as variedades analisadas. A atividade da PG e PME aumentaram com o período de armazenamento, independente da cultivar.

‣ Pectinases produzidas pelo agente biológico G088: extração e purificação; Pectinases produced by the biological agent G088: extraction and purification

Carvalho, Sabrina
Fonte: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS; DCA - Departamento de Ciência dos Alimentos; UFLA; BRASIL Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS; DCA - Departamento de Ciência dos Alimentos; UFLA; BRASIL
Tipo: Dissertação
Publicado em 29/08/2014 Português
Relevância na Pesquisa
27.785713%
As pectinases são responsáveis pela degradação de uma molécula complexa de pectina, estando presente em todos os tecidos vegetais jovens. A produção de pectinases em microorganismos é influenciada pelo tempo de cultivo e escolha de linhagens apropriadas. Considerando-se a crescente utilização de enzimas provenientes de microorganismos no mercado atual, diferentes procedimentos para isolamento e purificação estão sendo estudados. Este trabalho objetivou definir o tempo ideal de cultivo de um agente biológico para um melhor desenvolvimento e produção enzimática, além de purificar parcialmente as pectinases produzidas. Para tal, foi utilizado o arroz como fonte de carbono e energia, os quais são necessários ao crescimento microbiano como à produção de pectinases. A atividade de pectinametilesterase e poligalacturonase foi avaliada após o período de 10, 15 e 20 dias de inoculação do agente biológico no substrato, como também em cada etapa de purificação enzimática, segundo a metodologia de Jen & Robinson (1984) e Pressey & Avants (1973). A extração do complexo enzimático foi obtida por homogeneização em soluções tampão em diferentes ph (4, 5 e 6), seguida de centrifugação e precipitação com sulfato de amônio em diferentes concentrações (20...